História New York por uma noite. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Literatura Feminina, Poesias, Romance e Novela, Saga
Avisos: Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Décimo quinto andar


Fanfic / Fanfiction New York por uma noite. - Capítulo 1 - Décimo quinto andar

Moramos no décimo quinto andar. Nem muito alto, porém não tão perto dos homens terrestres. Não vejo as aves passarem por aqui, mas é o suficiente para ver essa cidade não apagar.

Era noite fria e você tinha algo importante para resolver no emprego que te roubava de mim. Já eu? Decidi apreciar o dia com um companheiro de longas datas, aquele mesmo que me acompanhou me fazendo embarcar no trem a New York e te encontrar pelo caminho. Ele tem grandes amigos, além de amigos, grandes nomes em corpos de fantasmas. Dessa vez eu já lia um grande romance com um copo quente de chocolate. O dia se arrastou como uma verdadeira lebre, me deixando deliciar cada detalhe, cada emoção, cada desejo, cada verbo, cada sorriso dos meus personagens favoritos e isso me deixa bem. Na verdade o que me deixava mais feliz mesmo eram as cenas que eu imaginava e me faziam lembrar-se de você, sempre foi o, o meu personagem favorito. Era como se você estivesse ali, podia sentir seu cheiro, chegava piscar duas a três vezes e notava que já estava embarcando para outro lugar. Mas dessa vez eu não queria ir, gostava daquele aconchegante lugar.


    Nãodei conta de que o dia havia se passado e já estava no entardecer, parecia queo dia não esperava o meu chocolate, ele se foi, mas ainda havia grandes gotasno fundo do copo. No inverno os dias ficam mais calados. O frio traz melancoliae a alma fica sufocada entre tantos agasalhos. Então me levantei e decidir sairda janela de meu edifício, liguei o chuveiro enquanto esquentava o ambiente comuma boa música. Fui então decidir o que fazer para comer, abri a geladeira eestranhamente não havia nada ali que saciasse meu desejo. Apesar de ter sidoontem o dia em que enchera essa geladeira com tudo que me apetitavam os olhos no supermercado, hoje nada mais ali faz o meu tipo. Mas isso é até natural e você já seacostumou com esse meu jeito de ser. Há dias em que estou mais para esquecer, eoutros param mais lembranças. Têm instantes em que nem existo, sou um algodãodoce. Em outros, eu existo demais, sou como chumbo. E o interessante é que vocêsabe quais dias são esses. 

Voltei- me ao banheiro e notei que a agua estava no ponto ideal nem muito Alasca nem muito carioca, extremamente ideal, simplesmente New York. Sentei-me na bacia e com o som ligado pude dançar como se estivesse em uma competição, extremamente nua e sem saltos, até porque meus dedos não caberiam em meus saltos altos. Dançava com dois passos para frete dois para trás. Eu gosto de músicas na época dos meus avós, eu aprendia ouvir música boa. O que posso fazer se essa gentinha cresceu ouvindo esse tipo de melodia. Gosto você não adquire sozinha você simplesmente aprende a escolher as melhores das opções. Não que eu decidi optar pelo Jazz, Soul, Black ou Contemporâneo, foram exatamente elas que me escolheram, mas as músicas de hoje são apenas barulhos fortes e me ferem os ouvidos. Não se dá nem para dormir com uma musica dessas, diferente das quais escuto onde até a lua se esquece de ir. E você sabe disso, quando te mostrei quem eu era você sorriu e disse eu aceito para todo o sempre ,e foi ali quem me senti segura porque de algum jeito quando estou perto de você não consigo me sentir diferente, só me sinto eu. E sinto você que me completa, com você consigo nos sentir eu sinto você a me contemplar me completar.

Meu banho não demorou muito, não queria ficar com aspecto de envelhecida. Vesti-me com meu roupão e decidi pentear meu cabelo. Parecia um espetáculo, e os personagens principais eram a melodia, o espelho, o secador meu cabelo e eu. A melodia me impulsionava a mexer meu corpo, logo, meus pés. Eram dois para cá e dois para lá. O espelho obediente remetia os meus movimentos e simplesmente fazia um sósia minha com o mesmo gingado e o mesmo cabelo pesado por conter tantas gotas de água. O secador e meu cabelo não se davam muito bem enquanto eu dançava eles caiam na maior briga do dia, enquanto meus cachos corriam do seu grande bafo quente ,o dragão com atitude de mãe corria atrás lhe obrigando a se secar.Coloqueio moletom do Scott e passei uma leve maquiada nos rosto. 







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...