História New Year's Day - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias A Seleção, Taylor Swift
Personagens America Singer, Carter Woodwork, Eadlyn Schreave, Kile Woodwork, Marlee Tames, Maxon Calix Schreave, Personagens Originais
Tags A Seleção, Aeroporto, Ano Novo, Eadlyn Schreave, Estranhos, Keadlyn, Kile Woodwork, New Years Day, One-shot, Paixão, Reputation, Romance, Taylor Swift
Visualizações 174
Palavras 3.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


"Se você não quisesse só se divertir, eu não teria parado de falar com você." - Fox Wesley

Capítulo 23 - You Know I'm Not A Bad Girl, But I Do Bad Things With You


Fanfic / Fanfiction New Year's Day - Capítulo 23 - You Know I'm Not A Bad Girl, But I Do Bad Things With You

Neena

14 de abril de 2018, Nova Iorque

=^^=

Eu acordei com a vibração do celular naquela manhã de sábado. Na verdade, eu nem estava mais dormindo, apenas queria curtir ficar deitada de olhos fechados fazendo nada. Ainda não estava com nenhuma disposição para fazer alguma coisa, mas resolvi esperançosamente dar uma olhada nas mensagens que chegavam pois poderiam ser de Fox.

Eadlyn disse que isso aconteceria. Que ele iria cansar e me deixar pra lá se eu continuasse o maltratando do jeito que eu estava fazendo, e aqui estamos. Tem uma semana que ele apenas não se importa mais. Não responde. Não aparece.

Kile: preciso falar com você, urgente

Kile: sem margareth por perto

Eu fico frustrada e surpresa com as mensagens do Woodwork.

Neena: pode ser quando eu estiver acordada de verdade?

Eu o respondo e largo o celular, fechando os olhos e tentando me concentrar de novo.

Kile: é importante

Kile: pode vir ao meu apartamento?

Foi inútil. Ele iria continuar insistindo.

Neena: eady não dormiu com você? por que diabos não estão grudados um no outro agora?

Kile: são quase 12hrs, eady já está em casa, precisava fazer alguma coisa do trabalho

Eu resolvo levantar de uma vez assumindo que seria impossível continuar nessa. Também porque comecei a ficar realmente curiosa. Kile queria que eu fosse a casa dele. Isso era muito estranho.

Neena: eu vou sair da minha casa e te encontrar em alguns minutos, e é bom que tenha uma razão excelente pra isso ou será um homem morto

Neena: também faço uma exigência: eu preciso ver fox. ele não fala comigo há dias e eu preciso vê-lo, quero que o atraia até a sua casa sem falar que eu vou estar aí e que me deixe um tempo sozinha com ele

Kile: desse jeito eu não vou ser morto por você, mas por ele

Neena: eu sei que eu estou merecendo o tipo de tratamento que eu estou recebendo, mas preciso parar isso de uma vez por todas

Kile: eu vou chama-lo

Neena: você é o melhor, woodwork

Eu vou direto tomar um banho. Encontro Hale tomando café da manhã alguns minutos depois.

− Bom dia, Halezinho!

− Bom dia, Neenazinha! – Eu lhe dei um beijo na bochecha e peguei uma colherada do seu cereal. – É impressão minha ou você está de bom humor?

− Estou sim. E se as coisas derem certo eu vou ficar ainda melhor!

− E que coisas são essas exatamente?

− E aí, galera! – Eadlyn apareceu no apartamento antes que eu pudesse responder. Droga!

− E aí! Quase aniversariante! – Hale brincou.

– É por isso que eu tô aqui! Eu quero mudar o visual pro meu aniversário. Fazer umas compras, alguma coisa no cabelo. Quem vai me acompanhar no shopping? – Ela disse empolgada.

– Adoro! Já tô pronto, você quer ir agora? – Hale disse.

– Agorinha! E você, amiga? Já te vi mais animada, hein?

– Sabe o que é, não vai rolar pra mim agora. Eu tava saindo de casa, é importante. – Agora que eu me toquei que o aniversário de Eadlyn é depois de amanhã, ficou mais fácil imaginar porque Kile quer tanto falar comigo. – Mas, eu acho que não vai demorar, eu posso encontrar vocês mais tarde.

– E eu posso saber que coisa importante é essa? – Hale perguntou.

– Não pode, não. Se pudesse eu já tinha falado! – Brinquei. Dei um beijo nele e peguei minha bolsa. – Vou lá, falo com vocês depois. – Também dei um beijo em Eady quando passei por ela e saí de casa.

– Essa garota tá estranha, hein. – Ouvi ela falar para Hale. Ela tinha falado alto propositalmente.

– Pra dispensar um dos nossos programas favoritos assim... – Ele respondeu e eu entrei no elevador, indo embora de vez.

=^^=

– Que bom que você veio, desculpa ter te acordado.

– Se for o assunto que eu estou pensando, e se você tiver convencido mesmo Fox vir até aqui, está desculpado. – Eu disse entrando no apartamento.

– E qual assunto você está pensando?

– Eadlyn faz aniversário segunda.

– É isso mesmo. Senta aí! – Ele me indicou o sofá. – E Fox disse que viria, eu o chamei para almoçar.

– Ótimo, então tem comida? Porque não deu tempo de comer antes de sair.

– Tem. Mas primeiro, vamos falar sobre o aniversário. Eu quero fazer uma festa surpresa para ela.

– Digamos que os últimos aniversários da Eady não foram tão bons, então ela merece a melhor das festas. Finalmente ela tá tão feliz com tudo na vida dela! – Comentei pensando no ano passado, quando ela descobriu quão nojento Erick era com ela bem em seu aniversário.

– Eu preciso da sua ajuda para que ela não desconfie. A gente tem que inventar alguma história pra muito convincente... – Começamos a conversar sobre o assunto animadamente.

Eu fiz uma lista com as ideias que tivemos e outra com o que eu precisaria providenciar, e o que seria por conta de Kile.

– Ok. Agora, o que vai dar a ela de presente? – Quis saber.

– Isso aí vai ser segredo até pra você! E não vou dar pra ela no dia da festa, só no dia seguinte. Quando estivermos sozinhos!

– É tão especial assim? Por acaso não é um anel de noivado, é? – A possibilidade me passou pela cabeça e me bateu um desespero. Eu não sei sinceramente como Eadlyn reagiria, e eu sou uma das pessoas que mais a conhece.

– Não é isso não, ainda tá cedo pra gente pensar em casar real, eu não acho que ela ia querer isso agora. Mas não é porque não vai acabar em casamento que não é especial. É muito especial, eu tô sonhando com o momento que ela vai receber esse presente! Eu tô sonhando com o sorriso dela... – Ele falou, entusiasmado.

– Caramba, Woodwork. Que capricho hein? Espero mesmo que seja isso tudo. – A campainha tocou.

– Deve ser o Fox! – Ele sussurrou. Eu fiz um sinal para ele esperar antes de abrir a porta e fui me esconder no corredor.

– E aí, cara! Entra!

– E aí, Woodwork. Só vim pela lasanha de berinjela, hein. – Ele brincou.

– É, bom, mas antes da gente almoçar, tem uma coisa que eu queria que você me ajudasse.

– Fala aí! – Deu pra perceber que ele se jogou no sofá.

– É que segunda é o aniversário da Eady, a gente tá planejando uma festa pra ela, você topa?

– Claro! Mas peraê, a gente quem? – Quando ele perguntou isso foi a minha deixa. Fiz um barulho de passos com os meus pés e apareci na sala.

– Voltei. – Tentei pôr a minha melhor cara de surpresa. – Fox? Achei que você tivesse esperando outra pessoa, Kile. – Perguntei cinicamente para o Woodwork, mas desviei o olhar dele logo ou acabaria rindo.

– Neena? – Fox parecia desconfortável, mas não bravo. Na verdade, tinha humor na expressão dele quando ele olhou de mim para Kile, e de volta pra mim – Quanto tempo...

– É, você deu uma sumida. – Eu fui sentar ao lado dele.

– Então, você fala pra ele aí o que a gente já conversou, Neena, e eu vou preparando nossa lasanha. Vai sair rapidinho, vou só pôr no forno. – Kile disse e foi saindo de fininho da sala.

– Claro. – Respondi. Fox estava me olhando como se estivesse nervoso demais comigo ao lado.

– Então, o que vocês já pensaram? – Ele perguntou tentando sentar o mais afastado possível.

– Um monte de coisas. Vai ser no meu apartamento porque é o lugar mais fácil de atrair a Eadlyn.

– É. – Ele concordou e eu fingi um bocejo. – Tá com sono?

– É. A noite passada foi péssima. Fiquei em casa vendo uns filmes sem graça, não dormi direito. E você? O que você fez ontem?

– Ah, nada demais não. Também fiquei em casa.

– É? Poxa... – Eu me aproximei o máximo que eu pude e tentei colar meu corpo ao dele. – Se você não tivesse parado de falar comigo, a gente poderia ter se divertido ontem. – Eu disse chegando bem perto do seu rosto.

Ele me deixou quase encostar em seus lábios, então desviou devagar para falar em meu ouvido.

– Se você não quisesse só se divertir, eu não teria parado de falar com você. – Ele sussurrou e me fez ter um arrepio. Desgraçado.

– E aí? – Kile reapareceu. – Tá esquentando lá.

– Boa. E aí o que vai ter de comida nessa festa de vocês? Deixa eu ver essa lista aqui! – Fox levantou para pegar o papel na mesa de centro e agiu normalmente. Eu fuzilei o Woodwork com o olhar e ele tentou se desculpar.

Na verdade, eu não estava com raiva dele. Estava com raiva de Fox por ter feito eu me apaixonar. Estava com raiva de mim por ter me apaixonado por Fox.

Estava com raiva por não ter percebido isso antes e estar nessa situação agora.

=^^=

– Então você e Kile organizaram uma festa surpresa? – Hale perguntou quando chegou em casa e eu contei pra ele o que tinha feito. Eadlyn tinha ido direto pra casa de Kile quando saiu do shopping.

– É. E vocês, o que fizeram?

– Eady cortou o cabelo. E compramos um vestido incrível, ela tem quase certeza de que Kile vai levá-la pra jantar. Vai ser uma surpresa mesmo.

– Vai.

– Vem cá, me diz o que você tem? – Ele sentou no sofá ao meu lado. – Você tá aí toda desanimada, o que foi?

– Eu pensei que Fox gostasse de mim, mas ele não quer mais saber. – Soltei.

– Ué, você ficou enrolando o cara! Uma hora cansa!

– Lá vem você também! Qual o problema se eu não quis namorar como ele queria?

– O problema é que você se aproveitava do que ele sentia pra ter uma transa e dava esperança pra ele. Aí no dia seguinte, jogava um balde de água fria no coitado.

– Tudo bem, eu sei que eu fui horrível. Fiquei usando ele só quando eu queria e agora que eu queria ele o tempo todo ele não tá aqui.

– Você tá gostando dele mesmo? Tipo, tá apaixonada?

– Acho que sim. E eu estraguei tudo.

– Ai, coração! – Ele passou o braço em volta de mim e eu encostei em seu peito. – Você já tentou falar com ele? Dizer que agora é pra valer?

– Acho que ele não ia confiar em mim. Eu já fiz isso uma vez.

– Você vai ter que tentar. Seja direta e sincera. Eu tenho certeza de que se ele gostar de você de verdade, ele vai estar disposto a te dar uma segunda chance.

– Obrigada. – Dei um beijo na sua bochecha. – E sobre você?

– Sobre mim o que?

– Quando a gente vai conhecer seu namorado misterioso? Faz um tempão que você tá com esse cara e nada! – Perguntei um pouco inconformada.

– Hm. Eu vou chamar ele pra festa da Eady. Pode ser?

– Pode!

– Não sei se ele vai topar, hein!

– Ai que coisa, que garoto mais esquisito! Ele precisa se enturmar!

– É delicado, porque ele muitas pessoas do convívio dele não sabem que ele é homossexual. Ele mesmo só se descobriu há pouco, quando me conheceu.

– Se ele continuar se escondendo ele não vai se acostumar nem ter coragem pra ser quem ele é nunca. Como é o nome dele?

– Ean.

– Ean. Pode deixar comigo, a gente vai trazer o Ean pra galera! Ele não vai mais querer passar um fim de semana longe da gente! – Hale riu.

– Tá bom! Tomara mesmo!

=^^=

16 de abril de 2018, Nova Iorque

=^^=

Na segunda-feira, dia do aniversário de Eadlyn, eu fiquei com a parte de levá-la até o apartamento onde todos estariam esperando.

Nós chegamos em casa e ela me chamou para ir no apartamento dela, ajudá-la a se arrumar para sair com Kile. Um convite que ele fez para despistá-la.

– Eu achei o vestido maravilhoso, mas eu tenho uma sandália que combina muito mais do que essa aí. – Eu disse.

– É? Qual?

– Acho que você nunca viu, é nova. Vamos lá em casa buscar?

– Ah, pega lá você, enquanto isso eu já vou tomando banho.

– Não, tomar banho ainda não porque se você não gostar, a gente vai ter que escolher outra. Vem cá! – A arrastei pra fora e fiz barulho para abrir a porta e todos saberem que estávamos prestes a entrar.

Então eu abri e fui na frente. Quando ela entrou, todos gritaram “surpresa” e acenderam as luzes, saindo de seus lugares enquanto uma chuva de confetes se espalhavam pela sala.

– Eu não acredito! – A cara dela foi a melhor possível. Ela realmente não tinha desconfiado de nada dessa vez, o que eu agradeci, pois já tínhamos tentado fazer uma festa surpresa para ela anos atrás e ela descobriu tudo.

– Feliz aniversário, Eady! – Eu a abracei primeiro, já que era a pessoa mais próxima dela.

– Obrigada! Meu Deus, eu não acredito nisso, eu amo vocês!

– Feliz aniversário, princesa Margareth! – Kile chegou perto e praticamente sentimos os dois derreterem um no outro com um beijo. Pessoas apaixonadas me dão enjoo, mas no caso deles, eu fico feliz por isso.

Aos, poucos, Hale, outros amigos nossos do trabalho e até Fox, que estava aqui, falaram com ela. Tinha um cara que eu não conhecia, mas como ele estava com Hale o tempo todo, deduzi que ele seria Ean. Eu iria me aproximar e conhecê-lo depois.

– E aí? – Cheguei perto de Fox.

– Oi.

– Gostou da comida?

– Tá muito bom!

– Eu queria conversar com você.

– Converse!

– Agora não rola. Será que você poderia ficar um pouco depois da festa? – Eu sabia que ele estava sendo evasivo de propósito, mas não podia reclamar.

– Eu... Tenho algumas coisas a fazer em casa. Amanhã é dia de trabalho.

– Não estou te pedindo pra dormir aqui, não pode me ouvir por 15 minutos, ou até menos? – Ele ergueu uma sobrancelha e percebi que eu tinha sido grossa. Não posso evitar perder a paciência quando estou nervosa para falar o que eu preciso e ele não colabora. – Me desculpa. Pode ficar, por favor? Prometo que será rápido.

– Eu vou pensar. Dependendo da hora que acabar nós nos falamos. – Ele disse e simplesmente e saiu de perto de mim. Kile se aproximou.

– Continua difícil?

– Se isso for de propósito, avisa pro seu amigo que tá funcionando. Me esnobar tá me fazendo ter dez vezes mais interesse! – Eu respondi um pouco brava e ele riu.

– Você fez isso primeiro. Esnobou ele e ele te quis loucamente, agora ele está tentando te pegar da mesma forma. – Ele disse.

– Isso é um saco! Por que não nos apaixonamos da mesma forma mágica e instantânea que você e Eadlyn? – Ele riu. Hale acenou para mim e eu pedi licença a Kile para ir até lá.

– Neena, esse é o Ean, meu namorado! – Meu amigo disse quando cheguei perto.

– E aí? Finalmente estou conhecendo o famoso Ean! – Eu o cumprimentei.

– É um prazer, Neena. Sei que já fui convidado muitas vezes para aparecer, mas é o meu jeito. Eu vou me aproximar devagar. – Ean disse.

– E eu prometo que eu vou dar uma forcinha para você se enturmar mais fácil. Vamos logo tirar uma foto! – Eu disse.

Nós nos divertimos um pouco usando a Polaroid de Eadlyn e depois Oceania chegou perto para roubar toda a nossa atenção. Ficamos brincando com a gatinha e conversando mais um monte até as pessoas começarem a ir embora e o clima de fim de festa ser decretado.

=^^=

– Eu queria agradecer a vocês, mais uma vez! Foi muito legal, eu amei! – Eadlyn diz. Estão só as pessoas mais próximas aqui agora. Kile, Fox, Hale e Ean.

– Você merece, meu amor! – O Woodwork deu um beijo nela.

– Bom, estamos indo para o meu apartamento. Boa noite para vocês! – Ela pegou Oceania e todos nos despedimos deles.

– Eu estou saindo também, vou dormir na casa de Ean. – Hale percebeu que Fox estava ficando despretensiosamente por aqui e me fez esse favor.

– Tudo bem. Eu adorei de conhecer Ean! Vê se não foge mais da nossa galera! – Eu disse e dei um abraço nele.

– Pode deixar. Foi muito bom conhecer todos vocês!

– Até amanhã, coração! – Hale me deu um beijo e pegou suas chaves.

– Até! Tchau pra vocês! – Eles saíram.

Um frio na barriga me invadiu como se eu fosse uma adolescente ficando sozinha com um garoto pela primeira vez. Eu olhei para Fox. Ele se aproximou de mim e ficamos frente a frente no meio da sala.

– Foi uma boa noite. A festa estava ótima! – Ele disse, quebrando o gelo.

– Obrigada! – Eu o vi olhar de relance para porta.

– Você vai me ouvir? – Eu disse antes de deixá-lo pensar em se despedir. Ele me olhou fixamente por longos segundos.

– Pode falar.

– Fox, desde que nos conhecemos tivemos muitos momentos juntos, embora nem tenha tanto tempo assim. E, eu queria que me perdoasse por ter desperdiçado alguns desses momentos fazendo coisas ruins como ignorar o que você estava me mostrando que sentia e frustrar as suas esperanças em mim. – Eu notei ele abrir levemente a boca, para tentar dizer algo, mas apenas continuou prestando atenção. Eu via em seus olhos que ele não estava esperando o que eu acabei de dizer. – A verdade é que, eu passei um longo tempo da minha vida me doando para pessoas que não mereciam o que tinham de mim e isso pode ter me deixado um pouco fria e desacreditada de que seria diferente com alguém. Até você chegar e me fazer querer acreditar, mas eu deixei o medo que eu tinha ser maior que a minha vontade de ser feliz com você em algum momento. – Meus olhos já estavam marejando mas eu não me importava.

– E por que está admitindo isso agora? – Ele perguntou tentando soar firme.

– Porque eu sinto sua falta. Quando estamos sozinhos as coisas são tão simples. Nos damos tão bem e eu tenho a impressão de que se eu parar de fazer esse jogo que eu comecei, então talvez, só talvez conseguiremos deixar tudo simples o tempo inteiro e ser um do outro pro bem ou pro mal. Para nos mantermos juntos ou nos perdermos de uma vez.

– E se não conseguirmos? – Ele perguntou começando a se emocionar também.

– Então eu vou aceitar o castigo de conviver com a dor de ter desperdiçado uma das melhores coisas que eu já tive. Mas não vou me arrepender de não ter podido evitar me apaixonar por você.

No próximo segundo, estou em seus braços. Ele me beija rápido e me encosta ao seu corpo como se quisesse me fazer sucumbir. Eu o agarro e sinto um peso cair das minhas costas quando estou unida a ele de novo. Nós paramos por um momento e respiramos ofegantes. Ele olha bem pra mim e acaricia meu rosto.

– Essa é a última vez que eu estou te perguntando isso: Você quer ser minha namorada e me deixar te mostrar que eu não estou aqui para partir seu coração e sim para te fazer feliz? – Ele pergunta e eu sorrio.

– Sim.

Não tenho mais medo dessa resposta. Meu sim para ele vem da parte mais profunda do meu coração e é o mais verdadeiro possível.


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse recorte mais detalhado da história da Neena e do Fox. Próximo capítulo teremos Eadlyn narrando de volta e o presente de Kile para ela.
Alguém pode imaginar o que será?

ps: eu falei que só teria um capítulo por música agora mas não tem jeito, vou acabar dividindo cada uma em dois ainda.

Espero vocês nos comentários! Beijão!!! ❤

Inspiração: So it goes... - Taylor Swift


"Porque nos despedaçamos um pouco
Mas quando você me pega sozinha é tão simples
Porque, querido, eu sei o que você sabe
Podemos sentir isso
E todas as nossas peças caem
Em seus lugares
Presos no agora
Batom no seu rosto
E assim vai
Eu sou sua para guardar
E eu sou sua para perder
Você sabe que não sou uma garota má, mas eu
Faço maldades com você
E assim vai..."


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...