História Nightingale - Capítulo 61


Escrita por:

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Alura Zor-El, Astra In-Ze, Cat Grant, Eliza Danvers, Hank Henshaw, James "Jimmy" Olsen, Jeremiah Danvers, J'onn J'onzz "John Jones" (Caçador de Marte), Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor, Lucy Lane, Maggie Sawyer, Non, Personagens Originais, Winslow "Winn" Schott Jr.
Tags Supercorp
Visualizações 326
Palavras 1.805
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sei que demorei de novo, mas minha vida anda foda kkk
minha madrinha de minas veio aqui no PR visitar minha família ai já viu ne

Mas cap ta ai

Capítulo 61 - Alguns Meses


Kara e Lena estavam na cozinha terminando de preparar um café da manhã cheio de coisas saudáveis para Lyra e elas mesmas. As duas riam e brincavam, Kara sempre fazendo alguma gracinha ou piada ou provocando um pouco a morena. Lyra chegou e parou se debruçando sobre a bancada que separava a cozinha da sala e encarou as duas até que elas a notaram.

- Bom dia Lyra. – Falou a guitarrista com um sorriso enorme.

- Eu confesso, nesses ultimos dias eu achei que vocês eram silenciosas. – Falou ela suspirando e encarando as duas com uma expressão entre tédio e irritação. – Mas pelo jeito eu só me enganei mesmo. Lena, faça um favor e não deixe a Kara na seca por tanto tempo de novo, quem sabe assim vocês se controlem mais.

A morena ficou tão envergonhada que nem conseguiu responder, já Kara não sabia se ria ou se pedia desculpas o que fez a guitarrista ganhar um belo tapa. Mas logo depois Lyra começou a rir da cara das duas e Lena não teve como não rir também, mesmo estando muito vermelha.

 

------xxx------

 

 

- Eu não acredito que você fez isso. – Reclamava Kara sentada no banco da frente ao lado da morena que dirigia o carro de Lyra – Não acredito.

- Porque? É só que eu não quero realmente saber. – falou Lyra rindo no banco de trás. – Não é importante. E eu quero a surpresa.

- Foda-se! – Falou Kara ainda indignada. – Eu não quero a surpresa! Como vou poder começar a comprar os presentes pro meu sobrinho ou sobrinha se nem sei se vai ser um menino ou uma menina???? Como posso começar a planejar os nomes e apelidos e coisas que vou ensinar pra ele ou ela se não sei se é Ele ou Ela????

- Kara! – Cortou Lyra rindo. – Quem vai carregar essa criança sou eu! Quem vai ficar com a barriga enorme e com as dores nas costas sou eu! Quem vai dar a luz sou Eu! – Falou ela ainda rindo. – E eu não quero saber antes do bebê nascer e pronto.

- Então deixa o médico descobrir e contar só pra mim. – Falou Kara como se fosse a coisa mais obvia a se fazer.

- NÃO! – Gritou Lyra, mas ela continuava rindo da cara indignada que a guitarrista estava fazendo. – Se eu não vou saber ninguém mais vai e ponto final.

- Tá! Já chega as duas. – Falou Lena se segurando para não rir. – Kara, se a Lyra quer assim nós não temos o que discutir. É a vontade dela e a mãe do bebê é ela então não temos o que falar mesmo nós duas sendo as tias e madrinhas e tudo o mais. E Lyra, por favor, reconsidere essa decisão. Eu também estou morrendo de vontade de saber se é menino ou menina.

- Não Lena! Eu não vou saber e nem ninguém mais vai. – Insistiu Lyra cruzando os braços, mas com um pequeno sorriso. – Mas como você está sendo gentil ao me pedir isso eu posso prometer pensar no assunto até a próxima consulta e o próximo ultrassom. – Disse ela sorrindo e fazendo Kara rolar os olhos.

 

 

------xxx------

 

- Me deixa levar vocês ao aeroporto. – Choramingava Lyra com uma expressão triste enquanto Kara e Lena colocavam as malas perto da escada.

- Não, Lyra. – Falou Lena se virando para a amiga. – Eu não quero você dirigindo na estrada assim, ainda mais de noite.

- A Lena tem razão. – Concordou Kara abraçando a outra de lado. – Nós voltamos o mais rápido que pudermos, Lyra. Não fica assim. – Falou a guitarrista sendo abraçada por uma grávida chorosa.

- Vou te ligar todos os dias. – Disse Lena abraçando as duas. – E vamos conversar horas, eu você e a Kara. Você vai ter que nos contar até quantos centímetros sua barriga cresceu e tudo o mais que te aconteceu o dia todo pra gente saber que você está se cuidando.

- Ok, é bom ligarem mesmo. – Falou Lyra soltando um braço de Kara e abraçando com ele a morena. – Eu vou sentir tanta falta de vocês.

- E Lyra. – Disse a maior fazendo a amiga encará-la. – Promete que vai procurar a minha mãe e contar tudo pra ela. Explicar certinho o que você e o Lex fizeram antes dele morrer e mostrar as assinaturas que ele deixou no contrato com a clínica.

- Você sabe que eu não quero a sua mãe regulando a minha vida, não sabe? – Perguntou Lyra ficando emburrada e cruzando os braços.

- Sim, eu sei. Mas você não tem que deixar ela controlar nada sobre você. – Falou a morena com uma paciência enorme. – E depois, quando o bebê nascer ele vai ser registrado com o nosso sobrenome. Além disso ela é a avó dessa criança, ela tem o direito de poder acompanhar a sua gestação.

- Queria saber a quem você puxou pra sair assim tão sensata. – Murmurou Lyra com um sorriso calmo. – Ok, eu prometo. Vou procurar a Sra. Lilian Luthor amanhã de manhã e explicar toda a situação pra ela.

- Minha mãe sempre gostou de você, Lyra. – Disse Lena sorrindo. – Ela vai acreditar, ainda mais depois de você mostrar os contratos e toda a documentação.

- Não sei não se ela ainda gosta de mim. – Falou Lyra rindo. – Não depois de todos na cidade estarem sabendo que eu deixei você e a sua namorada morarem comigo por quase um mês. Eu nem imagino o que esse povo pode estar especulando.

- Gente idiota fala demais. – Resmungou Kara, mas Lena apenas riu.

- Não me importo nem um pouco. – Falou a morena antes de abraçar novamente a amiga. – Eu vou sentir sua falta, Lyra. Vê se cuida de você e dessa criaturinha que tá crescendo aqui dentro. – Falou ela antes de sorrir e se abaixar na frente de Lyra. – E você. – Falou a lutadora com as mãos sobre a barriga da amiga. – Seja bonzinho ou boazinha com a sua mamãe. Não a chateie muito e se ela fizer algo que não deve você pode até dar um chutezinho pra avisar ela.

- Minha vez. – Falou a guitarrista depois da morena levantar, Kara abraçou Lyra dando um beijo no rosto da mesma ante de se abaixar e colocar o rosto bem perto da barriga da outra. – Sua incrível tia vai, mas ela volta logo, ok bebê? Não deixe a sua mamãe aprontar enquanto eu e a tia Lena estivermos longe, ouviu? Eu não sei como chamar você ainda, por culpa da sua mãe, mas saiba que eu já to preparando as nossas primeiras aventuras.

- Ai eu vou sentir muita saudade de vocês. – Choramingou Lyra abraçando as duas de novo e chorando um pouco. – Eu vou me cuidar, prometo pra vocês. E vocês duas se cuidem também e nada de se machucar desse jeito de novo Lena, não me deixe preocupada desnecessariamente.

- Nós vamos nos cuidar sim Lyra. – Falou Lena sorrindo.

Então Kara e Lena beijaram o rosto de Lyra ao mesmo tempo fazendo a outra rir. Lyra ainda chorou um pouco enquanto elas colocavam as malas no carro, mas ela sabia que não seria por muito tempo que ficaria sem ter as duas por perto.

No dia seguinte, quando contou a Sra. Luthor sobre a gravidez, Lyra passou por momentos bem estressantes até conseguir provar para a quase sogra que a criança era mesmo do Lex.

No fim Lilian não teve tantas dúvidas por reconhecer a letra do filho e porque ela sabia o quanto Lyra havia amado e ainda amava Alexander.

Como Lyra temia, ela insistiu em estar presente durante a gestação, mas exigiu também que, depois do bebê nascer, ele teria que passar por um teste de DNA para comprovar a paternidade de Alexander, exigência com a qual Lyra concordou e apoiou.

Nos meses seguintes Kara conseguiu um contrato onde a banda gravaria um EP com 5 músicas que seriam distribuídas em algumas rádios. Se tudo desse certo com uns seis a oito meses eles conseguiriam a gravação de um álbum maior e talvez até um contrato maior.

Já Lena conseguiu se recuperar muito bem da ultima lesão e, apenas 4 semanas depois de terminado o período de recuperação, ela já tinha voltado ao peso ideal e a sua costumeira condição física.

O inverno chegou com relativa força no Texas, mas Lyra contava que em Oregon a neve já cobria bem as ruas em alguns dias e que em outros o frio era bem presente. As festas de fim de ano se aproximavam e tudo se coloria para o natal.

No final de dezembro, perto do dia 20, Lena voltou a lutar. Uma adversária com duas lutas e duas vitórias, uma por pontos e outra por submissão.

Mas a morena ganhou facilmente depois de conseguir imobilizar a outra e torcer o braço da oponente. Vitória essa que rendeu a visita de um Pablo contentíssimo trazendo elogios de sua chefe.

Perto do ano novo a morena recebeu a notícia de que o lançamento dos produtos exclusivamente destinados à mulheres da empresa que a patrocinava estavam para acontecer e que a dona da empresa queria que ela gravasse um pequeno comercial para a divulgação da linha de produtos junto com uma sessão de fotos para as propagandas.

Kara não ficou muito contente foi com a data marcada para a gravação que coincidia com um dia de gravações importantes de forma que a guitarrista não sabia se conseguiria ir com sua morena para as tais gravações.

Quanto a Lyra, tudo parecia ir muito bem com ela e o bebê, exceto que a futura mamãe teve de proibir a futura avó de ir com ela as consultas. Lyra não a queria nas consultas porque sabia que ter ela lá não seria como ter Lena e Kara então ela preferia ficar sozinha. Claro que isso não agradou Lilian, mas Lyra insistiu até que conseguiu.

No fundo Lyra não gostava de ter Lilian tão perto, o fato da mulher simplesmente ignorar que Lena tinha estado ali a pouco tempo a irritava profundamente, mas pra seguir um pedido da morena Lyra resolveu aturar.

Lena e Kara passaram todas as festas de fim de ano com os Zor-El na casa da guitarrista com toda, ou quase toda, a banda e os amigos da academia da morena que vieram no ano novo também. O namoro das duas era cada vez mais sério e a cada dia que se passava era possível notar o quanto uma se sintonizava mais com a outra.

Em alguns meses a lutadora e a guitarrista já eram confundidas com casais de longa data o que deixava ambas muito felizes porque era a prova de que elas davam certo. E com isso mudou o ano e as coisas começaram a se encaminhar para o campeonato entre academias ser finalmente organizado.

Tudo parecia correr bem. Bem até demais.


Notas Finais


Até o proximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...