História Never leave me - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Lana Parrilla, Once Upon a Time, Sean Maguire
Personagens Lana Parrilla, Sean Maguire
Tags Evil Queen, Fred Di Blasio, Lana Parrilla, Once Upon A Time, Outlawqueen, Robin Hood, Sean Maguire, Seana
Visualizações 87
Palavras 1.703
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores! Eu espero que vocês adorem esse capítulo tanto quanto eu! Me perdoem por qualquer erro, prometo corrigi-los depois!
Eu estou criando uma nova fanfic com parceria de uma amiga, vou deixar o link nas notas finais caso vocês queiram dar uma olhada!
Boa leitura 📖 ❤️

Capítulo 10 - Está disposto a me ouvir, outra vez?


Fanfic / Fanfiction Never leave me - Capítulo 10 - Está disposto a me ouvir, outra vez?

Horas depois do ocorrido, Lana acordou no hospital , ainda confusa com que havia acontecido. Sua cabeça estava girando e seu corpo se encontrava vestido por uma camisola de tonalidade creme. Passou o olhar pelo grande cômodo e viu sua mãe dormindo na poltrona ao seu lado. Na mesma hora seu coração se encheu de repleto alívio e felicidade por vê-la ali, principalmente no momento em que mais precisava.

-Mãe?-A morena a chamou com a voz um tanto quanto fraca, mas o suficientemente alta para Dolores ouvi-la.

-Filha! Graças a Deus você acordou!-Se dirigiu a mulher lhe dando um beijo no topo da cabeça.-Eu fiquei tão preocupada, Lana! Não tive notícias suas durante dias e quando tenho você está sendo internada às pressas.

-Me desculpa!-Ela apertou o corpo da mãe contra o seu como se dependesse daquilo para viver.-Deena está aqui?

-Ela estava, foi pra casa comer alguma coisa e vai voltar mais tarde para ficar com você!-Disse enquanto acariciava os cabelos da mais nova.

-Eu não vou sair daqui hoje? Espera... a quanto tempo eu estou apagada?

-No total, dezenove horas. A médica precisou te dar sedativos fortes pois seu corpo estava em estado de choque devido a desidratação e tantas emoções acontecendo ao mesmo tempo. Parece que a senhorita está a muitos dias sem comer.

-Mãe, eu não estou doente! Eu não preciso ficar aqui. Creio que esse soro não seja o primeiro que estou tomando, então já deve ser o suficiente pra me recompor. Eu prometo que vou me alimentar melhor!-Lana disse sobre o olhar repreendido da mãe.-Agora pode chamar a doutora pra eu sair logo daqui?!

-Não será preciso!-Uma mulher de meia idade adentrou o quarto vestindo um jaleco.-Eu sou Katherine, médica clínica geral. Eu atendi você quando chegou aqui!

-Eu não quero parecer grossa, mas eu não posso ir embora exatamente porque...-A morena disse se sentando na cama.

-Estamos esperando os resultados dos seus exames. Já que seu estado era bem crítico quando chegou aqui, eu precisava mais que simplesmente um hemograma.-A médica disse com um sorriso contido em seu rosto.-Bom, o seu exame de sangue me mostrou várias alterações, no potássio, hemoglobinas e glóbulos vermelhos.

-Isso significa exatamente o que?

-A falta de potássio no seu sangue indicou uma grande desidratação, a hemoglobina alterada mostra que você praticamente não estava mandando a proteína necessária para os glóbulos vermelhos, que por sua vez, indicaram um início de anemia.-Ela explicou tudo calmamente.-Lana, você estava a muitos dias sem comer quando chegou aqui! Tem contato com algum transtorno alimentar ou depressivo que te faz perder o apetite por tanto tempo assim?

-Não, nenhum dos dois casos se encaixa à mim. Eu só fiquei enjoada, sem apetite!

-Existe alguma possibilidade de você estar grávida?-A pergunta feita deixou Lana paralisada. Se ela estivesse sentindo todo aquele enjoo por conta de uma criança?-Quando foi sua última menstruação?

-Acredito que um mês e meio atrás. Mas se eu estivesse grávida isso apareceria no exame, certo?

-Sim, de fato! Mas se sua menstruação está atrasada, é um sinal para que prestemos atenção na sua deficiência de nutrientes no corpo. Eu vou esperar os resultados da sua tomografia, ela deve ficar pronta em uma hora.-Lana a encarou com espanto.-Você bateu a cabeça na queda, quando desmaiou. Havia um corte que me deixou preocupada, só é por precaução! Fique tranquila. Assim que eu tiver os resultados em mãos, você estará liberada para voltar para casa.-A mulher terminou de falar e saiu da sala.

A morena respirou fundo na intenção de digerir tudo que estava lhe acontecendo. Seu peito se apertou no instante em que pensou na possibilidade de estar grávida de um filho daquele desgraçado. E por falar em desgraçado, onde ele estava?

-Mãe? Onde Fred está?-Ela pergunta preocupada.

-Ele está no hotel. Depois da briga com Sean, ele chegou a vir ver você, mas seu colega não permitiu que ele entrasse.

-Sean? Ele... brigou com o Fred?

-Eu não sei exatamente o que aconteceu entre eles, meu amor. Sei que Sean o deixou com um belo olho roxo depois de ver você desmaiar por uma discussão com ele.-Foram interrompidas por uma batida na porta.-Entre!

-Oi!-O loiro adentrou o quarto com um sorriso sem graça.-Soube que você havia acordado, quis passar aqui para te ver! Como se sente?

-Fora à vontade imensa de ir pra casa, eu acho que estou bem, na medida do possível.-Ela sorriu fraco com a resposta.

-Eu vou pegar um café ! Vocês querem algo para comer? Um café?-Dolores pergunta.

-Não obrigada, mãe!

-Eu agradeço, Dona Dolores! Mas acabei de tomar um expresso.-Logo a mulher se retira do quarto deixando os dois a sós.

-Está doendo?-Lana disse se referindo a mão completamente machucada do amigo.

-Não, eu estou bem! E... me desculpe por... quebrar a cara do seu marido!-Ele disse com um tom sarcástico.

-Por que fez isso? Digo, me defender? Você mal me conhece, Sean!

-Eu mal te conheço e já sei que é uma mulher incrível, gentil e atenciosa. Não merece o marido que tem, ainda mais quando ele abusa psicologicamente de você.-Disse segurando a mão da mais nova.-Lana, lembra o que eu te pedi? Pra ser seu amigo?-Ela assente.-Eu não quero que sofra nas mãos dele! Ele não merece uma pessoa como você! Primeiro ele te agride e agora te tortura tanto emocionalmente que você é internada com um ataque de pânico?!

-Sean, não se trata apenas de nós dois. Se trata de três crianças que não fazem ideia do que o pai é capaz de fazer! Eu não quero deixá-los decepcionados com a figura perfeita que criaram de Fred até hoje! Eles não merecem passar por isso!

-E você merece?-Perguntou olhando no fundo dos olhos da mulher.-Eles tem que entender que o que o pai faz não é certo muito menos aceitável a ponto de varrer para debaixo do tapete! Você já suportou muitas coisas, Lana! Posso ver isso pelo seu olhar! Você não tem que enfrentar nada sozinha, os meninos uma hora ou outra vão entender o que aconteceu de fato!

-Eu sei que tem razão!-Seus olhos marejam.-Mas eu tenho medo do que possa acontecer se eu me separar dele. Se pode acontecer algo pior comigo ou até mesmo com você!

-Comigo?

-Ele está cego de ciúmes porque dançamos naquele bar, Sean! Nada tira da cabeça dele que somos amantes! Eu tenho medo de acontecer algo pior que da última vez e...

-Pior? O que aconteceu da última vez?-Ele pergunta.

-N-nada! Foi só uma discussão, não foi nada de mais!-Disse soltando a mão do loiro e desviando seu olhar para o chão.

-Lana, por favor, não minta pra mim nem para si mesma! O que ele fez?

-Desculpem atrapalhar!-Katherine diz adentrando o quarto.-Estou com seus resultados, Lana. Não houve alteração alguma, vou apenas prescrever algumas vitaminas para você tomar em casa, vai ajudar a repor o que falta no seu corpo. Está liberada! Em vinte minutos sua mãe pode assinar a sua alta!

-Obrigada!-A morena sorriu enquanto a médica tratava de tirar o soro de seu braço, liberando-o para que a mesma pudesse se trocar e voltar pra casa.

-Com licença!-A mais velha disse antes de deixar o local.

-Pode me ajudar a levantar? Ainda estou me sentindo um pouco fraca.

-Claro!

Ele ajudou Lana a se levantar e se dirigir até o banheiro, lhe entregou a bolsa que a mãe da mesma havia trago com roupas para quando a filha fosse liberada. A morena fez sua higiene pessoal e trocou de roupa, colocando uma calça jeans e uma blusa preta repleta de flores. Assim que saiu do banheiro, Sean a encarava com semblante fechado. Ela sabia onde aquela conversa iria parar, e não queria que isso acontecesse!

-Então, vai me dizer o que Fred fez de verdade com você? -Ele se pronunciou interrompendo a mulher de guardar as suas coisas dentro da pequena mala.

-Sean, Eu já disse que não foi nada! Pare de querer encontrar coisas onde realmente não tem!

-Ok, mas eu não vou desistir tão fácil , porque se caso você ainda não sabe, você é uma péssima mentirosa!-Disse isso e se retirou do quarto.

Lana ficou arrumando suas coisas e ao mesmo tempo pensando no que Sean havia lhe dito no dia em que conversaram, a mãe dele era uma ótima advogada, se contasse pelo menos para ela o que havia acontecido, talvez conseguiria sair desse labirinto. “Lana, isso é uma tremenda idiotice! Tire isso da sua cabeça imediatamente” disse a si mesma.

-Oi, filha! -Dolores adentrou o cômodo com alguns papéis na mão.-Ja assinei a sua alta. Aqui estão os medicamentos e agora só precisamos ir pra casa!

-A senhora já chamou um táxi?-A mais nova perguntou colocando a fina blusa de manga longa e jogando a bolsa no ombro em seguida.

-Na verdade, Sean se ofereceu para nos levar! Ele já está esperando no estacionamento!

⚪️⚫️⚪️

-Então... você quer entrar? Pra tomar um café e ouvir as histórias da minha mãe de quando eu era um embrião?-Lana disse em tom de brincadeira.

-Eu adoraria! Mas eu não quero atrapalhar vocês!-O loiro disse voltando a abrir a porta do carro.

-Sean.-A morena o segurou pelo braço.-Fique, é uma forma de te agradecer por tudo que fez por mim!

O homem aceitou e ambos adentraram a grande casa, foram recebidos por Deena e seu filho, Samuel. Trocaram algumas palavras então Lana pediu para que Sean a ajudasse levar suas coisas para o quarto. E assim o Loiro fez.

-Prontinho, Milady!-Ele sorriu.

-Obrigada!

-Não tem de que!

-Não! Obrigada, de verdade! Por me ajudar quando eu passei mal naquele dia. E por me ouvir quando eu precisei. Eu acho que realmente já abusei demais de você!-Ela disse com um sorriso tímido.

-Eu só fiz o que qualquer um, pelo menos em sã consciência, deveria! -Ele caminha ao encontro da porta.

-Sean?-Ele se vira.-Eu preciso te contar uma coisa. Está disposto a me ouvir mais uma vez?-A mulher já sentia seu coração acelerado.

-Claro.-Ele se sentou na cama e ficou de frente par ela.-O que quer me contar?

-Quando eu sai de casa naquela noite, foi porque... o Fred....-Ela não se sentia capaz de dizer, mas precisava, aquilo estava a matando por dentro.-Ele me violentou!


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...