História New rules teacher - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Alice, Anna, Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Daniel, David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Henry Mills, Ingrid / Rainha da Neve / Sarah Fisher, Lilith "Lily" Page, Marian, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Milah, Neal Cassidy (Baelfire), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Vovó (Granny), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Comedia, Emma Swan, Hot, Professora, Romance, Swanqueen
Visualizações 187
Palavras 2.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amores da minha vida ❤

Vim postar esse capitulo agradecendo muito a todos que apoiaram o inicio dela.

Os capítulos aos poucos ta crescendo kjjkkk ❤

Estou super animada porque dia 10/08 faço 1.8 ( nao vai mudar nada, mas to feliz)

Espero que gostem do capitulo ❤

Capítulo 2 - Motivos e convite


Fanfic / Fanfiction New rules teacher - Capítulo 2 - Motivos e convite

 

Dia anterior

Pov Emma
  Acordo animada as 10:30 da manhã de domingo. A viajem que me submeti para chegar aqui foi longa e exaustiva, mas com toda certeza valeria a pena, afinal não é todo dia que você recebe uma proposta de emprego no lugar onde você passou a sua infância e adolescência todinha.

  Obviamente eu não tomei essa decisão só por motivos  emocionais relacionados com o meu passado, mas aceitei por estar passando por diversas mudança na minha vida, como por exemplo agora estou divorciada, com um filho de sete anos  para cuidar, não podia viver loucamente como se não houvesse amanhã, pelo contrário devia ter tudo sob o mais perfeito controle para o bem estar do meu filho.
 
Solto um grande suspiro ao me ver perdida mais uma vez nesses pensamentos enquanto encarava o teto. Esfrego as mãos no rosto e descido que precisaria me levantar, a minha bagunça de mudança não iria se arrumar sozinha.

  Após fazer minha higiene pessoal vou direto para a cozinha preparar algo para comer, abro o armário e não encontro praticamente nada, com toda certeza teria que fazer compras hoje, mas por agora a solução seria ir comer alguna coisa fora, acho que Henry vai ficar feliz em poder pedir qualquer coisa, era a minha formiguinha.

Ja tinha até uma ideia de onde iria, quando era pequena sempre ia para a lanchonete da avó da minha melhor amiga, espero que essa lanchonete ainda esteja funcionando, quero finalmente começar a relembrar as coisas boas que vivi aqui independente dos conflitos que eu enfrente hoje em dia. Sorrio com esse pensamento e vou saindo da cozinha caminhando dm direção ao quartinho do meu pequeno, obviamente ainda estava uma bagunça, mas ele parecia confortável na sua caminha abraçar ao seu inseparável companheiro de sonhos, o ursinho marrom com nome de brigadeiro.

   Com meu coração transbordando de ternura com aquela fofura toda, sorrindo me abaixo e passo as mãos por seus cabelinhos castanhos lisinhos.

-meu amor... Levanta já está tarde rapazinho!- digo carinhosa agora tocando seu narizinho arrancando risinhos.

- ah para mamãe, você vai acordar o brigadeiro.- ele coloca as mãozinhas nas orelhinhas do urso, era muita fofura para mim.

- ele precisa acordar também, ou vamos perder um lanche gostoso..- a chantagem com comida sempre funcionava com ele e comigo também.

- lanche?- seus olhinhos se abrem e eu rio puxando a coberta dele.

-sim meu rapaz, estamos sem coisas pra cozinhar então temos que comer algo fora e fazer compras.

-Oba!- ele pula da cama rapidamente.- mamãe é para tomar banho?

-é sim e escovar os dentes também!- digo e o ajudo a tirar a camisa de pijama.-mamãe vai tentar dar uma arrumadinha rápida nas caixas aqui, quando você terminar chama a mamãe.- ele concorda e corre para o banheirinho que tinha no quarto dele, era uma casa confortável, nao era muito grande, mas também não era muito pequena, era bem aconchegante.
 
Enquanto Henry está no banho consigo ajeitar algumas coisas da sala, quando coloco as ultimas almofadas no lugar Henry surge do quarto usando suas roupinhas favoritas.

-nossa está virando um homenzinho mesmo, já consegue até se vestir sozinho, é so uma pena que a camisa esteja do lado avesso.- digo rindo e me aproximo dele e ele rindo ergue os bracinhos para que eu tirasse sua camiseta, assim eu faço e visto ele corretamente.-já podemos ir?

-sim mamãe!-rio e pego sua mãozinha e as minhas chaves.

                                  ...
 
   Estaciono no endereço que me lembraria até de olhos fechados, mesmo depois da cidade ter crescido um pouquinho. Olho o estabelecimento, estava um pouquinho diferente na fachada, mas o nome da vovó continuava ali para o meu alívio.

-vamos logo mamãe minha barriga ta roncando já!- ele reclama me tirando de meus devaneios do passado.

-não mandei você acordar tarde mocinho...- brinco fazendo cocegas nele.

-ah para ! Eu estava cansadinho, a gente ficou um tempão na estrada.- faz biquinho e eu beijo sua testinha.

- vamos lá então, mamãe esta com uma saudade dos lanches daqui.- digo saindo do carro acompanhada dele.

-você vinha aqui mamãe?- ele parece interessado por alguns minutos.

- sim quando eu era pequenininha e na minha adolescente também.- comento segurando sua mão enquanto caminhávamos para a porta de entrada da lanchonete.

-então já faz muito tempo não é mesmo?- ele fala sem maldade nenhuma me fazendo rir e cutucar.

-não sou tão velha assim...

- ainda não sei contar direito mamãe.- agora tenta tirar o corpinho fora.

-agora você tem desculpas para tudo é?-ele concorda e eu o guio para uma mesinha perto da janela. Olho em volta em encontrar alguém familiar, mas ja se passaram tantos anos que eu não sei dizer que se conseguiria reconhecer alguém. Resolvo desistir por alguns instantes e olho para Henry.-já tem ideia do que você vai querer?- ele faz carinha de pensativo e sorri olhando sobre meus ombros.

- com licença o que vão querer?-aquela voz! Me viro me deparando con um baita mulherão, essa era minha amiga? Ela continua olhando o bloquinho enquanto eu a encarava incrédula incapaz de falar qualquer coisa, parecendo confusa ela desvia o olhar do papel e olha para mim e em segui para o pequeno, como se tentasse assimilar aquilo.-Eu... Eu te...- parecia que ela estava com medo de errar.

-conhece sim Ruby!-consigo enfim falar abrindo um largo sorriso para a morena de mechas vermelhas, bem a cara dela. Falando em cara, sua expressão passou por um milhão de momentos engraçado, até que sua empolgação se faz presente e ela me puxa pela mão me fazendo levantar e em seguida me sufoca em um abraço extremamente apertado.

-eu não acredito Emma! Amiga!- parecia quase impossível o abraço se tornar mais apertado, mas ela conseguia superar esse limite.

-nossa parece que alguém andou treinando muito abraço de urso.- brinco me desvencilhando delicadamente de seus braços, pelo menos eu achava que estava sendo delicada, porque delicadeza e eu nunca nos vemos!

-claro que treinei muito baby.- ela diz me olhando como se eu fosse uma miragem.- nossa eu ainda não estou acreditando que é você mesmo amiga!

- pois pode acreditar!- digo e olho para Henry que nem piscava olhando as mechas vermelhas da minha melhor amiga de infância.-bom Ruby esse é o Henry, meu filho.- digo sorrindo Ruby se aproxima dele dando um beijinho estalado fazendo o garotinho corar, rio.

-prazer Henry você pode me chamar de tia Ruby !- ele concorda com a cabeça sorrindo.- nossa Emma ele tem os seus olhos e o seu sorriso.- ela parecia encantada e eu sorrio em resposta.

-precisamos colocar o papo em dia viu dona Emma, mas antes façam seus pedidos!- Henry pareceu ainda mais eufórico.

  Depois de combinar uma noitada com Ruby, pago a conta do nosso lanche e vou até o mercadinho da cidade onde faço compras, obviamente eramos quase duas crianças ja que eu adorava comer besteiras também.

Voltamos para casa ja de tardezinha ja que ficamos um tempinho na praça de alimentação do mercadinho, tomamos um banho, contra minha vontade me arrumo para sair com Ruby, Henry não questiona nada, estava animado por passar um tempo com vovó.

Deixo Henry na pensão da vovó dando todas as orientações possíveis para ele se comportar, afinal a vovó não tinha mais tanta energia quanto ele e saio com Ruby um pouquinho receosa, fazia tanto tempo que eu não saia para me divertir de fato. Acho que a ultima vez que fiz isso foi antes de me casar, depois disso minhas brigas com Graham era sempre ele querendo que eu fosse a dona de casa indefesa, mas obviamente que eu não aceitaria isso, havia saído dessa cidadezinha antes de o conhecer para estudar em uma boa universidade e ser uma professora de universidade também. Quando nos separamos ele quase estragou tudo, quase fez eu perder meu emprego e a guarda de Henry, mas por ironia do destino recebi uma proposta de emprego no lugar pra onde eu deveria ter voltado a 18 anos atrás.

- Emma?- ouço a voz da minha amiga parecendo preocupada e  eu a encaro um pouco desnorteada.

- miga você nem bebeu e já está dessa maneira, imagina quando beber!-dou risada e invento uma desculpa.

-eu estou pensa que  ir a uma festa em plena noite de domingo com aulas pra dar no turno da manhã amanhã não vai ser uma boa idéia.

- ah Emma devemos comemorar como nos tempos antigos o seu retorno! Sabe passei por tanta coisa, queria que você estivesse aqui para segurar a minha mão sabe.- meu coração se aperta, sempre estivemos uma ao lado da outra e de repente eu quebro esse laço e só venho restabelecer anos depois, Ruby era mais nova que eu quatro anos, sempre fui protetora com ela e toda dor que a atingia eu tomava para mim.

- eu sinto muito, eu não queria te deixar desamparada.- resolvo mudar de assunto antes de começar a chorar.-você se formou em algo?

- eu havia saído da cidade pra fazer administração, mas quando terminei voltei correndo, não podia deixar minha avó aqui sozinha, então eu uso o que aprendi nos negócios dela.- ela da de ombros e eu sorrio orgulhosa.

-os negócios parecem estarem melhor do que nunca !- digo e ela sorri orgulhosa também.- mas eu agora quero saber onde você esta me levando.

-nada demais baby, apenas para beber mesmo.

- não me admira você ainda não ter se casado! - brinco.

-ninguém me segura baby.

- sua vó me contou que você uma ve foi presa por dar uma surra no seu ex namorado.- acuso rindo.

- ah eu não mandei ele me trair com metade das solteiras da cidade.- ela se faz de vitima e eu rio.

- você não vale nada!- dou um tapinha nela.

- você vai valer muito menos que eu, aposto que vai beber um barril todinho sozinha.

- claro que não, tenho uma criança pra levar pra casa depois.

-sem prensar nas responsabilidades Emma, devolve minha amiga doidinha ai !


-Vou tentar!- prometo tentando focar os meus pensamentos apenas na diversão.
                       
                                ><

Chegamos alteradas na pensão da vovó, ja devia ser uma três da manhã, obviamente que tivemos que vir de carona, pego um taxi para casa com Henry dormindo, em casa coloco Henry na cama dele cubro e dou beijinhos de boa noite. Vou pra cozinha tomando um café forte pra tentar diminuir o mal estar que estava sentindo. Com o efeito do café fico um pouco sem sono e começo a organizar melhor a casa, guardas as compras e arrumar o quartinho de Henry, com tudo ja no lugar o sono bateu e eu me jogo na cama após um banho e apago.
              
                              ><

Acordo assustada com um serzinho em cima de mim me sacudindo.

-mamãe acorda! Hoje é meu primeiro dia de aula na escola nova!- ele grita animadamente não me deixando fechar os olhos novamente.

- que horas são Henry?  Aposto que ainda é bem cedo e você se confundiu por estar muito animado.- era minha grande vontade, estava cansada demais para começar uma rotina nova.

- não mamãe já está sol !- ele agora parece um pouco aflito com meu questionamento. Suspiro e me sento olhando em direção a janela coberta com uma cortina, droga ja devia estar atrasada mesmo! Coloco o garotinho sentadinho na cama.

- vai tomar banho rápido Henry!- digo saindo da cama quase caindo com a pressa, se não fosse desesperador seria cômico.

- eu ja tomei mamãe!- ele diz orgulhoso de si mesmo e eu não consigo evitar um sorriso bobo.

- ownt meu amor, mas se você acordou antes por que não chamou a mamãe ?

- mas eu chamei mamãe, mas você só continuava dormindo.- suspiro.

- tudo bem meu amor desculpe, mamãe vai tomar banho e depois te dou café e faço sua lancheira ta?- ele concorda e sai correndo. Vou correndo para o banheiro, acho que nunca tomei um banho tão rápido assim. Saio do banheiro, visto uma calça jeans, uma regata e coloco minha jaqueta favorita por cima, penteio os cabelos, coloco uma botinha e saio do quarto acelerando os passos, passo pela sala onde Henry assistia desenho, vou para a cozinha, despejo um pouco  de leite e cereais em duas tigelas.

- Henry vem tomar café!- meu monstrinho aparece correndo.

- oba cereal!- ele animado pegando a tijela, nunca fiquei tão feliz em saber que ele gostava de cereais, como rapidamente ja que havia colocado só um pouquinho, pego a lancheira dele e coloco frutas, suco e um docinho, prometi pra mim mesmo que amanhã iria elaborar alguna coisa melhor.

Alguns minutos depois  Henry termina seu café da manhã, escova os dentes assim como eu e pega sua mochilinha e saímos, eu estava em pânico com o atraso, esse tipo de coisa só acontecia comigo!

Deixo o garotinho na nova escolinha e sigo para o meu emprego, estaciono em qualquer vaga, pego meus cadernos e livros e praticamente saiu correndo.

Estava tão distraída e desesperada que não consigo parar antes de me chocar contra alguém, que para minha surpresa dra nada mais, nada menos do que Regina Mills a garota que me deu um banho de macarronada no ensino médio só porque eu disse que estava ficando com o garoto que ela gostava. Obvio que era mentira, mas ela não precisava saber, afinal aquele dia foi épico, a exemplar metida Mills havia levar suspensão.

Após ser escorraçada pelo ser humano ali que provavelmente nem lembrava de mim, saio dali e fui barrada pelo diretor que me parecia familiar, mas não conseguia me lembrar dele muito bem. Sou chamada a atenção e mandada para uma uma turma.

                                    ...


Entro na sala dos professores exausta praticamente caindo de sono, me jogo na cadeira ali.

-dia difícil?- me assusto e olho em direção a voz vendo uma morena mexendo no pc.

-sim, confusão demais para meu primeiro dia de trabalho!-digo esfregando o rosto com frustração.

- então você é a novata que deixo o diretor de cabelo em pé antes mesmo de chegar?- ela pergunta rindo e eu suspiro, parece que todo mundo já me conhecia de uma forma negativa.-aliás eu sou Marian, professora de artes.-sorrio amigável.

- muito prazer sou Emma, professora de biologia!-ela aperta a minh mão e sorri.

- qual sua próxima classe ?

-a que a Regina estava entrando antes de eu a atropelar.- lembrando daquele momento rio.

- então você conheceu a rainha do mal humor? - ela parece descontente com isso.

-na verdade eu a conheci ainda quando eramos adolescentes, estudamos juntas.- dou de ombros.- ela era a garota que todo mundo queria fazer dupla.

-agora ninguém mais suporta ela.-rio e ela parece querer mudar de assunto.- sabe os outros professores e eu estávamos pensando em fazer uma festinha de boas vindas para você so entre os professores.

- bom ontem fui a uma festa e deu confusão hoje.- dou risada.- mas que horas e onde vai ser ?- ja que queriam me dar boas vindas quem seria eu para negar?

Ela começa a rir e eu ergo as sobrancelhas, alguma coisa me diz que esses adultos vão se comportar como adolescentes dessa  escola.

-na casa da Regina!-franzi a testa, como assim na casa da Regina ? Na hora que cheguei ela parecia querer me matar e não dar boas vindas não.

-eu não sabia que ela havia cedido a casa dela para uma comemoração relacionada a mim...

- nem ela!-  ela diz com um sorrisinho travesso e eu entendo a ideia, eles estavam ficando loucos não é mesmo? Eu lembro que quando eramos adolescentes ninguém brincava com a Regina porque ela levava a palavra vingança muito ao pé da letra.

- acho que eu topo!- ah mas eu não perderia um barraco da riquinha nunca !


 


Notas Finais


E então? Estão gostando do capítulo? Da fanfic? Vai dar ruim a festa ?
Para quem gosta de ler no outro site, ela também está la babys!
Bjocas ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...