1. Spirit Fanfics >
  2. New Horizon- Facing Ages- HinnyRomione >
  3. Plans

História New Horizon- Facing Ages- HinnyRomione - Capítulo 4


Escrita por: Dralrs

Notas do Autor


Oi gente!
Saudade de vocês!
Cá estamos com mais um capítulo da história, e claro, temos pistas nele do que está por vir
Não se esqueçam do que eu disse: Ron é o grande nome desse inicio de temporada, e não vão demorar a entender o porquê
Mas enquanto não chegamos lá, vamos continuar a saga de Harry X Rita Skeeter.
Boa leitura!

Capítulo 4 - Plans


21 julho

Harry mirava o teto pensativo, e ao seu lado, Gina também se mexia, indicando que não conseguia dormir mais também.

– Preocupado com o besouro nojento?– Gina se virou pra ele, dando um selinho e acendendo a luz.

– Irritado seria mais adequado. Não tivemos mais pistas em três semanas. Aquela criatura deveria ter sido esmagada no meio da batalha.– Harry resmungou.

Ele então olhou para Gina, também pensativa com a mão no queixo e suspirou fundo, abraçando-a de lado.

– Eu aqui rabugento, e nem vi que você também está preocupada. Não se preocupe, baby, vou dar um jeito de fazê-la pagar pelas mentiras.

Gina riu.

– O besouro linguarudo não me perturba, querido, por piores que sejam as insinuações delas. Estou tensa. Falta três semanas para o início do campeonato nacional e temos três meninas que não estão na melhor forma. Amanhã vamos receber uma visita de um ex-treinador dos Chuddley Cannons, vamos ter algumas dicas, espero que ajude.

Harry puxou a mulher para seu colo, e brincou com os longos cabelos ruivos.

–Hey, não precisa se preocupar. Você está no seu melhor momento e sabe motivar as outras meninas, é a melhor capitã que o Harpias já teve em anos, estão ganhando como máquinas...

Gina resmungou e olhou para o marido, séria.

– E se a máquina tiver quebrando, Harry?

– Então darão o melhor de si individualmente e torcer para funcionar enquanto alguém arruma a máquina.– Ele disse com simplicidade, dando um beijinho na testa dela.

– Queria estar animada... Está perto do seu aniversário e eu nem sequer estou com ânimo de comemorar– suspirou aborrecida.

– Eu também não...

Os dois ficaram alguns segundos num silêncio desconfortável.

– Já sei o que vai nos animar– Ele disse já se levantando da cama e puxando Gina junto.

– Harry, mas o quê...

Ele a calou com um selinho e pôs o indicador sobre a boca pedindo silêncio.

Pé ante pé saíram do quarto.  

– Falando baixo para não acordar Teddy.– disse ainda descendo as escadas– Ainda são 4 da manhã, mas sei que não vou dormir mais, nem você, então vamos dançar até voltarmos a ser os adolescentes que dançaram a noite toda no meu aniversário de 18 anos, sem preocupações, sem problemas.

Gina riu. Harry sabia o que fazer para animá-la e acalmá-la ao mesmo tempo.

Colocando uma música baixa e lenta, Harry juntou seu corpo ao da mulher e giraram lentamente pela sala, de pijamas, colando sua testa à dela e se concentrando apenas na dança. Gina, até então apenas achando engraçado, começava a se acalmar também, se deixando levar.

Entre giros e risadas viram o dia amanhecer, e após um café em que Teddy estava particularmente barulhento, ela se despediu dele e do marido:

– Harry, eu tenho que ir agora, prometemos chegar mais cedo por causa do Dorkins. Confira a mochila de Teddy antes de sair com ele.

– Gi, não acho que ele vai levar chumbinhos fedorentos de novo. Já falamos que é errado.

Gina revirou os olhos e deu um selinho no marido.

– Não discuta, querido, apenas faça o que eu mando. Quando sair do treino passo no ministério.

– Ok, vou ficar esperando.– ele disse com um sorriso malicioso.

Ela rolou os olhos, rindo também, e entrou na lareira, vendo o sorrisinho do afilhado antes de tudo girar.

28 julho

– Mione, você reclama que eu tô engordando, mas que culpa eu tenho se você cozinha bem desse jeito?– Ron disse após engolir uma quantidade incrível de panquecas.

Mione revirava os olhos, rindo.

– Você pode comer uma quantidade normal, oras.

Ele agarrou o braço dela, fazendo que ela se sentasse em seu colo.

– Não dá. Só tem uma coisa que me faz mais feliz que comer.– disse enquanto brincava com os cachos de Hermione.

– Posso saber o que é essa coisa?– perguntou, corada, já prevendo a resposta.

– Pode.– e sussurrou no ouvido da mulher– Você.

Hermione abriu a boca para responder, mas Ron a puxou para um beijo.

– Oito dias que eu voltei e ainda não matei a saudade adequadamente.– Ron disse, com o nariz afundado no pescoço de Hermione.

– Eu também não. Aqueles 16 dias pareceram 16 anos, mas agora temos que trabalhar, Ron.– ela disse se levantando.

O ruivo resmungou, mas se levantou também.

– Que pena, por mim passaria o dia todo aqui, abraçado com você. Vamos de carro, como trouxas?

– Vamos! Eu dirijo!– ela disse animada.

Ele deu de ombros, rindo, e saiu com Hermione para o jardim.

Enquanto ela procurava a chave na bolsa, lamentando não poder usar um Accio, Ron sentiu um arrepio percorrer sua nuca e um estalo.

Instintivamente, Ron saltou e puxou a varinha, quase derrubando Hermione.

– Ron, mas o que...

Ron segurou Hermione com a mão esquerda.

– Tem alguém aqui, Hermione. Ou tinha pelo menos. Eu ouvi claramente o som de aparatação. – ele disse enquanto andava com ela pelo jardim, com a varinha à frente, pronto para atacar.

– Mas estamos em bairro trouxa!

– Exatamente. O que significa que alguém estava nos vigiando.– ele disse, olhando de um lado a outro com máxima atenção, mas sem ver um sinal sequer de alguém escondido.

– Aqui! Ele estava bem aqui debaixo da janela– apontou para a grama amassada à sua frente.

– Ron, quem quer que fosse já não está aqui mais. Guarda essa varinha antes que tenhamos que obliviar os vizinhos.

Ron resmungou irritado, mas concordou em interromper sua busca, ao menos naquele momento, ou chegariam muito atrasados no trabalho.

Hermione, provavelmente pensando se tratar de algum jornalista, sequer deu atenção à situação. Mas Ron não conseguia esquecer a sensação de que não seria um simples jornalista a acampar no seu quintal.

Preferindo não preocupar Hermione, Ron entrou no carro e foram conversando amenidades no caminho.

Ao se despedir dela no elevador, se dirigiu até a sala que dividia com Harry decidido a contar o que havia acontecido quando a visão de um Harry descontrolado varreu totalmente o assunto de sua mente.

– Harry, mas o que diabos você tá fazendo, socando o sofá?

Ron olhou preocupado para o amigo, que estava quase tão vermelho quanto seus cabelos e tremia de fúria.

– AQUELA PUTA AGIU DE NOVO!– Harry trovejou, jogando o profeta diário para Ron, que suspirou e abriu a primeira página. O que viu fez o jornal escorregar da sua mão.

Uma enorme foto de Gina abraçando Ragmar Dorkins, ex treinador do Chuddley Cannons, estampava a primeira página, com a manchete:

GINA POTTER SEDUZ EX-TREINADOR DO CHUDDLEY CANNONS PARA INCREMENTAR A PREPARAÇÃO DO HARPIAS PARA A TEMPORADA

Ron pegou o jornal, ainda achando que seus olhos o traíam, e começou a ler, imaginando se Rita Skeeter os deixaria em paz algum dia.

Uma fonte que pediu para não ser revelada capturou o momento exato que Gina Potter, capitã do Harpias de Holyhead, atuais campeões nacionais, abraça e sussura no ouvido do ex-treinador do Chuddley Cannons. A ação, realizada logo antes de uma conversa entre ele, a atual treinadora e todo o elenco do Harpias, aparentemente tinha o objetivo de amolecer o coração do homem, que nunca permitiu que a imprensa acompanhasse um treino seu na época de glória do CC e ficou conhecido por jogadas surpresas que desestabilizavam os adversários. Pelo visto, Ragmar Dorkins é o grande investimento do time feminino para tentar o bicampeonato a duas semanas da primeira partida.

Mas vejam senhores, estaria Gina Potter, mulher d’O Eleito, disposta a arriscar um casamento que todos acreditam ser perfeito por sua ambição em levar o time à vitória? Ou a ruiva está de fato cansada de carregar o pesado sobrenome e está aproveitando a oportunidade para ter com outro bruxo o que já não tem em casa?

Continuamos de olho para trazer a vocês todas as notícias do mundo bruxo. Até a próxima.

 

Ron não conseguia acreditar no que tinha lido, tremendo de fúria e de nervoso.

– Mas que monte de merda é essa? Harry, você sabe, Gina nunca faria isso... Ela...

– É claro que eu sei. Gina comentou comigo que Dorkins ia dar umas dicas a elas semana passada. A questão não é essa. A questão é essa vaca da Skeeter colocar em dúvida o caráter da sua irmã e a minha capacidade de fazer ela feliz. Tenho certeza que foi ela, Rony.

O ruivo esfregava as mãos na cabeça.

– Cara, Gina vai tacar uma bomba no jornal quando ver isso.

– Merda! Se eu vi, ela já deve ter visto também. Vou mandar um patrono a ela, pedindo para se acalmar.– Harry disse, levando a mão à varinha.

– Tarde demais. – Hermione disse ofegante chegando na sala.– acabei de saber o que houve, e minha secretária acabou de me informar que Gina passou como um furacão pelo átrio, e que está indo agora até o andar do Profeta Diário. Vim aqui.. avisar... para ir atrás dela antes que mate alguém.

– Vamos!– Harry saiu desembestado pelos corredores e pegou a escada, sem paciência para esperar o elevador, com Ron e Mione em seu encalço.

Ao entrarem na redação, Gina estava mais vermelha que seus cabelos, apontando a varinha para os funcionários, que se encolhiam na parede, escondidos atrás de móveis.

– Gina!– os três gritaram mas ela não deu sinal de ter escutado.

– EU VOU PERGUNTAR SÓ MAIS UMA VEZ. CADÊ O EDITOR-CHEFE DESSA MERDA?– ela berrou e Harry teve medo de se aproximar. Jamais vira a mulher naquele estado, tão furiosa. Ron aparentemente pensava o mesmo pois segurava Hermione para impedir que ela fosse até à cunhada.

– Nós já dissemos, Sra Potter, ele não vem trabalhar há uma semana. Tá terminando o jornal de casa!

Ela se encaminhou para o funcionário que havia dito isso, os nós dos dedos brancos segurando a varinha com força suficiente para parti-la.

– E tá esperando o quê para me passar o endereço dele?– ela perguntou, completamente fora de si, apontando a varinha para o pescoço do homem.

– Não Gina!– Hermione gritou, e ela fez que não escutou e continuou a encarar o funcionário, que tinha os olhos arregalados de horror.

– GINA! Tô aqui, meu amor, abaixa a varinha, fica calma.

Gina, que respirava com dificuldade devido à fúria, ouviu a voz de Harry e olhou para ele, sentindo a garganta apertar.

– Harry, por favor, não posso ficar calma– disse ainda mantendo a varinha firme– eles duvidaram do nosso amor...

– Eu sei, baby– Harry deu um passo, se aproximando cautelosamente.– Mas eu nunca vou duvidar. Agora abaixa a varinha sim? Se você atacar alguém aqui vou ter que te prender por alguns dias em Azkaban, e sei que não quer isso.

Gina fraquejou sob o olhar carinhoso do marido, e o abraçou, sussurando:

– Eu nunca te trairia, Harry.

– Eu sei, princesa. Eu sei disso, e é o que importa.– ele disse, fazendo carinho na cabeça dela.

Ele podia sentir Gina tremendo em seus braços, e a fúria contra Skeeter cresceu.

– Vamos intensificar as buscas pela Skeeter. Vou falar com Kingsley, nós vamos colocar aquela coisa nojenta na cadeia de novo.

Ela balançou a cabeça, mais calma, e se soltou dos braços de Harry, que olhou para os funcionários assustados da redação.

– Sei que vocês estão apenas fazendo seu trabalho, mas deviam ter vergonha de trabalhar num lugar que contam mentiras para lucrar mais. Eu teria. E mais, se sair no jornal uma palavra que seja sobre o que acabou de acontecer aqui eu vou garantir pessoalmente que Kingsley emita um pedido de prisão pra cada um de vocês. Deixem nossa família em paz.

Gina mordeu os lábios, e murmurou um pedido de desculpas a todos, e saiu com Harry, Rony e Hermione.

Os quatro foram para a sala de Ron e Harry, e se sentaram para tomar um hidromel embora fosse apenas 9 da manhã.

– Eu não tenho a menor condição de treinar hoje. Vou para a casa da mamãe. Ela deve estar preocupada achando que nosso casamento acabou.– Gina disse a Harry, já mais calma, com uma risadinha de deboche.

– Não se preocupe, baby, ela conhece a filha que criou.– Harry respondeu com um selinho.

Gina deu um meio sorriso, e após garantir a Mione e Rony que estava bem, ela entrou na lareira deles e foi para A Toca, à procura de um colo de mãe após aquele difícil começo de manhã.

31 julho

– Vamos, Hermione.– Rony resmungou do andar de baixo– A essa altura seus pais já devem ter chegado n’A Toca e nós nem saímos de casa.

– É, mas nós vamos chegar lá em segundos.– ela se defendeu aparecendo no alto da escada vestida com um vestido azul,  de alças, com os cabelos soltos.

Ron encontrou com a mulher no meio da escada, beijando as mãos dela.

– Valeu a pena o atraso.

Ela riu bobamente e entraram na lareira, girando até à sala da Sra Weasley, já repleta de convidados.

Era aniversário de Harry e da pequena Maitê, e eles decidiram aproveitar o tempo em família.

– Ah, chegaram finalmente!– Sra Weasley disse aos Granger e foi abraçá-los.

Hermione abraçou a sogra, depois os pais e saiu para procurar a irmã.

Estavam quase todos ali.

Jorge falava com o pequeno Fred II na barriga de Angelina, e Percy olhava todo bobo para a sua menininha, que dormia no braço da mãe. Harry e Gina conversavam aos cochichos no canto da cozinha, com os rostos contraídos, e já ia até eles quando um pequeno furacão de vestido rosa agarrou suas pernas.

– Ah, até que enfim achei minha boneca!– Mione se abaixou para pegar a irmã.

Maitê usava um lacinho branco nos cachos castanhos e tinha as bochechas vermelhas de sair correndo pela casa.

 – Mimi, tava com saudade!

– Eu também, pequena.– Mione apertou mais o abraço.

– Ei! Não sou pequena, tenho 4 anos já!– protestou.–

– Ah, claro, como me esqueci! Você faz 4 anos hoje, já é uma mocinha.

A menina fez que sim com a cabeça, e Mione não pode deixar de rir.

– Então, mocinha, vai lá brincar com o Teddy e a Vic.

– Tá.– ela disse e saiu correndo novamente.

Hermione olhou para o lugar que Harry e Gina estavam, na intenção de cumprimentar o amigo, mas eles já não estavam mais lá.

– Ron– ela cochichou com o marido – Acaso viu Harry e Gina?

– Vi eles subindo a escada.– Ron disse com uma risadinha.

– Tem alguma coisa errada...– Mione murmurou pensativa.

...

No andar de cima, Harry andava de um lado a outro, coçando a cabeça.

– Sei não Gina, você tem seis irmãos que podem me achatar antes que eu tenha a chance de me explicar...

Gina também estava pensativa, a mão no queixo.

– É o melhor plano que temos. Também não queria ter que recorrer a isso. Mas o que mais vamos fazer?

– Também não sei. Eu estou tentando de tudo. Coloquei aurores me seguindo para ver se achavam algum besouro por perto, mas até agora nada.

– Pois é, mas você não fez nada suspeito nos últimos dias. Ela está esperando eu ou você “sairmos da linha”.

– Ok, vou mandar uma carta para ela. Mais alguém vai saber dessa história?

A ruiva fez que não.

– Não, melhor não. Quando ela morder a isca, eu e você vamos para casa imediatamente, conforme o combinado, para ninguém nos achar.

– Ótimo. E reapareço na hora do jogo.

– Exatamente.– Gina sorriu com simplicidade, ganhando um beijo de Harry.

– Vamos descer antes que sintam muito a falta do aniversariante.– Gina disse se afastando.

– O que vai me dar de presente?– o moreno brincou enquanto desciam as escadas.

– Mais tarde você vai saber, quando formos pra casa.

Harry sorriu satisfeito e se misturaram aos outros na festa, aproveitando para relaxarem, já que a semana não seria fácil para nenhum deles. Restava esperar que o plano de Gina desse certo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e que estejam animados! Acredito que em breve posso voltar a postar uma vez por semana.
Até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...