História Niente Máfia - Interativa - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Katekyo Hitman Reborn!
Personagens Chrome Dokurou, Dino Cavallone, Gokudera Hayato, Haru Miura, Kozato Enma, Kyoko Sasagawa, Kyoya Hibari, Lambo, Personagens Originais, Reborn, Rokudo Mukuro, Tsunayoshi "Tsuna" Sawada, Yamamoto Takeshi
Tags Interativa, Katekyo Hitman Reborn!, Khr, Mistério, Niente Máfia, Romance
Visualizações 14
Palavras 1.545
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yoo, minna! Como estão vocês? Sentiram saudades?
Eu aposto que vocês esqueceram completamente da existência dessa fanfic... '-' (Com uma boa justificativa, né?)
Esses últimos dois anos andei muito desanimada para escrever, cada vez as coisas estão ficando beem pior. Vocês não tem noção do quanto me esforço para ficar escrevendo apenas um mero paragrafo.

Bom... eu estava planejando dois capítulos, um para a Sonya e a outra para o Andrew, mas na vida nada sai exatamente como pensado. Este capitulo - que ia aparecer a Sonya - tinha dado mais de 3 mil palavras, eu decidi dividir em dois capítulos, em outros palavras, vai ser três capítulos! E estou começando a escrever outro capitulo!

Apenas desejo... Boa leitura, meus queridos e minhas queridas hitmans! Espero que gostem! ;)
Kissu/Abraços com doces! =3=

Capítulo 5 - Pagamento é somente em dinheiro - parte I


[Marcus Narração]

Eu perambulava nas ruas em uma das cidades da Rússia a procura de um informante da Organização do “Ciclo”, um pouco antes de começar os preparativos para executar a missão. Eu precisava ter mais informações confidenciais sobre o paradeiro de uma certa pessoa e acertas algumas contas.

– Hum... _comecei a sentir olhares nada amigáveis vindo em minha direção, uma vontade sanguinária incontrolável. Facilmente poderia ser sentida por qualquer pessoa que tivesse experimentado essa sensação.

Eles pareciam ter muita confiança em suas habilidades para estarem mostrando as suas localizações com sua sede de sangue. Eu deveria parabenizar a tamanha coragem. Pouquíssimos tem uma atitude direta e simples com os seus objetivos hostis, mas também tornavam as suas maiores fraquezas.

– Parece que vou ter um aquecimento... _espreguicei com um pouco de tédio. – Olá, camaradas. _apareci no meio deles, saudei sacando a minha lâmina avermelhada. De imediato, eles começaram a atacar loucamente, como se eu fosse um cordeiro no meio de uma matilha de lobos famintos.

Os movimentos eram lentos demais comparados aos ataques rápidos e precisos da minha prima. Eu desviava com a maior facilidade dos golpes com armas cortantes. Eles não eram idiotas ao ponto de atacarem com armas de fogo. O grupo era considerado grande pelos números de mercenários juntos, e usar armas de fogo acabaria atingindo os próprios membros.

– Cansei de ficar brincando com vocês. _falei desviando um dos golpes e atravessei a minha espada no coração do homem como fosse manteiga. E rapidamente retirei fazendo jorrar sangue e girei o meu corpo me abaixando cortando horizontalmente o outro homem ao meio. Antes de algum sangue espirar em mim, afastei para atrás numa fração de segundo.

Em seguida, eu pulei mais alto que podia com minha chama do céu e formei uma pequena esfera com a minha chama da noite. Eles não pareciam querer me perseguir e estavam prestes a pegar suas armas de fogo, quando taquei a esfera neles:

Esplosione nera della morte. _e uma enorme explosão de chamas negras aconteceu dizimando todos, mas para não causar danos as construções deixei as chamas do céu circundando os prédios e o chão. – Bons sonhos. _falei em russo, pousando no chão levemente, sem sofrer nenhum dano.

Eu continuei o meu trajeto calmamente, não demorei para chegar ao meu primeiro destino e entrei num simples e luxuoso bar. E quando caminhava em direção ao balcão para conversar com o barman, senti olhares debochando de mim. Particularmente, eu não acostumo a dar importância para esses tipos de coisas, mas ao tratar-se de um bar com clientes mafiosos era um pouco complicado.

– Ei, pirralho. _um homem com a famosa pança de chopp chamou a minha atenção. Dava para sentir o cheiro forte de bebida alcoólica de longe e sua cara estava muito vermelha, ele estava completamente bêbado. – Você não deveria estar dormindo com a mamãe? Esse horário crianças deveriam estar em casa. _brincou dando gargalhadas.

– Obrigado pelo conselho, tiozão. _sorri sadicamente para ele. – O sobrinho aconselha não beber muito nesse momento, você pode ser morto antes que perceba. _avisei sem demostrar nenhuma aura sanguinária.

– Eu aconselho vocês não fazerem nada contra esse júnior, ele é um cliente muito valioso. _disse o barman em seu tom simpático, o seu nome era Boris. Um homem muito bem conservado, nem aparentava possuir mais de 40 anos, a sua aparência era como de um adulto um pouco mais de 30 anos. O seu cabelo era um pouco enroladinho com uma coloração castanha clara e seus olhos eram azuis.

– Não precisava fazer isso, Boris. _sentei numa das cadeiras do balcão. – Eu estava me divertindo com a ignorância deles. _comentei rindo um pouco. – O seu chefe se encontra? _perguntei normalmente.

– Claro, espere um momento. _disse Boris educadamente terminando de limpar uma taça. – Tente não matar nenhum cliente, Sr. Sawada. Eu agradeceria imensamente. _dizia ele indo para dentro.

– Matar? Eu nunca faria isso. _fingi estar espantado como um completo inocente, mas Boris tinha entendido perfeitamente a minha ironia. – Ei, vocês pertencem a qual máfia? _perguntei querendo distrair um pouco antes de tratar os negócios.

– Kryla[Asas]. _respondeu um dos homens de uma forma arrogante. Eu fiquei incomodado ao ouvir esse nome, me trazia lembranças que deveriam ser esquecidas. – E você, garoto?

– Eu não pertenço a nenhuma máfia, apenas sou um mercenário. _respondi com a maior tranquilidade.

– Garoto, você já pertenceu uma máfia antes? _perguntou outro cara parecia estar prestando atenção na conversa. Ele parecia ser o companheiro de equipe do homem, que tinha perguntando sobre mim.

– Sim, isso faz a muito tempo. _respondi normalmente.

– O meu senhor deseja que você compareça em sua sala. _Boris chegou com uma expressão séria. E abriu a porta do balcão, possibilitando a minha passagem.

– Obrigado. _agradeci a Boris com educação e andei em direção ao escritório. – Eles parecerem estar muito atenciosos. _comentei ao senti ser observado em certas direções, eles tinham instalados câmeras.

Eu não demorei para chegar em frente de simples e luxuosa porta de madeira, em sequência ouvi uma voz vindo de trás da porta:

– Entre, Sawada-san. _dizia uma voz masculina muito grave, o seu sotaque russo era bastante visível em seu japonês. Eu achava compreensível, porque eu demorei um ano para retirar o meu sotaque italiano das outras línguas, principalmente do japonês e do inglês.

– Boa tarde, Ivan-san. _entrei no recinto.

Observei um homem aparentando estar nos seus vinte anos e poucos anos, sentado em sua mesa com um olhar sério observando as suas papeladas. Ele tinha cabelos loiros clarinhos consideravelmente um pouco comprido e seus olhos eram castanhos clarinhos que sempre possuíam uma expressão hostil. Sua pele era muito clara, eu aposto que brilhava na luz do sol. Ele possuía um porte físico visivelmente trabalhado e sua altura deveria estar entre 1,90 m.

– Boa tarde, Sawada-san. _ele cumprimentou de volta. – Quais assuntos você tem a tratar comigo? _perguntou interessado, pois raramente eu vinha pedir informações para ele.

– Eu queria saber o paradeiro desse homem. _coloquei uma foto em sua mesa, no mesmo instante ele pegou um papel e escreveu a localização. – Obrigado. _agradeci ao ler a localização e guardei o papel comigo.

– Não precise preocupar com o pagamento dessa vez. _disse Ivan antecipadamente. Ele lançava um olhar com segundas intenções muito maliciosas, e senti um calafrio percorrer o meu corpo inteiro. – Em troca disso, eu quero uma coisa das suas coleções.

– Infelizmente, Ivan... nenhuma das minhas coleções estão disponíveis para negócios. _perguntei normalmente, disfarçando o meu desconforto. – Eu posso pagar em dinheiro o custo delas.

– Por mim, tudo bem. _soou um pouco satisfeito. – O que traz por aqui? Você sempre aparece quando está indo fazer uma missão. _ele falava, enquanto servia uma taça de vinho para mim. – Apenas uma taça não faz mal a ninguém.

– Agradeço imensamente a cortesia, mas devo recusar. _recusei com tranquilidade. Eu não aceitaria uma bebida oferecia por outro mafioso, principalmente se somente tivermos uma relação de negócios. – Não poderei fazer a minha missão se estiver bêbado. _inventei um motivo justificável para não beber aquela taça de vinho.

– Entendo. _soou compreensível, mas não parecia se contentar com a minha resposta. Eu podia observar muito bem suas intenções, ele não desistiria facilmente de fazer eu beber essa taça de vinho. – Pelos meus conhecimentos para você começar a ficar bêbado seria necessárias quatro garrafas dessas.

– Onde você ouviu isso? _saquei a minha espada. – Não entenda mal, eu não tenho nenhuma intenção de fazer você o meu inimigo. _comentei ao ver uma certa hostilidade em sua expressão. – Bem, aqui está o meu pagamento. _abri um pequeno portal e retirei uma maleta de dinheiro.

--- Quebra de Tempo ---

– Aqui possui muitas pessoas... _observei o meu entorno e percebendo uma movimentação muito grande no local. Eu perseguia o meu alvo pacientemente, esperando o momento para atacar sem chamar atenção nas minhas ações para as pessoas que passavam no lugar.

– "Mars, onde você está?" _a voz da Rose soou em minha mente.

– "Estou prestes a completar a minha missão." _respondia telepaticamente. – "Por quê?" _questionei um pouco preocupado.

– "Apenas vim avisar que a Mama está começando a fazer o jantar." ­_ela avisou animadíssima, provavelmente estava prevendo a Mama dando sermões em mim.

– "Fodeu... Quanto tempo eu tenho?" _perguntei.

– "Relaxa, você tem uma hora e meia." _ela respondeu normalmente.

– "Se você não chegar a tempo, nós te encobertamos." _dizia uma voz extremamente familiar.

– "Obrigado." _agradeci normalmente e cortei automaticamente a ligação telepática. – Ah... _percebi o que eu tinha feito. – Eu não quero voltar mais para casa... _lamentei profundamente em minha mente.

Se perguntassem para mim quais eram as piores coisas do mundo, eu responderia com a maior certeza do universo que seria levar sermões da Mama juntamente com a Rose.

– Melhor um do que dois... _murmurei comigo mesmo e acelerei um pouco os passos indo em direção do meu alvo. Ao passar perto dele, em uma fração de um segundo saquei a minha espada cortando as veias do coração localizadas em sua garganta, e fiz um “N” e cortando de forma diagonal a letra formando um desenho parecido com o símbolo do infinito. – Boa noite. _guardei rapidamente a minha lâmina continuando a andar tranquilamente.

Em seguida, apenas ouvi gritos dominados completamente pelo pavor daqueles que viram o homem caindo e jorrando sangue pela garganta repentinamente. Eu ignorei completamente o tumulto e teletransportei para o meu próximo destino...


Notas Finais


O que acharam do capitulo? Comentem! Eu juro que não mordoo!
Qualquer erro ortográfico ou gramático, peço desculpas... estou postando na correria aqui XD

Gente, eu sei que era para a Sonya aparecer neste capitulo, mas eu deixei para o outro capitulo (nyahahaha~)

Amanhã ou daqui alguns dias estarei postando a outra parte do capitulo, porque essa semana está uma correria danada... ¬¬' (e provavelmente esquecerei de postar a outra parte amanhã XP)

Kissu/Abraços com doces! Até a próxima! =3=


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...