História New Life - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Demashitaa! PowerPuff Girls Z, Meninas Super Poderosas (The Powerpuff Girls)
Personagens Boomer, Brick, Butch, Docinho, Florzinha, Lindinha
Tags Blues, Comedia, Greens, New Life, Ppg, Reds, Romance
Visualizações 188
Palavras 3.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oioi gentey! Voltei com mais um capítulo. :P
QUASE 100 FAVORITOS EU TÔ QQQQQ???.

Muito obrigada mesmo gente, pelos favoritos, pelas mensagens e principalmente pelos comentários, já que isso é o que mais me incentiva a continuar! Amo vocês, sério <3

Ignorem qualquer errinho, pleaaase!

Espero que gostem e boa leituraaaaa <3

Capítulo 4 - Algo de Errado Não Está Certo


Fanfic / Fanfiction New Life - Capítulo 4 - Algo de Errado Não Está Certo

B L O S S O M

Nós estávamos tão próximos que eu podia sentir sua respiração quente e descompassada. Seus olhos estavam direcionados aos meus lábios, e sem mais nem menos atacou-lhes. Seus lábios eram macios e tinham um certo gosto de morangos. Seus toques eram delicados, mas ao mesmo tempo agressivos, arrepiando-me cada vez mais. Sua língua pediu passagem e eu rapidamente dei. Nossas línguas travavam uma batalha em uma sincronia perfeita. A velocidade aumentava assim como o desejo que sentia do seu corpo colado ao meu desde a primeira vez que o vi. Quando me dei conta, estávamos apenas de roupas íntimas em cima da mesa com o ruivo sobre mim dando pequenas seladas em cada parte do meu corpo, me fazendo suspirar com cada toque seu…


Rapidamente levantei assustada. Estava ofegante e com os cabelos bagunçados totalmente molhados por conta do suor em todas as partes do meu corpo. Olhei para o criado-mudo que possuía um pequeno relógio. Eram exatamente dez e vinte e cinco da manhã.

— Bloss, você ainda está dormin…— Bubbles adentrou ao meu quarto, e não pôde terminar a frase ao ver o estado crítico em que eu me encontrava.

Droga!

— O que foi que aconteceu com você? — a loira disse com uma feição super preocupada se aproximando, logo sentando-se na ponta da cama.

Suspirei. Eu não quero ter que dizer a ela o porquê dê eu estar assim. Não mesmo!

— Ah, não é nada. Eu só tive um sonho…estranho? — estranho mas tão bom…

MEU DEUS, O QUE EU ESTOU FALANDO?

— Quer falar sobre isso? Você nunca teve pesadelos antes.

Eu nunca havia dito que era um pesadelo.

— Ah não, tá tudo bem. Até que não foram tão ruins assim… — eu queria achar ruim, mas eu simplesmente não consigo não gostar.

Essa não sou eu. O que está acontecendo com você, hein dona Blossom?

Pensei que minha resposta havia à convencido, mas eu estava totalmente errada, já que a mesma continuou insistindo.

— Blossom, você sabe que pode confiar em mim. Eu posso te ajudar! Eu faço pisicologia, lembra? E você sabe que eu sou boa em conselhos. — a loira empurrou meu ombro de leve, dando uma risadinha.

Suspirei derrotada. Eu podia muito bem mentir para ela, mas por mais que eu seja ótima em captar mentiras, eu sou péssima em mentir. Talvez desabafar me faça melhor. Fora que Bubbles é realmente muito boa em dar conselhos.

— Tudo bem. Mas me promete que não vai ficar com raiva e nem vai me julgar? — perguntei ainda meio relutante.

A loira fez uma cara confusa.

— Prometo, eu acho.

Respirei fundo.

— EuandotendosonhoscomoBrick. — falei tão rápido que pude perceber o ponto de interrogação que possuía a feição da loira.

— Fala mais devagar! — pediu, — o que estava mais para uma ordem. —

— Eu ando tendo sonhos com o Brick! — falei de uma vez, e virei o rosto.

Não queria ter que encara-lá.

— Sonhos? Que tipo de sonhos? — perguntou mais confusa ainda.

Ai céus!

— Do tipo, eróticos… — falei — o que saiu mais num sussurro —, fazendo a loira arregalar os olhos.

Meu Deus, isso é tão constrangedor!

— O…mas…que… — Bubbles estava tão assustada e ao mesmo tempo tão surpresa que não conseguia falar absolutamente nada.

— Eu sei, eu sei. Isso é tão constrangedor, e vergonhoso. — pús as mãos no rosto — que se encontravam totalmente molhadas por conta do suor —.

Essa não é a primeira vez que eu sonho isso. Já faz alguns dias. Mais especificadamente, desde segunda-feira, o dia em que eu o vi sem camisa e que tivemos aquela conversa em que estivemos a quatro centímetros de distância.

— Como assim sonhos eróticos, Blossom? — finalmente a loira conseguiu falar palavras concretas.

Essa pergunta é um pouco difícil para eu responder, afinal, nem eu mesma sei o que significa tudo isso.

— Eu não sei, eu nunca esperaria que isso acontecesse...Mas esse não é o mais estranho…

— Claro! Não existe nada mais estranho do que ter sonhos eróticos com seu inimigo de infância. — a loira disse sarcástica.

— Deixa eu terminar! — bufei. — Essa não é a primeira vez que eu tenho esse sonho. Todas as vezes que eu tenho, é a mesma situação, só que…em lugares diferentes.

— Não entendi. — falou confusa.

Revirei os olhos. Não queria ter que explicar isso de novo.

— Em todos os sonhos a gente faz…"aquele" negócio. Só que as vezes é na cozinha, na sala, no banheiro, no quarto, até mesmo na sacada. E nesse último sonho foi na mesa do professor da Universidade.

Bubbles estava sem reação. Confesso que no lugar dela eu também ficaria.

— Bom, que tal irmos tomar café? — deu um sorriso forçado. — Depois eu prometo que conversamos sobre isso.

Se nem a Bubbles está sabendo lidar com isso, eu vou saber lidar? Eu não sou tão forte pisicologicamente quanto pareço, tá!

— Vou lavar o rosto e trocar de roupa. — falei sem graça. A mesma assentiu e retirou-se do quarto.

Que situação hein!

Terminei minhas higienes e observei-me no espelho.

Todo vez que eu via Brick na Universidade minhas bochechas se ruborizavam. E eu acho que ele via, pois sempre ria quando me encarava. Eu me odeio por isso. Me odeio por demonstrar fraqueza perto dele, me odeio por estar gostando desses sonhos completamente desnecessários, me odeio por não odia-ló quanto eu deveria e me odeio por acha-ló um pedaço de mal caminho.

EU ODEIO O FATO DE QUE A MINHA VERSÃO MASCULINA SEJA MAIS ATRAENTE DO QUE EU!

Esqueço um pouco disso e vou em direção à cozinha. O jeito é fingir que nada aconteceu!

Melhor do que o corpo do ruivo colado ao meu nos sonhos, é tomar café da manhã. — o que eu estou falando?????

Chego ao local e vejo…Buttercup colocando a mesa? Ok, isso sim é estranho.

— Bom dia? — me sentei de frente para a loira, que comia um pedaço de bolo.

— Bom dia! — a morena disse animada.

Olhei para Bubbles com as sobrancelhas arqueadas esperando uma resposta.

— Não me olha assim. Eu também quero saber o porquê dela estar agindo dessa maneira! Ela até acordou mais cedo do que eu. — a loira sussurrou a última parte.

Butter revirou os olhos.

— Isso tudo é por causa daquela festa? Eu pensei que você tivesse preguiça de ir às festas. — falei enquanto fazia meu sanduíche.

— Festa? Que festa? — Butter perguntou confusa enquanto se sentava ao meu lado. — Não importa, e não é por causa disso! Eu estou animada porque hoje é o dia em que eu vou poder completar a minha coleção de mangás de Naruto Clássico! — falou animada.

Eu não acredito nisso.

— Fala sério! — falei revirando os olhos. Bubbles apenas ria balançando a cabeça em negativo.

Eu não aguento essa criatura não, gente! É Buttercup falando o dia inteiro sobre animes e mangás, é Bubbles falando sobre kpop e doramas. Alguém me tira dessa casa pelo amor de Deus?


B U B B L E S


Festa! Eu simplesmente amo festa, qualquer festa — apesar de que minhas festas favoritas são as festas de criança — eu adoro comemorar.

Hoje é sábado, finalmente! E nós iríamos ir em uma festa dada pela Zebura, uma caloura da faculdade. Dizem que ela dá as melhores festas, e confesso estar muito ansiosa. Apesar de nunca te a visto — já que foram suas amigas que entregaram os convites — o pessoal diz que ela é muito simpática e meio vida louca.

Eu estou muito ansiosa, afinal, festa é um pretexto para eu ir ao shopping comprar roupas. Por mais que meu guarda-roupa esteja lotado, acho que preciso de uma roupa perfeita para essa ocasião, né? A primeira impressão é a que fica.

E sobre as meninas, Blossom é muito caseira, nunca foi de sair muito. Fiquei surpresa quando soube que ela iria. E Butter é preguiçosa mesmo. Fica com preguiça de viver, dúvido muito que ela irá sair do conforto do seu quarto para ir à uma festa cheia de gente — que ela diz odiar, já que é uma estranha que não gosta de socializar —. Tenho noventa e sete por cento de certeza que Buttercup não vá, afinal, no último minuto a morena pode nos surpreender.

Depois de tomarmos café, aproveitamos para dar uma arrumada na casa — obviamente ideia da Blossom —, já que essa semana mesmo sendo a primeira semana de aula foi muito corrida. Não quero nem imaginar a semana de provas, pois já vejo que não vou ter tempo nem para respirar.

Sobre essa semana, tirando o fato de ter muita coisa para estudar, foi tranquila. Fiz bastantes amizades, interagi com o pessoal, flertei com o povo. Estou consideravelmente "popular" podemos dizer assim. Cody e eu saímos uma vez depois da faculdade e descobri que ele é um cara muito bacana. Temos o jeito bastante parecido, deve ser por isso que escolhemos Pisicologia. Por mais que os gostos não sejam tão parecidos, o jeito de pensar é.

Sobre os Meninos Desordeiros, por incrível que pareça está tudo bem. Tenho visto Butch às vezes, na maioria com uma garota muito gata ou com os irmãos. Boomer e eu nos esbarramos algumas vezes mas eu sempre o ignorava. E Brick, tenho o visto bem pouco. Podemos concordar que esse cara é tão lindo que meu Deus. Talvez se eu estivesse no lugar da Blossom eu também teria sonhos eróticos com ele, então não posso julga-lá.

Alguém me diz que diabos eu estou dizendo?????

Bunny havia me dito que ela e Bell já foram concunhadas, já que a platinada já namorou o irmão do namorado da Bunny. Fala sério, quem é que aguenta essa garota? Bunny disse que iria me apresentar à seu namorado na festa. Ela tem dito o quanto o garoto é incrível e trata ela super bem. Fico bem feliz por ela. Ficamos bem próximas nessa semana, e fico feliz em considera-lá bem mais amiga do que amizades que duraram anos que eu tive em Townsville.

Depois de arrumarmos as coisas, vi que eram duas e quinze. A festa começaria sete horas, mas como eu sou uma pessoa que demora mil anos se arrumando, resolvi me preparar logo para ir ao shopping. Coloquei um short jeans claro, uma blusa de manga longa e um tênis vans azul. Estava frio, mas dava para suportar.

— Vai aonde? — Blossom perguntou com os braços cruzados e as sobrancelhas arqueadas.

Olha, o meu plano era sair escondida por aquela porta e voltar por volta das quatro horas já com as roupas compradas sem uma ruiva no meu pé me obrigando a manerar no dinheiro. Digamos que eu seja do tipo, viciada em gastar — de acordo com a Blossom —. Eu não me considero uma viciada em gastar, mas de fato eu tenho "uns" probleminhas com o dinheiro, e a Blossom que me "controla".

Às vezes eu acho que ao invés dela fazer Medicina ela devia fazer administração, já que ela consegue controlar o nosso dinheiro tão bem que eu até fico impressionada. Ela consegue fazer cem dólares durar por mais de uma semana! E não me pergunte como, pois eu também quero saber.

— Aaah, eu vou ir alí comprar…salgados? Sim! Isso aí, salgados! — parabéns Bubbles, nem para mentir você presta.

A ruiva me olhou sarcástica.

— Não acho que seja uma boa ideia mentir para mim.

Suspirei derrotada.

— Tudo bem. — levantei as mãos como forma de rendição.— Eu vou ao shopping comprar uma roupa para ir à festa.

Blossom revirou os olhos. Eu já até sei o que ela vai falar.

— Isso é sério? Seu guarda roupa tem peças com etiqueta e você ainda quer ir comprar mais? Vem, vamos encontrar uma roupa para você. — a ruiva me puxou pelo braço em direção ao meu quarto.

— Aaah não…— choraminguei.

Parace que hoje não é o dia em que eu vou praticar meu hobbie favorito. Fazer compras no shopping!

(…)

— Esse está incrível! — a ruiva disse quando completou o milésimo look.

— Você disse isso à trinta minutos atrás! — suspirei e me joguei no meio do bolo de roupas.

Minha cama estava cheia de roupas. A maioria possuía etiqueta, o que fez a ruiva ficar falando no meu ouvido a importância de economizar dinheiro. Tô achando que ela devia ter feito administração mesmo, hein.

— Esse é sério, ficou perfeito! Vai logo experimentar. — a ruiva jogou as roupas em mim e eu fui me arrastando até o banheiro ao lado do meu quarto.

Me observei no espelho. Olha só, até que eu estou bonitinha. Blossom finalmente havia acertado, e em cheio. Eu vestia um cropped vermelho com alças grossas que caíam no ombro, uma saia jeans um pouco acima dos joelhos junto de um cinto da Gucci — que eu nem sabia que existia — e saltos de veludo de dez centímetros da cor vermelha. (RED VELVET, SACOU? QKJJJ)

— É esse! — falei à mim mesma.

Voltei ao meu quarto e pude ver Blossom dobrando as roupas que estavam esparramadas sobre a cama, enquanto guardava-as no guarda-roupa.

— Bloss? — chamei a ruiva, o que a fez se virar rapidamente. Seus olhos se arregalaram e seus lábios formavam um O. — E então? — Pus as mãos na cintura fazendo uma pose digna de capa de revista.

— Uau Bubbles, você está mais do que perfeita. Garota, cê é maravilhosa viu! — ri.

Sabe, você pode ser considerada a garota mais bonita do mundo, mas se você não se acha bonita, do que isso importa? Já teve uma época da minha vida em que eu me sentia insuficiente, insegura. Mas eu aprendi a me amar, eu amadureci, e isso por causa de Blossom e Buttercup. Eu sou o que sou graças à elas, e sou grata demais por isso. Minhas irmãs são o meu tudo, e eu daria minha vida por elas sem pensar duas vezes.

Olhei para o relógio no corredor, eram quatro e cinquenta. Ajudei Blossom a arrumar a pilha de roupas na minha cama e parti para o banheiro para tomar banho. Blossom foi tomar banho no banheiro da suíte e eu no do corredor.

Me despi, rapidamente entrando no box e logo sentindo a água morna cair sobre meu corpo. Sabe aquela sensação de entrar no banho e nunca mais querer sair de tão boa que a água está? É exatamente isso o que estou sentindo nesse exato momento. Tomar banho é uma divindade. Fico me perguntando que mesmo com todo aquele frio, como os franceses conseguem ficar dias sem tomar banho?.

Fiz tudo o que tinha que fazer no banho — como me depilar, lavar o cabelo com shampoo, etc — e saí. Me enxuguei e coloquei um dos roupões que roubei da Blossom um dia desses. Meu look estava sobre a cama e eu o colocaria depois de fazer a maquiagem e o cabelo, já que não quero correr o risco de suja-lo. Sequei meu cabelo com o secador e fiz uma chapinha rápida — meu cabelo é liso, mas ainda assim possuí algumas ondulações —. Coloquei um tiara para segurar o cabelo e preparei as maquiagens.

Blossom entrou no meu quarto e colocou sua roupa na cama junto da minha. Já com o cabelo secado e com um de seus diversos roupões no corpo, estava segurando duas nécessaires, provavelmente com suas maquiagens e seus cremes corporais.

— Esse roupão é meu? — perguntou com as sobrancelhas arqueadas.

— Talvez. — falei risonha fazendo a ruiva rir.

E você que está aí se perguntando sobre Buttercup, acredito que ela esteja vegetando por aí.

(…)

Seis horas em ponto era o que se encontrava o relógio. Eu já estava arrumada e Blossom também. O look de Blossom era composto por uma blusa bege caída nos ombros, um short jeans azul claro e uma sandália rasteira bege que ia até a canela. Sua maquiagem era básica, apenas um delineado, rímel e um batom vermelho. Ela estava simples em comparação a mim — que estava cheia de bijuterias e uma maquiagem forte — mas não deixava de estar tão deslumbrante quanto eu.

— Mas para onde vocês vão? — Buttercup perguntou. Seu rosto estava amassado, com várias marcas e seus olhos estavam vermelhos. Ela estava chorando?

Buttercup chorando? Não é possível! Tá, eu sei que ela é "humana" e tem sentimentos (ou não) mas para ela estar chorando o motivo deve ser bem grave. Estou até preocupada agora.


B U T T E R C U P


Eu simplesmente odeio minha vida! Sabe aqueles dias em que você acorda feliz e aí acontece alguma bosta e acaba com a sua felicidade? Foi exatamente isso que aconteceu comigo, e eu estou tão triste a ponto de deixar esse negócio molhado cair dos meus olhos.

Tudo começou algumas semanas atrás, quando eu encontrei o ÚNICO mangá que faltava para a minha coleção. Eu fiquei extremamente feliz — o que fez as pessoas (Blossom e Bubbles) estranharam, porque normalmente eu não sou de expressar minhas emoções tão facilmente — porque de acordo com a rota que eles me mandaram, a entrega estava prevista para HOJE. Só que como não podemos esquecer que eu sou Buttercup Utonium, a pessoa mais azarada desse mundo, é óbvio que aconteceu alguma bosta.

Além de eu ter pagado uma FORTUNA por esse mangá — já que hoje em dia ele é muito raro —, a bosta da entrega veio errada, já que eles me entregaram a edição que eu já tinha. Sim, veio um mangá que eu já tinha ao invés do que eu estava procurando a séculos. Claro que eu fiquei pistola e tratei de ler e reler as informações da compra diversas vezes para ter certeza de que eu havia feito o pedido da edição certa. O pior de tudo é que isso não foi sem querer, ELES HAVIAM ME ROUBADO MESMO!

Tá, talvez para alguns isso pode não ser nada demais, mas para mim, isso é o CÚMULO DOS CÚMULOS DOS CÚMULOS DO ROUBO!¿ Eu nunca fui roubada pela internet — exceto no WoozWorld em que eu era roubada e ainda roubava o cara que me roubava. — e o pior é que não dá para eu processar eles, porque não têm nada que comprove que eu comprei a bosta do mangá.

Resumindo: Eu nunca mais compro nada em sites que não sejam confiáveis.

Depois de chorar de tristeza e de raiva, resolvi dormir porque dormir é vida e devemos dormir sempre que pudermos aonde quer que estejamos — de preferência um lugar com cama/sofá/cadeira —. Quando acordei eram cerca de umas seis horas, e quando cheguei na sala me deparei com minhas irmãs quengas todas produzidas com produtos Jequiti. Claro que eu perguntei aonde eles iriam, e elas pouco se importaram com isso porque só conseguiam enxergar meus olhos ainda avermelhados por conta da minha crise de choro.

— Butter o que aconteceu? — Bubbles mostrava de suas orbes azuladas preocupação, e isso à deixava muuuuito fofa!

— Ah, não foi nada. Apenas estresse. — tentei manter a maior calmaria que pude.

Blossom arqueou as sobrancelhas.

— Me poupe né Buttercup! Quero detalhes quando voltarmos, e nada de mentiras. — revirei os olhos.

— E respondendo sua pergunta, nós vamos à festa da Zebura, da universidade. — a loira disse sorrindo.

Ah, é verdade. Blossom havia comentado sobre isso hoje mais cedo.

— Que horas começa? — indaguei.

— Às sete, por quê? — a ruiva perguntou curiosa.

— Ótimo. De acordo com o relógio, então, eu tenho vinte minutos para estar pronta. — corri em direção ao banheiro e tratei de tomar um banho de gato.

Não sou muito de ir à festas, mas nessa situação acho que não teria nenhum mal eu ir junto, né?

(…)

Haviamos chego na festa e estava com muita gente. A mansão era enorme e no jardim haviam várias pessoas. A música chamava muita atenção por estar extremamente alta. Entramos dentro do local e já nos deparamos com pessoas jogadas pelo chão, alguns bebiam tranquilamente, outros dançavam, outros faziam coisas inapropriadas e etc. A festa não deve ter começado nem faz trinta minutos e já têm gente assim, medo.

— Precisamos marcar um lugar de encontro, para quando nos perdemos uma das outras. — Blossom disse olhando ao redor.

— Aqui está bom! — falei. Era próximo do bar e em frente ao banheiro feminino.

As garotas assentiram. Umas duas garotas se aproximaram de nós. Uma garota com altura mediana com os cabelos da cor mel com dois coques e uma outra de longos cabelos pretos. Espera! Eu já vi essa garota, mas não me lembro de onde exatamente.

LEMBREI! Essa é ninguém mais que ninguém menos do que a dona desse festão, e é a pessoa que eu sempre vejo agarrada com a minha versão Made In China denominada de Butch.

— Hey. — a morena sorriu simpática. Parecia estar meio embriagada, mas ignoramos. — Sou Zebura, e sejam bem-vindas à festa, garotas!


Notas Finais


Foi isso povo, beijosss <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...