História |Neverland| •Long Imagine Jeno (NCT DREAM)• - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation, Neo Culture Technology (NCT), Peter Pan, Red Velvet, Super Junior
Personagens Chenle, Choi Siwon, Han Geng, Heechul, Hyoyeon, Irene, Jaemin, Jeno, Jisung, Joy, Kim Heechul, Mark, RenJun, Seohyun, Seulgi, Shindong, Taeyeon, Taeyong, Tiffany, Wendy, Yeri, Yuri
Tags Imagine, Imagine Jeno, Imagine Nct, Jeno, Lee Jeno, Nct, Nct Dream, Neverland, Peter Pan
Visualizações 127
Palavras 5.741
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me perdoem por ficar 87 anos sem escreveeeeeer. Eu tive um puta de um bloqueio criativo. Mas finalmente lhes trago o 'último' capítulo.

Capítulo 5 - Capítulo - 5


   Ao acordar, me encontro dentro de uma sala escura e úmida, com apenas um lampião para que pudesse enxergar o que acontecia ao meu redor. Haviam alguns potes de vidro em prateleiras postas alí, cheias de pózinho mágico dentro, e as fadas também estavam lá. Me senti mais aliviada, tentei até me levantar para solta-las, porém eu também estava acorrentada. 


   Não sei a quanto tempo estavamos naquele lugar, mas todas pareciam bem fraquinhas, isso me preocupou muito. Olhei em volta procurando algo para me soltar, mas parece que não havia nada. Então decido me sentar ao lado onde tinha um potinho com uma fadinha azul dentro. Creio ser a fada de Woojin, Wendy. 


   - Olá, Wendy! - digo cansada e ela solta um barulho de sininho fraco. - Eu estou me sentindo tão mal, queria poder libertar vocês, mas eu nem consigo me libertar. - mais uma vez o barulhinho. - Me perdoa! - mais uma vez. 


   Presto atenção nos ruídos que vinham do andar superior e parecia uma grande algazarra. Logo a porta se abre e vejo Kyuhyun, ele novamente me encara com aquelas orbes indecifráveis. Ele entra e toma uma compostura, vem até mim e me solta do local.


   - O capitão esta chamando a senhorita! - disse firme.


   Porém o mais velho deu uma pausa e pegou uma corda, me virou de costas e começou a amarrar minhas mãos.


   - Agora me escute bem, (S/N)! - me chamou pelo meu nome informalmente pela primera vez. - Eu vou amarrar você bem fraco, o mesmo com a amordaça que irei por na sua boca. Sei que é uma moça esperta e não vai sair correndo e fazer escândalo. E sim dar um jeito de sair daqui de forma inteligente. Certo? - disse enquanto continuava o seu trabalho.


   Kyuhyun me intrigava, ele não parecia um marujo e sim um nobre senhor - ou então, um mordomo muito fino - o que fazia em um lugar como este? Por que me ajudava? O que ele ganharia com isso? Ele realmente parece muito profundo para esse lugar.


   - Por que está me ajudando? 


   Ele parou de me amarrar no mesmo instante. Virei meu pescoço e o olhei, vendo abrir a boca, porém nada saia. Parecia querer escolher as palavras certas para me responder. 


   - Digamos que... É... Uma divida! Aliás, você não merece isso. Você é uma dama, (S/N), uma jovem dama não deve ficar em um local assim. Eu não falo apenas do navio, eu vejo que a Terra do Nunca não é para você. - Apenas fiquei calada e deixei o mesmo terminar de me amarrar. - Abra sua boca. - assim o mesmo me amordaçou fracamente. - Vamos.


   Assim fomos subindo até o convés, quando chegamos próximo ao local. Kyuhyun agarra meu braço com brutalidade. 


   - Desculpe-me. Finja que não quer ir, por favor. Se debata um pouco. - pediu ele.


   Assim dei o meu melhor para parecer que estava com medo e nervosa, mas a verdade é que eu estava mantendo bem a calma e tentando pensar mais em como poderia sair dali. Me debati um pouco, e fiz um draminha. Cheguei diretamente na parte mais alta do convés, aonde ficava a sala do comandante, Siwon ao me ver abriu um largo sorriso.


   - Olha o que temos aqui, a nossa belíssima (S/N)! - disse me pegando pelo braço. - Já viu o que temos aqui? - apontou para a parte de baixo do convés, aonde os marujos ficavam.


   Quando olhei para baixo, vi meus amigos e meus irmãos amarrados juntos alí, menos Jeno. Também haviam vários marujos gritando animados, provavelmente por terem finalmente nos pegado. Siwon segura meu rosto com uma mão firmemente - me machucando um pouco - e vira para ele, então me encara tentando me por medo - e conseguindo -.


   - Agora a questão é... Onde está Jeno? - me perguntou como se soubesse. 


   - Deve ta com a sua mãe, seu... - dizia Haechan.


   - Haechan! - todos cortaram seu palavrão. 


   De uma hora para outra, o céu fecha, ficando de um cinza tão escuro que quase parecia preto. Tudo ficou um tanto escuro, e o branco começou a cair dos céus. Como assim? Estava nevando? À cinco segundos atrás o tempo estava ótimo! Bom, acho que este é um lugar que a gente pode realmente esperar tudo. Talvez isso até me ajude a salvar meus companheiros e sair dali.


   Siwon também olha para o céu e abre um sorriso verdadeiramente demoníaco. Ele vira para mim e passa a mão novamente em meu rosto, algo que eu odiava.


   - Está vendo isso? Parece que os meninos estão abalados... Já estão vendo o seu fim certo? - disse se virando para eles.


   Olhei para eles, e realmente aquilo me doeu. Todos pareciam piores do que quando souberam que suas fadas haviam sido presas. O que mais me assustou foi ver essa expressão no rosto de Chenle e Jaemin. Por que? Bom, Chenle nunca desanimava, parecia sempre ter algo brilhante guardado em seu coração. No caso de Jaemin, é que ele era um menino com a língua bem afiada, sempre havia alguma tirada, ou sarcasmo para usar a todos, mas hoje ele apenas ficou de cabeça baixa, sem soltar ao menos um suspiro. 


   Aquela imagem estava me abalando severamente, eu queria chorar. Eu achei que iria ficar triste, achei que também iria desistir, achei que tudo estava acabado. Mas não foi isso o que aconteceu. Na verdade, foi muito pelo contrário. Eu senti esperança. Sim! No fundo do meu coração eu senti esperança, senti que poderíamos e que iriamos sair dali.

 

   Eu não fui aquele lugar atoa, tudo isso não é um acaso. Eu preciso mudar isso. Pois agora era claro, não era um sonho. Tudo era real. Eu agora acreditava em Mark; acreditava em Jeno; acreditava no Haechan, no Chenle e no Renjun; acreditava na terra do nunca; acreditava em Kyuhyun; acreditava em Siwon e em sua tripulação; na tribo de índios; Na Kyla e na Somi; acreditava na Seulgi, Yeri, Joy, Hyoyeon, Wendy e Irene; Eu acreditava em fadas! 


   - Eu acredito em fadas... - sussurei com lágrimas enchendo os meus olhos e uma dor surgindo no peito.


   - O que disse, menina? - perguntou Siwon segurando meu rosto com violência novamente.


   - Eu... Eu... Eu acredito em fadas! Eu acredito, acredito! - disse com toda convicção.


   O capitão pareceu chocado, mas tão chocado que não conseguiu fazer nada além de mudar seu espanto para raiva. 


   - Eu acredito em fadas! - disse Woojin.


   - Eu acredito em fadas! - Jisung.


   - Eu acredito! - Chenle.


   - Acredito! - Renjun.


   - Eu acredito em fadas! - Jaemin gritou.


   - Acredito, acredito! - Haechan gritou também.


   - EU ACREDITO EM FADAS! - Após Mark gritar, todos nos começamos um coro.


   Os 8 capturados, resistindo contra a tirania do Capitão Siwon


   - Eu acredito em fadas! - disse Kyuhyun.


   Me surpreendi com aquilo. Então logo outros marujos começaram. Aquilo estava lindo, já não estávamos mais sem esperança. Ao invés de carrancas tristes, tínhamos sorrisos quentes em nossos rostos. Alí eu soube que tudo ficaria bem, que sairiamos daquele lugar ilesos. Juntos como um amigos de verdade. 


   - CALEM TODOS A BOCA! - gritava Siwon tentando ter alguma autoridade sobre nos.


   Então como havia fechado antes, o céu se abre novamente aparentemente tão lindo e brilhante quanto antes. O sol estava tão forte que as nuvens chegavam a ficar alaranjadas, mas mesmo assim não ficou um calor tão escaldante. Agora eu tinha certeza que tava tudo bem, Jeno estava vivo! 


   - AHHHHHHHH ELE ESTA VIVO! - todos param o coro quando Siwon grita dessa vez, pois o mesmo veio violentamente para cima de mim e pois uma faca próxima a minha garganta. - Me conte a história de Jeno! - exigiu.


   - Era uma vez... Um menino que não queria crescer, ele... - fui cortada por Siwon.


   - Esta parte todos sabemos pule mais para frente. 


    - Ele gostava de ouvir histórias, então sempre ia ver uma moça que contava-as. Então ele trouxe ela e os irmãos para a Terra do nunca com ele, e os ensinou a voar. 


   - Ahhh sim... Ela lhe contava histórias e ele a ensinou a voar. Que tipo de histórias ele gostava? - ele aproximou mais a faca.


   - Branca de neve... Cinderela... 


  - Contos de fadas? - perguntou zombando. 


   - Aventuras! Onde o bem triunfava sobre o mal. - disse firme os meninos fizeram um grito de guerra. 


   - Romances... Sempre terminam com beijos, certos? - ele me pegou nesta pergunta. Eu apenas desviei olhar. - Então é isso, ele sente... - ele começou a rir.  - Como ele os ensinou a voar? 


   - Tenha pensamentos felizes e eles o levantam no ar. 


   - Não pode ser tão simples assim, eu estou tendo agora e não estou voando. O que mais precisa?


   - Não há nada de feliz em sua cabeça, você é amargo!


   - O que mais precisa? - ele pôs a faca bem em minha garganta.


   - Pózinho mágico! O pózinho mágico! - gritou Woojin. 


   - Woojin! - reprimiu Mark.


  - Ah então é isso. Se ele não tiver pensamentos felizes e pózinho, ele não voa.


   - Ele sempre tem pensamentos felizes! - me manti firme.


   Ele da uma gargalhada então usa a faca para cortar um pedaço de pano e amarrar em em meus olhos, me vendendo.


   - Vamos ver se ele não tem pensamentos ruins, com sua (S/N) andando na prancha. - ele me direcionou ao lugar.


   - Não!!!!!! - gritaram os meninos desesperados.


   Senti que fui posta em um lugar bambo. Agora eu estava morrendo de medo. Senti algo afiado em minhas costas, me fazendo andar. Fui o mais reto possível, e parei quando senti que o lugar era muito instável. Alguns sons de Tic-Tac começaram a ser ouvidos. E novamente a gargalhada de Siwon.



   - Parece que veio a procura do Siwon, e vai ganhar uma menina perdida. 


   Então eu senti a prancha se mexer. Eles estavam pisando para que eu caísse. E não demorou muito, realmente caí. Mas algo me segurou firme, e eu me assegurei nesse algo, já sabendo o que, ou quem era. Sinto ele cortar o que prendia minha mão, então com uma das mãos eu o abracei e com a outra tirei minha venda.


   Dando de cara com uma das coisas mais lindas que eu já vi na vida. O sorriso de Jeno, o abracei fortemente, me sentindo salva em seus braços. Junto com ele haviam as fadinhas que estavam presas. Eu me senti tão aliviada com aquilo.


   - Você me salvou! - disse beijando sua bochecha. 


   - Eu nunca vou te deixar cair. Nunca! - completou devolvendo o carinho.


   - Capitão, você ouviu o barulho do corpo na água? - ouvimos Heechul.


   - Não... - desconfiou Siwon.


   - O crocodilo a engoliu por inteira. 


   Então ouvi algum dos meninos começarem a chorar. Aquilo doeu muito no meu coração.


Jeno chama Irene e fala com ela. 




   - Preciso que ne ajude em algo. - ele pega uma coisa de sua bolsa e a mostra. Era um pequeno crocodilo de madeira com um relógio que fazia Tic-Tac. - Preciso que faça uma sombra com isso por entre as velas. Parecendo que o crocodilo esteja voando. 


   Ela bateu continência para ele e voou para entre as velas com o brinquedo em mãos.


   - E parece que ele vai ter mais! - disse Siwon.


   - Pode me jogar! Eu não quero mais viver sem a (S/N). - disse o Woojin, dramático como sempre. 


   - Hã? O que é isso? - diz Siwon com medo. 


   - Senhor... Ele fez a besta conseguir voar! - disse Heechul trêmulo. 


   - Subam lá matem ele! - o mesmo corre para dentro do convés. 


    Jeno me pega no colo no estilo noiva e voa comigo para dentro do barco. Nenhum dos marinheiros nos viu por conta de estarem muito preocupados com o 'monstro' entre as velas. Ao olhar pra cima, vejo que realmente, parecia de verdade as sombras que Irene fazia. 


   Ao os meninos verem eu e Jeno abriram um grande sorriso. Jeno corre e da uma adaga na mão de Mark e bate uma pequena continencia. Assim vemos eles começarem a se virar. Então ouvimos a porta do convés se abrir, Jeno me puxa para nos escondermos atrás de uma pilastra do navio. Siwon olha desconfiado pros meninos e eles dão um sorriso amarelo como se nada estivesse acontecendo. 


    Do lugar onde estávamos deu a vista perfeita para as velas. Vendo Irene levar o pequeno brinquedo que formava uma sombra enorme. Um dos marujos que tinha os cabelos tampando o rosto - creio ser Sungmin - conseguiu achar o 'crocodilo'. E gritou: 


   - Capitão! Eu peguei! O diabo! O demônio! A criatura amaldiçoada! - ele disse pegando sua arma e atirando. Espero que Irene esteja bem. 


    Logo ele para e olha estranho, provavelmente percebendo que não era o crocodilo de verdade. Então vejo o brinquedo ser arremessado na sua cabeça, ele se desequilibra e caí no mar. Quando torno a realidade vejo que Jeno e Siwon se encaravam. 


    - Ora, ora, ora... Lee Jeno... - disse ele encarando o menor.


    - Capitão Choi Siwon! - ele faz uma reverência. 


   - Então a culpa disso tudo é sua? - perguntou ele rodeando o menino.


   - Sim capitão! A culpa é toda minha. - disse com um sorriso no rosto.


    - Moleque insolente e orgulhoso! Se prepare para morrer. - disse puxando a sua espada. 


    - Hoje não, capitão! - ele também puxou sua espada. 


   Todos os marujos se mobilizam, tirando suas espadas da bainha e cercando Jeno. Porem são parados pelo capitão. Vejo os meninos já soltos, correrem para dentro da cabine do convés. Mark me chama para ir com eles. 


   - Nem pensem, ele é meu! - disse o mais velho com ódio no olhar. Foi o que eu vi antes de entrar na cabine do convés.


   Ao entrarmos, vemos Kyla e Somi a nossa espera com várias espadas, além de todas as fadinhas  Mark pega as espadas e distribui todas. Ele vem para mim e me abraça, assim como meus irmãos. Provavelmente preocupados comigo. Faço uma reverência para Kyla e Somi e elas retribuem. 


   - Agora pessoal! - ouvimos Jeno gritar.


   - Vamos! - gritou Mark. 


   Logo começou uma batalha entre os dois novamente. E meu coração dói. Pego uma espada de um marujo que estava próximo a borda do navio e o empurrou para o alto mar. Agora tinha duas espadas. Então realmente estora uma grande briga em todo convés. 


   O marujo Heechul vem até mim e tenta me segurar, em vão. Pois com alguns golpes eu consigo o derrotar facilmente, vemos que ele não é bom para brigas. Então o mesmo tenta fujir mas eu o encurralou com as minhas espadas. 


   - Para a prancha, marujo! - digo o guiando para o local.


   - Tudo bem, eu nunca quis ser marujo mesmo. Pirataria não é para mim. Adeus! - disse pulando da prancha. 


   - Eu o peguei Capitão! - ouvi algum marujo gritar.


   Assim vejo um dos piratas segurando o pé de Jeno enquanto ele voava. Ele chuta o mesmo que caí em cima de Woojin, fazendo ele e sua fada cairem próximo a Siwon. O mesmo vê a pequenina azulada e pega a mesma, após isso ele sacode ela em cima de si, fazendo cair bastante pózinho mágico nele. 


   Oh não...


   Então o terrível homem começa a voar em direção ao Jeno.


   - Agora Siwon está voando! - disse chegando até o menino. - E ele gosta. 



   Assim se começa uma nova batalha, diferente de todas as outras. Dessa vez os dois estavam nos ares. Jeno, atualmente não se preocupava pois continuara ganhando. 


   - Nada mal para um velhote. - disse Jeno entre espaçadas com o mais velho.


   - Moleque petulante! - disse após ser chutado pelo menino. - Você acha que ela ficará com você? - neste momento o mundo de Jeno parace que para. - Por que ela ficaria com você? Sua preciosa (S/N)... Você é incompleto, ela prefere crescer ao ficar com você. 


   Jeno olha para a menina que lutava bravamente, e com uma grande alegria no rosto. Com certeza ela parecia muito perfeita na visão do Jovem. Com raiva o mais novo tenta ir para cima do capitão, porém acaba recebendo um chute dessa vez e é jogado contra as velas.


   - Agora vamos dar uma olhada para o futuro. Ela está no quarto, e a janela esta fechada. - o menino tenta golpea-lo de novo.


   - Eu posso abri-la! - disse o menino bravamente.


   - Creio que está trancada. 


 - Eu grito por ela! - disse ficando vermelho. Tentando lutar com toda raiva.


 - Ela não vai lhe escutar! Ela se esqueceu de você. - provocou o maior.


   - Nunca!


   O menor recebe uma espadada em seu rosto, deixando um corte em sua bela bochecha. Ele se agarra nas cordas de uma das velas e sente agora uma enorme vontade de chorar. Até que o capitão volta com mais palavras para atormentar o adolescente.


   - E o que é isso que eu vejo...? Tem outra pessoa, alguém no seu lugar... E ele se chama 'Marido' - então o mesmo da um golpe com o punho da espada, o menor estava tão destruído mentalmente que nem tentou desviar. 


    Então, assim como o seu emocional, ele foi ao chão. Caindo na frente de todos. 



   Aquela cena me atormenta, a primeira coisa que eu quis fazer foi correr até ele e eu tentei. Mas fui segurada por um marujo. Jeno ergue sua cabeça e eu vejo algumas lágrimas em seu rosto, isso me quebra o coração. Siwon põe a espada em sua garganta e o faz levantar. Assim ele faz, então recebe um soco.


   Siwon pega nos cabelos loiros de Jeno. Então o marujo me leva para perto deles. 


   - E é assim que você vai morrer. Sozinho e sem amor. - disse perto do rosto machucado do loiro.


   - Sem amor! - o marujo põe a espada em meu pescoço. 


   Siwon joga Jeno no chão, então algo nasce dentro de mim, uma coragem. Eu golpeio o estomago do maior que me segurava e consigo fugir para segurar a mão de Siwon que já erguia uma espada para matar o meu menino. O maior me segura e também me joga no chão perto de Jeno.


   Ao olhar de perto, sinto vontade de chorar. Sua testa estava escorrendo sangue, havia um corte em sua bochecha esquerda e uma marca vermelha de soco em sua bochecha direita. Me ergo vou para perto do seu rosto, passo a mão em seu machucado e digo:


   - Me desculpe! - então algumas lágrimas escorreram. - Eu lhe devo algo, que já é seu a muito tempo.


   Assim que eu chego perto, Siwon agarra minha mão e me ergue até ele. 


   - É apenas um dedal! - digo séria. 


  - Haha! Coisa de menina. - disse o mesmo fazendo toda tripulação rir. - Dê o seuseu precioso dedal.


    Sou jogada novamente dessa vez em cima do menino. Seguro o lado direito do seu rosto e deu um leve carinho, pois o local deveria estar magoado com a pancada. Chego bem perto, até nossos narizes se encostarem e então pressiono um doce beijo em seus lábios. Ele não demora muito, mas demonstra tudo o que eu sinto por ele. Pelo menos que tenhamos isso antes de morrer...


   - Isso é seu, Jeno. Isso será seu para todo o sempre! - disse baixinho com meus lábios ainda rente ao dele.


   - Isso não foi um dedal... - disse Jisung.


   - Foi o beijo escondido dela! - completou Woojin. 


    Após me afastar, ele olha para mim com ternura. Percebo que o céu que agora escurecia pois a noite chegava. Começou a brilhar mais forte, pois várias estrelas começaram a aparecer. Vi a Irene vir até nós o jogar muito pózinho mágico em cima de nós dois. Porém em Jeno foi diferente, ele começou a brilhar! Ele abriu um enorme e lindo sorriso. Ele parecia segurar algo, então ele abre a boca e da um grito. Que não parecia de medo, dor ou algo do tipo e sim um grito de felicidade e satisfação.


    Esse grito fez com que uma enorme rajada de vento passasse pelo local. Fazendo todos se encolherem. Então ele se levantou e voou tão alto quanto nunca vi nenhum dos garotos voar. Eu jamais imaginei ver ele assim! Ele desce tão rápido quanto subiu, empunhou sua espada novamente e voltou a luta com Siwon.


    - Não! Eu venci! 


   - Venceu? Ha! Por favor, Siwon. Você é... 


   - Velho! - gritou Jaemin cortando Jeno.


    Jeno consegue cortar algumas cordas fazendo que um dos troncos que seguravam as velas de soltassem batessem em Siwon, o fazendo voar para longe, deixando ele sobrevoando em cima do mar, o que não tardou para o crocodilo Tic-Tac aparecer. 


    - Sozinho! - disse Mark.


    - E acabado! - completei


    Siwon olhou para baixo e viu a fera que o espreitava. No mesmo momento ele pareceu entrar em desespero e quanto mais seu desespero, menos ele voava. 


    - PENSAMENTOS FELIZES! PENSAMENTOS FELIZES! MATAR; ESTRIPAR; GATINHOS EMPALADOS; FADAS SE EXTINGUINDO! - ele tentava ter seus pensamentos felizes enquanto a fera tentava pega-lo.


    - Velho! Sozinho! Acabado! - nos fazíamos um coro. 


    Ele parecia lutar contra aquilo, mas já estava acabado. Ele estava acabado! Como nós mesmos dizíamos. Então finalmente ele apenas aceitou o seu destino.


    - Esta bem... Velho, sozinho... - ele cruza seus braços. - E acabado. - ele apenas caí fazendo a fera o engolir de uma vez só. 


    Todos os meninos começaram a gritar de felicidade e pular. Todos pareciam satisfeitos, eu nem tanto, por mais que ele merecesse isso, eu ainda achava muito profundo para ter um final assim, talvez eu pense em um final melhor quando contar essa história futuramente. Talvez ele realmente não tenha morrido, já que o crocodilo o engoliu por inteiro. 


    - Quietos seus pirralhos! Ou eu vou matar todos vocês! - ouvimos a voz de Siwon, mas era apenas o Chenle brincando com a gente. 


    - Prontos para zarpar? - perguntou Mark que havia posto seu chapéu de marinheiro novamente. 


    - Sim capitão! - todos responderam. 


    - Porém temos alguns problemas aqui! - disse Mark e nos olhamos em volta, estavam cheios de piratas. - Até onde eu sei, são 9 crianças da terra do nunca... Aqui neste barco tem mais de 9... Sabem o que significa? 


   - PRANCHA! - gritamos juntos. 


   Assim fizemos todos os piratas - menos Kyuhyun - pular da prancha. Não me culpe, todos eles são malfeitores, nada mais justo, eles que nadem pra costa. Então, Kyuhyun para como um lorde na minha frente - como sempre -. 


   - Então, senhorita... Eu sou o único poupado da pirataria? - perguntou com um sorriso. 


   - Por mais que seus pecados tenham sido grandes, meu senhor. Seus atos foram nobres. Com certeza o senhor merece perdão. - disse abraçando o mesmo que sente surpresa. 


   - Obrigada por me salvar de Siwon! - falou ele durante o abraço. 


   - Você não está muito velho para a Terra do Nunca? Hã? Quer voltar para a cidade comigo? Conheço uma mulher mais ou menos da sua idade que faria um belo casal contigo. - disse pensando em minha tia Taeyeon. 


   - Não, muito pelo contrario. Esse lugar é minha casa, eu vou ficar aqui com os meninos e aprender mais com eles. Claro, protege-los também. - concluiu o mais velho. 


    Todos foram para suas posições. Mark foi para o leme e Kyuhyun foi auxilia-lo melhor; Renjun pegou seu mapa; Jaemin, Chenle, Haechan e Kyla foram estender as velas; Woojin e Jisung foram explorar o andar abaixo do convés, Somi lentamente vai atrás dos dois - na verdade, de Jisung -. Deixando só eu e Jeno parados ali. Olhei para ele toda orgulhosa e sorridente. Talvez nunca estivesse feliz novamente assim na minha vida. Ele me olha de volta evidentemente com o sentimento tão puro quanto o meu. Ele assobia bem alto, então vejo luzesinhas de todas as cores vindo em nossa direção. 


   Eram várias fadas! Uma diferente da outra, tinham até meninos no meio. Então elas começaram a rodear o barco colocando pózinho mágico em tudo. Então Jeno desce do ar e vem até mim, ficando de frente bem pertinho.


   - Que esperteza a sua! - disse abraçando seu pescoço. 


   - Não foi nada demais! - ele rodeou minha cintura também. 


   Então sinto o barco começar a flutuar. Sem duvidas, Jeno era um aventureiro incrível, agora eu percebia. Jeno pertence a esse lugar e esse luar pertence a Jeno. Seria egoísmo que eu - por mais que o amasse - tirar isso dele. Por mais que fosse nítido  nossa atração e compatibilidade, somos de lugares destintos, eu não posso tirar ele daqui, assim como ele não pode me fazer ficar. 


   Quando fui me dar conta ainda estávamos abraçados olhando para o rosto um do outro, sorrindo que nem dois idiotas, mas flutuando juntos. A lua brilhava e parecia estar maior, pelo menos umas 4 vezes maior que o normal. E o céu também parecia ter muitas, mas muitas estrelas a mais. Sim! Isso parece se repetir!


    - Isso já aconteceu uma outra vez não? - perguntei encostando minha testa na dele. 


    - Sim... Mas dessa vez vai terminar diferente! - afirmou me puxando mais ainda para si, como se fosse possível.


   - Ah é? Como? 


   Ele não demorou para selar nossos lábios, em um beijo que foi tão bom quanto o último, porém dessa vez não foi apenas um selar. Movemos os nossos lábios sincronizadamente, puxando para um beijo mais longo. Foi tão bom, parece que nossos beijos foram feitos um para o outro. 


   - (S/N)... Você tira o melhor de mim! - ele se confessa após separarmos o beijo.


    - E você me faz ser muito mais que uma menina contadora de histórias, desde que eu te conheci eu até esqueci desse detalhe... - disse com uma risada anasalada. - Ao mesmo tempo você é uma inspiração.


   - Devo lhe dizer, que esse foi o melhor elogio que eu já recebi. 


   - Eu fico feliz por isso.


   -  (S/N)... - agora ele parecia um pouco triste.


   - Sim? 


   - Você precisa voltar, não é mesmo? - ele acariciou um lado do meu rosto. 


   - Eu realmente preciso, assim como meus irmãos... Assim como Renjun oppa... - revelei para ele. 


   - Renjun? - perguntou confuso. 


   - Você sabe, oppa... Renjunie ama vocês, ele está aqui porque sente a necessidade de cuidar de vocês e principalmente de Chenle. Mas ele não pertence a Terra do Nunca. - eu precisava fazer isso por ele. 


   - Eu sempre desconfiei, ele sempre é o que parece estar mais destacado. Eu entendo isso, e entendo se ele quiser voltar. Vou falar com os outros, acima de tudo, quero que as pessoas que eu amo sejam felizes. Vou levar vocês para casa! 


    Demos um último selinho selinho e voltamos ao convés normal. Jeno foi todo saltitante para o leme do barco voador. E eu fui a procura de Renjun, precisava ver como ele estava. Achei o mesmo na cabine do convés mexendo nas coisas que eram de Siwon. Ele parecia como sempre destacado. Andei até meu amigo e toquei seu ombro, assustando-o um pouco. 


   - Ai meu Deus, (S/N), que susto! - disse rindo.


   - Me desculpa! - disse abraçando ele. 


   - Tudo bem! - me abraçou de volta. 


  - Renjun oppa... Já pensou naquilo que conversamos? - perguntei cuidadosa.


   - Sobre voltar? - se certificou e eu assenti. - Sim... Você está certa, eu amo Chenle e meus amigos... Mas aqui não é o meu lugar, eu quero voltar contigo. - concluiu o mesmo. - Mas espera um pouco... - ele afasta um pouco o abraço. - Eu não lembro quem são meus pais, nem sei onde ficar... O que eu faço? 


   - Relaxa, você pode ser como meu novo irmão. Meus pais podem te adotar! - disse pensando nessa possibilidade incrível e voltando a abraçar ele. 


   - Isso seria muito legal! Ahhhh (S/N), obrigado por aparecer em nossas vidas. - disse me apertando mais no abraço.


   Voltei ao convés, observando o que cada um fazia. Jaemin, Chenle e Kyla tentavam estender as velas, porém quem realmente estava conseguindo com proeza fazer isso era Kyla. Jaemin olhava ela do jeito mais amoroso que se pode imaginar e Chenle revirava os olhos pela cena enjoativa para ele. 


   Woojin saí da parte de baixo do convés e vai para aonde Renjun estava. Provavelmente deixando Jisung e Somi sozinhos, talvez eles estejam se despedindo lá em baixo. 


   Mark, Kyuhyun e Jeno conversavam. Enquanto o líder guiava o leme, Jeno lia o mapa e Kyuhyun ensinava melhor Mark a como o navio funcionava. Os olhos de Jeno escapam por um segundo do mapa e eu os capturou. Ela sorri para mim e eu retribuo, claro! 


   - Foi uma aventura e tanto, não é? - escutei a voz suave de Haechan atrás de mim. Sabia que faltava alguém. 


   - Você pode ter certeza que sim! 


   - Sabe, (S/N). Não tivemos muita oportunidade de conversar direito, ou nos aproximarmos. Talvez na maioria das vezes eu te ignorasse um pouco por não querer uma menina no grupo. Mas você foi incrível, uma das coisas mais incríveis que aconteceu aqui na Terra do Nunca. Agora eu estou triste por ir embora. - confessou abaixando a cabeça. 


   De verdade, nunca tentamos aproximidade. Não apenas por estarmos muito ocupados nestes dois dias. Mas também por cada um ficar em um canto, quase não interagiamos.


   - Haechan oppa! - disse rindo. Dei um abraço nele. - Me arrependo por não ter tentado me aproximar também, você realmente parecia muito particular. Yah! Vá me visitar lá na cidade algumas vezes, eu contarei histórias quando você quiser. 


   - Haechan! Venha aqui! - gritou Mark. 


   - Tenho que ir, (S/N). - disse separando do abraço. Ele correi até Mark e acenou para mim. 


   Vejo que Somi e Jisung voltaram de onde estavam. Meu irmão se encontrava vermelho que nem um pimentão e Somi o abraçava enquanto andavam. Vou sentir falta desse lindo casal, que apesar de não conversarem muito, se dão bem demais. Vejo Jaemin deixar Kyla por um tempo e vir até mim.


   - Então o que achou da aventura, esquisita? - disse afagando meus cabelos e sorrindo.


   - Achei maravilhosa. - ri também.


   - (S/N). - ele agora ficou sério. - Eu fui um babaca contigo, em todos os sentidos. Tenho que lhe confessar, eu tinha ciúmes de você, achava que iria roubar o meu melhor amigo de mim. Mas ai percebi que era só idiotice, você nem é tão chata assim... Só um pouquinho. - disse sinalizando com a mão. 


   - É, Nana. Você ta certo, eu sou um pouquinho chata. Entendo o seu comportamento comigo. Relaxa eu te perdôo. - ele riu do meu comentário. 


   - Yah! Você está andando muito comigo, eu sou uma péssima influência, cuidado. 


   Quando menos percebo, já estamos na cidade, mais especificamente, perto da minha casa. Todos os meninos vão ao centro do convés. Mark, Jeno, Haechan, Jaemin e Chenle ficam em formação. Eu, meus irmãos e Renjun ficamos de frente para eles. É seria essa despedida! Somi, Kyla e Kyuhyun ficaram em um canto próximos. 


   - Meninos, não façam isso comigo! - disse indo abraçar cada um. - Vocês podem ir me visitar toda noite, e eu posso contar histórias para vocês! Renjun vai estar lá comigo, eu também espero. 


   - Vamos lhe visitar todos os dias então. - falou Haechan. 


   - Exatamente! - concluiu Mark. 


   Assim meus irmãos e Renjun foram se despedir também. O que mais me doeu foi ver a 'separação' de Renjun e Chenle. Ambos realmente choraram, porém era necessário. Renjun tinha que viver sua vida e Chenle a dele. Woojin e Wendy - sua fadinha - também foi algo lindo. Somi chorou horrores abraçando Jisung que também estava triste. 


   Resumindo, foi uma despedida daquelas. Assim chegamos em frente a sacada do meu quarto. Descemos e os meninos entraram. Jeno voou até a sacada, então os meninos que estavam no convés nos olhando saíram para fazer outras coisas e meus irmãos entraram pro quarto, fechando a janela da sacada. 


   Acho que eu e ele não precisamos de muitas palavras. Apenas demos um beijo daqueles de despedida. Foi como o outro, doce, calmo e amoroso. Coloco minhas mãos em seu rosto e faço um carinho no local. Assim separamos o beijo e ficamos um tempo nas carícias. 


   - Você me promete voltar aqui para me ver? - perguntei entre alguns selinho. 


   - Sim! Toda noite, sempre vou estar aqui na sua saca. 


   - Quando puder, juro que também vou voltar lá na Terra do nunca para ficar um pouco com vocês. 


   - Nossa casa estará sempre aberta há todos vocês! - assim demos um último beijo.


   Nos separamos e lentamente eu fui andando até meu quarto.


   - Deixe as flechas longe de Chenle. - disse antes de entrar para o meu quarto.


   Assim que cheguei trocamos de roupa - Menos Renjun -, sinceramente não pretendidos contar onde realmente estavamos, pois nenhum deles acreditariam em nós. Tenho certeza disso. Nos sentamos no chão enfileirados ouvindo o que acontecia no andar debaixo. 


   - Taeyong! - ouvimos a voz da mamãe. - Eu ouvi algo do quarto dos meninos. 


   - Querida não há nada lá! Já esperamos demais, você sabe o que pode ter acontecido. - disse o papai claramente nervoso.


   - Taeyong! (S/M)! Vocês ouviram esse barulho do quarto das crianças? - falou tia Taeyeon desesperada. 


   Não se ouve mais falatório, mas sim passos correndo até o mosso quarto. Assim a maçaneta gira furiosamente e a porta se escancara. Temos a visão dos nossos pais e nossa tia que olham para a gente com lágrimas nos olhos. 


   - Oi mãe... - disse Woojin.


   - Oi pai... - disse Jisung.


   - Oi tia... - completei.


    Então era isso... Agora sim! Estavamos em casa, com nossa família. Por mais que sentissimos saudades das aventuras e dos nossos amigos, sabiamos que ali era o nosso lugar. Tudo havia terminado bem.


   Espero que a Terra do Nunca não se esqueça de nos, pois essas aventuras foram apenas o começo. Não faria mal voltar para umas visitinhas, certo? 


   


Notas Finais


Fim? ...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...