História Never Be Too Good (Jikook fanfic) - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bdsm, Bottom!jimin, Jeon Jungkook, Jikook, Jikook Bdsm, Jimin, Jimin!bottom, Jungkook, Jungkook!top, Park Jimin, Sexting, Texting, Top!jungkook
Visualizações 250
Palavras 1.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - Was it too much?


Fanfic / Fanfiction Never Be Too Good (Jikook fanfic) - Capítulo 16 - Was it too much?

Acordei sentindo o calor do corpo agarrado a mim. Jungkook me segurava de maneira cuidadosa em seus braços tendo minha cabeça em seu peito.

A cama estava desarrumada, os lençóis e nossos corpos ainda sujos da noite que passamos. Ele ainda dormia sereno com sua famosa face sem expressão. Levei uma de minhas mãos até seu rosto tocando a pele macia e sorri simplesmente por ter ele ali, do meu lado.

Suspirei antes de me levantar, senti uma ardência forte no interior e no exterior da bunda e gemi sôfrego tendo de me apoiar na cama para não cair. Soltei uma risada um tanto alta demais que fez Jungkook acordar.

- Nunca vi ninguém acordar com tão boa disposição. - ouvi a voz rouca do mais novo e olhei para ele que retribuia o ato - Bom dia Aegiya.

Sorri me sentando na beira da cama.

- Bom dia.

- Posso saber o motivo dessa alegria toda? - ele questionou erguendo uma sobrancelha.

Corei um pouco, mas continuei sorrindo.

- Quando eu ia levantar quase caí, tive que segurar na cama para não trocar uns beijinhos com o chão - brinquei o vendo rir junto.

Jeon Jungkook tem a risada mais bonita e melodiosa que alguma vez pude ouvir.

- Peguei pesado? - sua voz estava um tanto séria agora,mostrando preocupação.

Neguei e num ato inconsciente coloquei minha mão sobre a sua e apertei. Ele pareceu surpreso, mas não afastou.

- Voltava a repetir tudo de novo, sendo bem honesto, fazia até o dobro.

Confessei e voltamos a rir.

- Pode ir tomar banho enquanto dou um jeito no quarto.

Assenti me dirigindo ao banheiro depois dele me dar uma toalha. Fui o mais rápido possível.

Quando saí, agora com roupas limpas que havia levado, vi o quarto limpo e arrumado,Jungkook ainda estava nu na cama me esperando.

"Ok se ele aceitasse ser flex eu com certeza ia aproveitar aquela bundinha e meu deus aquelas coxas sa-"

- Jimin? - sua voz me despertou dos pensamentos impuros e levei rapidamente meu olhar a seus olhos esperando que ele não tivesse notado que eu estava secando sua bunda branquinha.

- E-eu! - falei rápido indo para perto do armário guardar meus produtos de higiene escapando do seu olhar.

Ouvi sua risada soprada e o vi entrar no banheiro e logo o chuveiro foi ligado.

Decidi ficar no seu quarto e analisar o espaço. Ele não tinha nenhuma fotografia sua, aliás, não tinha fotografia alguma ali.

Um quadro estava preso sobre a parede, nele estavam desenhadas várias flores e pela assinatura no canto do quadro sabia que tinha sido ele a fazê-lo. No jantar ele havia tocado no assunto de gostar de desenhar, então não era uma grande surpresa.

Havia uma estante recheada de livros, a maior parte sobre assuntos históricos, economia, psicologia e também clássicos como Shakespeare, Victor Hugo e Dante. Concluí que embora o foco nos interesses profissionais Jungkook também gostava de romances e livros mais "famozinhos". Quanto mais baixava pelas prateleiras, mais romances podiam ser encontrados até finalmente chegar na prateleira rente ao chão.

Podia ver apenas dois livros ali. O famoso 50 Sombras e Toda Sua. Me surpreendi ao os ver ali. Já tinha lido ambas as histórias completas e tinha uma opinião neutra.

Estava imerso agachado no chão que nem notei Jungkook atrás de mim.

- Se quiser pode pegar e ler. - ele comentou simples - Mas depois, vamos comer agora.

- Ah eu já li, não precisa. - me levantei e fui com ele até à cozinha onde me sentei e ele começou a preparar o café da manhã.

- O que achou? - perguntou me olhando rapidamente.

- Dos livros? - o vi assentir - Hum...Minha opinião varia um pouco, não achei ruim, mas também não foi nada por aí além.

Mais uma vez o vi assentindo e concordar.

- Eu acho que a única razão para eu não gostar deles é o clichê das histórias e depois o estereótipo que os leitores não praticantes de bdsm ficam acreditando.

Fiquei refletindo um pouco sobre sua resposta e isso me trouxe uma questão na mente.

- Alguma vez te falaram alguma coisa por gostar desse tipo de coisa?

Nesse momento ele virou para mim e se sentou na minha frente, colocou um prato com comida para mim e outro para ele.

- Já tive de lidar com certos comentários inconvenientes. - o olhei curioso e ele prosseguiu - Posso te fazer uma pergunta? - concordei - Como você descobriu que gostava de bdsm?

Mordi levemente a língua pensativo.

- Através da internet, das redes sociais, mais especificamente. Começou por aparecer perfis de pessoas que gostavam de daddy kink e postavam aquelas fotos todas fofas, eu achei...incomum no início, não entendia bem o porquê das pessoas que ficavam se chamando "baby girl" ou "baby boy" e se vestiam de um jeito tão fofo eram vistas de um jeito sexual, até aparecer o primeiro perfil que era relacionado a daddy kink, mas não tinha cores pastéis e isso me deixou meio curioso especialmente porque naquele perfil o que mais havia era fotos de kits de bondage, na altura eu não sabia o que era bondage, então eu só me ficava questionando o porquê de alguém, relacionado aos "babies", que eram tão fofos,ficar postando fotos de algemas e mordaças, entre outros. E decidi me jogar de cabeça no titio google. - fiz uma pausa para beber um pouco de água e ele me olhava atento, realmente curioso pela história, então continuei:

- Me surpreendi com a quantidade de sites e blogs que haviam falando sobre o assunto, então passei a noite lendo o máximo que pude sobre o tópico. Logo nos primeiros sites a famosa frase "Daddy kink um tipo relação relação de BDSM" sempre me deixava confuso, e demorou um pouco até achar um site mais completo que explicasse não só daddy kink, mas também bdsm num todo. No início foi inevitável achar tudo estranho e meio que bizarro. Mesmo assim eu ne interessei mais pelas relações DS, que não envolviam obrigatoriamente punições sadomasoquistas. A ideia de sexualizar o poder na hora do sexo me agradou logo de cara e talvez por isso eu tenha achado que daddy kink era meio que meu fetiche peculiar durante tanto tempo, mas como você já sabe, eu não gostava muito daquela fofura toda, eu gostava da ideia de ter alguém controlando, mas minha personalidade não se encaixava bem no perfil de "baby boy". Com o tempo eu fui largando esse fetiche e essas fantasias até... - corei um pouco e mordi o lábio, Jungkook inclinou a cabeça para o lado e me olhou confuso.

- Até?... - ele incentivou.

- Até eu procurar...vídeos, aquele tipo de vídeos. - ouvi ele soltar um "Ah entendi" e logo prossegui - Os primeiros que encontrei nos sites mais famosos pareciam falsos e muito forçados, principalmente para mim que pessoalmente não gosto muito de assistir pornografia por achar forçado e falso demais, mesmo assim eu acabei pesquisando muito, e mesmo achando aquilo cada vez mais bizarro eu continuava até que um dia eu encontrei um site que tinha vídeos só de bdsm, feito por pessoas que praticavam de verdade. - suspirei pesado lembrando do primeiro video que vi no site - Eu carreguei na primeira sugestão que apareceu e eu nem tive o cuidado de ver se seria algo leve ou não.

- E era leve? - perguntou.

- Não, longe disso na verdade. Mas mal dei o play eu já estava ofegante e eu juro que nunca me tinha sentido tão excitado por um vídeo. O vídeo começou logo com uma mulher sendo presa em duas barras metálicas na horizontal, como se ela estivesse de quatro, ela tinha uma corrente no pescoço que ia até sua bunda e tinha algo preso na sua entrada ligada a essa mesma corrente que não lhe permitia baixar a cabeça ou iria puxar a parte da corrente que estava em seu ânus, depois um homem começou a acertar ela com um chicote bem forte ao ponto de ficarem alguns filetes de sangue em suas coxas, sem falar de todos os hematomas que ela tinha por toda a bunda. Aí o mesmo homem a penetrou pela entrada livre e investiu nela sem piedade. Eu achei tão estranho ela gemer tanto durante todo o processo e no final do vídeo ela aparecer sorrindo e gozando de forma tão forte, mas eu mesmo estava duro e eu tive de me aliviar umas quatro vezes naquela noite até dormir e esquecer aquele maldito vídeo, esquecer as expressões de prazer e dor daquela mulher, as marcas e a forma como ela foi fodida, mas principalmente tentar parar de me imaginar no lugar dela, eu achei tão complicado na altura aceitar aquilo, mas foi instantâneo, eu ficava cada vez mais excitado ao pensar em alguém fazendo aquilo comigo.

Levantei meus olhos para Jungkook e ele me encarava fixamente passando a língua no interior da bochecha.

Senti um leve medo dele me achar bizarro demais por sentir prazer ao ver um vídeo daqueles, e que nem era dos mais fortes que havia visto, porém ficou marcado por ser o primeiro.

- V-você achou...demais? - perguntei incerto.

Ele ficou calado durante alguns segundos, o que me desesperou, mas logo sua resposta veio.

- Honestamente... - ele respirou fundo e me olhou sério - Você conseguiu me deixar duro depois dessa. 




Notas Finais


Eu to com medo de vcs acharem bizarro a fic, porque eu realmente pretendo escrever sobre BDSM de vdd.

:'(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...