1. Spirit Fanfics >
  2. Nice boys, don't play Rock'n Roll. >
  3. Único: Nice boys, read the Bible.

História Nice boys, don't play Rock'n Roll. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, meus compatriotas.

Cinco da manhã e eu ainda não dormi porque tomei café meia-noite sem saber que era meia-noite e agora tô sem sono e com fome, difícil. Finalmente, prevejo que conseguirei finalizar todos os meus plot's (eu sempre digo isso). Mas aqui está: mais uma do grupo utt! É o shipp fav, amgs.

Eu vou corrigir tudo direitinho só quando acordar, então paciência, meus compatriotas.

Se cuidem e boa leitura!

Capítulo 1 - Único: Nice boys, read the Bible.


Desde que morava em Los Angele, Aron sempre foi um grande admirador do ‘rock’. Amava a melodia em que a guitarra, baixo e bateria moldavam quando tocadas em uníssono, era, expressamente, música para seus ouvidos.

O garoto só precisava de mais uns trocados para comprar uma Schecter já usada, de um carinha que morava do outro lado da rua, e teria, finalmente, todos os instrumentos desejados por ti, para atormentar ainda mais a vida do pobre Minki, seu namorado.

Quando Aron completou seus dezenove anos, resolveu ir morar com sua avó na Ásia, sendo mais específico, na Coreia do Sul. Não levou muito tempo para que o garoto se adaptasse, logo fazendo amizades, uma dessas que lhe gerou um namoro de dois anos.

Aron e Minki eram do tipo “os opostos se atraem”, sim, bem clichê.

Aron rockeiro e Minki cristão.

No início, o Min tinha medo de Aron (fato assumido a pouquíssimo tempo) por ele usar roupas escuras e topetes incomuns. Muitos diziam que o Kwak era radical e gostavam de seu estilo, mas muitos também diziam que o garoto era satanista. Um desses era o próprio Minki.

Mas claro, não demorou muito para que ele percebesse o quão legal o Californiano era (isso só veio ocorrer por conta de um incidente, história para outro momento) e formar um laço forte com o mesmo. No entanto, toda vez que Aron resolvia tocar seu baixo ㅡ primeiro instrumento que comprou com um carinha de Los Angeles ㅡ, Minki dizia: “Bons garotos, não tocam rock'n roll!” e o Californiano retrucava com um: “Eu não sou um bom garoto”.

E Minki voltava a ler alguma revista religiosa, enquanto ouvia o grave do instrumento tocado por seu hyung, no fundo, ele se agradava.

Mas no fim, isso acabava gerando brigas entre o casal, porque, de alguma forma, Kwak ofendia os cristãos e Choi não gostava, e como o guri não levava desaforo para casa, era briga até altas horas. Portanto, sempre, acabava com os dois agarradinhos num sofá velho da garagem da casa onde Aron morava de junto a sua avó.

No fundo, Aron gostava do fato de que Minki era cristão, de quando ele lia uns versos da bíblia para si ou mandava-lhe “ficar com Deus”.

No chão do poço, lá no fundo, quando tu pensas que já morreu, os dois garotos amavam unir o baixo, a guitarra (ainda não existente nas mãos do Californiano) e a bateria com a bíblia ㅡ era mais comum acontecer nos domingos, logo após Minki voltar da igreja. Geralmente, nesses domingos, eles escutam um ao outro; Aron tocava uma dos Red Hot Chili Peppers (a única banda que o coreano tinha uma proximidade maior, um bullying menor) e Minki lhe explicava um versículo de Salmos (o único livro da bíblia que Aron não julgava tanto).

Entretanto…

ㅡ Ainda não engulo a existência desse macho, amor. ㅡ disse Aron, se referindo a Jesus enquanto arrumava sua bateria.

Ele não olhava, mas sentia o olhar assassino de Choi pesar sobre suas costas, era de arrepiar a espinha.

ㅡ E eu não engulo a existência desse negócio barulhento, Kwak Youngmin Aron! ㅡ esbravejou o mais novo, cruzando os braços, sentindo o rosto queimar em ódio.

Aron não era ateu, ele era daqueles que ficava no meio-termo: “Se existir, que bom. Se não existir, que bom também”. Mas às vezes ele duvidava mais do que devia, da existência de uma força maior.

ㅡ Pelo menos, eu a enxergo. ㅡ resmungou, baixinho.

ㅡ Como é, Aron?

ㅡ Nada, amor!

Aron era mais velho sim, a diferença era de dois anos, mas o garoto morria de medo do namorado quando ele estava bravo. Principalmente, quando era o causador dessa irritação.

ㅡ Se é assim, bons garotos não tocam rock'n roll. ㅡ voltou a repetir aquela frase que Aron não gostava nem um pouquinho.

O loirinho o viu se virar e suspirar, aproximando-se de si. No início, se viu assustado, mas suavizou a bombeação de seu coração quando sentiu o toque leve em sua bochecha, em uma carícia gostosa.

É, bons garotos leem a bíblia, Minki. ㅡ sorriu de lado e deu um selinho rápido e carinhoso, no mais novo.

Minki não gostou daquela resposta e trataria de conversar com o homem, agora de vinte e um anos, sobre isso, depois.

Bons garotos, faziam o que desejassem de suas vidas.

Tipo ser ‘gay’ e ir à igreja ou ser rockeiro e não ser satanista.








Ou ser cristão e namorar um rockeiro, ser rockeiro e namorar um cristão.


Notas Finais


'Pra finalizar, gostaria de dizer-lhes que essa one não é para ofender ninguém, pelo amor de ateus. Existem até rockeiros que são cristãos e eu conheço, então não tem nada de preconceituoso nesse perfil, tá????

Enfim, gostaria de agradecer pela paciência de quem leu até o final, é 'nois. ✌

Vou ver se durmo ou acabo fazendo outra one, ops.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...