História Nightmare (DL) - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Leo, N, Ravi
Tags Abuso Sexual, Black Lemon, Dark Lemon, Drama, Lemon, Neo, Psicopata, Romance, Sadomasoquismo, Sequestro, Tortura, Tragedia
Visualizações 157
Palavras 2.433
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoal.
Curiosos pra saber como o Leo "descobriu" o mundo do sadomasoquismo?
No próximo capítulo o Hakyeon vai aparecer na vida do Leo.
Juro que estou morrendo de medo de postar os próximos capítulos, por que tem uma visão pessoal de um sádico e eu não sei se vou conseguir expressar esses pensamentos de forma que não fique parecendo que são um incentivo a atos violentos. Mesmo que eu sempre coloque os avisos é pisar em ovos, mexer com esse assunto.

***Alguns Avisos***

Esse capítulo contém ABUSO SEXUAL e VIOLÊNCIA, quero deixar claro que sou contra todo tipo de violência sexual. Quando não há consentimento não é sadomasoquismo e sim abuso sexual.
Se você MENOR DE IDADE ou for sensível a esse tipo assunto, por favor NÃO LEIA.

Espero que gostem do capítulo.
Boa leitura, até breve.

Capítulo 27 - Extra Leo 4: Namorado (im)perfeito


Na escola eu estava me saindo bem. Apesar de ter passado muito tempo sem frequentar um colégio e ter enfrentado dificuldades no início, em pouco tempo me tornei um dos melhores alunos da sala.

Meu único amigo continuava sendo Siwon. Sempre fazíamos os trabalhos juntos e ele sempre me ajudava em tudo. Ele me tratava muito bem e gostava de me ouvir, demonstrava interesse em tudo o que eu falava e essa sensação de ser valorizado era totalmente nova pra mim. Sem perceber eu comecei a sentir um grande carinho por ele. Era a única pessoa que conseguia me fazer baixar a guarda e me abrir de verdade.

Fomos nos aproximando cada vez mais e percebi que o que ele queria não era apenas amizade. Quando ele me beijou pela primeira vez eu notei que estava completamente apaixonado e não queria me afastar dele nunca mais.

Começamos a nos encontrar mesmo fora da escola.

Eu fui pra casa dele algumas vezes. Eu dizia aos pais de Ravi que estava indo fazer os trabalhos da escola na casa de um amigo. Não era exatamente mentira, eu só omitia a parte que nos beijávamos a maior parte do tempo e que ele tinha mais do dobro da minha idade.

Depois de alguns encontros ele começou a ir cada vez mais longe nas carícias. Eu o queria muito, mas ao mesmo tempo tinha medo.

Minha primeira vez com Siwon foi longe de ser prazerosa.

Apesar dele ser carinhoso e me preparar da melhor forma que podia, eu senti muita dor e não pude evitar pensar no que meu pai tinha feito comigo.

Mesmo vendo que eu estava desconfortável ele não parou. Eu nunca contei pra ele dos abusos que eu tinha sofrido.

Ele disse que no começo era normal sentir dor e logo ia passar. Só que não passou. Eu estava cada vez mais nervoso e isso fazia doer ainda mais.

Eu pedi pra ele parar diversas vezes, estava me machucando, mas ele continuou mesmo assim.

Depois que acabamos eu quis ir pra casa, mas ele me pediu pra ficar e tomar um banho lá. Eu acabei concordando. Tinha me tornado dependente de Siwon. Ele era a única pessoa em que eu confiava, que me dava todo carinho que nunca recebi na vida e não queria perde-lo.

Durante o banho ele entra no box sem avisar e começa a me acariciar. Eu me viro e falo que não quero. Estava com o corpo dolorido e só de sentir suas mãos em mim já comecei a ficar nervoso. Ele me beija e me empurra até me encostar na parede. Ele não tenta transar novamente, mas me masturba até eu gozar e depois me pede pra chupá-lo. Eu nunca tinha feito isso antes e tenho um pouco de receio, mas acabo fazendo o que ele me pediu.

Depois que ele me leva pra casa eu fico pensando no que fazer. Sei que agora ele ia querer fazer isso de novo nos próximos encontros. Eu não queria, mas achava que se me recusasse ele podia ficar bravo comigo ou até querer terminar.

Na semana seguinte ele me chama pra ver um filme na sua casa.

Enquanto assistíamos ele começa a me provocar de novo. Por um tempo não tenho reação, mas quando noto que ele queria ir até o fim, me levanto pronto pra ir embora.

-O que foi Leo?

-Eu quero ir pra casa.

-Por quê? O que aconteceu?

Eu não respondo apenas encaro o chão sem coragem de olhar pra ele.

-Pode me falar Leo. Não vou ficar bravo com você. Você não quer transar comigo, é isso?

Eu concordo com a cabeça e ele me chama pra sentar novamente ao seu lado. Me sento e ele passa o braço sobre meus ombros.

-Desculpe se estou sendo apressado demais. Eu vou respeitar seu espaço, só vamos fazer quando você quiser está bem?

Nos beijamos intensamente e eu me sinto aliviado em ouvir essas palavras.

Continuamos namorando escondido dos Kim. Apesar deles normalmente não interferirem nas minhas escolhas, querendo ou não eu devia evitar uma possível briga pela idade de Siwon.

Depois de alguns meses eu tenho minha segunda vez com ele e com certeza é bem melhor que a primeira. Eu já estava mais preparado e ele foi mais cuidadoso.

Um tempo depois ele me chama pra passar um fim de semana na casa dele. Eu aviso a senhora Kim que vou passar o fim de semana com meu namorado e ela me enche de perguntas para as quais eu já tinha preparado respostas satisfatórias. Eu tinha criado uma história detalhada sobre meu namorado que supostamente tinha dezoito anos e até mostrei uma foto de Siwon de quando ele era bem mais novo.

Ela não ficou plenamente satisfeita e disse que queria conhece-lo antes de me deixar ir, mas o senhor Kim apareceu e disse que eu podia ir e que ela se preocupava demais.

 

Eu já conhecia cada canto da casa de Siwon, mas nunca tinha dormido lá. Nós passeamos no sábado, ele me levou shopping. Fizemos compras fomos ao cinema e a uma pizzaria. Depois tivemos uma noite bem prazerosa na casa dele.

No domingo ele acordou cedo e disse que precisava fazer compras no mercado, mas eu podia ficar dormindo até ele voltar.

Apesar de cansado eu não consigo voltar a dormir e assim que ele sai tomo um banho e ligo a TV. Como nenhum programa desperta meu interesse desligo o aparelho e começo a observar melhor o quarto.

Vou até a estante de livros e procuro alguma coisa pra ler. Tiro alguns livros do lugar pra olhar a capa e acabo achando alguns álbuns de fotografia.

Por curiosidade começo a folheá-los e me surpreendo pelo conteúdo. Eram fotos eróticas.

Tinham três álbuns o primeiro só de mulheres nuas, outro de homens e no terceiro haviam os dois gêneros, mas o conteúdo era assustador.

Eles não estavam apenas nus como nos outros dois. Eles estavam amarrados, amordaçados e em posições muito estranhas.

Algumas fotos mostravam ferimentos e hematomas, mas estranhamente todas as pessoas na foto pareciam estar gostando daquilo. Eu estava tão chocado que não ouvi quando Siwon entrou na casa, só escuto quando ele já está guardando as coisas na cozinha e corro pra colocar os álbuns no lugar antes que ele veja.

Quando termino de guardar corro pra cama pra fingir que ainda estava dormindo, pouco depois ele entra no quarto.

-Vamos tomar café da manhã, Leo? Eu estou preparando panquecas.

Eu me levanto e vou com ele até a cozinha tentando não demonstrar que estava nervoso.

Aquelas fotos não pareciam tiradas de revistas ou sites pornográficos. Eram fotos amadoras, comecei a imaginar que o próprio Siwon as tinha tirado. Então ele era um sádico? Eu só descobriria se perguntasse e no momento não tinha coragem.

Depois do café ele me leva novamente pra passear. Desta vez vamos a um parque de diversões.

Quando voltamos já era quase noite e ele me leva de volta pra casa dos Kim.

 

Na semana seguinte quando vou a sua casa de novo me deparo com os álbuns abertos sobre a mesa de centro da sala e engulo seco.

-Eu já estava mesmo querendo te mostrar essas fotos, afinal estamos juntos há quase um ano. –Ele sorri ao ver minha expressão assustada. -Percebi que você mexeu na minha estante de livros. Sou muito perfeccionista e vi que eles estavam fora de ordem.

-Desculpe. Eu não queria ser intrometido eu só estava procurando algo pra ler.

-Não se preocupe. Venha aqui eu vou lhe contar sobre essas fotos.

Nos sentamos em frente a mesa e ele começa a me mostrar as fotos uma por uma me contando quem eram e quando ele tirou a foto.

Quando chegamos ao terceiro álbum eu fico nervoso ao ouvir as histórias, mas ao mesmo tempo acho aquilo excitante.

Depois desse dia ele começa a me mostrar vídeos pornográficos de sadomasoquismo. Também me mostra mais fotos e revistas sobre o tema e me dá até alguns livros.

Ele dizia que eu devia me preparar bem antes de decidir se queria aquilo ou não por que se começasse ele não iria mais parar.

Eu achava tudo aquilo extremamente excitante, mas eu não tinha a menor vontade de ser submisso, pelo contrário eu queria era dominar. Me sentir no controle e não ser controlado.

Conversei com Siwon e contei a ele o que eu queria, mas ele simplesmente riu e disse que se quisesse dominar teria que arrumar outro namorado por que ele jamais se submeteria a isso.

 

Mesmo depois de vários meses eu não permiti que ele me dominasse. Achei que ele me compreenderia já que tinha me dado escolha, mas ele se tornou frio comigo e me fazia sentir culpado por não atender seus desejos já que ele fazia de tudo por mim.

Mais uma vez eu acabei cedendo com medo de perder o seu carinho e atenção.

Eu odiei ser dominado. Ele me xingava e me batia sem dó. Me amarrou e amordaçou. Foi horrível ter que fazer sexo daquele jeito. Eu não estava excitado e não senti nenhum prazer, só dor e agonia. E desta vez eu nem mesmo podia pedir pra ele parar.

Ele me deixou preso por quase duas horas mesmo depois de ter terminado tudo o que queria. Eu jurei que nunca mais faria aquilo de novo.

Aquilo fez despertar em mim todo ódio que eu sentia do meu pai. Eu me senti exatamente como naquela época, usado, sujo e humilhado.

Depois de me soltar ele voltou a ser carinhoso e atencioso, mas eu estava com muita raiva. Me vesti e fui embora.

Ele me procurou no dia seguinte. Disse que eu não precisava fazer aquilo de novo se não quisesse e podíamos continuar o namoro como antes e eu idiota aceitei.

Continuamos namorando e ele realmente não me pede mais nada daquilo, mas continua me mostrando os vídeos e me comprando revistas e livros. Talvez na esperança de eu mudar de ideia.

No último ano do supletivo eu já começo a me preparar pra fazer o vestibular. Sou aprovado em uma faculdade pública e fico muito orgulhoso. Fazia questão de poder arcar com meus próprios estudos e não depender dos Kim.

Logo que comecei a faculdade procurei um emprego de meio período pra poder pagar os materiais.

O senhor Kim insiste que eu use o carro pra ir e voltar do curso já que ele usava o carro da loja e o outro estava sempre na garagem. Eu acabo aceitando, mas faço questão de encher o tanque com meu dinheiro.

Desde que eu contei aos Kim do meu namoro eu sempre passava um fim de semana por mês na casa de Siwon. A senhora Kim sempre me dizia que queria conhecer meu namorado, mas eu sempre arrumava uma desculpa pra não apresenta-lo.

No segundo mês que estou na faculdade estava passando mais um fim de semana na casa dele. Ele não tinha mais tocado no assunto das suas fantasias eróticas e eu não esperava que ele fosse fazer aquilo comigo.

Enquanto estávamos nas preliminares do sexo ele começa a querer me dominar e sem avisar prende um dos meus pulsos na cabeceira da cama com uma algema. Eu fico com raiva e começo a gritar com ele. Levo um soco no rosto e ele me manda calar a boca. Ele me bate e me domina contra minha vontade. Eu não deixo barato e ele também fica coberto de hematomas, mas eu estava em desvantagem por estar com um braço preso e ele consegue o que queria no final. Pela terceira vez fui estuprado pelo meu próprio namorado.

Pra mim isso foi a gota d’água. Eu não quis mais aceitar uma coisa dessas. Finalmente percebi que ele não me amava, apenas queria me usar.

Logo que ele me solta dou um soco na sua cara com toda minha força.

Ele cai no chão e eu parto pra cima dele. Eu tinha tanta força quanto ele ou talvez até mais e consigo deixa-lo em um estado deplorável.

Ele fica no chão gemendo de dor. Estávamos nus e ao ouvi-lo gemendo me vem uma ideia na cabeça. Pego a mesma algema que ele usou em mim. Com certa dificuldade o arrasto até a janela do quarto e prendo os seus pulsos a grade da mesma fazendo com que ele fique de pé com os braços esticados pra cima virado de costas pra mim. A janela dava pros fundos da casa então ninguém nos veria.

-Agora você vai sentir exatamente o que eu senti.

Eu pego os seus brinquedos no armário e faço tudo o que tenho direito. A parte que eu mais gosto é de bater nele com o chicote deixando marcas em todo seu corpo. Ele resistia bravamente e não soltou um grito sequer. Apenas gemia de dor quando não conseguia aguentar. Eu estava adorando essa sensação de poder e domínio. Agora sei o que ele sentia e por que não conseguia parar. Aquilo tinha me deixado excitado como nunca antes.

Depois de um tempo guardei todas as coisas de volta.

-Você já se divertiu o bastante não acha? Me solte logo daqui.

-Nem pensar, ainda falta a parte mais importante. –Me aproximei do seu ouvido. –Eu vou foder você, meu amor.

-Nunca.

Ele vira de frente tentando me chutar.

Não tenho dificuldade em contê-lo. O obrigo a virar de frente pra janela novamente. Eu o penetro sem fazer preparação nenhuma, queria que doesse .Beijo seu pescoço e vou movimentando o quadril. Queria que ele sentisse tudo o que eu senti. Eu o ouço gemer dolorido, isso me excita e vou ainda mais rápido. Não demoro muito pra gozar.

Me afasto e sento na cama curtindo a sensação.

 

-Me solta agora Leo. Isso não tem a menor graça.

-Jura? Eu estou achando muito engraçado ver você nessa situação. Você vai ter que implorar.

-Eu nunca vou implorar seu filho da puta.

-Então você vai ficar sozinho. Tchauzinho otário.

 

Me visto, pego minhas coisas e saio batendo a porta.

Nem me importo em como ele vai fazer pra sair dali. Pra dizer a verdade eu acharia divertido que ele fosse flagrado em uma situação tão constrangedora.

 

Bloqueio o seu número no meu celular e evito frequentar qualquer lugar que sei que posso encontra-lo. Depois de uma semana ele aparece na porta da faculdade, mas eu ignoro totalmente sua presença. Ele não teria coragem de fazer nada em frente a tantas pessoas então nem me preocupo.

Depois de meses sendo ignorado, ele finalmente desiste e me deixa em paz.


Notas Finais


Então, esse "namoro" do Leo foi crucial na transformação dele em um sádico.
Estamos nos aproximando do fim definitivo da Fic, que dor no coração.
Mas pra compensar tem Fic nova por aí.

Já estou postando uma que é Super Psycho Love.
Não é uma história longa, nem muito profunda é apenas uma ideia aleatória que me veio à mente essa semana. Mas estou me esforçando pra deixa-la bem legal. Se puderem dar uma olhada eu agradeço e escutem essa música que dá nome a história por que combina muito com a Fic:

https://spiritfanfics.com/historia/super-psycho-love-9944383


E logo que Nightmare acabar vou começar outra long fic. Provavelmente vai chamar "Inferno", mas estou com um pouco de receio de por esse nome.

Bom e aí e que acharam do capítulo? (Não me matem ainda).
Bjs, até a próxima. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...