História New Life New Lucy - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Aquarius, Aries, Brandish μ, Câncer, Capricórnio, Carla (Charle), Elfman Strauss, Erza Scarlet, Frosch, Gajeel Redfox, Gemini, Gildartz, Grandine, Gray Fullbuster, Happy, Ichiya Vandalay Kotobuki, Igneel, Irene Belserion, Jellal Fernandes, Jura Neekis, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Lector, Levy McGarden, Libra, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Metalicana, Millianna, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Ophiuchus, Pantherlily, Personagens Originais, Pisces, Rogue Cheney, Scorpio, Skiadrum, Sting Eucliffe, Taurus, Ultear Milkovich, Virgo, Weisslogia, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Visualizações 154
Palavras 2.445
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 19 - Capitulo 19


Com Natsu.

Natsu estava na sua casa como de costume mas só que estava todo coberto com o cobertor da Lucy, não estava doente nem nada apenas queria aproveitar o cheiro dela o máximo possível e graças a isso conseguia dormir direito.

Com o tempo que ficou entro de casa o tédio foi enorme, mesmo treinando no fundo da casa, começou a arrumar o lugar. Enquanto isso alguém bate na porta com força, o rosado suspira.

— Está aberta, Gajeel. – Ele murmura sabendo que o Dragon Slayer de Ferro iria escutar.

— Olha, Salamandra, eu não estou aqui porque quero... – Ele para falar assim que entra na casa e fica assim por um bom tempo.

Erza, Gray, Juvia, Levy, Wendy e Carla entraram preocupados e ficaram no mesmo estado do que o moreno gigante. A casa toda estava limpa, não tinha louça, tudo estava bem organizado e brilhando.

— Se não vão falar nada então saiam daqui. – Murmura o rosado guardando a última coisa que tinha.

Graças a isso eles despertaram e olham pro o mesmo estranhando ele com uma coberta rosa enrolado no corpo todo.

— O mestre nos pediu para o chamasse para ir pra guilda. – Fala Erza. – Ele tem um anúncio importante para fazer.

— Ok, já podem ir que vou depois. – Ele fala e tira a coberta e a coloca no sofá dobrada.

Não precisou falar duas vezes que eles saíram da casa dele e foram direto para guilda. O rosado colocou a sua nova roupa de costume, que era parecida com a antiga mas só que azul e tinha bolsos, e seu cachecol e quando estava indo pra porta Happy chega.

— Você tá saindo?! – Ele pergunta surpreso.

— Sim, Erza e os outros vieram aqui para me avisar que o velhote vai fazer um anúncio importante. – O rosado conta enquanto saía e trancava a casa.

— Eles contaram o que era? – O gato pousou no ombro de seu parceiro.

— Não. Assim que falei que podiam ir, foram embora.

— Entendo.

O resto do caminho ambos falaram nada, cada um ficou perdido nos pensamentos. Natsu apenas desejava que esse anúncio fosse rápido para que pudesse voltar para casa rápido, enquanto o Happy desejava que algo acontecesse que fizesse o seu parceiro voltasse a ser o que era antes.

Quando chegaram na guilda, Natsu entrou em silêncio e de cabeça baixa e ficou num canto escuro, muitos perceberam a chegada dele mas ou ignoraram ou apenas o observaram surpresos com sua atitude quieta. Makarov também percebeu a chegada do mesmo e ao ver isso seu coração se apertou fortemente, odiava ver um dos filhos assim.

— Bom... todos já chegaram e vou fazer o anúncio: achamos a localização da Lucy!

Assim que ele falou essas palavras todos ficaram animados. Levy ficou bastante ansiosa por reencontrar a sua melhor amiga, apesar dela ter possivelmente a ter encontrado e achou que esse era o momento perfeito de falar isso.

— Mestre! – O senhor a olha e acena pra ela, permitindo que ela fale. – Acho que a Lu-chan não é a mesma que conhecemos.

— Por que você acha isso?

— Nós a encontramos algumas vezes nas nossas missões como conselho mágico. – Responde Gajeel. – Bom... é o que achamos, a magia dela estava muito diferente do que conhecemos.

— Diferente como? – Pergunta Erza.

— Estava muito forte, até diria que até é do mesmo nível do Natsu. – Fala Levy.

Depois de ouvirem isso todos ficaram surpresos, até mesmo o próprio Natsu. O fato dela ser tão forte quanto o rosado é algo praticamente impossível, é o que se passava na cabeça de todos da guilda e como eles estavam enganados.

— A Lucy tão forte quanto o Natsu? – Um dos membros da guilda fala debochado. – Isso é impossível! Ela nunca iria chegar a esse ponto!

— O cheiro da pessoa que vimos é bastante parecido com da Lucy, diria que até é idêntico. – Fala Gajeel. – Mas o único problema é a magia.

Eles continuaram a discutir sobre isso por um bom tempo, nisso Mavis observava tudo sem ninguém perceber e também passava as informações para uma certa loira que ria sobre o que eles falavam.

— Velhote, isso foi tudo que queria dizer? – Natsu interrompe a discussão, estava impaciente queria muito poder voltar para sua casa e ficar deitado ou treinar um pouco.

— Não, ainda não. Tem uma coisa que quero falar com vocês. – Todos focaram a atenção no mestre. – Vou precisar de um time para ir junto comigo.

— Por quê? – Um dos membros pergunta.

— Porque parece que a Lucy entrou numa outra guilda e nela estão chamando as mesmas guildas que participaram dos GJM e que formassem times.

— Vai ser os mesmos times dos Jogos? – Mira pergunta.

— Não, apenas os mais fortes. Palavras deles. – Todos o olham seriamente. – Vou falar os que vão comigo: Laxus, Mira, Erza, Gray, Juvia, Levy, Gajeel, Wendy, Carla, Lissana, Elfman, Ruby, Gildarts vai nos encontrar lá e... Natsu e Happy.

Todos encaram o rosado, apesar de estar bastante surpreso manteve a cabeça baixa.

— Isso é tudo! – Fala o mestre que recebe novamente a atenção da guilda. – Nos encontramos amanhã cedo na estação.

Assim que o mestre disse isso o rosado saiu da guilda rapidamente. Happy continuava no ombro dele e o encarava preocupado com o que estava por vir.

No dia seguinte.

Natsu foi o primeiro a chegar na estação, já comprou as passagens e ficou num canto esperando o pessoal. Não demorou muito para aparecerem, obviamente Erza foi a primeira a chegar junto com o mestre.

Quando todos chegaram, entraram no trem, Natsu ficou num vagão vazio junto com o Happy. Ruby tentou se sentar junto com ele mas toda vez que tentava o rosado colocava a sua mochila, bufando ela saiu do vagão e ficou junto com os outros.

— Natsu... – Happy tenta falar algo mas não sabia o que dizer, cada tempo que passava a preocupação com seu amigo aumentava.

O mesmo falou nada, apenas virou a cara e ficou observando as pessoas entrando no trem.

— Natsu-san... – Uma voz conhecida fala e o mesmo encara surpreso para ela, era Wendy com o rosto bem corado. – Posso usar troia em você?

O mesmo concorda com a cabeça e a azulada chega perto dele.

— O mestre pediu para você fizesse isso? – Ele pergunta depois de um tempo.

— Não. Como também sinto enjoo nos transportes acho que não seria legal da minha parte deixar você passar por isso.

— Entendo, obrigado.

— Não há de que. – Ela sorri para ele, quando terminou de usar a magia se afastou um pouco. – Vou voltar pro pessoal, até mais tarde.

— Até. – Ele acena para ela e a mesma sai do vagão.

O rosado sente um vazio mas isso desaparece quando sente a pata do Happy na sua cabeça, ele sorri para ele em resposta. Internamente agradece por ele ainda estar no lado dele.

Então o trem começou a andar, o nervosismo do rosado começou a tomar conta dele. Como não tinha mais nada para fazer ele pegou o cobertor da Lucy, deitou com o Happy e dormiu.

Já no meio da viajem ele acordou com os gritos no vagão próximo, era Levy e estava gritando com o mestre.

— Como assim deixar ele quieto?! Ele acha que tem o direito de ficar com um dos objetos da Lu-chan mesmo depois tudo o que fez e você tá dizendo pra eu deixar pra lá?! Nem morta vou...

— Levy já chega! – O mestre a interrompe de forma grossa, o que impressionou o rosado e a azulada. – Natsu é um dos meus filhos e não vou tolerar que alguém fale desse jeito sobre ele. Ele viu seu pai sendo destruído por Acnologia e não pode fazer nada, por isso saiu para sua jornada. Já sobre a Ruby aposto que o motivo é totalmente diferente.

— Como o que?

— Você, por algum momento, pensou que a Wendy se sente um pouco sozinha por ser a única Dragon Slayer menina?

A pergunta pegou ambos de surpresa mas por motivos um tanto diferentes: Levy, nunca parou pra pensar nisso e Natsu, não fazia ideia de que o mestre sabia disso.

— Foi o que pensei... – Ele fala depois de uns minutos em silêncio. – Agora, volta pro seu lugar. Daqui a pouco vamos chegar.

Depois não se ouviu mais nada. Natsu se sentou no banco e viu Happy sentado no banco da frente, não podia ver seu rosto porque estava de costas, tremendo.

— Happy? – Quando ouviu a voz do companheiro o tremor aumentou. – O que você tem?

— Você ouviu. – Não era uma pergunta e isso deixou o rosado mais preocupado. – O que a Levy disse...

— Sim, ouvi.

— Não aguento mais... – O gato se virou e o coração de Natsu se quebrou. – Não aguento mais eles falando desse jeito sobre você.

Rapidamente o rosado pega o seu parceiro e o abraça fortemente, algumas lágrimas também caem de seus olhos.

— Por que estão fazendo isso? Não consigo entender!

Eles ficam assim por um tempo até o Happy parar de chorar e dormir nos braços do rosado. O mesmo se enrolou no cobertor de Lucy com o azulado nos seus braços, se ajeitou para ficar mais confortável e ficou assim até chegarem no seu destino.

Quando chegaram, Natsu guardou o cobertor e saiu com o Happy ainda nos braços. Mas o que ele estranhou foi que o pessoal de sua guilda estava com a cabeça baixa, com certeza ou ouviram a conversa da Levy e o mestre ou a azulada contou o que o mais velho disse.

Mas ignorou isso e entrou numa carroça e colocou Happy no seu colo. Para a supresa dele, Wendy e Charlie entraram nessa mesma carroça, a gatinha branca estava na sua forma original.

— Por que vocês...

— É verdade o que o mestre disse? – A pequena o interrompe seriamente.

— Que?

— Sobre a Ruby. Você ficou com ela esse tempo por minha causa? – Ao ouvir a pergunta o rosado soltou um suspiro.

— Sim, é verdade. – Nesse mesmo momento a carroça começa a andar. – Antes de eu sair na minha jornada, tive a impressão que você estava um pouco sozinha, por ser a única Dragon Slayer menina. Dai quando me encontrei com Ruby fiquei animado por conhecer outro Dragon Slayer e também com a ideia de que você não vai mais se sentir sozinha.

Depois disso ambos ficaram em silêncio, em todo momento a pequena ficou de cabeça baixa e o rosado ficou a observando preocupado. De repente ela o abraça fortemente, claro que teve cuidado com o Happy, e começou a chorar, Natsu retribui o abraço.

Depois de tanto chorar ela acaba dormindo também nos braços dele, nisso uma luz surge e a Charlie ficou na sua forma humana.

— Se quiser posso cuidar dela.

— Obrigado.

Ela pega sua parceira com cuidado e coloca a cabeça no seu colo.

— Só pra você saber, que lá na guilda ela sabia que você nunca iria nos substituir mas tinha medo de ir falar com você.

— Como assim?! Nunca iria fazer nada contra ela! Eu a amo como uma irmãzinha!

— Nós sabemos mas você tem estado tão pra baixo que ficamos preocupadas dai fomos pra sua casa e vimos como tratou a Ruby.

— Vocês viram? – Ele ficou bastante surpreso quando ouviu isso.

— Sim, e posso dizer que não fomos as únicas.

Depois eles não trocaram nenhuma palavra e ficaram perdidos nos seus pensamentos. Quando chegaram na guilda o queixo de todos da guilda caíram no chão.

— É enorme! – Todos gritam, até mesmo Natsu que acordou tanto a Wendy e Happy.

— O que aconteceu?! – Ambos perguntam desesperados.

— Já chegamos na guilda, que por sinal é enorme. – Responde Natsu.

Quando os dois olharam para janela a mesma coisa que aconteceu com os outros aconteceu com eles. Mas Happy olha para Wendy e Charlie estranho, se perguntava por que elas estavam ali e a pequena percebeu isso.

— Ouvi o que o mestre disse e vim ver se era verdade... – Ela baixou o olhar e se curvou. – Me desculpa por não ficar no lado de vocês, não sabia o que fazer e...

— Não precisa se desculpar. – Ele fala e faz um carinho na cabeça dela. – Sabíamos que você nunca faria um coisa daquela, não falamos nada com você porque tinha que decidir por si mesma.

Ela falou nada, apenas abraçou o felino azulado fortemente. Quando a carroça parou na entrada muitos demoraram para sair por ainda estarem abismados com o tamanho da guilda, os primeiros a saírem foram o mestre, Laxus, Mira, Natsu, Wendy, Happy e Charlie.

— Como ninguém percebeu uma guilda tão enorme quanto essa? – Pergunta Mira.

— Talvez seja por causa da barreira que tem envolta. – Responde Laxus olhando ao seu redor.

— Bem-vindos! – O mestre da guilda The Army aparece sorridente junto com três generais, Ayato, Genji e Kitti. – Espero que tenham chegado bem.

A única coisa que se passou na cabeça dos magos da Fairy Tail foi: como eles eram muito fortes. O poder mágico deles os deixavam um pouco tontos.

— Chegamos sim. Agradecemos por nos ter convidado. – Ele se curva e o mesmo se curva também.

— Só tem vocês?

— Não, o resto ainda estão dentro das carroças.

— Deixa-me adivinhar, estão surpresos com a sede da guilda.

— Exatamente. – Makarov sorri fazendo com que outros também sorrisse. Ele se vira e grita pro pessoal de sua guilda: – Vamos logo, seus pivetes! Levantem essas suas bundas gordas!

Isso surpreendeu o mestre da guilda de Lucy mas ignorou isso, já que a mesma já tinha comentado sobre isso. Rapidamente o resto da guilda Fairy Tail saiu das carroças, os generais e o mestre ficaram bem surpresos com a quantidade de membros havia.

— Nunca pensei que tinha uma quantidade dessas de magos fortes na sua guilda, Makarov. – Comenta o enorme mestre e o velhinho sorriu. – Bom... por favor me acompanhem.

Eles começam a caminhar no campus da guilda, ficaram impressionados com a quantidade de magos treinando naquele lugar e o poder mágico deles e por fim entram na guilda e ficaram impressionados com a decoração. De repente umas bolas de luz aparece de cada um dos membros e todos pularam surpresos.

— Com certeza vocês devem estar cansados da viajem, essas luzes vão lhe mostrar os seus respectivos quartos. – Fala o mestre.

Assim que entrou, Natsu não parava de ficar olhando pros lados e isso chamou a atenção do enorme mestre.

— Aquele é o Natsu Dragneel? – Ele pergunta apontando para o rosado e o mesmo nem o ouviu.

— É sim.

Wendy cutucou o rosado discretamente e o mesmo olha para frente entendendo nada.

— Tem alguma coisa te incomodando, jovem?

— Sim, é... é que uma amiga nossa até agora não veio falar com a gente. – Quando começou a falar ele volta a olhar em volta.

— Entendo, a Lucy não está aqui. – O rosado o olha surpreso. – Ela está numa missão com sua equipe.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!! :D
Ate a proxima!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...