História New life,old secret - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Glee
Personagens Brittany S. Pierce, Dave Karofsky, Diretor Figgins, Emma Pillsbury, Finn Hudson, Joe Hart, Kurt Hummel, Mike Chang, Noah "Puck" Puckerman, Personagens Originais, Quinn Fabray, Rachel Berry, Ryder Lynn, Sam Evans, Santana Lopez, Sue Sylvester
Visualizações 4
Palavras 1.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


|OBS:No capítulo coloquei duas músicas,na qual eu me inspirei.A primeira Secret Love Song-Little Mix(acho que essa já conheciam btw/inspirou toda a treta desses capítulos) e a segunda De Onde Vem a Calma-Los Hermanos*(inspirou mais esse capítulo na real also o título)|

*ouçam a música porque é linda.

Boa leitura ♡

Capítulo 33 - Não Solta da Minha Mão


 -Eu só... Só queria agradecer... Blaine,Mr Schue,Santana,Rachel... Todos vocês! E você,B! Te amo tanto que eu poderia explodir agora mesmo - todos deram risadas tímidas - Pessoas passam por coisas horríveis todos os dias e ainda sim elas conseguem ser boas umas com as outras.Um exemplo disso,vocês. Todos aqui já foram de alguma maneira pisados por alguém. Mas temos que lembrar,como Blaine disse,que nós somos uma família  e juntos nos tornamos mais fortes. Obrigada.
       -É isso pessoal! Esse é o espírito! Agora,acho que podemos começar... -dizia o professor com a mão em meu ombro quando o interrompi.
         -É... Mr Schue... Eu... Foi de última hora mas... Eu queria cantar uma música... Minha voz não é das melhores mas... - dizia olhando fixamente para minhas mãos.
     -Tudo bem,Alice. Quando estiver pronta - disse Mr Schue sorrindo e indo se sentar em uma das cadeiras livres.
          Todos olhavam pra mim. Um sorriso encorajador estava plantado em cada um daqueles rostos.
      When you hold me in the street(Quando você me abraça na rua)

And you kiss me on the dancefloor(E me beija na pista de dança)

I wish that it could be like that(Eu queria que pudesse ser assim)

 Why can't it be like that?(Por que não pode ser assim?)
          Cause I'm yours(
Porque eu sou sua)

      

 Cantava sem tirar os olhos de uma pessoa. Brittany. Eu cantava pra ela.
    

We keep behind closed doors(Ficamos atrás de portas fechadas)

  Every time I see you I die a little more(Toda vez que te vejo, eu morro um pouco mais)

 Stolen moments that we steal as the   curtain falls(Momentos roubados que nós roubamos quando as cortinas caem)
     It'll never be enough(Nunca serão suficiente)

    

 Ao  mesmo tempo que cantava,  tentava me manter forte. Não queria chorar naquele momento. Mas conforme eu dizia aquilo da música mais eu me identificava com aquelas palavras.
       But we know this(Mas nós sabemos isso)

We got a love that is homeless(Temos um amor que não tem abrigo)

    Deixei um soluço escapar e apartir daquele momento deixei de simplesmente cantar e passei sentir a música.
     

 Why can't you hold me in the street?(Porque você não pode me abraçar na rua?)
      Why can't I kiss you on the dancefloor?(Porque não posso te beijar na pista de dança?)
       I wish that it could be like that(Eu queria que pudesse ser assim)
      Why can't we be like that?(Porque não podemos ser assim?)
       Cause I'm yours(Porque eu sou sua)

      

 Agora vários pares de olhos se emocionavam,enxarcados de lágrimas. E o mais bonito deles,os de Brittany,eram os que mais transpareciam entender aquilo que eu sentia.
     
      I don't wanna hide us away(Eu não quero nos esconder)

Tell the world about the love we makin'(Diga ao mundo sobre o amor que estamos fazendo)

 I'm living for that day, someday(Estou esperando por esse dia, algum dia)

 Why can't we be like that?(Porque não podemos ser assim?)
        Wish we could be like that(Queria que pudéssemos ser assim)

     

Ao terminar a música,fechei meus olhos e os apertei. Respirava falhadamente. Foi nesse momento que senti muitos braços me enlaçando. Abri os olhos novamente e vi que todos tinham levantado e ido de encontro até mim para um abraço.
        -Acho que já tenho nossa atividade para essa semana - dizia Mr Schue chamando a atenção de todos enquanto escrevia algo na lousa - Nessa tarefa,vocês cantarão músicas que nos fortaleçam e que tragam mensagens para reconfortar seus colegas,mostrando que não estão sozinhos e que o medo é dispensável agora. E meninas - disse o professor se dirigindo a mim e Brittany- Não tenham medo de andar de mãos dadas.
      Todos saiam da sala conversando sobre a nova tarefa e quais músicas cantariam. Sobrando apenas Britt e eu na sala. A abracei de novo e dei selei nossos lábios. Um beijo apaixonado.
      Às vezes dá como um frio
     É o mundo que anda hostil
     O mundo todo é hostil
     Eu sou o que vocês são
     Não solta da minha mão

    Nos separei e disse baixinho para ela.
      -Segura e não solta minha mão. - disse juntando nossas mãos e caminhando para a próxima aula.
     
    Não solta da minha mão
    Eu não vou mudar, não
    Eu vou ficar são
    Mesmo se for só
     Não vou ceder
    Deus vai dar aval sim
    O mal vai ter fim
    E no final, assim, calado
    Eu sei que vou ser coroado
    Rei de mim

   

  •°•°•°•°•°

       No final da manhã saimos da escola juntas. Eu,Santana e Britt. Apesar de ter  passado quase a manhã inteira com Brittany,ainda não tinha comentado sobre a minha conversa com Mrs.Pillsbury.
       Enquanto caminhávamos em direção da casa dos Lopez, eu tentava pensar em jeitos de introduzir esse assunto. Não queria magoá-la ,ou sei lá,que ela entendesse errado.

Estava totalmente "fora" da conversa que estava acontecendo entre as duas por causa desses pensamentos. Brittany contava,provavelmente,uma de suas teorias sobre Lord T e Santana apenas ria ou assentia com a cabeça.
      Mas em algum momento Santana percebeu que eu estava alheia a tudo aquilo,que estava quieta em meus pensamentos e como uma vidente soube o que se passava na minha mente.
        -Então,Brittany. Alice e eu passamos na sala de Mrs Pillsbury esta manhã... - dizia enquanto me cutucava e lançava um olhar como se dissesse "Introduzi o assunto,agora é com você,garota!"
         Eu a odiei naquele momento. Eu não tinha planejado oque falar,como falar. Era um assunto muito delicado.
        -Sério,Ali? Está tudo bem? Você nem me disse nada... - disse Britt desviando o olhar para baixo.
       -Desculpa, B. Não faz essa cara.-dei um beixo em sua bochecha - Eu não disse nada porque estava pensando em como te falaria isso.
         -Deve ser sério então...
     -Não vou  mentir, Britt. É sério sim. Vem, vamos entrar e conversar. - disse dando as mãos para ela - Ah,Santana vai me ajudar. Não é,San? - é, eu ainda estava brava com ela,mas ela dando suporte seria ótimo,tanto para mim quanto para Britt.
        Entramos e nos dirigimos até meu quarto. Deixamos nossas bolsas num cantinho.
       -Senta  Britt... - disse tentando manter a calma,indicando a cama com um gesto.
      Brittany se sentou lentamente na cama,sem tirar o olhar, que se alternava entre mim e Santana. Já esta,parecia tranquila. Só parecia mesmo.Porque poderia estar exatamente igual eu.
         Caramba, seria tão dificil tocar nesse assunto de novo com Brittany,depois de tudo oque aconteceu naquela noite,quando a encontrei se afogando em suas próprias lágrimas.
      De alguma forma todo isso me irritava. Tem a probabilidade de ela ter passado quase todo seus anos na escola lutando e nunca conseguir o que queria,para no final nem ser sua culpa e sim do tal transtorno que Mrs.Pillsbury disse. E pior,ninguém nunca percebeu isso? Sério? Optaram simplesmente por chamarem a Britt de burra? Meu Deus.
       Ok, calma. Essa revolta não vai adiantar de nada agora. Tenho que manter a calma e conversar com Brittany. Em seguida falaremos com os Pierce e assim poderemos resolver todo esse "problema".
     -Alice? ALICE! Acorda! - gritava Santana na minha frente enquanto Brittany balançava suas mãos na frente do meu rosto tentando me "acordar".
            -An? O que foi? - disse passando as mãos no meu rosto úmido e quente pelo nervosismo.
       -Graças a Deus,Ali! - Brittany dizia enquanto me abraçava - Você ficou aí,paradona,por uns cinco minutos!
      -É,Brasil! Foi tenso! Parecia uma estátua com a cara assustada assim... - dizia Santana imitando minha cara quando foi atingida por um travesseiro.
         -Pára Santana! Alice está nervosa- Brittany me puxou para um abraço de lado-Você está nervosa,me fala logo o que aconteceu,amor!
        -Ah,sim... Quer dizer,não!... Estou bem,é só que... Que... - me ajeitei na cama,sentando ao lado de Santana,amabas agora na frente de Brittany- Tudo bem. Lá vamos nós...
      
      



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...