História New Mikaelson - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Bella Thorne, Bill Skarsgård, Claire Holt, Daniel Gillies, Joseph Morgan, Phoebe Tonkin, Riley Voelkel, The Originals
Personagens Aurora de Martel, Bella Thorne, Bill Skarsgård, Claire Holt, Daniel Gillies, Elijah Mikaelson, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Joshua "Josh" Rosza, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Personagens Originais, Phoebe Tonkin, Rebekah Mikaelson, Riley Voelkel, Tristan de Martel
Tags Amanda Steele, Bella Thorne, Bill Skarsgård, Bruxas, Familia Mikaelson, Herman Tommeraas, Joseph Morgan, Klaus Mikaelson, Mortes, New Mikaelson, Sangue, The Originals, Vampiro, Vampiros, Vingança
Visualizações 44
Palavras 3.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Poesias, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Chapter Sixteen


Como combinado, Marilyn teria que buscar o que Esther pedia, e assim ela fez. Em frente a casa dos Mikaelson, na parte da frente, ela sabia que não podia passar, pois provavelmente saberiam, ainda mais Freya ou por outro Mikaelson. Por mais que chovesse naquele momento, ela não se importou em molhar sua roupa. Marilyn não seria tola de atravessar a casa deles pela frente, então decidiu entrar através de uma janela aberta entre as diversas da casa. Marilyn não hesitou em entrar de imediato na casa para acabar logo com aquilo. Então notou-se que, o quarto eram infantil, com alguns ursos de pelúcia, bonecas e outros brinquedos. Virou encontrando dois pares de íris claros olhando em sua direção. Ergueu suas sobrancelhas vendo que a garota em sua frente, Hope tinha as mãos apontadas para Marilyn.

⸺ O que está fazendo? ⸺ perguntou para Hope.

⸺ Eu apenas vim… ⸺ mordeu seu lábio. ⸺ Buscar algo importante.

Hope encarou ela, e assim que Marilyn deu um passo à frente, a mais nova lançou ela contra a parede. Ao que foi arremessada, caiu no chão com grande impacto, deixando ela tonta por alguns segundos. Apoiou sua mão no chão para que pudesse ter impulso para se levantar, assim que fez, ficou em pé arrumando sua roupa e cabelo.

⸺ Se você se aproximar novamente, irei fazer você atravessar essa parede! ⸺ Hope disse firme. Marilyn sorriu, de maneira irônica.

⸺ Você é uma garota bastante corajosa ⸺ continuou. ⸺ Pena que usou com a pessoa errada. Apenas vim buscar um livro importante, bastante importante. Acho que você sabe onde está.

⸺ Talvez. Não vai pegar nada que está aqui. Você tentou machucar todos nós. Mas por quê?

Marilyn revirou seus olhos e deu um passo à frente, vendo que Hope continua na mesma posição defensiva.

⸺ Calma! ⸺ exclamou. ⸺ Aquilo que você viu não sou eu, Hope. ⸺ ergueu suas mãos. ⸺ É esperta.. Sabe bem o que era, e acredite se quiser, eu nunca machucaria você. Não tem nenhuma culpa sobre o que eu faço, sobre o que Klaus fez ou sua família. Eu me culparia todos os dias se machucasse você, por ser uma criança nesse conflito.

⸺ O que está procurando? ⸺ perguntou, abaixando suas mãos. Por algum motivo, Hope parecia não ter mais medo da mais velha.

Se aproximou de Hope, se ajoelhando no chão, entregou o papel com o rascunho do livro e entregou para a pequena.

⸺ Sabe onde está?

⸺ Livro que o tio Elijah me mostrou. ⸺ Hope olhou o papel e ergueu seus olhos para Marilyn. ⸺ Por que você quer ele?

Mais velha se levantou, colocando as mãos em seus bolsos. Ela escutou barulhos na escada de longe, antes que Hope pudesse perceber, Marilyn está fora de seu quarto, do outro lado da rua encostada em uma parede. Ao que se concentrou, ouviu a voz de Klaus conversar com Hope, questionando ela sobre não ter ido comer os doces em que tinha comprado para ela. Chuva ainda caía forte, mas isso parece afetar seu objetivo. Ao que escuta porta de Hope ser fechada, Marilyn voltou para seu quarto, molhando o chão de novo.

⸺ Hey! ⸺ Hope reclamou. Andou até seu guarda-roupa e pegou uma toalha para Marilyn e a entregou.

⸺ Obrigada. ⸺ disse baixo. ⸺ Por que não tem medo de mim ou disse de mim ao seu pai? ⸺ passou a toalha sobre seu rosto.

Hope se sentou em sua cama, e abaixou seu rosto.

⸺ Eu sei bem do que está falando, sobre… The Hollow, não é? Algum tempo ela também entrou dentro de mim, mas meus pais conseguiram expulsar eles através de um feitiço. Todo esse tempo foi assustador para mim, meu pai pedindo para eu ficar firme, lutar mas... Eu sempre estava cansada, com medo e com fome. ⸺ disse com sua voz desanimada, de forma tristonha. ⸺ Eu consegui depois de tudo. Ela faz o mesmo com você?

⸺ Não. ⸺ Marilyn abaixou a toalha e se sentou ao lado de Hope. ⸺ Aquele grande surto que tive, foi o mais próximo que eu tive de estar perto dessa coisa. ⸺ virou seu rosto. ⸺ Quando eu era uma criança, eu não tinha problema algum com essas coisas pois nunca me aconteceu. Cheguei a fase adulta e tudo se complicou. Com um tempo, eu fui escutando coisas pelas quais não gostaria. ⸺ olhou para Hope.

⸺ Ela fala com você?

⸺ Não sei exatamente se é ela. ⸺ olhou para baixo. ⸺ Apenas sei que é ruim. Única coisa que sei é que cada mais ela se alimenta de mim, e está começando a me controlar. Isso é ruim, não?

Hope assentiu.

⸺ Meu pai pode te ajudar, nós podemos te ajudar! ⸺ disse se levantando e olhou para Marilyn.

⸺ O quê? Não! ⸺ riu fraco. ⸺ Eu posso me ajudar sozinha, aliás, quase isso. Eu preciso do livro. Hope, eu sei que pode me ajudar e mesmo que eu não tenha afinidade com crianças, sei que é mais do que uma pequena garota. ⸺ Marilyn sorriu fraco.

Hope suspirou. Ela se levantou, pedindo para que Marilyn ficasse em silêncio, em seu quarto. E assim ela fez. Ao que a garota saiu, Marilyn ficou sentada em sua cama, quieta esperando a mais nova. Minutos se passaram e a garota nada de chegar, isso preocupou ela de certo modo, pois não era algo fácil de se encontrar ou pegar. Continuou esperar a garota de forma paciente. Andou pelo quarto da pequena, olhando a decoração em seu quarto, lembrando de sua infância. Ela também gostava de brincar de bonecas, mas por algum motivo nem sempre era com as bonecas que brincava. Gostava mais de brincadeiras pelas quais pudesse explorar todo o castelo, inclusive brincar com as adagas em que seu tio entregava ela. Com o tempo ela cresceu, e as brincadeiras viraram treinos.

⸺ Marilyn? Mantenha o foco. ⸺ Tristan mandou sua sobrinha que havia desviado seus olhos para Lenora no campo.

⸺ Me desculpe tio. ⸺ se desculpou. Pegou novamente a espada em sua mão, e acertou o boneco de palha com rapidez e força, o deixando em pedaços. Sorriu satisfeita com o resultado, mas seu tio pareceu não se agradar.

⸺ Tente novamente. ⸺ ele mandou.

Marilyn continuou fazendo o ele mandou, em outros bonecos de palha. De longe ela pode ouvir a voz de Lenora junto com as outras empregadas que colhiam as flores do campo. Ela se virou rapidamente para ver sua amiga, e sorriu para ela, sendo repreendida por seu tio mais uma vez. Resmungou baixo por toda as vezes que ele a questionou.

⸺ Ouvir dizer que Aurora irá visitar reinos vizinhos atrás de um noivo para sua filha. ⸺ uma das empregadas comentou.

⸺ Deixe de besteira. ⸺ Lenora bateu em seu ombro, tendo noção que Marilyn ouvia, e provavelmente Tristan também. ⸺ Não fique contando mentiras por aí.

Virou seu rosto para seu tio que tinha seu foco no outro lado do reino, ele nem havia escutado. Assim que espada caiu da mão de sua sobrinha, ele virou seu rosto para encarar ela. Se agachou, pegando a espada e voltou seu olhar para ela.

⸺ O que está fazendo? ⸺ perguntou. ⸺ Treino não acabou.

⸺ Estou indo atrás de minha mãe. ⸺ disse se virando, andando rápido.

Andou até o quarto de sua mãe, empurrando a porta com uma certa brutalidade, assustando Aurora que estava em sua cama. Se levantou depressa, percebendo a raiva de Marilyn.

⸺ Rily? O que aconteceu? ⸺ ergueu suas sobrancelhas.

⸺ O que aconteceu? ⸺ deu uma risada irônica. ⸺ Você estava atrás de uma porcaria de casamento para mim, sem me consultar! ⸺ gritou.

Aurora balançou sua cabeça.

⸺ Quem te disse?

⸺ Isso realmente importa? O problema é que está decidindo por mim. ⸺ balançou sua cabeça, sentindo seus olhos marejados. ⸺ Está atrás de um noivo para mim? Sério isso mãe? Eu tenho dezessete anos. Eu sei decidir as coisas se é que você se importa.

⸺ Não acredito que veio até a mim dizendo isso. Marilyn eu apenas faço o que é melhor para você, independente se goste ou não. É dever de uma mãe proteger sua filha e é isso que estou fazendo. Ajudando você a ter uma vida, longe disso, longe do que é! ⸺ se aproximou de Marilyn mas ela deu dois passos para trás, se distanciando.

Caminhou até o caderno de sua mãe, o pegando nas mãos e os sacudindo. Aurora andou rápido até ela, tirando de suas mãos, não entendendo a reação de sua filha, mas a questão era que ela não se importava com isso, ela queria o melhor para Marilyn, em sua cabeça, ela estava fazendo o certo.

⸺ Pare de agir como uma criança. ⸺ segurou o braço de Marilyn.

Antes que Marilyn pudesse dizer algo, seu tio entrou no quarto, deixando ele em silêncio. Ambas encarou Tristan em silêncio.

⸺ Estão brigando novamente? Até quando vão continuar com essa tolice? ⸺ questionou elas. Marilyn se virou, andou até seu tio e o encarou.

⸺ Marilyn acha que estamos tomando sua liberdade, mas isso não passa de coisas de sua cabeça. ⸺ falou apontando para sua filha. ⸺ É aquela empregada que anda colocando minhocas em sua cabeça.

Marilyn se virou com raiva, olhou diretamente para sua mãe, brava com ela.

⸺ Lenora não tem nada a ver com isso, Mãe! Está distorcendo tudo para não ser questionada sobre tirar minha liberdade em relação a tudo, aliás vocês sempre fazem isso. ⸺ gritou. ⸺ Eu não tenho mais cinco anos!

⸺ Parem! ⸺ Tristan se pronunciou. ⸺ Sempre vamos escolher o melhor para você Marilyn, somente o melhor!

⸺ Não podem decidir por mim o tempo inteiro. Independente do que foram atrás, eu não irei fazer nada, exatamente nada se não for minha vontade. ⸺ gritou deixando o quarto. Seu tio e sua mãe se olharam e desviaram os olhos para Marilyn que tinha passos rápidos pelo corredor.

Hope passou pela porta de seu quarto e andou até Marilyn, com os livros em sua mão. Sorriu fraco para mais velha e entregou o livro para ela. Marilyn agradeceu baixou, andou até a cama, sentando e folheando ele, tendo certeza que todas as folha estariam bem ali. Ouviu o suspiro de Hope, virou seu rosto para observar a pequena.

⸺ Tem algo errado? ⸺ perguntou com as sobrancelhas erguidas.

⸺ Talvez… ⸺ suspirou novamente. ⸺ Desde que apareceu, meus pais brigam em relação a você. Não entendo por que tem que estar tão longe. Eles te magoaram?

Marilyn se sentou ao lado de Hope, deixando o livro em cima da cama. Os olhos claros da pequena estavam baixos, tristonhos. Mas o que ela poderia fazer em relação a isso?

⸺ Eles estão brigando porque eu só quero minha família de volta. Eu poderia apesar achar meu tio, minha mãe e ir embora mas, não é assim que as coisas funcionam.

⸺ Por que não?

⸺ Um dia você vai entender. ⸺ se levantou e pegou o livro de cima da cama. ⸺ Foi bom conversar com você. Prometo devolver o livro o mais rápido possível. Não conte a ninguém sobre mim Hope.

Sorriu para mais nova, e antes que ela piscasse, estava longe de seu quarto, de sua casa. Chegando na calçada, a chuva ainda caía forte, mas não parecia incomodar Marilyn, apenas quando se trata de molhar o livro. Pessoas passando com guarda chuva em sua volta, atrapalha um pouco sua visão. Caminhou rapidamente para casa onde estava Esther. Ao que abriu a porta, notou a presença de Esther ao longo da escada. Entrou na casa, fechando a porta e em seguida procurou uma toalha para se secar.

⸺ Pegou o livro? ⸺ desceu as escadas perguntando. Marilyn afirmou.

⸺ Aqui está. ⸺ colocou o livro sobre a mesa. ⸺ Espero que não tenha sido em vão.

Esther andou até o livro, segurando entre entre suas mãos. Abriu ele, tocando nas folhas velhas escrita por tinta feita por uvas negras. Um sorriso brotou nos lábios da mais velha enquanto Marilyn observou sua reação.

⸺ Caso pense em tramar contra a mim, será um grande erro. ⸺ Marilyn deixou a toalha em cima de uma mesa. Cruzou os braços à frente de seu corpo.

⸺ Pensa assim sobre mim? Acha que eu faria isso sem antes de te ajudar?

⸺ Claro que acho. ⸺ deu de ombros.

⸺ Deveria ter um pouco mais de fé em mim, Marilyn. Estamos na mesma situação. ⸺ desviou seus olhos para o livro.

⸺ Se você passasse algum tipo de fé não teria o porquê de desconfiar de você. Até porque estávamos falando sobre Esther Mikaelson. ⸺ deu uma pausa e deu um sorriso meio irônico. ⸺ Não estamos na mesma situação, o que deu na sua cabeça para achar isso? Até onde me lembro, não é você que tem um espírito possuindo seu corpo. ⸺ revirou seus olhos.

Ela não respondeu a mais nova. Ficou com seus olhos fixos nos livros, começou a folhear ele atrás de algo. Marilyn apoiou suas mãos na mesa, observando Esther. Mal sabia ela que sua neta tinha uma carta na manga para qualquer ação dela. Escapar ou feitiço não daria certo caso tentasse fugir, ela iria ser mandada de volta aos mortos em questão de segundos. Antes que tentasse algo, seria tarde. Esther se sentou no sofá, olhando para os papéis enquanto o celular de Marilyn toca. Tirou seu celular do bolso com rapidez, olhando para tela de seu celular. Era Glenn Foster.

Não hesitou em atender, olhou para Esther e se afastou um pouco.

⸺ Glenn? Cara, você está sumido!

⸺ Ah, olá Marilyn. Senti sua falta também.

⸺ Por onde esteve que não nos atendeu? Por que não ligou mais? ⸺ Marilyn perguntou de forma rápida.

⸺ É uma longa história, isso na verdade não importa. Desculpe por não ligar mais.

⸺ Não, não desculpo. ⸺ Marilyn balançou sua cabeça, mesmo que soubesse que ele não estivesse vendo. ⸺ Lenora está preocupada com você, aliás nós duas. Pensei que tivesse esquecido da gente.

⸺ O que? Nunca iria fazer isso. Bem, eu sempre entrei em contato com Lenora através do meu feitiço. Eu não falava com você porque ela me dizia que você estava bastante ocupada, eu não queria incomodar.

Marilyn franziu seu cenho, surpresa por saber que Lenora sabia que Glenn estava bem, e não avisou para ela sobre isso, e ainda ter dito que estava ocupada esse tempo todo. ⸺ ela nunca estaria ocupada para seus amigos, ou pelo menos acha isso.

⸺ Me desculpe por isso. Está tudo uma loucura. Vamos parar de falar sobre isso, como está as coisas por aí?

⸺ Estão indo bem. Aliás, preciso ir, até mais Marilyn.

Desligou em seguida, não dando mais nenhuma explicação. Marilyn tirou o celular de perto de seu ouvido, achando estranho atitude de Glenn. Andou novamente até a sala, encontrando Esther com algumas folhas soltas do livro.

⸺ Seu amigo está com problemas. ⸺ Esther disse enquanto tinha seu olhar fixo.

⸺ Do que está dizendo? Glenn? Ele está bem. ⸺ franziu novamente seu cenho.

⸺ Acho que deveria averiguar. ⸺ levantou seu rosto com um sorriso.

Observou a mais velha por poucos segundos, e logo está em sua frente, tirando o livro de sua mão junto com as folhas.

⸺ O que está fazendo? ⸺ perguntou irritada.

⸺ Indo averiguar. ⸺ andou até a porta.

⸺ Vai me deixar aqui novamente? ⸺ cruzou seus braços. ⸺ Acho que ainda não entendeu o tamanho da gravidade que está acontecendo com você. Não temos muito tempo.

Se virou para Esther.

⸺ Eu sei disso. ⸺ afirmou. ⸺ Meus amigos vem primeiro que eu. Se ele está com um problema, terei que ajudar. A dispensa está cheia de comida, aposto que sabe cozinhar também.

Virou as costas para Esther, deixando ela reclamar dentro da casa. Com os livros ainda em mão. Ao que caminha pela floresta, sentiu uma presença próximo a ela. Toda vez que se virava não encontra nada além da escuridão e barulho dos corvos. Voltou a caminhar, a chuva já tinha ido embora, facilitando o caminho de Marilyn até sua casa. Chegando na porta, olhou para o livro em suas mãos, vendo que uma das janelas estava aberta. Não hesitou em entrar pela janela, tentando ser o máximo possível de silenciosa. Ao estar no segundo andar, pisou devagar, não ouvindo nenhum sequer barulho na casa. Andou até as escadas para ir ao terceiro andar, onde fica seu quarto. Subiu ela, e caminhou até seu quarto, fechando a porta em seguida. Olhou para o livro e o guardou no guarda-roupa, escutando a porta ser aberta.

⸺ Veja só quem chegou, e pela janela! ⸺ Lenora cruzou os braços, encarando sua amiga.

⸺ Você me viu? ⸺ ergueu as sobrancelhas. ⸺ Por que não estava na cidade como de costume?

⸺ Eu estava esperando por você. Provavelmente me escondendo mais coisas. ⸺ disse revirando seus olhos.

Marilyn pegou uma outra roupa de seu guarda-roupa, colocando sobre a cama e tirou sua blusa molhada. Virou seu pescoço para o lado, procurando com os olhos sua pulseira.

⸺ Não tanto quanto você, Lenora.

⸺ Do que está dizendo? ⸺ perguntou indo em sua direção. ⸺ Onde estava?

⸺ Preciso tomar banho e resolver uma coisa. Me espere aqui. ⸺ andou até o banheiro, mas Lenora entrou na frente da porta, impedindo sua passagem.

Lenora cruzou seus braços novamente. Tendo uma expressão fechada para sua amiga. Marilyn parou, olhando para mais nova.

⸺ Me diga logo o que está acontecendo!

⸺ Tem algo errado com Glenn. Ele está diferente desde a última ligação pela qual estávamos juntas. Provavelmente você notou algo já que estava tendo contato com ele e nem ao menos me disse. ⸺ tentou tirar sua amiga da frente, mas ela continuou no mesmo lugar.

⸺ Olha, me desculpa não te contar. ⸺ relaxou seus ombros. ⸺ O que aconteceu com ele? Não reparei nada, ele me parece tão normal.

⸺ Eu não sei o que está acontecendo com ele. ⸺ encolheu os ombros. ⸺ Perguntei como as coisas estavam e ele logo desligou depois de dizer que está bem mas, independente de qualquer coisa. Só quero me assegurar que ele está bem. É por isso que vamos até Bélgica, casa das bruxas.

Lenora arregalou seus olhos. Mal acredita no que está ouvindo. Teria que voltar para Bélgica atrás de Glenn para assegurar de sua segurança. Não pensaria que Marilyn faria aquilo. Sem sombras de dúvidas que iria junto com ela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...