História New Lines - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Cole Sprouse, Hailee Steinfeld, Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Amor, Drama, Julia Michaels, Misterios, Paixão, Romance, Segredos, Shawn Mendes, Suspense
Visualizações 135
Palavras 2.338
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


LEIAM!

Olha, essa história tá igual a minha vida!

Uma bosta desorganizada.

Me desculpem a demora, eu simplesmente tô lascada e cheia de trabalho pra fazer. E escrever infelizmente tem que ficar de lado, acho que agora vcs entendem quando eu digo que não rola mais escrever fanfic.

Demorei muito tempo pra postar esse capítulo porque ele foi feito com muito carinho, mas ficou uma porcaria.

O importante é a intenção.

Nosso BB agora tem vinte anos!!! Finalmente caiu a ficha que eu tô velha! Conheci esse neném quando ele tinha dezesseis anos, Ai meu coração.

Espero que gostem e por favor tenham paciência comigo! Bjs.

Capítulo 33 - Sérieusement l'amour? - ST


Fanfic / Fanfiction New Lines - Capítulo 33 - Sérieusement l'amour? - ST

Point Of View Lua Hermione

Ao ver Cole conversando com o Tomas, pude sentir todo meu corpo se arrepiar e a insegurança tomar conta de mim. Se tornou um sacrifício respirar o mesmo ar que eles dois.

Tomas era meu namorado, terminamos porque ficou um relacionamento abusivo da parte dele, as agressões físicas e psicológicas eram frequentes. Demos um fim nisso faz um ano, mas ainda não consigo olhar pra ele sem ouvir suas palavras dizendo que eu era apenas uma vadia que iria satisfazê-lo.

- Lua, o quê foi? - Shawn estava tão confuso, dava pra ver em seus olhos.

- nada demais, vamos embora, por favor - pedi segurando em sua mão e ele assentiu.

O silêncio torturante se formou, mas nossas mãos permaneciam juntas, nunca tinha percebido como sua pele é macia. Sem aquele clima clichê, mesmo sendo, mas... É verdade. Ele tem um cheiro maravilhoso, um físico atraente, a educação de um príncipe, o sorriso encantador; Shawn é o garoto clichê por qual todas se apaixonam.

- você conhecia aqueles dois? - perguntou discardamente.

- Tomas sim, o outro é familiar. - como doeu dizer essa infernidade.

- sem querer ser chato, mas já sendo - revirei os olhos. - quem é Tomas?

- meu antigo namorado. - disse simples e pude ver Shawn ficar mais sério. Tá com ciúmes, bebê?

- nunca me contou sobre ele. - seu tom de voz mudou de um minuto para o outro.

- eu não te conto tudo... - falei dando os ombros. - que seja! Ele é passado - suspirei e soltei sua mão. - já vou pra casa, te vejo depois. - dei um beijo em sua bochecha rosada e saí de perto do mesmo.

Deixei Shawn sozinho, pois sei que ele iria tomar outro rumo naquela noite, talvez na casa de alguma garota ou na da Hailee. Ghrr! Eu odeio a Hailee com todas as minhas forças. Ela me infernizou durante todo o fundamental, dando em cima do Shawn e me rebaixando. Podemos dizer que hoje em dia não é tão diferente como antes.

Quando cheguei em casa haviam alguns papéis assinados, jogados sobre o balcão. Já estava tarde e não tinha ninguém em casa, o que já era bastante estranho.

Peguei as folhas e comecei a lê-las por cima, se tratava do divórcio dela e do Derick. Meu peito deu um solavanco e minha respiração se desregulou, não sei por qual motivo.

É o melhor para todos, ele a traiu, mas não sei explicar como me sinto sobre essa loucura.

Deixei os papéis aonde estavam e subir para meu quarto, fechei as cortinas e retirei minha blusa e saia. Entrei o banheiro e sentir a água quente descer pela minha pele, isso me tranquilizou, e até hoje tem esse efeito em mim.

Depois de alguns minutos saí do local e vesti um pijama confortável, enrolei a toalha nos meus cabelos e me joguei na cama. Ia pegar meu celular, mas lembrei que estava descarregado, bufei pela frustração e olhei para minha esquerda, vendo as curtinas da varanda subir por conta do vento. Fiquei olhando para o tecido branco, pensando se deveria ir até lá ou não.

Em meio a minha indecisão acabei batendo o rosto na capa dura do caderno da tonalidade vermelha, cujo o diário da minha mãe. Essa praga vai me persegui pela vida toda!

Peguei o caderno e me lembrei do que deixei bem claro naquela noite.

“deixe o passado ser passado."

Respirei pesado perante a minha ansiedade e dúvida. Estava farta desse meu acordo, mas eu fiz uma promessa, mesmo sendo estúpida, mas eu fiz.

Mas, será que é realmente bom deixar isso acontecer? Sabe... O nosso passado faz parte de quem somos, clichê? Eu sei. Contudo, é a verdade, somos amanhã o que fazemos hoje.

Abrir o velho caderno, vendo as folhas meio antigas com fotos de polaróide coladas nas mesmas. Em todas as páginas tinha algum texto, foto, recordação. É tão bom olhar pra isso e lembrar de cada segundo, cada palavra, é como viajar no tempo sem sair do lugar que está.

Enquanto os textos seguiam com as letras borradas, uma foto antiga chamou-me atenção. A data informava que o evento ocorreu em oito de agosto de dois e doze, no dia do aniversário de Shawn. Nós dois estávamos sentados no sofá da grande casa dos Mendes, em Ontário, ambos odiavamos aquele lugar, já os nossos pais, não posso dizer o mesmo.

O lugar era sem graça para dois adolescentes viciados em celular, era frio, sem sinal de rede ou algum amigo dos dois. Foi um inferno, pois lembro que tínhamos brigado na noite anterior por alguma besteira infantil, e eu tive que levantar a bandeira branca. Como? Pedi desculpas e comemos o bolo escondido na escada. Ninguém mandou deixar nós dois sozinhos e irem beber vinho.

No outro dia Shawn passou mal e eu tive que cuidar da criança com açúcar no sangue, o que foi estranho é que eu comi bem mais que ele e nada aconteceu. Acho que talvez tenha sido pelo fato dele sempre ter tido uma alimentação equilibrada e saudável, já eu comia qualquer coisa que aparece na minha frente, então...

Naquela manhã eu vi pela primeira vez um Shawn vulnerável no sentido da saúde, é fofo, mas... Vai por mim, dá um puta trabalho. O filho da tia Karen parece uma princesa que nunca ficou doente na vida, antigamente, porque hoje já foi até ao hospital por beber demais.

É, Shawn mudou muito.

Meus olhos começaram a arder e minha vista ficar levemente embaçada, senti meu corpo ficar mais pesado e, por fim, acabei adormecendo. Mesmo que ainda tivesse energia para correr uma maratona.

Uma semana depois...

Uma semana tinha se passado e minhas férias estavam um tédio. Se resume em ver série, ler a rainha vermelha e ver as fotos de todos viajando pelo mundo. Cheguei a conclusão que eu não sou pobre, mas também não sou rica.

Ontem fui ao médico pra saber o motivo da falta de ar, ele disse que meus pulmões ficarão mais frágeis por mais algumas semanas, e se faltasse ar teria que usar um aparelho temporário. Na minha vida vocês devem aprender uma coisa: se beber não dirija.

Já passavam das dez da manhã, minha mãe me acordou cedo pois fez questão de tomarmos café juntas, o que foi bem estranho. Depois perdi o sono e fiquei tentando dormir novamente, mas foi sem sucesso.

Ela falou sobre o divórcio e me contou que estava saindo com Josivan, o que pra mim soava como a primeira maravilha do mundo.

Um bom tempo se passou e então tive coragem de me levantar e tomar um banho, dei uma leve organizada no meu quarto e desci para sala. Enquanto mexia no celular falando algumas besteiras com Johnson, sentir meu braço, que estava na bancada, encostar em algum plástico.

Bloqueei o dispositivo e retirei o objeto que estava sobre a bancada, e o segurei. Eram rosas amarelas, por um segundo fiquei curiosa em saber se àquilo era mesmo pra minha mãe, pois ela odeia amarelo. Não me aguentei e trouxe o buquê para mais perto, sentindo seu cheiro magnífico e vendo que no meio das rosas havia um bilhete.

“Gostou? Espero que sim.

Me encontre no aeroporto às 22:00! Leve suas melhores roupas de frio e calor.

Vou te ensinar a viver intensamente...

Ass: seu vizinho maravilhoso, cujo, Shawn Mendes."

Caí na risada quando li a última frase. Tudo bem, Shawn é charmoso, mas maravilhoso... Okay, ele é lindo, mas isso não vem ao caso.

Lia e relia o que estava naquele pedaço de papel. Peter estava falando sério?

Coloquei as flores aonde estavam e, no mesmo segundo, liguei para Shawn. Ou ele estava louco, ou era uma das suas brincadeiras sem graças.

Depois de alguns segundos a ligação foi recebida e ele não disse nada, como se esperasse eu falar primeiro.

- qual é a trollagem dessa vez? - fui direto ao ponto.

- ah, recebeu minhas flores! Gostou? - ele realmente me parecia interessado.

- sim... Gostei. Mas isso não vem ao caso! O que você quis dizer com “me encontre no aeroporto às 22:00"?

- pra você me encontrar no aeroporto às 22:00?! - senhor me dá paciência porque se me der forças eu mato. Ouvir sua risada escandalosa depois de um tempo. - mals. Estou falando sério.

- vamos viajar pra onde? Senhor dono das idéias incríveis - debochei.

- ah, primeiramente obrigada. Segundo, à Europa. - essa foi minha vez de rir.

- tipo, só eu e você? - minha não crença estava presente em meu tom.

- se você quiser. - ao perceber minha tonalidade, ele começou a falar mais sério.

- Shawn, você sabe que isso é loucura!

- caralho! Você é muito difícil! Puta que me pariu!

- respeita a minha tia, seu esperma escroto! - ah, como somos carinhosos. Eu não estava com ele, mas já conseguia ver sua cara de deboche.

- a pessoa vem toda fofa, entrega flores e você ainda fica assim

- Shawn, muito obrigado pelas flores, pela proposta da viagem. Mas, você sabe que eu odeio depender dos outros, odeio ser um peso. De verdade, amei sua intenção, mas...

- você não vai ser um peso, nunca foi. - o ouvir bufar, provavelmente de decepção, não gosto dele assim. - Lua, eu só não quero ficar sozinho. Se quiser ir aparece lá, se não, nem precisa dizer que não vai. Até mais. - com sua tristeza, a ligação foi encerrada.

Merda!

Porra!

Inferno!

Sua imbecil!

Shawn apenas quis ser legal comigo e eu fui ingrata! Mas eu realmente não quero viajar a custo de ninguém, principalmente dos Mendes. Eu os amo, mas isso seria demais para se fazer!

Em meio ao meu surto de raiva, a porta da sala foi aberta pela minha mãe, que trazia junto a ela algumas sacolas de papel. A ajudei a colocar as embalagens na mesa da cozinha e a mesma sorriu agradecida.

- por que está tão tristinha? - seus olhos estavam fixos ao meu rosto demonstravam sua preocupação e como ela me conhece bem.

- como sabe? - perguntei me sentando na mesa e minha mãe logo me repreendeu com o olhar, então saí. Me joguei no sofá e a mesma se sentou ao meu lado.

- eu carreguei você nove meses no meu útero - ri com seu comentário clichê.

- estou me sentindo ingrata - sussurrei e senti sua seus dedos acariciarem meu couro cabeludo.

- por quê?

- Shawn me deu flores e me chamou pra uma viagem pela Europa - sorri amarelo. - não vou viajar a custa dos outros. - disse a verdade.

Minha mãe me olhava com um sorriso carinhoso, demonstrava tranquilidade, era bom.

- Hermione, ele está gostando de você - seu toque foi ficando mais lento.

- o quê?! Nada a ver!

- Lu, eu vejo no olhar dele, como vocês são próximos demais pra uma amizade, como ele quer te proteger e cuidar de você a cada segundo que se passa. Shawn ficou diferente depois do seu acidente, ele estava com você literalmente todas as noites, ele chorava como uma criança, ele se sentia cansado mas não queria perder a chance de te ver abrir os olhos - sabe quando seu coração se aperta? Quando você quer chorar porque foi um monstro com uma pessoa que faz de tudo por você? - Shawn fica sem jeito perto de você, mesmo querendo não ficar. Vocês dois estão saindo juntos e ele sempre faz questão de te trazer em casa. Vocês se amam como irmãos, eu sei disso. Mas, acredite em mim, a maior besteira da minha vida foi pensar que o homem que eu amava era só meu amigo.

- Josivan? - perguntei e seus olhos verdes se lacrimejaram, ela assentiu.

- você nunca vai ter alguém que te ame tanto quanto o Shawn, e eu, claro! - rimos e levantei minhas mãos para secar suas lágrimas com meu polegar. - mostre que o ama também, pois eu sei que você não o ver só como seu irmão. Nunca viu. - deixou um beijo em minha testa e se levantou. - e eu deixo você ir nessa viagem, vou ao banco mais tarde e te dou dinheiro para levar. Não se preocupe com isso, meu amor. Pra ele só importa ter você por perto - sorri contente, mesmo sem saber se o que ela disse era realmente verdade.

Suspirei e me levantei, dando um forte abraço na mulher em minha frente, saudade de seus carinhos maternos.

- agora me ajuda no almoço.

- ah, não...

[...]

Quando senti o clima fresco do ar-condicionado tocar minha pele, toda minha estrutura se arrepiou. Talvez eu fosse louca por estar alí, ou talvez não.

Até que o aeroporto não é tão grande, e ainda são 20:40, provavelmente ele ainda vai chegar ou está em algum restaurante. Olhei brevemente em volta do local que estava lotado e não vi ninguém familiar, o que fez meu estômago embrulhar. Não gosto de lugares cheios sem estar com alguém, me traz insegurança.

Suspirei e continuei a andar pelo local quando vi uma figura de quase dois metros de altura, com sua calça preta e um moletom com cor pastel. Pelos seus olhos podia ver que ele estava cansado e desmotivado ao lado de sua mala, seu telefone parecia ser a coisa mais legal atrativa no momento. Só posso dizer uma coisa: foi muita sorte ter o visto de primeira.

Quando Shawn acordou de seus devaneios, seu olhar pareceu não acreditar que eu estava lá. Levantar a mão em sinal de “oi", foi o único gesto que ele queria pra correr em minha direção e me abraçar com força.

- você veio - meus pés voltaram ao chão.

- espero que você faça valer a pena - sorri colocando minhas mãos em seus ombros e Shawn deixa um beijo demorado em minha testa.

- eu vou. - quando Peter reergueu meu rosto eu só tive uma certeza ao olhar em seus olhos cor de mel...

Que eu queria olhá-los pra sempre.


Notas Finais


Só digo uma coisa bebere's...

Essa viagem promete muita confusão.

See you later.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...