História Nico Di Ângelo Riddle e o Cálice De Fogo - SOLANGELO - Capítulo 14


Escrita por: ~ e ~KaliMortem

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Harry Potter, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Draco Malfoy, Hades, Harry Potter, Hermione Granger, Lílian Evans, Lord Voldemort, Nico di Angelo, Ronald Weasley, Severo Snape, Will Solace
Tags Bruxos, Cálice De Fogo, Gay, Nico Bruxo, Nico Sonserino, Semideuses, Solangelo, Wico, Will Lufano, Will X Nico
Visualizações 451
Palavras 3.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - Lágrimas e Flores Parte Final


Fanfic / Fanfiction Nico Di Ângelo Riddle e o Cálice De Fogo - SOLANGELO - Capítulo 14 - Lágrimas e Flores Parte Final

VOLDEMORT ON

Maldito!Maldito!Maldito!Maldito!, maldito seja Igor Karkaroff!, além de entregar uns dos meus melhores Comensais para o Ministério, incluindo o meu espião lá, agora esse cretino tá planejando fugir depois do Torneio, mas eu não vou permitir, antes que ele possa até sair da Grã-Bretanha, eu vou matá-lo porque é isso que acontece com quem me trai, suspiro não se fazem mais Comensais como antigamente, não se pode mais confiar neles, eu só tenho confiança em três comensais, Lucius Malfoy, na verdade eu só confio nele porque preciso de seus contatos, mas por mais que eu defenda a supremacia do Sangue-Puro e eu não gosto de Sangue-Ruim, não sou como ele que abomina mestiços, eu não poderia odiar mestiço, porque eu sou um, eu não consigo culpar a criança, mas os pais devem sofrer nenhum bruxo deve se envolver com um trouxa! O outro comensal é Bellatrix Lestrange, eu confio nela e eu sei que sua lealdade nunca iria vacilar, mas eu não conto nada a ela, porque eu sei que sua mente é como um livro aberto e se nenhuma barreira, meus segredos seriam descobertos, se eu os contasse a ela, mas só tenho um Comensal o qual eu posso confiar, esse seria Severo Snap, porque Lucius pode ser meus braço direito, Bellatrix pode ser a mais leal, mas o Severo é meu espelho, eu vejo ele como igual, porque nós dois somos mestiços, nós sofremos por termos país trouxa, somos sonserinos até o osso, me pergunto como ele está tratando o meu neto.

Mas outra coisa me preocupa, e tem a ver com o Nico, a alguns minutos Bartolomeu me mandou uma carta por Rabicho, aparentemente o meu neto não precisou de nenhum incentivo para colocar seu nome no cálice, pelo menos ele tem coragem, mas eu não quero que ele seja prejudicado pelo oque eu sou,  mas não é isso que me preocupa segundo Bartolomeu ele não apareceu em sua aula hoje, mas verdade ele não apareceu em nenhuma aula ainda, me pergunto se ele está bem, eu não quero perde-lo agora que eu o encontrei, suspirei olhando para as paredes ao meu redor, esse foi o último dos pecados, que eu tinha que provar a minha amada, eu tinha que mostrar Diligência, assim sozinho construi essa Mansão no lugar mais alto de Veneza para ela, os Di Ângelos sempre foram os protetores da Itália, depois do “sumiço” deles pelo raio, de longe eu protegi o solo que eles pisaram, eu protegi a Itália, esse foi o único lugar que eu nunca matei alguém,porque Antonnela a minha amada me pediu que seu país de nascença não fosse afetado, e eu atendi a seu pedido, me lembro que demorou muito tempo para construir a Mansão e o Cemitério particular, fecho meus olhos, me lembro até hoje o dia que eu conheci Hades.

LEMBRANÇAS ON

Eu estava na Malfoy Manor, já que na Di Ângelo-Riddle Manor residia minha doce Antonnela e minha filha Maria, e eu não nunca as ia expor a essa guerra que travo, as pessoas nem devem saber que sou casado, eu não posso por em perigo a minha família, suspiro em pensar nela, é estranho pensar que uma mulher como Antonnela linda de olhos verdes e longos cabelos negros, que sempre lutou pela igualdade de sangue, mas que acabou se apaixonando por mim, que odeio nascido trouxas, quando eu contei para ela, o que recebi foi um tapa, ela tentou me mudar, mas eu não me dissuadi, então ele só me fez prometer que eu nunca iria tentar fazer a Itália se encaixar nesse padrões de Sangue, num primeiro momento tentei negar, mas ela ameaçou se separar, então fiz o voto perpétuo de nunca prejudicar a Itália, por isso estou irritado, meus comensais da morte não param de discutir, eles estam tentando me convencer que como a Itália é conhecida por ser o melhor lugar para os nascidos trouxas por isso eles querem direcionar os ataques para lá, no começo eu ouvi o que eles queriam fazer, mas chegou uma hora que eles começaram a discutir um com o outro, então eu deixei eles se matarem.

Começo a olhar a mesa, posso ver Lucius Malfoy quase esganado Igor Karkaroff, algo em Igor me incomoda, mas não ligo, Bellatrix parece intimidar Rabicho, meu espião, mas meus olhos se prendem no único que permanece em silêncio, aquele que eu sei que é o mais confiável e que pode se esgueirar por qualquer lugar, além disso ele é o único nesta sala que pode fazer uma poção perfeita, os outros não conseguem fazer nenhuma decente, ele se encontra tranquilamente lendo um livro de Artes das Trevas, ocasionalmente se esquivando de um feitiço ou outro, não entendo como ele consegue, acho melhor eu falar com ele depois da Reunião, ele pode ser valioso já que sua mente é muito protegida sendo um Oclumente e Legitimente natural, talvez eu possa o fazer meus espião, estou preste a parar  a briga, entretanto algo acontece antes, as luzes da sala piscam o fogo vermelho muda para verde, as sombras parecem se mexer até que encaminha até a cadeira da outra ponta da mesa, aos poucos as sombras tomam a forma de um homem alto de pele pálida, seus cabelos eram cacheados e negros indo até o ombro, suas unhas um tanto grande batiam na mesa, pareciam ser afiadas, mas o que me surpreendeu era seus olhos negros, ali residiam um brilho de maldade e crueldade que parece rivalizar com a minha, em sua cabeça residia uma coroa de ossos, com ônix aqui e ali e no meio uma gema que parecia de sangue, e em seus ombro se encontrava um manto longo que descia até o chão, coisa pareciam se contorcer nele, ele usava um terno todo negro, sua camisa também negra, suas mangas com abotoaduras de caveira com gemas verdes nos olhos, seus sapatos parecem até feito de pele humana os quais ele apoiava em cima da minha mesa, não sei quem era mas grito e falo.

- QUEM É VOCÊ!?

Que esse homem pensava  que era para invadir esse lugar e ainda se sentir como se estivesse em casa, eu já estava em pé e aponta o dedo para ele, foi quando em seu rosto se formou um sorriso, eu podia ver seus dentes levemente pontiagudos, sua postura mudou, ele estava ereto agora, suas pernas cruzadas e as mãos cruzadas no colo e ele diz.

- Eu sou o que você mais teme, mas o que você mais quer, quem sou eu? - Ele entorta a cabeça para o lado, como se falasse com uma criança - Tenho muitos nomes, Lúcifer, Plutão, mas prefiro que me chame de Hades, agora sabe quem eu sou? - Foi quando Severo pulou da cadeira, em seu rosto em via estupefação e admiração e ele diz.

- Você é Hades em grego clássico: Ἅιδης ou Άͅδης; transl.: Haides ou Hades, na mitologia grega, é o deus do mundo inferior e dos mortos .Equivalente ao deus romano Plutão, que significa o rico e que era também um dos seus epítetos gregos, seu nome era usado frequentemente para designar tanto o deus quanto o reino que governa, nos subterrâneos da Terra. Consta também ser chamado Serápis deus de obscura origem egípcia, você é imortal! - Olho para Snap chocado eu não esperava que ele soubesse tanto e digo.

- Coloque as mãos em cima de mesa, menos Snap. - Assim que dei a ordem todos fizeram e Hades continuava com aquele sorriso maléfico. - ELFO! venha cá. - Chamei um elfo doméstico que logo apareceu. - Leve Snap e Hades para o escritório e depois se retire.

Assim que dei a ordem ela levou Snap e Hades para o escritório e eu levantei minha varinha apontando-a em direção aos que restaram na sala.

- Obliviat!

Assim que apaguei a memória deles,porque ninguém mais deveria saber o porque de Hades estar aqui, começo a me dirigir pelos sinuoso corredores da Mansão, na minha mente ideias iam passando, porque um Deus iria vir até, principalmente um deus dos Mortos, ao chegar no escritório vejo uma cena estranha, Snap e Hades numa conversa animada, Hades novamente como se fosse o dono da casa se sentou atrás da mesa, o que me sobrou foi uma cadeira em sua frente, bufo e me sento imediatamente Severo se cala, ele era jovem, mas eu sei que ele é um ótimo Comensal, olho para Hades e pergunto.

- O que um deus quer aqui?- Pergunto com um sorriso irônico no rosto, ele murmurou algo sobre como ele pode ser filha dele e disse.

- Eu quero sua permissão para me casar com sua filha, Maria Di Ângelo! - Snap parecia confuso, olhei para ele em choque e me virei para Snap e disse.

- Snap? Na mitologia Hades é casado? - Eu não poderia deixar minha filha casar co que que já era casado, Severo nem pensou e disse.

- Segundo a mitologia, ele é casado com a deusa da primavera, a qual ele sequestrou, seu nome é Perséfones - Me viro para Hades com uma carranca e digo.

- Não darei a mão de minha filha para quem já é casado! - Disse sério, mas le simplesmente riu e disse.

- Não sou casado, Perséfones é minha melhor amiga, ela apoia o casamento, nós só fingimos ser casados para ela pode fugir do Olimpo - Ele parecia calmo, eu não entendo por que um Deus gostaria de se casar com a minha filha e digo.

- E por que você gostaria de se casar com ela? - Eu preciso saber se ele é bom o suficiente para minha amada filha e se ele é de confiança, ele suspira e diz.

- Eu a amo, desde que dancei com ela a noite toda no Carnaval de Veneza - Agora ele parecia mais humano, suas unhas curtas e os dentes normais, mas seu manto e sumiu, mas o coroa não e falo.

- Eu lhe dou minha benção, mas tem duas condições, primeiro, você nunca me esconderá de meus futuros netos, nem e dará eles o sobrenome Riddle para ele, e segundo, nunca irá trair minha filha - Se não dou um jeito de matar você, mesmo que seja imortal completei em meus pensamentos, mas nada disse e ele disse.

- Eu juro pelo estinge - Um raio soou lá fora - Agora Adeus!

E ele some em fumaça negra.

LEMBRANÇAS OFF

Foi o encontro mais estranho que eu tive em toda a minha vida, também foi naquele dia que eu soube que o Snap seria o meu maior confidente, depois de contar a ele sobre minha família, eu vi que ele me entendeu, desde então ele se tornou um confidente e o único que eu sabia que nunca me traria, um bom exemplo disso é que ele continua espionando por mim até hoje, tomará que ele esteja tratando bem o meu neto, me lembro exatamente de como ele era na última vez que eu o vi, foi no seu batizado em Veneza, ele estava nos braços do pai, a cidade inteira foi ver, Maria segurava a mão de uma menina de cabelos negros e olhos verdes, essa seria Bianca, o pequeno Nico nem tinha cabelo ainda, e dormiu durante todo o batizado, como ele deve ser agora? Será que tem os olhos verdes de Maria? Será alto? Ou Baixo?Como será sua personalidade, alegre e feliz como Maria, ou frio e sério como o seu pai e eu? E que lado nessa guerra ele vai estar? Por mais que eu diga que vou ganhar a guerra, não tenho certeza disso, porque a luz tem o maldito Potter! Ou seja se as trevas vencer e ele tiver do lado da luz, ele pode ser morto por um dos meus comensais, e se a luz vencer e ele tiver ao meu lado na guerra, ou ele irá morrer ou pior ir a Askaban, o melhor lugar para ele seria ficar neutro, assim ele não saíra ferido.

Penso em como devem tratar ele na escola, mas uma coisa me deixa confuso, só me falaram sobre o Nico, mas será que Bianca está viva? Meus olhos vão direto pra janela que dá direto para o cemitério, da qui eu posso ver quatro estátuas, uma de Antonnela, outra de Nico, mesmo que aparentemente ele esteja vivo e outra duas de Maria e Bianca, foi quando algo estranho aconteceu às sombra do cemitério se juntaram, de lá saiu um garoto, imediatamente eu sabia o que era e grito.

- RABICHO!

Só podia ser o meu neto.

NICO ON

Eu saio das sombras, na casa mais alta de Veneza, a Di Ângelo-Riddle Manor, caio de joelhos em meio ao cemitério, no meu coração eu sentia uma dor, como se mil facas o perfurace e lá abrindo cada ferida já feita nele, elas curava, mas sempre se abriram,eu podia ouvir elas lamentando por mim, elas sentiam a minha dor, mas não podiam curá-lá, levanto minha cabeça, de meus olhos caiam lágrima, mas essa pode não marcar meu rosto, mas marcam mais profundamente minha alma  e meu coração, e me vejo olhando as estatua das três pessoas mais importantes da minha vida, minha irmã,avó e mãe, não me lembro muito de minha avó, mas sei que ela era uma ótima mulher, vou primeira a da minha avó, ela morreu uma semana antes de Zeus matar minha mãe, diferente das estátuas da minha mãe e irmã, ela tinha rosas vermelhas entalhadas em sua cabeça, pés e mãos, me ajoelho em sua frente e lágrimas caem de meus olhos, eu não trazia rosas para ela, mas eu não a amava menos, cada Di Ângelo tem uma rosa de acordo com sua personalidade, minha avó era a Rosa Vermelhas, as mesma gravadas em sua estátua, que eram enfeitiçadas para mudarem de aparência de acordo as pessoa cresce e elas param quando a pessoa morre, minha avó tinhas rosas vermelhas, porque ela amava com tudo que tinha e protegia fielmente quem amava, em pedra estava escrito em Italiano, "Il sangue rosso è nato, nato nel cuore, amato veramente colui che amava il suo cuore, la nonna di Lady Ângelo, la madre e la donna amata, quella che vedeva l'amore nell'essere che vedeva solo il dolore, anche Antonnela Di Ângelo Riddle , Moglie di Voldemort, protettore d'Italia e difensore di uguaglianza del sangue " ("A rosa vermelho sangue, nascida entalhada em seu coração, amou ferozmente a quem seu coração amou, a Lady Di Ângelo avò, mãe e mulher amada, aquela que viu amor no ser que só via dor, aquela que também foi Antonnela Di Ângelo Riddle, Esposa de Voldemort, Protetora da Itália e Defensora da Igualdade do Sangue"

-La nonna mi piacerebbe? Mi piace anche gli uomini? Mi manca (Vovó você me amaria? Mesmo eu gostando de homens?Sinto sua falta)

Tinha dor em minhas palavras porque eu só queria quem se orgulhasse de mim, lágrimas caem de meus olhos e no solo onde elas caem se forma um anjo em manto negro e em suas mãos um buquê com rosas vermelhas, as rosas que representam minha avó.

Vou até a estátua da minha mãe, ela não tinha rosas entalhadas, acho que ninguém nunca soube o que entalhar para ela, acho que quem a visse pensaria em rosas douradas como o sol, já que para onde ela passava ela trazia alegria, mas ela era uma rosa tão negra, quanto o seu amor por meu pai, ela foi a mulher mais corajosa que eu já conheci, sempre pronta para ajudar, assim começo, primeiro faço uma coroa de flores e coloco em sua cabeça, outra coloco em sua mão, e as últimas 3 aos seus pés, me ajoelho em frente a sua estátua minha mãe sempre foi muito corajosa e prestativa, me pergunto em que casa ela foi olho para sua lápide "Una leonessa è morta e il mondo piange, una rosa che tutti pensavano era d'oro con la luce che portava, ma era nera come l'amore che giaceva nel suo cuore, Maria Di Angelo Riddle, madre esemplare, figlia e moglie , Animago di Leone, Principessa d'Italia e Regina dell'Interno " (Uma leoa morreu e o mundo chora, uma rosa a qual todos pensavam que eram dourada com a luz que ela trazia, mas ela era tão negra quanto o amor que residia em seu coração, Maria Di Ângelo Riddle, mãe, filha e esposa exemplar, Animaga de Leoa, Princesa da Itália e Rainha do Submundo)

-Madre? So che il tuo spirito è stato distrutto, ma mi piace pensare che mi interessa, perché ti amo! (Mãe? Eu sei que seu espírito foi destruído, mas gosto de pensar que você zela por mim, porque eu te amo!)

As lágrimas caem de meus olhos e a mesma coisa acontece no chão, asas se formam, mas invés de rosas vermelhas são rosas negras, eu tenho minhas lembranças, mas eu sinto muita falta dela, de seu abraços e da música que ela cantava para mim, de sua voz doce, me acalmando sempre que eu precisa-ce.

Vou até o da minha irmã e literalmente caio deitado, ela foi o meu pilar por muito tempo, sinto tanta sua falta, eu queria que ela esperasse por mim, mas eu sei que ela era livre e não se prenderia a ninguém, muito menos eu, para que eu sirvo? Nem salva-lá eu pude, ás vezes sinto que tudo isso é minha culpa, começo a pôr as rosas, eram brancas já que ela era pura, inocente e imaculada, faço novamente a coroa de rosas brancas em sua cabeça, outras três aos seus pés e uma única em sua mão, toco em sua lápide que diz "Pure, innocenti, sempre bravi e aiutando tutti, la figlia di Hades, nipote di Voldemort, cacciatore di Artemide, ha portato la luce come sua madre, anche se nel suo ritorno solo l'oscurità" ("Pura, inocente, sempre boa e ajuda a todas, a filha de Hades, neta de Voldemort, caçadora de Ártemis, trazia a luz como sua mãe, mesmo que em sua volta só houvesse trevas") e antes que eu diga algo,uma varinha é encostada em meu pescoço me viro e…

 


Notas Finais


ME DIGAM OQUE ACHAM!?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...