1. Spirit Fanfics >
  2. New World >
  3. Emboscada Parte 01

História New World - Capítulo 86


Escrita por:


Notas do Autor


A quanto tempo pessoal, talvez alguns de vocês estavam sentido falta do Bell e seus amigos.

Capítulo 86 - Emboscada Parte 01


Numa bela tarde de junho, um ônibus escolar, se dirigia para uma excursão, numa fábrica de doces, que foi oferecida, pelo próprio dono fabrica! As 15 criança eram jovens da 6° série, mas parecia que nenhuma delas estavam, prestando atenção no que a professora falava, ja que todos estavam focando suas atenção nos seus celulares.

 - Estão prestando atenção no que estou falando? - Disse a professora nervosa, que estava de pé no ônibus.

- Claro! Só repete tudo o que você falou, desde o início - Disse o garoto de cabelos castanhos.

- Você é o pior de todos Yukihara - A professora tomou o celular do garoto.

- Ei me devolve, é a única coisa que me livra do tédio por aqui.

- Quando a execução acabar eu te devolvo, porém se mais alguém não prestar atenção em mim, vai perder o celular, mais uma coisa, quero um relatório completo, de tudo que viram na fábrica.

Aaaaaaaaaaaaa (As crianças gemerão com a notícia)

- Muito bem chegamos, saiam do ônibus, em fila única, Yukihara você vai no final da fila, quero ficar de olho em você.

- Sim! Sim! Sim! - As outras crianças zombaram de seu colega, em risadas ao descer do ônibus.

De repente numa porta sai um homem de sobretudo, e óculos escuros.

- Sejam todos bem-vindos, eu sou o dono dessa fábrica, obrigado por terem vindo.

- Eu que agradeço senhor, tenho certeza, que será, uma grande experiência, para as crianças.

- Assim.....porém será a última delas....

- O que o senhor falou?

- Nada professora, vamos entrar?

- Sim claro...

- Ainda acho que essa excursões escolares são um tédio - O jovem garoto parecia desanimado.

Ao entrar no local as pessoas notaram, que tinha uma grande sala suja, e com janelas quebradas, porém sem nenhum funcionário, ou qualquer tipo de coisa, que indica ser um fábrica, mas a professora só nota isso quando, terminar de conferir os seus alunos.

- Com linceça, mas aqui é realmente uma fábrica? Tudo parece velho e abandonado.

- E está certa! Digamos que aqui é um restaurante, e parece que vamos servir a comida.

- Comida? - A professora já assustada, começa a andar de vagar para trás.

- Sim comida - Ele tira seu sobretudo tudo, revelando a assim seu terno branco - TODOS VOCÊS! - Num ato de horror, ele abre sua boca revelando seus dentes grandes e pontudos.

- CORRAM CRIANÇAS - Desesperada as criança correm em direção a porta, mas nesse momento outro homem de terno branco fecha a porta, fazendo com eles recuem para trás, espremida no meio, ja que o outro homem, se aproximava também.

- Eu não sabia que execuções podiam ser assustadoras - A criança queria tomar de volta seu celular para chamar seus pais.

Do nada a porta da frente de abriu, e mais 8 homens usando roupas esfarrapadas como se fossem mendigos.

- Eu disse que essa ideia ia dar certo - Homem de terno que se aproximava disse isso.

- Fiquem calmas crianças...v-v-vamos ficar bem eu p-prometo.

- Você deveria prometer isso - Ele ergue ela pelo pesço - Vocês todos vão morrer.

- Eu disse que queria a professora, as crianças não soa tão deliciosa - O outro homem de terno, reclamava enquanto encarava seu colega.

- Pegue uma criança, e depois pode ficar com o motorista do ônibus.

- Está bem! 

A professora podia estar sendo sufocada, mas somente uma aluno teve coragem naquele momento! Esse foi o jovem Yukihara, que pegou uma pedra do chão, e atirou, na direção do homem que sufocava sua professora.

- Aiiii nada mal piralho! Mas esse óculos que você quebrou era importados! EI PESSOAL PODEM MANDAR VER, O LANCHE ESTA SERVIDO. Comecem com o garoto, todos vocês estrassalhem a o corpo dele, e depois o resto das crianças.

- Co.....rram.....- Ela ainda tentou dizer isso.

- E-Eu não tenho medo de vocês - Novamente ele pega outra pedra do chão.

Quando parecia que era o fim, um buraco atravessa, o braço do homem que segurava a professora, essa feria, ferida queimou o braço dele, o impacto, foi como se fosse de um tiro.

Welf - A hora do almoço acabou seus malditos.

Bell - Deixem as crianças Ghouls! Não tem para onde fugir - Os dois estavam em cima de duas janelas no alto.

- Quem são eles? - Um dos Ghouls se questionava.

- Meu braço....queimaram meu braço! Espere aí, essas armas, os cabelos, ja sei vocês são o "DayWalker" e o "Seifador Ruivos". Atenção pessoal são caçadores de monstros.

Welf - Esses apelidos, são meio pretensiosos, quem será que nos deu?

Bell - Eu não sei. Vamos nos dividir, eu cuido das crianças, pode ficar na ofensiva, eu sei que é isso que você quer.

Welf - Acertou em cheio.

- Peguem quantos podermos é vamos fugir.

Bell aparece na frente de um deles e chuta para trás.

Bell - É o fim.....

- Ora seu......- Ele tenta se levantar mas Bell atravessa sua faca no meio do cérebro.

Welf - É assim que se faz Bell - Welf ergue sua foice no alto, e corta em duas partes iguais um dos monstros - Mas são fraquinhos fala sério.....

Bell - Welf não faça isso na frente das crianças! Aproposito fechem os olhos - Elas obedecem, incluindo a professora - Fire Bolt - Ao erguer seu polegar, e seu dedo indicador, Bell criou duas bolas de fogo, que usou para, atirar na cabeça de dois deles, que se aproximavam.

Nota: Bell pode criar grandes explosões, de fogo se usar toda sua mão, porém essa quantidade de poder, diminui dependendo, da quantidade, de dedos que use, se for apenas um, o impacto é quase como se fosse uma .50!

Welf - Eu achei que hoje seria legal, mas tá um tedio - Welf abre sua mão, fazendo mais dois Ghouls levitarem, depois ele passa ao lado, e corta suas cabeças - Que estranho eu pensei que tivessemos eliminados todos os homens de branco.

- Então foram vocês! - Falou o Homem furioso que segurava, seu braço machucado - Eu garanto que um dia vocês, me pagar.

Welf - Vai morrer seu cretino!

- Hoje não! - Ele pega a areia que estava no chão, com sua mão cheia, joga nos olhos de Welf.

- Welf - Droga - Ele tenta limpar seus olhos.

- RÁPIDO PELA JANELA! - Os dois pulam pela janela, e mergulham no mar.

Bell - Tsc fugiram - Tudo que Bell pode ver, foram eles mergulhando e sumindo no mar - Eu você está está bem?

Welf - Tô né, mas eles figuram.

Bell - Pegamos eles, na próxima.

- Ei Onii-san aquilo foi de mais, foi a melhor excursão que ja fiz, o que vocês são? - O jovem Yukihira, admirado se aproxima.

Welf - Nós somos caçadores de monstros.

- Sério? Eu também posso ser um caçador de monstro?

Welf - É melhor não, sua vida pode correr risco.

- Eu sei mais o que vocês fazem é incrível.

Welf - Sim, mas todos vocês, vão ter que esquecer isso. Bell lavagem cerebral em todos.

Bell - Prefiro não usar esse termo? Por favor se aproximem.

- Que injusto.

Welf - Está bem você pode achar que isso tudo foi um sonho, e vou pedir pro meu amigo, fazer sua professora ser mais legal que você.

- Obrigado.

Longe dali numa sala de laboratório pequena.

- Que porcaria, essa queimadura, ainda machuca.

- Tivemos sorte de ter escapo.

- Chama isso de sorte, nosso quartel general foi explodido, nossos companheiros e superior, se foram, e você acha isso foi pura sorte?

- É claro que não, ainda tivemos que colaborar com esse Ghouls de ruas, e detestável, considerando que somos soldados de elite, mas não podemos refazer a organização só com dois membros.

- Eu sei, por isso que infelizmente, tivemos que recorrer, a ajuda de outros Ghouls, mas já foram mortos, a festa de boa amizade não funcionou.

- Vamos esquecer por hora, primeiramente devemos eliminar aqueles 3 caçadores.

- Isso vai ser impossível, já viu como eles são forte?

- Eu sei, é por isso que estamos nesse laboratório. Todos os nossos cientistas e pesquisadores morreram, com a excessão de um, que mexia no "Project Undead". 

- O que isso?

- Será a nossa vingança, eles poderam fazer nada diante da quantidade de inimigos.

2 semanas depois!

Welf - Dia de educação física, tá pronto pro futebol?

Bell - Sim....

Welf - Quê que foi? Tem alguém lá fora?

Bell - Talvez seja minha imaginação, mas acho que tinha pessoas nos observando lá fora.

Welf - Relaxa, quem teria coragem de vir atrás de nós?

Bell - É melhor ficarmos atento.

Na hora do jogo!

Welf - VAI BELL CHUTA A BOLA

Bell - DEIXA COMI.....

Sem querer Bell vai no chão e machuca o joelho, daí o professor, pedi para levá-lo até a enfermaria.

Welf - A queda nem foi tanta, do jeito que você se cura já pode voltar para a sala, aqui suas roupas - Ele entregá a dele.

Bell - Obrigado, mas preste atenção, durante o jogo eu senti o cheiro daqueles dois Ghouls que enfrentamos a uns dias.

Welf - Tem certeza?

Bell - Sim e parece, que eles não estão sozinhos, eu notei um certa quantidade de movimento.

Welf - Certo, vamos matar a próxima aula, e verificar a situação.

Bell - Está bem, mas minha faca mágica, está na minha mochila.

Welf - Kusagumaru também, mas se for só aqueles dois, vai ser fácil.

Bell - Vamos verificar o portão dos fundos, não tem ninguém lá a essa hora.

Welf - Então vamos.

Perto da entrada..   

Bell - Eu sei que estão aí, é melhor aparecer.

- Tá bom - O portão se abre e um homem com braço einfachado sai - Obrigado pelo que fizeram comigo na última vez.

Welf - Não venha com essa, você tentou matar uma turma de crianças inocentes

- E vou fazer de novo.

Bell - O que disse?

- Se acham heróis não é? Pois agora vamos ver quando, tantas pessoas inocentes, morrem na sua frente sem fazer nada.

Welf - O que pode fazer sozinho?

- Mas eu não estou sozinho! Venha!

Na entrada do portão vinha o que parecia ser um homem de capuz, ele remove o capuz, e mostra um homem sem cabelo, com olhos praticamente brancos, dentes pontudos, mas o mais estranho são seu abdômen magro, e atrás uma espinha pintura sai do da pele.

Welf - Que coisa é essa?

- Um novo tipo de Ghoul! Agora vai pegue eles.

A criatura avança correndo de quatro, como se fosse um cachorro. Welf no entanto, chuta com força o queixo dele, e faz recuar para trás.

Welf - Bem agora é sua vez.

- Ainda não acabou.

A criatura se levanta como se não fosse nada.

Bell - Bom se é um Ghoul - Bell ponta sei dedo, para a cabeça dele - Fire Bolt - Resolvido.

- Ainda não acabou.

Mesmo com um barraco na cabeça, o monstro ainda se levanta, e continua caminhando de vagar.

Welf - O que está acontecendo?

Bell - Eu não sei, mas vamos tentar capturalo, e levá-lo para longe daqui.

- Vai ter que fazer isso com os outros.

Welf - Que outros?

Em alguns caminhões chegavam, mais dessas coisas, o que mais chamava a atenção era a aparência, eram exatamente iguais, mesma altura e tudo.

- Me deu trabalho mas eu consegui trazer pra cá mais de 50 desses experimento, essa é minha vingança, por terem destruídos, toda a organização de homens de branco. Vão me tragam a cabeça desses dois, e depois matem todos os alunos daquele Colégio, sem excessão.

Welf - Que desgraçado.

Bell - Estão maior número.

Welf - É bem maior, e também não estamos com nossas armas. E sabe o que é pior?

Bell - O quê?

Welf - Vamos perder a hora do almoço.


                       Continua







Notas Finais


Só pra relembrar eu fiz essa história, na verdade ainda tenho ideias para algumas outras aventuras, novos problemas, vilões, personagem, mas escrever ou não, ainda não sei. Mas me falem gostaram da história? Ainda sei escrever?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...