História Nightmare - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Akatsuki_black, Automutilação, Auto-mutilação, Bts, Depressão, Hentai, Horror, Jikook, Jimin, Jungkook, Mistério, Namjoon, Personagens Originais, Pesadelos, Sexo, Terror, Vingança, Violencia, Yaoi, Yoongi
Visualizações 94
Palavras 2.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


QUE OS JOGOS COMECEM!!!! QUEM SERÁ A PRIMEIRA VÍTIMA DE JEON JUNGKOOK???? SÓ LENDO PRA SABER...

Capítulo 8 - King of Nightmares


NIGHTMARE

Chapter Eight

King of Nigtmares

Dois meses. 

Já haviam se passado dois meses após a morte de Jeon Jungkook, mas parecia que aquilo não havia abalado muito as pessoas da cidade de Busan. Bastou apenas quatro semanas para todos os habitantes da cidade esquecerem-se do que havia acontecido ao pobre garoto. 

A policia havia feito algumas investigações e haviam chegado a conclusão de que aquilo havia passado de um terrível acidente. Os jornais haviam dito que Jeon Jungkook havia apenas caído na piscina e se afogado, já que não sabia nadar. 

Jimin e Namjoon estavam seguindo suas vidas normalmente. Apesar de parecerem que não sentiam remorso algum e que não se importavam sobre o que haviam feito, pensavam naquele fatídico dia algumas vezes. 

Jimin até sonhava com o garoto. Sonhava sobre o afogamento de Jeon e as vezes se sentia terrivelmente mal por aquilo... Mas não tão mal ao ponto de se importar. 

Mas por algum motivo inexplicável, Jungkook ainda estava lá... Observando-os, vigiando-os e planejando em como se vingaria de todos eles. 

Após sua morte, toda a raiva, ódio, tristeza e ângustia o transformaram em um ser que nunca imaginou virar... Estava esperando o momento certo para sair das sombras onde se escondia e dar o primeiro passo. 

E aquela era a hora. 

[...]

A multidão de alunos andava pelos corredores, conversando e rindo animadamente. O final do ano e as provas finais já estavam ficando bem próximas, e todos estavam ansiosos para fazerem as provas e passarem de ano logo. 

Depois do "acidente" que ocorrera à dois meses, as piscinas foram interditadas,  mas bastou apenas um curto período de tempo que todos pareciam ter se esquecido do que havia acontecido... Menos algumas pessoas. 

Aqueles que haviam atormentado o Jeon mais do que as outras pessoas, nunca haviam esquecido do dia da morte do garoto, até eram atormentados com sua morte em seus sonhos. 

Park Jimin e Kim Namjoon eram os que mais eram atormentados. O rosado não conseguia nem dormir direito, o sentimento de arrependimento o consumia dia após dia, mais e mais forte a cada segundo que se passava, junto com o sentimento da culpa pesando em seus ombros. 

Namjoon também se arrependia e se sentia culpado por também não ter feito nada e ter agido tão friamente naquele momento tão trágico e assustador. Porra, nem para ajudar Jimin a tirar o corpo de Jungkook da água... 

Min Yoongi apenas sentia falta de tocar no corpo de Jungkook, mesmo que fosse a força. Não sabia o que havia acontecido verdadeiramente naquelas piscinas, mas não era como se se importasse o suficiente para sentir pena e arrependimento perante Jeon. 

Kim Taehyung parecia ser o único que se arrependia verdadeiramente e que se sentia extremamente culpado pelas coisas terríveis que havia feito ao acastanhado. Sonhava com os dias que havia o atormentado até o momento de sua trágica morte. 

Mas ninguém parecia demonstrar o que sentia de verdade... Era um mistério a ser resolvido. 

Namjoon saiu apresado de sua sala, louco para sair daquele inferno e voltar para casa, para sua cama quentinha e aconchegante. Mas infelismente ainda ainda tinha que ser obrigado a suportar mais três aulas depois do intervalo. 

Chegou ao refeitório e se sentou juntamente com seus amigos. Na verdade, aquelas pessoas não podiam ser chamadas de amigas; elas só usavam umas as outras e apenas ligavam para si mesmas.

Roubou uma batata-frita do prato de  plástico de Yoongi, recebendo um xingamento do mesmo. Apenas ignorou aquilo e ainda lhe mostrou o dedo, mandando-o calar a boca por estar com uma terrível dor de cabeça.

Olhou para Jimin. O Park estava quieto e disperso em seus pensamentos. Após o acontecimento, o moreno nunca mais foi o mesmo; ficou mais fechado e calado, guardando todas as coisas e pensamentos para si mesmo. Não dava mais festas como antigamente e nem transava mais com as líderes de torcida - se que isso era mesmo importante -.

Jimin suspirou, largando sua lata de Coca-Cola pela metade na mesa, passando as mãos pelo rosto; Namjoon pôde ver olheiras profundas ao redor de seus olhos amendoados.

-Ei, algum de vocês viu o Taehyung por ai?-Suga chamou a atenção dos outros dois.

-Deve estar andando pelos corredores ou tentando levar mais uma garota para a sua cama.-o Kim respondeu sem interesse, pegando mais uma batata.

-Credo, vocês andam tão desanimados. E não são mais os mesmos desde...

Deixou a frase morrer. Ninguém ali gostava de falar sobre o acidente, nem mesmo os que não se importavam. Jimin fechou os olhos com força, a imagem de Jungkook desacordado na borda da piscina aparecendo em sua mente... Sentiu seu estômago embrulhar.

Até Namjoon havia perdido o apetite...

-Vou voltar para a sala.-Namjoon levantou-se da cadeira, passando a se afastar da mesa.

-Mas o intervalo mal começou.-Yoongi disse para o amigo.

-Não estou me sentindo muito bem...-foi tudo que Namjoon disse antes de sair do refeitório.

Sua cabeça estava a mil e parecia que iria explodir a qualquer momento, apenas queria fechar os olhos e tentar descançar um pouco, esquecer-se de tudo aquilo por alguns minutos ou talvez horas. Apressou o passo ao avistar sua sala e adentrou a mesma, encontrando-a vazia.

Sentou-se em seu lugar, retirando o moletom que estava usando e transformando-o em um travesseiro, deitando sua cabeça no mesmo.

Parecia que seus olhos pesavam uma tonelada e não demorou muito para o platinado os fechar de vez...

 

Abriu seus olhos em um salto, ajeitando sua postura e sentando-se em um solavanco em sua cadeira. Seus olhos acastanhados percorreram a sala de aula enquanto seu corpo inteiro se arrepiava por conta do ar gélido.

A sala estava escura e tomada pela podridão; mofo negro tomava conta do ambiente, se instalando nas paredes e no chão, apodrecendo e fazendo com que tudo entrasse em estado de decomposição.

Namjoon salto de sua cadeira, olhando ao redor com olhos arregalados. O que havia acontecido enquanto mantinha-se adormecido durante alguns minutos?

Saiu a passos rápidos da sala, encontrando o corredor no mesmo estado e vazio. Fazia muito frio e a noite reinava lá fora, entrando pelo colégio. Namjoon não queria admitir, mas estava com medo - muito medo -.

E era disso que um certo alguém precisava...

O Kim passou a andar cautelosamente pelo chão sujo e podrido, sentindo fortes calafrios percorrerem sua espinha a cada passo dado. Assustou-se ao passar por um porta e ver três crianças brincando de pular-corda. Suas risadas arrepiaram até os pelos da nuca do platinado enquanto este engolia em seco e continuava a caminhar pelo corredor.

Quase gritou quando avistou a silhueta de alguém adentrar a sala de aula que estava a alguns metros de distância. Engoliu em seco e tomou coragem para adentrar o médio cômodo.

-Olá?-sua voz saiu baixinha e trêmula.

Não obtendo resposta e vendo que não havia ninguém ali, resolveu dar as costas aquele lugar e sair dali.

Rapidamente uma silhueta foi para cima de si, atacando-o no momento que havia se virado para a porta.

 

Namjoon gritou, sentando-se em um pulo. quase caindo de sua cadeira e indo de encontro ao chão. Suor escorria de sua testa e pescoço, ensopando sua camiseta; olhou ao redor apenas para dar de cara com um olhar interrogativo e curioso.

-Tá' tudo bem, cara?-Jimin perguntou.

Nam passou uma de suas mãos no rosto, respirando fundo várias e várias vezes. 

Havia sido apenas um pesadelo...

-Está... Está tudo bem.-Namjoon lhe respondeu.-Só foi um pesadelo.

Jimin assentiu, caminhando lentamente para o seu lugar. 

Namjoon sentiu uma ardencia começar a se fazer presente na palma de sua mão esquerda assim como algo quente escorrendo ali. Levou a palma até a altura dos olhos, arregalando estes quando viu o que havia ali.

Um grande corte por onde vazava sangue. 

Como aquilo havia parado ai? Aquilo ardia como o inferno e seu sangue já começava a pingar sobre a mesa. 

Franziu a testa. O que diabos havia acontecido?

[...]

Já havia se passado uma semana desde a última vez que Jimin e os outros haviam visto Namjoon. O platinado simplesmente havia dado um tempo na escola durante uma semana, não atendia ligações e não respondia suas mensagens. Os pais do Kim haviam dito que o filho estava estranho, agitado e passou a dormir muito mal.

Jimin estava sentado em uma das mesas da pequena e aconchegante cafeteria bebendo seu delicioso chocolate quente enquanto esperava por Namjoon. O Kim havia lhe enviado uma mensagem dizendo que queria conversar um pouco com o rosado.

Passou os dedos por suas medeixas rosas, olhando para a forte chuva que caia do lado de fora da grande janela da cafeteria. Suspirou e terminou de beber o líquido quente, abandonando o copo em cima da mesa de madeira envernizada.

-Mais alguma coisa?-a jovem garçonete perguntou, com um bloquinho de papel em punho.

Jimin olhou-a de cima a baixo. Apesar dos óculos de armação retangular escorregando hora ou outra pelo pequeno nariz, ela até que era bonitinha.

-Não, obrigado.-sorriu pequeno, observando a garota se afastar.

O som do pequeno sino ecoou pelo local quando a porta do estabelecimento foi aberta e Kim Namjoon adentrou a cafeteria coberto por um sobretudo negro e encharcado pela chuva, andando a passos rápidos em direção a Jimin quando avistou este.

-Cara, você está horrível.-o Park constatou o óbvio ao deparar-se com as olheiras abaixo dos olhos acastanhados do outro e com sua cara exaustiva.

-Preciso conversar com você.-Namjoon disse após tirar o capuz que cobria sua cabeça.

Pediu um café extremamente forte para a jovem garçonete de óculos e marias-chiquinhas, está até permitiu lhe dar uma piscadela antes de voltar para trás do balcão.

-E então? O que queria falar comigo?-Jimin perguntou, levando um pedaço do bolo de abacaxi que havia pedia até sua boca.

Namjoon manteve-se alguns segundos em silêncio antes de de dirigir a palavra a Jimin.

-Ele está me perseguindo.

Park franziu o cenho, tombando a cabeça um pouquinho para o lado.

-Quem está lhe seguindo?-perguntou.

Kim se manteve calado.

-Quem, Namjoon?

O platinado sugou um grande naco de ar para os seus pulmões antes de pronunciar o tão conhecido nome que passou a temer.

-Jeon Jungkook...

Jimin franziu ainda mais a testa.

-Jungkook? Mas, ele está morto....

-E ele está morto.-Kim olhou dentro dos olhos amendoados do menor.-Mas não nos sonhos.

-Que história é essa?-Jimin já estava começando a ficar irritado com aquilo.

-Ele me segue em meus sonhos, transformando-os em pesadelos... Ele se alimenta do nosso desespero e o nosso medo é como uma porta de entrada para ele.-as mãos de Namjoon tremiam enquanto este pronunciava cada palavra.-Ele virou um monstro, e não vai parar até completar sua vingança... Não ira parar até matar todos nós.

-Cara, você está usando alguma droga?-Park balançou a cabeça negativamente.-Jungkook está morto, você e eu vimos com nossos próprios olhos. Isso são só pesadelos.

-Eu estou falando a verdade, Jimin!

Jimin olhou para o corpo do maior. Ele todo tremia, e o rosado achava que não era por causa do frio; seus olhos mostravam medo e horror enquanto se mexiam de um lado para o outro.

Para Jimin, Namjoon estava tendo alucinações por causa dos acontecimentos que ocorreram à dois meses atrás.

Suspirou, bagunçando seus curtos cabelos com as mãos.

-Escute.-chamou a atenção do Kim.-Eu não sei o que está acontecendo realmente, mas eu vou tentar te ajudar.

Kim balançou a cabeça lentamente, concordando.

-Pode me trazer mais um café?-Nam pediu, olhando para o amigo.-Preciso me manter acordado.

-Pra que?

-Pra ele não entrar nos meus sonhos...

Park suspirou pela trilonécima vez naquela noite, leanvandando-se.

-Claro, apenas vou no banheiro e já volto.

Enquanto Jimin fazia suas necessidades e buscava por um café para o platinado, este tentava a todo custo manter seus olhos abertos, sentindo o pânico - que se tornou tão familiar para si - consumir seu peito.

Não podia dormir. Não podia dormir. Não podia...

Abriu os olhos após ter fechado-os por uma fração de segundos, olhando a cafeteria agora vazia e sentindo o ar antes quente graças ao aquecedor cair vários graus. Olhou para frente.

Sus olhos arregalaram-se.

Seu corpo estremeceu.

Jungkook estava parado no final do pequeno corredor da cafeteria. Usava um moletom azul-escuro sujo, rasgado e velho, uma calça jeans no mesmo estado e coturnos pretos. Em sua mão direita, jazia uma luva aveludada com lâminas que mais pareciam garras em seus dedos.

Um sorriso um tanto quanto maldoso e malicioso moldurava seus lábios rosados.

-Olá, Namjoon.

Ouviu a voz baixa e rouca ser sussurrada em seus ouvidos, denunciando que o moreno se encontrava atrás de si. 

Tão rápido quanto chegou atrás do corpo do mais velho, Jungkook pegou uma faca que estava sobre a mesa envernizada e a gravou sem dó nem piedade no pescoço do rapaz, fazendo com que o mesmo imediatamente começasse a se engasgar com seu próprio sangue acumulado em sua cavidade bucal.

-Bons sonhos, Namjoon.-Kookie deu-lhe aquele seu doce sorriso meigo e infântil antes de a visão de Kim Namjoon ficar totalmente enegrecida.

E então, finalmente, sua primeira vitima estava morta...


Notas Finais


E ai, o que acharam??? Até o próximo capítulo...
Beijos<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...