História New Life - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo I: O início


Fanfic / Fanfiction New Life - Capítulo 1 - Capítulo I: O início

Meu nome é Louis,nunca fui o garoto popular da escola,nunca tive amigos ,pessoas em quem confiar e muito menos uma namorada.

Hoje com 17 anos, passo o dia no meu quarto onde fiz meu refúgio desse cenário de doentes que vivo.

Acordo de manhã para ir para a escola e o meu pensamento é de nojo de ter que ver aquelas pessoas,cada um com uma mascara diferente.Eles fingem ser algo que não é para ser popular.

Mas fazer o que,eu tenho que ir aliás,eu moro sozinho na casa do meu finado avô.ele era um cara legal mas o seu vício em álcool acabou o matando.

Meus pais estão mortos e quer saber não sinto falta deles até fiquei aliviado,era eles ou eu iria acabar me matando.

Eles morreram quando eu tinha 8 anos,até os meus 5 anos agente era uma família feliz,como uma família feliz de novela, mas após minha mãe descobrir que meu pai tinha uma amante as coisas começaram a desabar.

Lembro que não havia um dia em que eles não brigassem,apenas discussões,nunca se agrediram pois eram em mim que batiam para descontar toda sua raiva.

Eu sempre usava camisa manga longa,mesmo nos dias de calor extremo pois escondiam as marcas das agressões.Diante daquilo eu sempre ficava afastado de todos,sempre em baixo de uma arvore que havia nos fundos da escola. Eu olhava para o céu e me perguntava se realmente existia Deus,pois se realmente existisse por que me fazia sofrer daquela forma,mas nunca obtive resposta dele.

A forma que meus pais morreram foi homicídio,meu pai pegou uma faca e cortou o pescoço da minha mãe,como se faz com os porcos.Nesse momento eu estava dormindo então não presenciei nada, eu fui acordado pelos policiais,vi meu pai sendo algemado mas quando ele ia saindo pela porta ele conseguiu pegar a arma do policial e o matou e logo após deu um tiro na própria cabeça.

Ao ver os dois no chão mortos eu fiquei sem reação,não chorava, não gritava, e nem me mexia. com isso eu não pude fazer nada,apenas fiquei ali..parado e sem reação.

Uma semana após o ocorrido eu fui morar com meu avô paterno. A minha vó sumiu após meu pai nascer e com isso meu vô o criou sozinho. Meu vô era uma cara legal,não ligava para nada,apenas dizia para mim ''seguir o meu destino''. Eu não fazia ideia do que significava aquilo.

Meu vô bebia demais e quase sempre eu tinha que dar banho nele e colocar ele na cama.Quando fiz 17 anos o efeito de anos bebendo fez efeito,eu fui acorda ele ao ver que ele estava dormindo no sofá e ele não respondia,tentei uns 10 minutos mas aos 2 minutos já sabia que tava morto,a causa da morte dita pela policia foi por cirrose.

No dia do seu enterro eu preferi ficar no meu quarto assistindo anime. Agora eu moro sozinho e recebo o dinheiro da aposentadoria do meu vô por isso ainda estou vivo.

Já são 6:30 da manhã,e isso significa ir a um lugar que detesto, tenho nojo e repulsa. Mas tenho que ir pois sou obrigado a ir durante toda a semana. Alguns chamam de escola mas eu costumo chamar de inferno.

Chego na escola e a primeira cena que vejo é um grupo de garotos dando em cima de uma garota na portão da escola, ela parecesse incomodada, eu pergunto a mim mesmo se era para mim ir lá ajudar ela a sair daquela situação?

Eu respondo a mim mesmo que não e continuo a seguir para dentro da escola. Eu passo ao lado dela, ela me olha como se implorasse ajuda mas o que um cara egoísta, frio e sem desejo de viver como eu posso fazer? A resposta é nada!

Chego na sala e sento na minha mesa que fica no fundo da sala ao lado da janela que da visão a uma arvore que sempre busquei refúgio para meus pensamentos desde pequeno. Aliás talvez aquilo seja a única coisa que mereça a minha atenção pois ela esteve comigo durante quase toda minha vida e nos piores momentos.

O professor chega e se senta, ele parece abatido e triste. A sala toda fica em silencio e algo nele me chama a atenção, talvez porque eu e conhecesse aquele sentimento que ele estava passando.

Ele se levanta e diz:

-Hoje vamos ter uma aula recreativa, vocês podem conversa, mexer no celular e etc... Más apenas me deixem quieto.

Eu estranho aquilo pois ele é o professor odiado por todos por passar muita tarefa no quadro. Eu apenas volto a olhar para aquela arvore não sei direito mas sinto um mal pressentimento como se algo me vigiasse desde que entrei aqui na escola.

(O SINAL TOCA)

Enfim aquela aula acabou, então eu sigo para o meu lugar de sempre que é a arvore.ao chegar lá, me sento encostado na arvore.

Realmente fazer aquilo me acalma e me traz a paz que tanto desejo que seja permanente, mas algo me toca no ombro, e eu me assusto e grito:

- Ah!!!

Ao me levantar eu me viro e vejo uma garota de cabelo negro longo, olho vermelho e pele branca quase como o sol. Aqueles olhos me chamam atenção e eu não consigo parar de encarar ela.

Ela abre um sorriso e diz:

-Olá Louis, a quanto tempo...

Eu respondo:

-Quem é você?

-Eu nunca te vi na minha vida.

Ela reponde:

-Calma...eu não quero te fazer mal, apenas vim ver a minha cobaia.

(Risos)

-Me chamo Serafim,sou um demônio que estive te observando desde quando você nasceu, vi tudo acontecer na sua vida, digamos que fui uma telespectadora.

-hoje eu tenho um proposta para você!

-O que você faria caso pudesse ter um recomeço?

Meu coração começa a bater forte e eu começo a suar, não sei dizer o motivo mas aquelas palavras realmente me causaram algum efeito por alguma razão.

Louis -Um demônio né, realmente você tem uma aparência estranha e sua voz de certo modo me da uma sensação estranha.Mas respondendo a sua pergunta,certamente eu faria tudo diferente para mudar o presente que vivo é claro.

Louis -mas por que me perguntou isso?

Serafim sorri e diz:

-Bem, você pode ter um recomeço mas com uma condição ,cabe a você aceita ou não...

Eu pergunto qual a condição e ela responde:

-É simples, apenas o beijarei, e um contrato entre nos estará selado.

-após isso você voltara a ter 8 anos, porem em uma realidade alternativa.

Ao ouvir a palavra realidade alternativa eu não me controlo e começo a rir e digo:

-Realidade alternativa! Está brincando comigo?

-Isso seria como um anime ou livro?

Ela me responde:

-Teoricamente sim, mas essa realidade existe e eu tenho alguns objetivos que você descobrirá em algum momento no futuro.

-Mas e ai, vai aceita ou não?

Eu respondo sim, pois não teria nada a perde mesmo e até achei que aquilo fosse uma especie de brincadeira. Ela se aproxima de mim lentamente e meu coração começa a acelerar, e a cada passo meu coração acelerava cada vez mais,meus lábios secaram e começo a salivar. Ela chega,se a próxima de mim e me beija, e diz :

-Até logo.

Minha visão começa a escurecer e começo a gritar.

-AH!!!!!

Mas uma luz aparece e me faz sentir um calor e conforto,eu paro de gritar e por um breve momento eu sinto a paz que tanto desejei.

Mas de repente tudo começa a se fragmentar e sumir e a luz desaparece, e tudo fica escuro novamente, uma linha vermelha aparece no meio daquela escuridão e eu a sigo, ao fim dela ha uma tela e começa a mostrar a mostrar meu pai e minha mãe juntos e eu ao lado sorrindo, era como agente costumava agir antes de minha mãe descobrir a traição.

Eu observo aquela cena e me sinto feliz, mas um homem de preto surge atrás deles com uma espada e degola, ao ver aquilo eu começo correr mas tropeço e acabo caindo no chão, e tudo começa a escurecer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...