História New Avenger Revealed (2 Temporada) - Uma Nova Era - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Agents of S.H.I.E.L.D., Capitão América, Gavião Arqueiro, Homem de Ferro (Iron Man), Os Vingadores (The Avengers), Pantera Negra, S.H.I.E.L.D., Viúva-Negra (Black Widow)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bobbi Morse, Bucky, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Edwin Jarvis, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Buchanan "Bucky" Barnes, Jemma Simmons, Leo Fitz, Maria Hill, Melinda May, Natasha Romanoff, Nick Fury, Pepper Potts, Personagens Originais, Phillip Coulson, Sam Wilson (Falcão), Scott Lang (Homem-Formiga), Shuri, Skye, Steve Rogers, T'Challa (Pantera Negra)
Tags Alexia Romanoff, Bobbi Morse, Bucky Barnes, Clint Barton, James Romanoff Rogers, Maria Hill, Natasha Romanoff, Pepper Potts, Sam Wilson, Scott Lang, Steve Rogers, Tony Stark, Vingadores, Wanda Maximoff
Visualizações 29
Palavras 4.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores. Tudo bem?
Mais um capítulo pra vocês, que demorou um pouco mais saiu. Galera eu fiz essa montagem pra vocês saberem e imaginarem os personagens direitinho (Alexia, Christopher, Meghan e Louise). Eu sei que a Alexia da primeira temporada ta diferente, mas eu resolvi trocar porque achei melhor. Em breve vou trocar a capa da primeira e arrumar pra essa aqui tbm.
Espero que gostem.


Boa leitura.

Capítulo 14 - Capítulo 14


Fanfic / Fanfiction New Avenger Revealed (2 Temporada) - Uma Nova Era - Capítulo 14 - Capítulo 14

                   POV AUTORA



Bobbi já havia terminado de dar banho na filha, e estava penteando os cabelos dela. A pequena balançava os pés sem parar na beirada da cama.


L: Mamãe posso pedir uma coisa? - perguntou olhando para a mãe.


B: O que é?


L: Eu quero um cachorro. - ela foi direta.


Bobbi franziu o cenho como se não tivesse entendido.


B: Como assim um cachorro Liz? Que história é essa?


L: No parquinho que eu fui, tinha um monte de cachorro lá, e eu brinquei com eles.


B: E por isso você quer um também?


L: É. A tia Wanda e a tia Alexia falaram que eu tinha que pedir pra você e pro papai. - ela estava claramente ansiosa por uma resposta.


B: Sim, muito bem por você ter feito isso. Mas eu vou falar com seu pai, tá bom?


L: Tá bom.


B: Agora pode descer pra brincar. - Lizzie antes de descer, subiu no colo da mãe e deu beijo nela.


L: Te amo mamãe.


Bobbi olhou naqueles olhinhos azuis felizes, e abraçou a filha de volta.


B: Também te amo meu amor!


….


N: Quer dizer que ela quer um cachorro? Essa é boa! - Natasha ria da situação enquanto andava pelo corredor do supermercado com Bobbi.


B: Pois é e eu não sei o que fazer. Se ela for falar com o Clint, ele vai se empolgar, vai me perturbar pra eu deixar. Mas ela é muito nova, não tem noção do que é cuidar de um animal.


N: É você tem razão. Talvez quando ela for maior possa ter. Fale com Clint primeiro e explique.


B: Acho que essa vai ser a parte difícil. - ambas riram e foram terminar as compras.


….


S: James desce daí, você vai se machucar. - Steve chamava a atenção do filho que tentava escalar no pequeno portão do jardim.


J: Não vai não papai. - ele respondeu continuando a subir.


S: Vai sim. - Steve foi até o local e tirou o filho do portão. James ameaçou de chorar. - Escuta aqui rapaz: se você subir ali pode se machucar feio e se a sua mãe chegar e te ver machucado, vai brigar com você e comigo. Então não suba mais ali, entendeu? - Steve falou de modo firme. James suspirou e acenou positivo.


C: Dando trabalho? - Clint apareceu no quintal.


S: Pois é. Ele quer fazer tudo do jeito dele.


C: Sangue de Romanoff, você queria o quê? - Clint disse bem humorado.


S: Só que ele não fosse tão teimoso. - Steve falou tranquilo.


C: É assim mesmo, depois de um tempo eles pioram e acham que podem tudo. Liz vai fazer 3 anos e às vezes ela fala cada coisa que não dá pra acreditar.


S: Mas as crianças são uma alegria numa casa.


C: São mesmo. Já pensou se só tivesse adulto nessa casa? Credo, ia ser entediante. - falou Clint arrumando a mangueira do jardim.


S: Ainda bem que temos nossos filhos. Falando nisso, cadê a Lizzie?


C: Está brincando lá em cima enquanto a Bobbi não chega.


Enquanto conversavam, Wanda chamou Clint da janela de seu quarto.


W: Clint, a Liz tá te chamando.


C: O que ela quer?


W: Eu não sei, venha aqui e descubra. - disse ela dando de ombros.


Clint deixou as vassouras em um canto, e foi ver o que a filha queria.


C: Essas garotas. - disse para si mesmo.


Chegando no quarto dela, se deparou com vários brinquedos espalhados pelo chão.


C: Filha o quê que é isso? Olha que bagunça! - ele olhava pelo quarto.


L: Tô brincando. - ela explicou.


C: Por que não vai brincar lá em baixo com o James?


L: Eu quero ficar aqui. - ela sentou no tapete e começou a pintar seu livro de colorir.


C: Por que me chamou?


L: Fica aqui papai. - ela se levantou e puxou ele pela mão.


C: Olha só, você está muito bagunceira hoje. Vamos arrumar esses brinquedos primeiro, depois eu posso ficar aqui com você.


Ela obedeceu e organizou os brinquedos.


C: Muito bem. - elogiou.


L: Papai eu quero um cachorrinho. - ela pediu ficando frente a frente com ele.


C: De brinquedo?


L: Não, de verdade!


Clint ficou em silêncio pensando se ela estava mesmo falando sério, ou era só coisa passageira de criança.


C: Você pediu pra mamãe?


L: Sim. - respondia enquanto montava os bloquinhos coloridos, desistindo de pintar.


C: E ela falou o quê?


L: Que ia falar com você. Deixa papai, por favor! - ela fez a famosa cara de piedade para convencer Clint, e ele obviamente estava quase falando sim para ela. Mas era um assunto polêmico, e ele teria que discutir isso com a esposa primeiro.


C: O papai vai pensar e depois a gente fala com você, tá bom?


L: Tá bom.


Pouco tempo depois, o barulho do carro denunciou que Bobbi e Natasha haviam chegado. Clint deixou a filha no quarto e desceu para ajudar com as compras.


C: Deixa que eu levo isso aqui amor. - antes que ele pegasse o pacote das mãos de Bobbi, ela puxou de volta e o olhou desconfiada.


B: O que é?


C: O que é o quê?


B: Você assim tão prestativo. Fala logo o que você quer.


C: Nada. Só vim ajudar você. - defendeu-se.


Natasha e Steve assistiam aos dois.


N: Tá vendo né? Nunca tente isso comigo, porque não vai funcionar. - comentou ela.


S: Eu não faria isso. Você sabe de tudo. - falou Steve e entrou com as caixas para casa.


B: Eu até imagino o porque você está assim. - fechou o porta malas do carro e acionou o alarme.


C: Bobbi eu não estou te entendendo hoje.


Depois de entrarem com todas as caixas, Bobbi chamou o marido para conversar do lado de fora da casa.


B: A Liz pediu pra você não foi? - perguntou a loira cruzando os braços.


Clint ficou surpreso por Bobbi saber o que ele estava pensando, antes mesmo dele falar.


C: Ah… sim ela falou. - disse como uma confissão.


B: E o que você disse?


C: Eu disse que iríamos conversar a respeito.


B: Ótimo.


C: E então, o que você acha?


B: Eu acho que não devemos deixar. - ela disse com calma.


C: Por quê? Vai ser bom pra ela, pro James interagirem, vai aprender a ter responsabilidade.


B: Ela vai fazer três anos, TRÊS ainda. Não é hora disso. - ela ressaltou.


C: O que vamos fazer?


B: É melhor esperar, pelo menos até ela crescer mais, e ter noção real do que ela quer.


C: Podemos esperar até ela completar sete anos. - sugeriu.


B: É. Pode ser então. Agora temos que falar com ela. - ela sorriu.


C: Vamos falar com ela à noite, porque se falarmos agora, ela vai pensar que tudo que ela quiser vai se resolver rápido.


B: Tem razão. Deixa ela esquecer um pouco.


……


Naquele dia, Christopher foi buscar a irmã na faculdade. Eram por volta das 17:00 da tarde e ele estava parado em seu carro, mexendo no celular.

Pessoas entravam e saíam a todo instante, não deixando o local deserto. Mandou mensagem para ela dizendo aonde estava, para facilitar as coisas. Como estava distraído, se assustou quando o carro de trás que estava estacionando de ré encostou em seu carro.


Ch: Ah não, o carro é novo! - reclamou antes de descer do carro.


A mulher desceu desesperada do carro e foi logo ver se tinha feito algum estrago.

- AI MEU DEUS ME DESCULPA! QUEBROU ALGUMA COISA? NÃO SE PREOCUPA MEU SEGURO PAGA!


A mulher falava disparadamente enquanto Chris olhava para os carros. Ele olhou de um jeito um tanto calmo, pois não havia acontecido nada com nenhum dos carros.


Ch: Tudo bem, fica calma, não foi nada. - finalmente olhou para a moça.


A mulher olhou para ele e arregalou os olhos. Ele também a encarou por alguns segundos.


Ch: Meghan?


M: Christopher? Tá de brincadeira, eu quase não te reconheci. - ela disse com as mãos na cintura.


Ch: Digo o mesmo. - ele deu um sorriso simpático.


M: Então… é bom te ver, já faz tanto tempo não é? - ela ainda estava um pouco sem jeito ao encará-lo.


Ch: Sim faz bastante tempo. - respondeu sem nem se mover do lugar.


M: Está esperando sua irmã?


Ch: Sim, temos um compromisso e por isso eu vim. - na verdade ele não tinha compromisso, mas era só para não dar a brecha para ela querer continuar a conversar.


M: Olha, me desculpa mesmo por quase ter batido no seu carro. As vagas desse estacionamento às vezes me complicam.


Ch: É. - respondeu direto mas não pôde deixar de observar o quanto ela tinha mudado. - Você mudou bastante desde a última vez que nos vimos.


M: Você também. Todos nós mudamos na verdade. Eu vim pra cá porque fui transferida da faculdade.


Ch: Aonde você fazia?


M: Califórnia. Mas teve um remanejamento de pessoal, e eu estava na lista. Minha sorte é que eu tenho uma tia que mora aqui, então estou na casa dela. Mas e você, o que te trouxe aqui?


Ch: Trabalho.


M: Aonde está trabalhando?


Ch: É confidencial, desculpe. - ela deu um riso de canto e balançou a cabeça.


M: Sempre com segredos. - disse ela mais para si do que para ele. - Soube que está namorando.


Ch: Sim estou.


M: E quem é a garota de sorte? - perguntou ela com um leve sorriso.


Ch: Ela é uma mulher incrível.


M: Posso conhecer ela? Por foto talvez?


Ch: Acredite em mim, ela me mataria se eu fizesse isso.


Ela riu encarando o que ele tinha dito como uma brincadeira.


M: Uau! Ela é tão ciumenta assim? Vai me dizer que ela me mataria também? - disse com um leve tom de deboche.


Ch: Sim ela mataria. - ele falou sério.


 Meghan preferiu ignorar se aquilo era verdade ou não. Ela sentia falta dele, tanto como namorado, e como amigo. Porém sabia que nada entre eles seria como antes.


M: Olha, tudo bem eu respeito vocês dois. Mas qualquer dia se você quiser, a gente pode sair pra conversar, tomar um café… sei lá. Entenda que eu não quero atrapalhar vocês… só quero um tempo pra conversar com você, sobre esses anos que passaram. Como amigos. E então? - a morena o olhava aguardando uma resposta.


Ch: Eu…


Lo: HEEY VOCÊ TÁ AÍ MANINHO!


Louise apareceu repentinamente e abraçou o irmão.


Lo: Ah, oi Meghan.


M: Oi. - cumprimentou. - Chris a gente se fala qualquer dia. Eu tenho que ir. - se despediu e em sua voz era possível notar um tom de desapontamento por ele não ter dado a resposta para ela. Pegou suas coisas no carro e saiu andando para dentro da faculdade.


Louise já havia entrado no carro, e Chris ficou observando Meghan até ela sumir de vista. Logo em seguida entrou no carro e seguiram para casa.


….


Alexia estava em seu quarto, arrumando seu guarda roupa. Wanda entrou e já escutou ela xingando em voz baixa.


W: Por que tanta raiva?


A: Porque eu simplesmente odeio fazer isso! Mas se eu não fizer isso agora, não vou fazer nunca. - a ruiva começou a organizar seus casacos e jaquetas.


W: Realmente é um saco fazer isso. Quer ajuda?


A: Não, eu termino logo.


W: Soube que a Liz foi fazer o pedido pra Bobbi e pro Clint? - perguntou.


A: Do quê? Da história do cachorro? Achei que ela tivesse esquecido, já faz uma semana. - disse dobrando a última peça de roupa.


W: Ela não esqueceu. Mas acho que não vai rolar, pelo menos não agora.


A: É, ela é pequena ainda.


Depois de terminar de organizar todas as roupas, elas desceram e foram para o jardim.


A: Eu preciso treinar, mas a preguiça está bem maior! - ela disse suspirando enquanto regava algumas flores. Coisa que ela não fazia com tanta frequência.


W: Quem é você e o que fez com a minha amiga? Eu nunca vi você falar que está com preguiça de treinar, você é a que mais faz isso! - Wanda disse arrumando a mangueira que já havia sido usada.


A: Ah não sei. Perdi um pouco o ânimo essas semanas.


W: Seja o que for, não acho que vá durar muito.


A: Nossa… tá sentindo? - perguntou ela cheirando o ar.


W: O quê?


A: Esse cheiro de… peixe assado. - ela fez uma careta.


W: Acho que são os vizinhos, mas o cheiro não é ruim.


A: É sim. - discordou.


W: Você não gosta de peixe assado? Vai ver é por isso!


A: Não curto muito. Mas o cheiro realmente tá demais.


W: Vamos entrar. Antes que você passe mal.


Elas entraram e Alexia decidiu ajudar Natasha com o almoço.


N: Claro que pode ajudar. - disse Natasha pegando alguns instrumentos de cozinha. - O que estavam fazendo?


A: Regando as flores e arrumando o jardim. Mas um cheiro horrível me obrigou a entrar. - disse ela rindo levemente da situação.


N: Cheiro horrível do quê?


A: Acho que de peixe assado, não tenho certeza. Wanda disse que não estava ruim, mas eu acredito que é porque eu não gosto.


N: Entendi. - ela riu. - Poderia colocar isso aqui no forno, por favor?


Alexia pegou a travessa com carne e colocou no forno.


A: Cadê o nosso bebê?


N: Steve saiu com ele, devem voltar logo. - explicou.


A: Ah sim. Vou cortar a salada.


Alexia cortou a salada, temperou e incrementou com algumas coisas que tinham na geladeira.


N: Aonde aprendeu fazer salada assim? - Natasha falou surpresa.


A: Programas culinários da madrugada. - ela riu. - Estou com insônia esses dias, aí fico assistindo e acabo aprendendo.


N: Insônia não é saudável, sabe disso. Mas parabéns pelo prato. - elogiou.


A: Obrigada.


….

Depois que o almoço ficou pronto, todos chegaram à mesa para comer.


S: Não vai almoçar com a gente? - Steve perguntou ao ver Alexia indo para o quarto.


A: Agora não. Estou sem fome.


S: Ok. Vamos guardar tudo na geladeira depois.


A: Obrigada.


Alexia entrou no quarto, deitou em sua cama, e ligou a tv. Começou a assistir um filme qualquer que estava passando no momento, e acabou pegando no sono.

Horas depois ela acordou, e foi direto para a cozinha.


C: Almoçando agora? - perguntou Clint.


A: É, eu tava sem fome mais cedo. - deu de ombros e colocou seu prato no microondas.


Logo após almoçar, ela foi para a sala onde encontrou o irmão brincando de montar as peças.


A: Que legal tá ficando, posso te ajudar? - ela sentou no grande tapete peludo ao lado dele.


J: Pode. Aqui ó. - ele indicou o lugar que ela deveria colocar a peça.


A: Ok. Vamos deixar isso bem bonito.


Os dois montaram todas as peças que faltavam, e assim que acabaram, James saiu correndo procurando pela mãe.


N: O que foi James? - ele puxava a mão dela.


J: Vem vê.


Natasha chegou na sala e viu a casinha toda montada e James parecia orgulhoso do que tinha feito.


N: Que lindo filho! Você conseguiu, parabéns. Alguém ajudou você? - Natasha testou para ver se ele falava.


J: Sim, a “Lexi”.


N: Hum, e você agradeceu ela? - Natasha estava abaixada para falar com ele. James riu e logo em seguida correu e abraçou a irmã.


J: Obrigado. - disse em voz baixa.


A: De nada meu amor. - ela retribuiu o abraço.


N: Você está bem? - Natasha perguntou para a filha.


A: Sim, por quê?


N: Você não tinha almoçado, dormiu quase a tarde toda… achei que estivesse doente.


A: Não, só um pouco cansada eu acho. - disse ela sorrindo de lado.


N: O que acha de sairmos mais tarde? Só nós duas?


A: Ótimo. Faz tempo que não saímos juntas.


N: Certo.


Horas depois, elas se arrumaram para caminhar.


S: Aonde vai? - perguntou Steve entrando no quarto e vendo a esposa trocando de roupa.


N: Vou sair. - ela deu um breve selinho nele.


S: Pra onde? - ainda estava confuso.


N: Vou passar um tempo com a Alexia. Faz tempo que não conversamos sozinhas.


S: Ah sim. Então aproveitem. Voltam antes do jantar?


N: Espero que sim. - ela pegou o celular e pôs no bolso. - Ah e me faz um favor?


S: O quê?


N: Dá a mamadeira do James e se ele quiser pode dar a chupeta pra ele dormir também.


S: Mas você não estava tirando dele? - ele franziu o cenho confuso.


N: É eu sei o que eu estava fazendo. Mas ele me pediu ontem e eu não dei, daí hoje ele acordou nervoso, e eu fiquei com dó. - disse ela relutante em ter que tomar aquela decisão.


Steve cruzou os braços e olhou para ela debochado.


S: Ora ora, você cedendo pro seu filho? Que eu saiba só eu faço isso não é? Sou coração mole”. - provocou ele.


Natasha semicerrou os olhos não acreditando no que ele estava fazendo.


N: Cala a boca Steve! Não use meus argumentos contra mim. E sim, você é coração mole. - disse ela empurrando ele da entrada da porta. Ele riu e beijou ela rapidamente.


S: Te amo.


N: Eu sei. - ela não disse de volta por pura pirraça e ele sabia disso.


Natasha bateu na porta do quarto de Alexia a chamando para ir. Então, as duas saíram de casa.


……


Enquanto isso, no apartamento de Chris, o assunto da ex namorada ainda não tinha virado pauta de conversa entre eles. Mas por pouco tempo.


Lo: Então, quer dizer que você e a Meghan estavam conversando numa boa? - disse Louise chegando na cozinha e encostando no balcão.


Ch: Não acho que isso seja da sua conta, irmãzinha! - respondeu irônico.


Lo: Ah para de ser chato, eu só quero saber se foi tudo bem.


Ch: Foi armação sua? - ele estava mexendo o molho do macarrão, quando largou e se voltou para ela esperando uma resposta.


Lo: Claro que não! Você é idiota ou se faz? - disse ela se inocentando.


Ch: Bom que seja verdade. E por sinal ela quase estragou meu carro.


Lo: E daí? A SHIELD te daria outro.

Ch: Você que pensa.


Lo: Mas me conta, sobre o quê vocês falaram? - a morena estava empolgada.


Ch: Nada, só o básico. Comentamos sobre como as coisas mudaram, e ela se desculpou pelo carro. Também perguntou no que eu trabalhava, eu disse que não podia contar, ela pediu uma foto da Ale, mas eu não mostrei e já disse que ela pode matar tanto eu quanto ela.


Lo: Deixa eu adivinhar: Ela não acreditou?


Ch: Exato. De qualquer forma eu não ligo, não tenho mais nenhum tipo de interesse nela. Nem como amizade. - explicou ele dando de ombros.


Lo: Tem certeza de que é só isso?


Ch: Qual seu problema? Tá querendo que eu volte com ela? - disse ele um pouco irritado.


Lo: Hey calma aí! Não é nada disso. Eu só queria que vocês fizessem as pazes, e não ficassem brigados pelo resto da vida. Achei que como já faz tempo, vocês se falariam melhor.


Ch: Às vezes o tempo não é a cura. Ela me chamou pra conversar qualquer dia desses, mas eu não vou.


Lo: Tá bom. Faça o que quiser desde que não me irrite. - declarou a morena com um sorriso irônico. - Aliás você ligou pra sua namorada hoje?


Ch: Não. Na verdade nem minhas mensagens ela viu. Pegue os pratos. - pediu.


Louise se levantou, foi até o armário e pegou os pratos e em seguida os talheres.


Lo: É, ela deve ter coisa melhor pra fazer. - disse com deboche e riu.


Ch: Não sei como eu ainda te suporto.


Lo: Porque você é meu irmão favorito, e é sua obrigação gostar de mim. - ela fez um rosto angelical.


Ch: Vai pensando.


…..


N: Vamos de carro, conheço um lugar bem legal. - entraram no carro e colocaram o cinto.


A: Achei que fosse uma caminhada.


N: Vamos caminhar, mas não aqui.


Alexia ligou o rádio do carro, sintonizou e abaixou o volume, apenas para ficar um som ambiente.


N: Estava com saudades de tirar um tempo só pra nós.


A: Eu também. É tudo tão corrido. Pra onde estamos indo exatamente? - Alexia olhava pela janela do carro.


N: Pra um lugar especial. Eu já fui algumas vezes lá, mas agora é diferente.


Alexia ainda estava confusa sobre a localização, mas deixou a mãe seguir o caminho sem mais perguntas.


A: Hill tem contato com o Bucky ainda?


N: Não sei. Sabe como ela é, nunca quer admitir que sente falta de alguém.


A: Sei. Achei que ela fosse ficar um tempo com ele, pra sei lá, ajudar ele a voltar ao normal.


N: T'Challa nos disse que Wakanda sempre vai estar aberta para nós, então, ela pode ir a qualquer hora.


A: Ainda quero conhecer Wakanda antes de morrer. - disse ela num tom pensativo.


Natasha riu do certo ‘drama’ daquela frase.


N: Mas é claro que você vai! Não precisa ser dramática a esse ponto. - Alexia riu da situação.


A: Tem razão.


Meia hora depois de passarem por caminhos desconhecidos por Alexia, e que pouca gente sabia, elas chegaram ao destino que Natasha havia planejado. Era um parque completamente diferente, que ao invés de pessoas comuns passeando com a família, ou com os cachorros, era um lugar extremamente tranquilo, poucas pessoas à vista, e estas meditavam em alguns lugares bem altos, mas outras preferiam o chão. Caminharam até que encontraram um belo lugar para relaxar.


A: Me trouxe aqui pra meditar? - ela não estava entendendo. Natasha riu.


N: Sim. Ou não. Depende de qual a sua necessidade. Se quiser meditar, vamos fazer isso, mas se não quiser, podemos ficar aqui conversando. - Natasha sentou no gramado e Alexia a acompanhou.


A: Eu… não sei meditar, nunca fiz isso.


N: Não tem problema. Só vamos usar esse tempo só pra nós.



N: Então você foi pedir conselhos pro Steve?


A: É, mas ele também me fez refletir sobre o que eu achava melhor. - ela respondeu olhando para o céu.


N: Eu entendo seu ponto de vista. Também ficaria confusa se estivesse no seu lugar. Mas você o ama, certo?


A: Sim. É por isso que eu não quis falar nada com ele, porque ele já iria pensar do jeito errado.


N: Tudo é questão de interpretação. Crises acontecem em qualquer relacionamento, mas o que realmente conta, é como as pessoas vão passar por ela. Tenho certeza de que isso vai passar, e vocês vão voltar a ser como era no início. - Natasha sorriu otimista. Alexia suspirou.


A: Levando em consideração que eu nunca fui muito afetuosa, nem mesmo com ele, acho que não vai mudar muita coisa.


N: Um clima mais leve quem sabe.


A: É. Eu espero isso também. - disse ela um pouco vaga. - Posso perguntar uma coisa?


N: Claro.


A: Como soube que o Steve era a pessoa certa? - perguntou olhando seriamente para Natasha.


N: Bom… eu não sei, eu só… senti isso. Não tem bem como explicar. Acho que as ações dele, a personalidade, toda a inocência dele de certa forma. Eu nunca imaginei que fosse me apaixonar por ele algum dia, mas aconteceu. E depois de um tempo não tinha mais como negar o que já era recíproco. Acho que tudo aconteceu no tempo que deveria acontecer. - Natasha disse sorrindo.


A: Não sei se já senti essa certeza toda. Gostaria, mas é complicado. Acho que meu único bloqueio sou eu mesma.


N: Não pense muito sobre isso. Você vai ter essa certeza quando você menos esperar. Talvez uma situação inesperada ou uma atitude dele. De todo jeito eu vou estar aqui pra te apoiar no que você precisar. - Natasha disse abraçando a filha de lado.


A: Eu sei disso. - ela sorriu convicta. - Obrigada mãe.




                     Continua...










Notas Finais


Gostaram? Comentem porque isso é muito importante. Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...