História Never leave me - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Lana Parrilla, Once Upon a Time, Sean Maguire
Personagens Lana Parrilla, Sean Maguire
Tags Evil Queen, Fred Di Blasio, Lana Parrilla, Once Upon A Time, Outlawqueen, Robin Hood, Sean Maguire, Seana
Visualizações 97
Palavras 1.625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa madrugada, minha gente! (Viva a insônia!)
O capítulo ficou um pouco curto porque resolvi deixar a parte em que começam realmente a “tratar” do problema que houve entre Fred e Lana para o próximo!
Espero que gostem! Boa leitura 📖

Capítulo 12 - Tensão sexual!


POV SEAN 

Não sei se foi exatamente o momento certo para expor meus sentimentos à Lana. Mas foi inevitável depois que ela começou a me olhar daquele jeito e dizer coisas desconexas com o que realmente estávamos falando. Eu sabia qual era o gosto daquele beijo, já havia beijado-a outras vezes, mas nenhuma vez o nosso contato foi tão profundo como agora. Não quero que ela se lembre das coisas ruins que passou nos últimos dias, apenas quero fazê-la sentir o quão especial ela se tornou pra mim em um espaço de tempo tão curto.

Ela aprofunda o beijo a medida que sua língua pede passagem pela minha boca. Eu sinto seu corpo pesar sobre o meu em poucos instantes. Eu quero isso tanto quanto ninguém, mas acho que esse não seja o melhor momento. Mas também não quero afastá-la de mim para que não sinta-se rejeitada outra vez. Pelo pouco que conheço dela, sei que em poucos minutos vai cair em si!

Suas mãos passeiam pelos meus braços e pousam em meu rosto logo em seguida, o beijo que havia começado calmo e terno, agora se fazia urgente e desesperado. Eu me limito a apenas afastar seus cabelos negros que teimam em cair sobre seus olhos. Deus, ela precisa parar com isso logo! Minha vontade de tê-la è evidente, agora mais do que nunca. Mas ela não está pronta pra isso, as memórias que habitam seus pensamentos não são nem um pouco agradáveis, e eu não quero ser o responsável por despertá-las em algum momento dessa noite.

-Meu Deus!-Ela se afasta praticamente em um salto. Me amaldiçôo mentalmente por isso, mas ao mesmo tempo dou graças aos deuses.-O que eu estou fazendo?-Seu rosto antes Pacífico, agora estava tomado por uma espécie de vergonha.-Sean... me desculpa! Eu não devia ter feito isso! Deus, como eu sou... sou... Aggrr!

Ela se levanta da cama e posso perceber que está um pouco perdida e com a respiração descompassada. Eu tentei passar um semblante de calmaria, mas creio que meu corpo, mais especificamente uma área dele, não ajudou muito, me forçando a levantar e encarar seus castanhos, naquele momento mais escurecidos que nunca.

-Lana... está tudo bem!-Procuro palavras certas para dizer algo convincente à ela.-Eu poderia ter parado o beijo , mas não o fiz!... Digo... a culpa não foi somente sua!-Que diabos estou dizendo? Desde quando essa mulher me deixa sem palavras e ainda mais sem ações assim?!

-Olha... e-esquece isso! Não aconteceu nada! Eu vou pro meu quarto, você fica aqui, a gente se vê amanhã de manhã e vai estar tudo normal!-Seu peito subia e descia em um ritmo totalmente desgovernado.-Onde diabos eu coloquei aquela merda..?!

-Acho que estão.. na.. poltrona! -Sean, para de gaguejar! 

-Claro! È... boa noite! Até amanhã!-Ela pega os lençóis e sai do quarto praticamente correndo.

POV NARRADOR 

Lana levou as roupas de cama até a lavanderia ainda com seus pensamentos perturbados pelo que acabara de acontecer. Ela teria transado com Sean naquele mesmo instante se não fosse por um súbito momento de sobriedade que lhe bateu à porta. Sim, sobriedade. Pois ela se sentiu completamente embriagada pelo perfume natural que o loiro tinha, seus músculos perfeitamente esculpidos e marcados por aquela camiseta branca. Que diabos está pensando, Lana? Se repreendeu logo que percebeu estar com um sorriso bobo nos lábios ao relembrar o que aconteceu naquele quarto minutos atrás.

Se dirigiu até a cozinha e ainda perdida em seus pensamentos foi enchendo um copo de gelo, precisava de algo para cessar aquele fogo que seu colega de trabalho havia acendido eu seu corpo.

-Lana? 

-Meu Deus , Deena ! -A morena leva a mão ao coração mostrando o susto que levou e acabou deixando o copo cair no chão.-Seria bom fazer algum barulho ou apenas avisar que está se aproximando. Pode matar uma pessoa do coração desse jeito!

-Desculpa! Apesar de achar de não foi pra tanto assim...-A mais velha ajudou a irmã a juntar os cacos espalhados pelo chão.-Sean já está no quarto?

-Sim! Perfeitamente arrumado, quente, perfumado e musculoso!

-O que?

-Hein?-Só então a ficha das proporções do que aquele inoportuno momento que havia acontecido estavam tomando caiu.-Nada ! Você está me confundindo, eu preciso tomar um banho, tenho que levantar cedo amanhã !

-Eu conheço a senhorita, Dona Maria!-Deena seguiu a irmã escada a cima.-O que não está me contando?

-Eu? Tá ficando pirada, Deena? Não tenho nada pra te contar, não! Agora por gentileza, me deixa tomar um banho?

-Não estou impedindo!

A mais nova parecia não se lembrar ao menos onde as toalhas estavam, sua irmã lhe ajudou a pegar tudo e no final das contas, colocar tudo de volta na sua mala. Como não fazia há anos, Lana foi dormir com a mãe, que respeitou seu espaço e não tocou no assunto que aconteceu mais cedo. Teve vontade de contar o que houve com Sean, mas o receio de ter de ouvir sermões foi ainda maior, forçando a morena a permanecer em silêncio até pegar no sono.

⚫️⚪️⚫️

Sean arrumou suas coisas na noite anterior par não haver imprevistos na manhã seguinte. Sendo assim se levantou primeiro que Lana. Fez sua higiene pessoal e logo desceu para a cozinha sentindo um cheiro de café inundar por completo a casa.

-Bom dia, querido!-Dolores o cumprimentou assim que o homem adentrou o cômodo.-Espero que tenha dormido bem!

-Bom dia! Dormi perfeitamente bem! Lana já levantou?

-Está terminando de se arrumar!-Completou lhe entregando uma caneca de café.

-Bom dia!-Lana beija o rosto da mãe e lança um sorriso sem graça par Sean.-Uma pena a senhora não poder ir essa semana, mãe! Vou me sentir sozinha no meu apartamento!

-Você nunca se sente sozinha com Lola rolando pelos seus pés, filha! 

-Isso é verdade, mas nada se compara a sua companhia!-Deitou a cabeça no ombro da mais velha e bebericou o café que tinha nas mãos.-Sean, acho melhor irmos. Vamos nos atrasar!

-Concordo, já estamos em cima da hora!

-Vou me despedir daquela doida que a senhora tem como filha, e já volto!

Deena ao menos raciocinou o que estava acontecendo. Lana lhe deu vários cutucões e gritos, mas nada fez com que ela despertasse daquele sono de pedra. Por fim a morena deixou um beijo na testa de seu sobrinho e prometeu voltar logo para jogarem mais videogame juntos e voltou até a cozinha para pegar sua mala.

-Por favor, nos deixe informadas sobre essa... situação! Ok?! Vamos respeitar seu espaço, mas não é por isso que deixaremos de nos preocupar com o que aconteceu!-Dolores disse ao se despedir da filha.

-Fique tranquila, mãe! Eu mando notícias assim que puder!

-Obrigada por cuidar da minha filha, Sean!-Deu um abraço no loiro.-Sei que não era sua obrigação!

-Não tem o que agradecer! E eu não fiz nada de mais! 

Se despediram e os dois finalmente entraram no táxi a caminho do aeroporto. O voo sairia em vinte minutos, o que lhe dariam tempo exato de apenas fazer o check in , e em seguida embarcar. 

Ficaram lado a lado durante todo o percurso, trocando algumas palavras sobre assuntos aleatórios, e tentando desfazer o clima desagradável que a noite passada havia instalado entre os dois. As horas se passaram arrastadas e foram completamente torturantes para os dois.

⚫️⚪️⚫️

-Mãe! Não sabia que chegava tão cedo. Nem que me esperaria no aeroporto.-Sean disse cumprimentando a mulher com um beijo no rosto.

-Eu precisava vir o mais rápido possível, devido às circunstancias que você me contou sobre sua amiga, filho! E por falar nela, onde está?

-É... essa é a Lana, mãe! Lana, essa é minha mãe, Kathleen Maguire!

-É um prazer conhecê-la!-Lana disse estendendo a mão para a mulher a sua frente.

-O prazer é todo meu, querida!-A mulher a puxa para um abraço.-Você é muito bonita! Não quero ser inconveniente, mas isso precisa ser dito!

-Obrigada!-A morena diz envergonhada.-Não me disse que havia chamado sua mãe, Sean!

-Eu falei com ela ontem à noite, depois que... você.. arrumou o quarto pra mim!-Era visível o quanto os dois estavam desconfortáveis.

-Bom, vamos pra casa? -A mais velha sugere e os dois concordam.

Fizeram um caminho não muito longo até a casa do loiro. A casa era realmente muito bonita, dona de uma arquitetura antiga, exatamente como Lana gostava. Deixaram suas malas de lado e logo foram se acomodando para o almoço. O clima já estava bem mais agradável naquele momento, Kathleen era uma pessoa muito comunicativa e procurou deixar a morena bem à vontade. Depois de um longo tempo jogando conversa fora, decidiram falar sobre o ocorrido entre Lana e Fred , tratando de abordar o assunto da melhor forma possível, tanto para não expor a mulher, quanto para não ferir os filhos do homem. 

Conversaram durante muito tempo e decidiram marcar uma reunião com o advogado do até então, marido de Lana. Decidiram que quanto mais rápido o caso fosse ouvido, melhor seria principalmente para a mulher.

-Eu agradeço imensamente, Kathleen!-Lana diz se levantando, já pronta para se despedir.

-Não tem o que agradecer, meu bem! O que ele fez é uma atitude baixa e imperdoável, tanto de sua parte quanto da parte dos filhos!-Ela sorri.—Se importam de me responderem uma coisa?-Os dois à frente da mulher fazem sinal pra que ela prossiga.-Existe algo entre vocês?

-O que? Não! Nunca! Somos apenas colegas de trabalho!-Lana diz com um sorriso completamente desconcertante.

-É, exatamente!-Sean concorda.-Por que a pergunta, mãe?

-Nada! Apenas tensão sexual! E muita! Mas se vocês dizem não haver nada... quem sou eu para julgar!- mulher sorri como se o comentário tivesse sido comum.-Bom, te vejo amanhã , Lana! Quanto antes trabalharmos isso, melhor será para todos os envolvidos!

-Claro!-A morena diz sem graça.-Ate amanhã, Kathleen! Sean!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...