História Neytinho is real - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Neymar, Philippe Coutinho
Personagens Neymar, Philippe Coutinho
Tags Brasil, Coutinho, Hexa, Neymar, Neytinho
Visualizações 601
Palavras 974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: LGBT, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, me perdoem se tiver imagens repetidas, mas eu tô fazendo uma confusão com essa fic. Aproveitem o cap, beijinhossssss

Capítulo 5 - O beijo


Fanfic / Fanfiction Neytinho is real - Capítulo 5 - O beijo

"Dei as costas para ele e subi as escadas, quando cheguei em frente do quarto de Neymar, suspirei fundo e fechei os olhos. Era agora ou nunca."

Minhas pernas estavam bambas, pareciam uma gelatina, eu estava todo arrepiado, meu coração quase saía do peito e por fim suava que nem um condenado. Poxa Neymar, olha o que você faz comigo. 

Dei três toques na porta, minhas mãos estavam tão trêmulas que preferi escondê-las de baixo do meu braço. 

- Quem é? - A voz embargada de Neymar denunciou que ele estava bebendo e chorando. 

- É o seu neguinho. - Respondi. 

A porta foi destrancada e aberta, quando entrei fechei a porta atrás de mim, encarei Neymar que estava sentado no chão, escorado na cama, o mesmo me encarou por poucos segundos e deu um gole no wisky. 

- Se você estiver bêbado, não existem condições de conversamos. - Me sentei ao seu lado, tomei a garrafa de suas mãos e a deixei entre minhas pernas. - Por que 'tá fazendo isso? 

- Philippe, relaxa, não dei mais de cinco goles nessa merda. - Murmurou encarando a porta do banheiro. - Não tem um motivo específico para beber. 

- Não falo sobre isso. - Faço uma pausa e suspiro. - Porque está chorando, ou melhor, por quem? 

- Tu sabe claramente que é por você. 

- Por mim. - Disse analisando tudo o que acontecera conosco no nosso último encontro. - Isso é bom ou ruim? 

- Presumo que seja ruim, você... - Fez uma pausa com raiva, Ney fungou o nariz e coçou os olhos, tentando disfarçar as lágrimas que insistiam em sair. - Ah nem vou falar nada. 

- Fala Ney, eu preciso saber qual de todas as merdas que eu fiz, foi a pior. - Sussurro, transmitindo calma à ele, pouso minha mão sobre a sua acariciando-a. 

- O pior de tudo foi saber que você confiou primeiro no Alisson, Thiago e sei lá mas quem,  confiou primeiro neles, do que em mim, seu melhor amigo desde os quatorze anos. E depois, você sai só "acenando" a cabeça - Fez ênfase, Neymar engoliu em seco e então teve coragem para me encarar - como se eu tivesse culpa! 

- Ney, deixa eu explicar. - Fechei meus olhos, eu é quem estava com vergonha de encará-lo. -Eu... Não sabia como agir depois de quase beijar você. Não sabia se deveria agir como se nada tivesse ocorrido ou te ignorar, eu tolo como sempre fui pela opção errada e te magoei. Eu confesso, te magoei. Mas vim até aqui para nós nos acertarmos e voltar a ser como era antes. 

- Antes do nosso quase beijo? - Neymar pergunta receoso. 

- É, antes disso. 

- Quer apagar o que houve? Como se eu nunca quisesse te beijar? Então não quer... Não quer mesmo deixar rolar. - Neymar expremeu os olhos e uma lágrima escapou. 

- Ney... - Segurei seu queixo e o virei para mim, para que ele voltasse a me encarar, a me olhar nos olhos. - Deixar rolar uma amizade mais intensa? Não quero deixar isso abalar, nunca vai voltar a ser como antes de errarmos. 

- Não. - Ney respondeu com uma certa pressa. - Deixar rolar, o meu amor por você... - Ele segurou minhas duas mãos e continuou; - Há uns dois anos atrás, eu vi que te amava, mas eu achando que era como amigo, e fiquei alimentando aquilo, fazendo brincadeiras, apelidos carinhosos, mensagens, ciúmes e coisas do nosso dia-a-dia, até toda noite depois de nos despedirmos eu confessava que te amava e você me dizia o mesmo, mas aquele amor inocente sabe? Só amizade. Mas de um tempinho para cá, um ou até dois meses, eu me iludo com você. Qualquer coisinha que você faz, eu me sinto como seu, qualquer demonstração de carinho, eu não sei. Me iludi, e hoje no ônibus eu tomei a iniciativa, porque achei que você sentisse o mesmo por mim, ou se estivesse em dúvida eu provaria que eu... Que eu sou bom o suficiente para você. Mas agora percebo que nem passou pela sua cabeça ter algo entre nós. - Enquanto dizia ele chorava desesperadamente e no meio dessa declaração, eu notei que também chorava. - E Philippe, eu realm.... 

Ele foi interrompido, por um ato automático, um ato que demonstra amor, que demonstra paixão. Ele foi interrompido por um beijo, um beijo que eu dei. 

Selei nossos lábios, pedi permissão para explorar e ele cedeu. Nossas línguas dançavam uma valsa, senti nossas bocas se completando como se fossem feitas uma para a outra, senti borboletas no meu estômago quando Ney pousou sua mão sob minha nuca e a puxou para mais perto dele, uma de minhas mãos estavam no chão, nos apoiando e a outra na sua cintura. Nunca beijei alguém assim, era um beijo apaixonado, além de nossas bocas também estavam as lágrimas, porque eu realmente me emocionei com a declaração de Ney. Quando o ar nos faltou, ele deu uma mordiscada em meu lábio e terminou nosso beijo com três selinhos. 

Estávamos sem reação, preferi não abrir meus olhos, o loiro me puxou para um abraço. Então ali estávamos nós, sentados no chão do quarto, um de frente para o outro, com uma garrafa de wisky em nosso meio, abraçados e surpresos com tudo que acabara de acontecer. 

- Quer dormir aqui hoje? Aqui comigo. - o loiro perguntou se levantando e dando sua mão para eu me levantar também. 

- Não é má ideia. - Sorrimos juntos. 

Ali passamos a noite, com carícias e beijos roubados, poucas palavras e no fim, dormimos de conchinha, se ele me perguntasse o que faríamos amanhã eu não saberia o que responder, por isso também não perguntei. Preferi curtir o momento e me apaixonar pelo camisa 10 da seleção brasileira. 


Notas Finais


Esperam que tenham gostado, não tive ideia melhor.
CHEGAMOS A 1K DE VIZUALIZAÇÕES AAAAAAAAAA OBRIGADA DEDENS KSBSJBSJZNSNZ

Beijinhos poc's, a titia ama vocês


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...