História New World - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Magia, Mistico, Poderes, Romance
Visualizações 14
Palavras 1.900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiee, tudo bom?
Mais um cap e esse é um p.v.o do Kile.
E já pra ir avisando esse cap começa um bocado antes do final do outro.
Então, boa leitura!

Capítulo 7 - P.V.O Kile


Fanfic / Fanfiction New World - Capítulo 7 - P.V.O Kile

Já tinha mais de meia hora que eu estava lá, e a Kat não chegava. Eu andava de um lado pro outro, preocupado.

-Kile-ela me chamou, subindo o último degrau da escada. Ela veio na minha direção e me abraçou com força. Fique sem entender o motivo de ser tão forte.

-Ok. Você estava com tanta saudade assim? A gente se viu ontem.

-Não, é que...-ela começou, mas eu desviei atenção do rosto dela e olhei para o colar dela. Ah não.

-Você veio com isso-falei apontando pro colar.

-Como assim? Peraí, você se lembrou?-ela perguntou.

-Que você atirou em mim com essa coisa? Sim, eu lembrei.

-Como?

-Os seus amigos esqueceram de apagar alguns detalhes-como por exemplo a noite do seu aniversário, acrescentei mentalmente-Então foi fácil me lembrar do resto.

Olhei para o amigo dela, que revirou os olhos.

-Ok, porque você me chamou aqui?-ela perguntou, ganhando minha atenção novamente.

-Ah, eu vim aqui para ver se você estava em casa, mas quando cheguei percebi que tinha acontecido alguma coisa, por que a porta do seu apartamento está entreaberta, e isso é estranho porque nem você e nem a sua mãe deixam a porta aberta.

-A porta tá aberta?-ela perguntou sem acreditar.

-Sim, é como se alguém tivesse arrombado a porta, alguém que estava procurando alguma coisa e...-ela não consegui ouvir tudo porque foi em direção à porta.

Ela ficou olhando para porta, tentou até espiar pela brecha, mas eu já tinha tentado isso antes, e não consegui ver nada. Ela colocou a mão na maçaneta para abrir a porta, mas o amigo dela segurou o braço dela e fez que não com a cabeça

-Por que não?-ela perguntou.

-A gente não sabe se a pessoa ou as pessoas que invadiram seu apartamento ainda estão aí.

Revirei os olhos.

-Mas é claro que não estão. Eu tô aqui tem quase meia hora e ninguém saiu-falei.

-Será que dá pra você não se meter na nossa conversa, mundano?-o cara falou virando na minha direção.

-Quem você acha que é pra me chamar de "mundano"?

A Kat aproveitou o nosso momento de distração e entrou no apartamento.

-Droga, Kat-o amigo dela resmungou antes de entrar. Entrei a atrás dele e vi que a Kat parada no meio da sala, olhando para os lados.

-Meu Deus-ela murmurou.

Ela andava pela sala, desviando de algumas coisas que estavam no chão. A sala estava totalmente bagunçada. Cadê a senhora Corvey?

-Quem será que fez isso? Kat, cadê a sua mãe?-perguntei.

Ela me olhou e hesitou.

-Kile é que... Minha mãe ela... Ela foi...

Ela começou a chorar descontroladamente. Fui na direção dela e a abracei.

-Calma, Katy-falei secando algumas lágrimas que estavam na bochecha dela.-Agora me conta com calma tudo o que aconteceu.

Ela respirou fundo.

-Um cara, acho que ele e a minha mãe se conheciam, ele veio aqui e... Ele sequestrou a minha mãe.

Arregalei os olhos.

-Quê? Como assim?- perguntei.

-Eu também não sei.

-Meu Deus... Será que... Será que esse amuleto não da habilidades para rastrear as pessoas?

-Como eu pude esquecer disso?-o amigo dela falou.

-Como assim-ela perguntou.

-Não dá pra explicar isso direito agora, mas resumindo, além das pedra do amuleto, existem outras pedras, e uma delas nos dão a habilidade de rastreamento.

-E como isso funciona?-ela perguntou em um tom esperançoso.

-Nós só precisamos de algum objeto pessoal dela.

-Ah, isso é fácil, eu vou pegar alguma coisa e já volto.

Ela saiu andando pelo corredor. Depois que ela saiu da sala, eu e o amigo dela não trocamos uma palavra e o silêncio estava ficando insuportável.

-Então...-comecei tentando quebrar o silêncio.-De onde você e a Kat se conhecem?

-Eu salvei ela uma vez. Um cara tentou beijar ela à força. Só que ela desmaiou, então a levei pra o meu apartamento-ele respondeu enquanto mexia em algumas coisas.

-Ah.

Ele continuava procurando. alguma coisa.

-O que é que você tanto procura?

-Alguma pista de quem poderia ter feito isso.

O silêncio reinou de novo, até que um barulho de alguma coisa quebrando veio de um dos quartos.

-Fique aqui-ele falou para mim e saiu correndo na direção do corredor.

O que será que aconteceu? Eu não consegui controlar a minha curiosidade e fui para onde a Kat estava.

Fiquei a uma distância que dava para ouvir o que eles diziam.

-Quando ele veio aqui, ele me disse que não tinha me reconhecido, agora eu sei o porque que ele disse, agora eu sei tudo-a Kat falava entre soluços. De quem ela estava falando?

-Kat, por favor, me explica direito.

-O Alan, aquele cara que tentou me beijar, que sequestrou a minha mãe, é o mesmo Alan que se revoltou contra o conselho anos atrás. O mesmo Alan irmão do meu pai. E foi... Foi... Foi ele quem matou o meu pai... Ele é o meu tio!

Ela começou a chorar. Como assim o tio dela era o mesmo cara que sequestrou a mãe dela? Como assim ela têm um tio?

-Você tá me dizendo que aquele cara do beco, era o Alan Corvey?-continuei a ouvir a conversa deles.

Ouvi um barulho de passo entrando mais no quarto. Dei um pequena olhada e vi a Kat com o rosto vermelho e fazendo um sinal para que o amigo dela ficasse onde estava.

-Eu não quero machucar mais ninguém. Não depois do que eu fiz com o Kile.

Senti uma pontada no coração. Ela se culpava por ter me acertado com os poderes. Mas não era culpa dela. Eu que não devia ter ido na direção dela naquele dia. Voltei para sala e alguns minutos depois o amigo dela voltou também.

-O quanto da conversa você escutou?-ele me perguntou.

-Do que você esta falando?-perguntei, fingindo que não sabia de nada.

-Não adianta fingir, por que eu ouvi os seus passos. O quanto você ouviu?

-Quando ela começou a falar sobre um tal de Alan.

-Droga. Você ouviu demais. Você sabe de muita coisa, isso não é bom.

-E qual é o problema eu saber dessas coisas?

-Você saber dessas coisas, põe a sua vida e a da Kat em perigo.

-Como assim...- fui interrompido por um barulho de algo caindo, seguido de um grito.

-O que foi isso?-perguntei

-Eu vou lá ver o que aconteceu-ele falou, indo na direção dos quartos

-Eu vou com você-falei.

Ele parou e olhou para mim.

-Não, você vai ficar aqui.

-Por que?

-Por que...

-Matt!-a Kat gritou do quarto.

Nós dois saímos correndo, só que o Matt (acho que esse era o nome dele) estava um pouco mais na frente. Entrando no quarto, eu vi que a Kat estava encostada em uma das paredes, ofegante e tinha um bicho estranho na frente dela.

-O que é isso?-falei.

O Matt xingou antes de tentar matar a coisa. Ele enfiou a espada nas costas, o que fez com que a criatura virasse pó.

A Kat tentou andar na nossa direção, mas as suas pernas fraquejaram, ela só não caiu porque o Matt a segurou. Ele olhou para os braços dela onde tinham duas queimaduras.

-Demônio desgraçado! A saliva dele era venenosa. Temos que levar ela pro meu apartamento-ele falou, ainda analisando as queimaduras.

-É muito perigoso?-a Kat perguntou. Sua voz saiu tão baixo que se eu não estivesse perto não teria ouvido.

-Não, Você teve sorte por que pegou no seu braço-o Matt começou a responder, mas a Kat não ouviu tudo porque desmaiou.

Ele a pegou no colo e andou na direção da saída do quarto. Quando chegou na porta, ele parou, olhou para mim e falou:

-Você vêm ou vai ficar aí com cara de idiota?

Peguei a bolsa da Kat que estava no chão e o segui até a saída.

*===*===*===*===*

A porta do apartamento dele foi aberta por uma garota morena de olhos azuis. Ela olhou primeiro para mim, com uma das sobrancelhas arqueadas. Depois seu olhar desviou para o Matt. Ela abriu a boca para falar alguma coisa, mas o seus olhos desviaram para a Kat, desmaiada nos braços do Matt. Os olhos dela se arregalaram

-Sam, quem é que tá aí na porta?-perguntou um garoto aparecendo atrás dela. Ele era muito parecido com a garota. A mesma cor de cabelo e os mesmos olhos.  Ele ficou me encarando com uma expressão estranha, mas logo desviou o olhar para o Matt.

-O que diabos aconteceu?-ele perguntou.

-Eu te conto depois que você me ajudar a colocar ela no sofá.

Eles entraram e colocaram a Kat deitada em um dos sofás. A garota começou a examinar os braços da Kat.

-Agora, conta o que aconteceu-o garoto falou.

-Mas conta rápido-a garota falou ainda examinando os braços da Kat.-O veneno tá se espalhando no sangue dela.

-Ok, então, nós fomos para o apartamento dela e lá a gente ficou sabendo que o apartamento tinha sido invadido. Nós entramos, e o apartamento estava totalmente destruído. Ela descobriu algumas coisas...

-Que coisas?-o garoto o interrompeu.

-Depois eu conto. Voltando, nós iamos embora, mas ela resolveu passar no quarto dela antes. Então...

-No quarto dela ela foi atacada por um demônio?-a garota perguntou.

O Matt fez que sim com a cabeça. A garota suspirou.

-Ok, me ajuda a levar ela pra o quarto-ela falou para o Matt.-E vocês dois fiquem aqui.

O Matt pegou a Kat no colo de novo e foi junto com a garota na direção do corredor.

Um silêncio tomava conta da sala, um silêncio até constrangedor, tento puxar assunto, mas sei que vou falhar fazendo isso, como sempre.

-Então... Como você se tornou um caçador angelical?-Digo sem tirar os olhos dos meus pés.

-Bom, eu nasci numa família de caçadores angelicais, então continuei o nosso legado.

Me sinto mais confortável com sua presença então, olho para ele.

-Se não fosse caçador, gostaria de fazer alguma outra coisa? Sei lá, tocar numa banda?-Digo dando um sorriso de canto.

-Sim, talvez ser um astro do rock ou um médico. Parece ser profissões bem distintas, mas as duas deixam pessoas felizes, e isso já me deixaria feliz.

-Isso é tão fo...-Percebo o que iria falar e me corrijo-Legal.-Termino a frase pigarreando.

Vejo o garoto rir com o meu constrangimento.

-Qual o seu nome mesmo?-Desvio o assunto.

-Nicholas. E tá tudo bem, Kile.

-Como sabe meu nome?

-Digamos que falam bastante de você aqui. Quer uma água?

-Ah, claro.

O mesmo pega um copo de vidro meio azulado de dentro do armário, e o enche com água do filtro.  Vem até minha direção entrega o copo e sinto nossos dedos se tocarem gerando uma pequena onda de choque em nossos braços, vendo os pelos do meu braço se levantarem.

-O-obrigado, Nicholas-Após agradecer vejo o Matt entrar na sala e percebo Nicholas se afastar alguns centímetros de mim.

-A gente conseguiu conter o avanço do veneno no corpo da Kat. Acho que você vai querer ver ela-ele falou olhando para mim.

Fiz que sim com a cabeça. Andei até o corredor e ele apontou para uma das portas.

Abri a porta e vi a Kat dormindo, com os braços com curativos. O colar tinha um brilho fraco.

-Ela ficará bem-disse uma voz atrás de mim. Tomei um pequeno susto e olhei para ver quem era. Era a irmã do Nicholas. Ela estava encostada na penteadeira, olhando para as unhas.-Desculpas se eu te dei um susto.

-Não... Não tem problema.

-Então... Eu vou sair, pra você ficar a sós com ela.

Ela sorriu para mim e saiu. Voltei a olhar para a Kat. Ela dormia serenamente. Seu rosto estava calmo e as suas sardas estavam bem nítidas na sua pele branca.

Meu celular tocou no meu bolso notificando uma mensagem do meu irmão. Levantei dei um beijo na testa da Kat e sai.

Chegando na sala todos olharam para mim.

-Aconteceu alguma coisa?-a garota perguntou.

-Não, é que eu tenho que ir.

-Ah. Tchau, então-ela falou indo para o corredor.

O Matt acenou e foi para a cozinha. O Nicholas apontou para a porta e a abriu.

-Então... A gente se vê por aí-ele falou.

-É... Tchau-falei.

-Tchau.

Eu saí e a porta fechou atrás de mim. Entrei no elevador e percebi que eu estava com um sorriso no rosto...


Notas Finais


E aí? O que vocês acharam? Me contem tudo nos comentários.
💜Kisses💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...