História Nightmares - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Animais Fantásticos e Onde Habitam, Harry Potter
Personagens Astoria Greengrass, Cho Chang, Draco Malfoy, Fred Weasley Ii, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lílian L. Potter, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley II, Padma Patil, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Ronald Weasley, Scorpius Malfoy
Tags Amizade, Animais Fantásticos, Drama, Harry Potter, Interativa, Onde Habitam, Personagens Originais, Romance, Suspense, Universo Alternativo
Visualizações 78
Palavras 7.111
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey Marauders! Tudo bem com vocês?
Bom, esse capítulo demorou mais que o planejado pra sair, mas aqui está ele! Antes tarde do que nunca!

Como eu tinha dito antes, minhas aulas começaram T-T e por conta disso eu posso demorar pra atualizar os capítulos da fanfic, porque, gente do céu! Eu tinha achado o primeiro bimestre difícil, mas pensa em um negócio que gosta de complicar! Fora que essa semana já começam as minhas provas intermediárias e eu vou ter que começar a montar um trabalho com meus amigos para apresentar em setembro na escola! Pensa no medo que a pessoa aqui tá de ter falar na frente dos colegas!

Agora, deixando de lado adesgraça que é o inicio das minhas aulas kkkkkk Vamos aos avisos importantes! Como eu já havia dito antes esse é o ÚLTIMO capítulo de apresentações! Sim meu povo finalmente chegamosai fim das apresentações dos 16 personagens interativos! Nesse capítulo, então, temos a apresentação dos dois personagens que faltavam e também umas ceninhas que eu praticularmente adoro porque vão fazer vocês pensarem e criarem teorias hsgduvgdsfada


Espero que vocês gostem desse capítulo e não esqueçam de ler as notas finais para verem os avisos ^^


Até lá embaixo 0/

Capítulo 9 - Calma depois da tempestade


Fanfic / Fanfiction Nightmares - Capítulo 9 - Calma depois da tempestade

– Claro, erro meu, Caspian. – respondeu Killian com o deboche claro em sua voz enquanto se apoiava em sua irmã.

O vagão inteiro estava banhado de silencio depois disso, o único som que se manifestava era o da respiração das pessoas ali presentes. Mesmo Caspian estava calado o que de longe era algo incomum considerando que ele estava no mesmo ambiente que Killian e não havia feito nenhum comentário provocativo em direção ao loiro. Apesar do silencio, aqueles que prestassem atenção veriam o olhar de desgosto que o Black lançava para o loiro.

No momento em que os olhos negros de Kyra se voltaram para ele, Liam se sentiu paralisar. O olhar furioso que ela lhe lançava naquele momento fez o garoto ter vontade de se encolher, desaparecer. Liam não tinha medo de Kyra, não. Ele nunca teve na verdade, mas o jeito como ela o olhava agora lhe dava a impressão que ela poderia matá-lo em um piscar de olhos, era o mesmo olhar que ela dava para James e isso sim o assustava.

Aos poucos as pessoas voltaram a murmurar coisas, sussurrar entre si e Liam soube naquele momento que esse seria o assunto do mês, que várias fofocas e boatos surgiriam por conta dessa briga. Liam viu quando Morgaine começou a murmurar alguma coisa para Killian que apenas soltou uma risada debochada e passou a mão sobre a boca para tirar um pouco do sangue que escorria. O Potter queria bater mais no rosto de Killian, não importava o sangue que sujava suas mãos e suas vestis no momento, Killian merecia apanhar muito mais que isso só por ter tido a coragem de pisar neste trem. 

– Kyra, acho melhor tirarmos as pessoas daqui... – murmurou Teddy ao lado da amiga de maneira que apenas ela e Caspian pudessem ouvir.  O garoto de cabelo azul viu quando a morena piscou algumas vezes, tirando os olhos de Liam para olhar para ele, como se tivesse acabado de acordar de um transe. Teddy não era um idiota, podia ser distraído algumas vezes, mas não idiota. Ele via o jeito que Kyra e Caspian olhavam para Liam, a dor que eles tinham em seus olhos quando olhavam para o Potter mais novo que se assemelhava de forma incrivelmente bizarra com seu irmão mais velho. Ele conhecia esse olhar muito bem, pois era o mesmo que estava em seu rosto quando viu Liam no enterro de James. – Kyra?

– Sim, claro. Você está certo... Okay, ahmmm...– começou a garota antes de soltar um suspiro. – Vamos tirar as pessoas daqui e dar um jeito na bagunça antes que algum professor apareça. – continuou ela antes de arrumar a postura e voltar a dizer em um tom alto e severo: – Todos pra fora do vagão, agora!

As pessoas murmuraram descordando do que a garota disse, reclamando por terem que deixar o vagão. Ninguém se mexeu nem um sequer centímetro o que estava começando a irritar Kyra. Havia muitos motivos para ela estar irritada naquele momento e se as pessoas naquele vagão começassem a complicar, ela perderia a pouca paciência que lhe restara. Ela estava cansada, cheia de pensamentos conflituosos e ainda por cima tinha que resolver uma briga que houve no trem. Caspian viu quando Kyra fechou os olhos para se acalmar, levando a mão de volta a onde sua varinha estava e apertando a mesma firmemente, como se isso fosse fazer os alunos saírem do vagão logo. Conhecendo a garota muito bem, o Black sabia que se ele não fizesse algo agora algo ruim aconteceria. Ruim? Vindo de Kyra? Não. Seria algo terrivelmente ruim.

– Okay... Eu sei que todo mundo aqui adora ver uma boa treta – começou o garoto de cabelos pretos enquanto fazia alguns gestos e se dirigia para o meio do vagão, para que todos pudessem vê-lo. –, mas o espetáculo já acabou! Anda! Circulando! Vão causar discórdia em outro lugar! – Liam viu Caspian sorrir para si mesmo quando as pessoas aos poucos começaram a sair do vagão. O moreno também viu o jeito que as garotas no vagão olhavam para o Black enquanto enrolavam para deixar o vagão, apenas para ter um último vislumbre dele. Liam podia chamar a atenção o quanto quisesse, mas nunca chegaria ao nível de Caspian. Ele teve que segurar um sorriso ao perceber que Caspian ainda era o mesmo, o mesmo garoto maroto e encantador de sempre que faria a maioria das garotas cair em seus encantos sem fazer um se quer esforço.

 – E desde quando nos deveríamos obedecer vocês? – perguntou alguma pessoa em meio à multidão ali presente fazendo com que todos os alunos que se retiravam parassem. Liam observou quando Caspian fez uma careta antes de olhar para Kyra, provavelmente prevendo a explosão. No momento em que a morena caminhou até o lado de Caspian, Liam viu o garoto suspirar e balançar a cabeça.

– Agora já chega. – resmungou a morena antes de pegar sua varinha com força e olhar para os alunos ali presentes. – Vocês têm que me obedecer desde que eu trabalho pro Ministério e a menos que vocês queiram ter férias prolongadas em Azkaban e bom vocês saírem daqui! AGORA! – gritou à morena fazendo com que todos ali presentes a olhassem com certo medo e receio. – Não me façam repetir. – rosnou a garota ao ver que ninguém havia se mexido.

Sem demorar um segundo a mais, os alunos foram saindo do vagão enquanto Caspian soltava um suspiro e abaixava a cabeça. Em meio a toda multidão, Scorpius conseguiu ver Myah passando por algumas pessoas em direção oposta, como se estivesse tentando chegar até ele e Liam. Scorpius conseguia ver claramente o olhar preocupado de sua irmã enquanto ela tentava passar pelas pessoas sem ser empurrada e ouvia seu amigo a chamando. Depois de sair do transe, Scorpius ainda segurando Liam pelo braço, começou a se mover em direção a irmã, porém, no momento em que passou ao lado de Kyra, ele sentiu a mão da garota parar em seu peito, impedindo-o de continuar.

– Você pode ir, Malfoy. Potter, você fica. Precisamos conversar. – disse a morena em um tom baixo e ao mesmo tempo sério enquanto Teddy lançou um sorriso sem dentes para os colegas. Scorpius logo olhou para o melhor amigo, procurando por alguma resposta. Liam apenas concordou com a cabeça, murmurando um “está tudo bem” antes de se afastar de Scorpius e encostar em um dos bancos. Scorpius caminhou lentamente até onde Myah estava parada e olhava para Liam com os olhos arregalados e com mais preocupação do que antes. Com um aceno de cabeça, Scorpius murmurou que estava tudo bem e mesmo sabendo que Myah não o escutou, ele soube que ela entendeu a mensagem no momento em que aos poucos ela foi saindo do vagão com ele ao seu lado, virando a cada segundo para olhar para Liam enquanto Edgar a agarrava pelo braço e a ajudava a passar em meio às várias pessoas e Scorpius a seguia.

Depois de mais alguns segundos, o vagão finalmente ficou em silencio novamente. Todos os alunos já haviam se retirado deixando apenas os ex alunos e Liam que não podia esconder o pequeno incomodo devido ao silencio que se instalou no vagão. O Potter olhou para os outros com calma, analisando a postura de cada um para saber o que esperar dessa conversa. Morgaine o olhava com ódio puro e o moreno tinha certeza que se não fosse pela presença de Kyra, a loira já o teria matado; Killian nem olhava para ele, estava ocupado demais murmurando maldições por ter manchado sua roupa de sangue; Teddy trocava o peso de um pé pro outro, enquanto revezava o olhar entre Kyra e Liam; Caspian tinha um sorriso maldoso enquanto observava Killian reclamar, como se estivesse se divertindo com a desgraça do loiro; e por sua vez, Kyra olhava para Liam com um olhar cheio de emoções que variavam de raiva até alivio e isso assustava Liam, pois ele nunca saberia o que esperar vindo de Kyra.

– Teddy, leve a Morgaine e o Killian de volta ao nosso vagão. Se algum professor perguntar, diga que ele e Caspian brigaram, como sempre. – informou a garota morena sem tirar os olhos de Liam tendo como resposta um aceno positivo de Teddy e uma exclamação de falsa ofensa vinda de Caspian. – E quanto a vocês Grindelwald, se tentarem alguma coisa vão se ver comigo. – terminou ela no momento em que Teddy saiu com os Grindelwald, fazendo o vagão voltar a se encontrar em silencio até que Liam limpou a garganta e decidiu falar algo.

– Antes que você grite comigo, eu posso... – começou o moreno antes de ser, inesperadamente, abraçado pela garota de cabelos pretos. A respiração do moreno parou e ele ficou travado, sem saber ao certo como reagir. Liam sentiu a menina passar os braços finos em volta de seu pescoço e abraçá-lo com força, algo incomum vindo de Kyra. Depois do choque inicial, o moreno passou seus braços pela cintura da garota e enterrou seu rosto em seu pescoço, sentindo o cheiro forte e cítrico do perfume que ela usava. Os dois ficaram assim por alguns segundos, apenas apreciando a presença um do outro. De lado, Liam pode ver Caspian sorrindo para ele, mas não da maneira maldosa, arrogante ou mesmo marota de costume, mas sim de maneira amigável e genuinamente feliz.

Lentamente, Kyra se afastou de Liam e lhe lançou um sorriso fraco, mas que ao mesmo tempo transmitia tudo o que ela queria dizer a ele desde que soube da noticia. Liam sorriu de volta para a garota, feliz por tê-la com ele nesse momento. O garoto então viu o sorriso de Kyra desaparecer enquanto ela fazia uma cara séria e logo em seguida dava um tapa na nuca do Potter.

– Você é burro ou o que, Liam Potter?! – exclamou a garota antes de dar outro tapa na cabeça do menino e logo se afastar para conseguir olhar diretamente nos olhos de Liam e também ver se ele tinha algum ferimento. – Pelas barbas de Merlin seu imbecil! Se você quer tanto ser expulso, peça logo pro Sir... Caspian ajudar você!

– Ei! Eu não sou má influencia! – exclamou o garoto de cabelos pretos antes de receber Kyra encará-lo com uma sobrancelha arqueada fazendo o garoto fazer uma careta antes de responder novamente: – Okay, eu não sou tão má influencia assim! Pare de me usar como exemplo, você também não é nenhuma santa.

– Vai se fuder, Black. – respondeu Kyra, colando as mãos na cintura antes de encarar o amigo novamente. – Não era eu que ficava mais na detenção do que na sala de aula! – a morena retrucou fazendo o amigo resmungar alguma coisa antes de cruzar os braços. Kyra ouviu Liam segurar o riso e isso fez a menina voltar a olhar pra ele. – Não pense que eu esqueci do que estávamos falando, Liam.

– Por Merlin, Kyra... Você está parecendo minha mãe quando brigava com o James... – resmungou o moreno enquanto esfregava sua nuca onde a garota havia batido nele. Liam estava acostumado a ouvir sua mãe brigando com James por ele ter ficado em centenas de suspensões nos primeiros dias de aula, toda véspera de Natal tinha uma breve discussão entre sua mãe, seu pai e James, com Gina brigando com James e Harry o defendendo quando possível. Liam se lembra da vez em que sua mãe ficou tão furiosa ao ponto de fazer seu pai dormir no sofá por duas semanas. – Aquele bastardo idiota falou sobre o James, eu não podia simplesmente ignorar! Eu posso engolir qualquer desaforo, Kyra, mas não um desgraçado que nem o Grindelwald insultando o meu irmão!

Liam observou como a raiva pareceu sumir do rosto de Kyra nesse instante sendo substituída por algo semelhando a entendimento e preocupação. O moreno sabia que Kyra o entenderia, ela sempre entendeu. Quando os garotas da Sonserina implicavam com ele por ele ser um Potter, Kyra sempre esteve lá para defende-lo e não seria diferente agora. Liam sabe que mesmo negando, Kyra se importava com James e que a morte dele a afetou também. Ele viu quando a morena fechou os olhos e levou a mão até o rosto antes de soltar um suspiro pesado e dizer:

– Eu sei que sua intenção foi boa, Liam, mas você e sua família não precisam de mais confusão em cima de vocês. – começou a garota agora com um pequeno sorriso no rosto enquanto colocava a mão sobre o ombro do moreno de forma reconfortante. – Há muita coisa acontecendo agora e a melhor maneira de se passar por isso é evitando confusões.

– Melrin, você está falando como a Maya... – Liam ouviu Caspian remungar atrás de Kyra com um pequeno e discreto sorriso no rosto.

– Falando em Maya, onde vocês estavam? Digo, vocês não foram no funeral do James e... A Maya não sabia onde vocês estavam e eu... Eu fiquei preocupado.  

– Acredite, nós queríamos ir. – começou Caspian pondo as mãos nos bolsos da calça enquanto encarava o garoto. – A gente realmente queria, mas estávamos em uma missão do Ministério quando soubemos... Quando eu soube que... – Liam viu quando o melhor amigo de seu falecido irmão fechou os olhos e respirou fundo antes de continuar. – Que o James havia morrido. Não podíamos voltar, era nossa melhor pista em semanas...

– E por que vocês estão aqui agora? – perguntou Liam com a testa franzida. Liam estava feliz por rever os dois, Merlin sabe o quanto era bom ver o rosto de Caspian e Kyra depois de mais de três meses quando antes os via quase todos os dias. Liam viu quando os dois trocaram olhares, como se estivessem pensando se deveriam dizer algo a eles ou não.

– O Ministério nos mandou para dar uma olhada na área depois... do que aconteceu. – Kyra disse de forma breve, deixando claro que não diria mais que isso para os dois.

– Okay, última pergunta! – exclamou Liam antes de trocar um olhar com Scorpius e ambos sorrirem. – Desde quando as pessoas te chamam de Caspian?! Até onde eu me lembro você odiava ser chamado assim! – Liam disse fazendo Caspian rir enquanto abaixava a cabeça e observava seus sapatos.

– Muita coisa aconteceu desde a última vez que nos vimos. Tive que mudar algumas coisas. Todos nós tivemos. – informou o moreno com um sorriso sem dentes enquanto encarava Kyra que sorriu de volta para ele de forma triste que deixava claro para Liam que havia muita história no meio.

– Você dois já pode ir embora. E se alguém perguntar, eu briguei com você. – Kyra disse antes de piscar com o olho esquerdo e sorrir para o garoto. – E, você sabe, se precisar de qualquer coisa, não importa o que, a gente está aqui. Eu estou aqui e não vou embora tão cedo, principalmente nesse momento.

O garoto assentiu com a cabeça antes de caminhar em direção a saída do vagão.

– Ah! Liam! – chamou Caspian, fazendo com que o garoto se virasse para encarar o garoto que tinha um sorriso malicioso e maldoso no rosto. – Da próxima vez que você quiser bater no Grindelwald, me avisa! Posso te ensinar onde bater para que doa mais. – Liam não pude segurar o riso quando viu o olhar repreendedor que Kyra lançou para Caspian.

– Pare de incentivá-los, Black! – brigou a morena dando um soco no braço do amigo que apenas riu. Kyra esperou até que os dois garotos estivessem fora do vagão para olhar para Caspian mais uma vez e continuar. – Não precisamos de um novo James Potter e Sirius Black e companhia nos corredores de Hogwarts, a McGonagall enfartaria.

– Não diga bobagens, Med. – começou o moreno, dando ênfase no apelido da garota, fazendo a mesma revirar os olhos. - A McGonagall nos amava!

– Ahan, claro. Ela amar vocês é quase tão impossível quando a minha mãe distribuir balinhas na aula.  Me poupe. – revidou a garota fazendo Caspian rir. – Agora vamos logo para nosso vagão. Temos coisas importantes para conversar.

– Como? – perguntou o garoto.

– Isso. – respondeu Kyra, mostrando um pequeno pedaço de papel rasgado para o moreno que franziu a testa e olhou para a garota de maneira séria. – Sim, é isso mesmo que você está pensando.

– Bom, isso é bem pior do que eu esperava então e olha que eu posso ser meio pessimista às vezes.

– Merlin, não sei como a Maya aguentava ser sua parceira. – reclamou Kyra enquanto saia do vagão com Caspian logo atrás de si.

#

O garoto moreno olhava atentamente para o rosto pálido da amiga ao seu lado. Ele passava a mão nas costas da ruiva, com a intenção de fazê-la relaxar, mas parecia que não estava funcionando como ele queria. Com os olhos cheios de preocupação e a procura de alguma ajuda, o moreno olhou para a garota loira sentada do outro lado de Sarah. No momento em que os olhos de Peter se encontraram com os olhos azuis de Ella, não precisou muito para ambos saberem que não tinha muito o que se fazer naquele momento. Os três continuaram em silencio, o único som ouvido sendo o da respiração acelerada de Sarah até que houve uma batida leve na porta da cabine e logo em seguida, Lexie Longbottom apareceu na porta com um olhar tom preocupado quanto o de Ella e Peter.

– Eu só queria saber se está tudo bem... – murmurou a garota loira antes de olhar para Ella que balançou a cabeça negativamente, deixando claro que as coisas não estavam nem um pouco bem naquele momento. – Uhmmm...

– Vou comprar alguma coisa para você beber, Sarah. Pode te ajudar a relaxar. – informou Peter, se aprontando para levantar antes de sentir a mão de Ella parar em seu joelho, um gesto claro para que ele permanecesse sentado.

– Deixa que eu compro. – disse a loira se levantando antes de fazer um sinal para Lexie para segui-la e deixar os dois sozinhos na cabine.

No momento em que a porta da cabine se fechou novamente, o silencio se instalou novamente. Peter McGonagall olhava apreensivo para a amiga, sem saber ao certo o que fazer. Ele conhecia Sarah muito bem, os dois eram melhores amigos depois de tudo, mas isso, claro, foi antes dele sair de Hogawarts. Já se passaram três anos desde a última vez que ambos se viram e Peter sabia muito bem que assim como ele havia mudado, Sarah também havia mudado.

– Sarah, olha. – começou o moreno antes de fazer uma pausa, pensando no que poderia dizer a amiga. – Eu posso não saber o que aconteceu e eu sei que você provavelmente não quer falar sobre isso agora, mas eu estou aqui, okay? Se você quiser conversar, desabafar ou apenas quiser um ombro pra chorar, eu tô aqui.

– E como eu sei que você não vai embora mais uma vez? – disse Sarah com a voz rouca e em um tom não mais alto que um suspiro. – Como eu sei que não vou abrir meus olhos e você vai ter ido embora sem dizer nada, sem se despedir, sem dar um sinal de vida até se passarem quase seis meses? – continuou com um tom amargo, enquanto tinha a cabeça levemente levantada e olhava diretamente nos olhos chocolates de Peter.

O moreno via o jeito acusador e até mesmo magoado que a ruiva o olhava. Ela estava certa por estar brava com ele, se fosse ele no lugar dela, não estaria nem conversando com ele. O que ele fez não foi certo, ele foi embora sem avisar ninguém e ficou meses sem dar sinal de vida até que finalmente enviou uma carta para seus amigos. Não é como se ele tivesse escolha, diante da vida que ele tinha, diante de quem ele era, ele não tinha escolha sobre nada, não podia tomar nenhum tipo de decisão importante como essa.

– Por que você foi embora?

– Sinceramente? Até hoje eu não sei ao certo. Tia Minerv... Digo, a Professora McGonagall pensou que seria bom pra mim ficar um tempo fora do país. Eu não sei ao certo, mas pelo que ouvi ela conversando com o Robert, tem haver com meus pais. – começou Peter. O moreno logo sentiu Sarah colocar a mão sobre a sua, um gesto de consolo que fez o garoto sorrir antes de olhar para a amiga novamente. Sarah sabia o quão difícil era para Peter falar sobre os pais dele, sobre o que aconteceu com eles, ela sempre foi aquela que o consolou a respeito disso e mesmo se passando anos desde seu último encontro, ela ainda o consolaria. – Eu nem sabia que ia voltar para o Reino Unido até semana passada quando tia Minerva enviou uma carta para Robert dizendo que tínhamos que voltar o mais breve possível. Nunca vi o Robert arrumar as malas tão rapidamente em toda minha vida. – disse o menino fazendo ambos rirem.

– Eu fico feliz que tenha voltado, é bom ter você aqui. – Sarah falou com um sorriso no rosto antes de abraçar o amigo com força.

– Eu sei que te deixei pra trás uma vez, mas eu estou aqui agora. – informou o menino, ainda esfregando as costas da amiga enquanto a mesma tinha o rosto contra seu peito. – Posso não ter estado presente fisicamente pra você nos últimos anos, mas agora eu estou aqui. Estou do seu lado e estou disposto a fazer qualquer coisa pra te ver melhor. – ele sentiu Sarah fungar levemente contra seu peito antes de continuar: – Se você quiser chorar, chore. Esqueça essa besteira de que chorar de faz fraco. Chorar é o melhor jeito de extravasar a raiva, tristeza ou seja lá o que estiver sentindo. Você não precisa me contar o que aconteceu, mas não guarde suas emoções apenas para você, Sarah. Não de corda a si mesma para se enforcar. Eu estou aqui pra você, não importa o que aconteça. – Peter sentiu quando a menina começou a chorar, suas lagrimas molhando seu uniforme enquanto ela tinha os pequenos soluços abafados contra o peito de Peter. O moreno apenas fechou os olhos e começou a acariciar os fios vermelhos da menina, um gesto que dizia que estava bem ela chorar e que ele estava lá para ela.

#

A ruiva folheava o livro com calma e delicadeza. Sua cabine estava imersa em um grande e longo silencio e a garota não podia desejar por nada mais que isso. Nunca fora uma tarefa fácil achar uma cabine afastada, silenciosa e vazia e nesse momento a menina se encontrava em uma cabine exatamente desse jeito e não tinha pelo que reclamar. Parte dela sabia que ela devia ter ido atrás dos outros alunos para saber o que estava acontecendo, parte dela dizia que ela não devia ter fugido de suas amigas, mas a outra parte dela, a maior e mais influente, dizia que ela precisava de um tempo só para si, para que ela pudesse ler seu livro tranquilamente sem ter que se importar em ouvir o que suas amigas tinham a dizer ou reclamar.

Seus olhos passavam suavemente sobre as palavras presentes na página, se atentando ao que cada uma significava e a informação que todas elas juntas transmitiam; ela ouvia o suave barulho que o trem fazia enquanto se locomovia junto ao som do vento batendo na janela enquanto Salém, sua gata, ronronava ao seu lado. Esses eram os momentos preferidos de Rowenna Norgard. Os momentos em que ela estava sozinha apenas com sua mente, um livro, sua gata e sem ninguém para julgá-la ou incomodá-la.

A ruiva estava concentrada em seu livro quando ouviu a porta de sua cabine fechar com força, fazendo ela se assustar e olhar co os olhos arregalados em direção a porta. Nena franziu as sobrancelhas ao ver Shane Weasley encostado na porta de sua cabine com os olhos fechados e a respiração fechada. A garota não sabe ao certo quanto tempo ela ficou encarado o moreno sem ele nem se quer perceber sua presença. Revirando os olhos e colocando seu livro levemente pra baixo, Nena limpou a garganta e assim chamando a atenção do garoto para si.

– Posse ajudar? – perguntou ela com a sobrancelha direita arqueada enquanto os olhos chocolates do Weasley a encaravam confusos. Nena não precisava ser extremamente inteligente para saber que o moreno estava surpreso por ter alguém na cabine, não que ele tivesse se preocupado em olhar de qualquer maneira.

Shane só queria se livrar de Mary naquele momento. Ele realmente apreciava a maneira como ela se importava com ele, mas ele não queria conversar e muito menos ter que ouvir Mary consolando ele devido as palavras duras de sua irmã. O Weasley não estava com cabeça pra isso. Shane sentiu seu rosto esquentar levemente quando percebeu que ainda não tinha respondido a ruiva a sua frente e que a esse ponto a menina devia considerá-lo maluco.

– Eu... Ehh... Uhmmm... – o moreno começou gaguejando, fazendo com que Nena franzisse as sobrancelhas novamente antes de inclinar a cabeça um pouco para o lado, um gesto que mostrava que ela estava esperando pela resposta dele. – Uhm. Tudo bem se eu ficar aqui por alguns minutos? Eu meio que estou fugindo dos meus amigos...

Nena viu a maneira esperançosa que o moreno a encarava esperando por uma resposta. Ela queria dizer não e mandá-lo procurar por outra cabine, mas ela sabia muito bem como era querer ficar longe de seus amigos por pelo menos alguns minutos, era isso que ela estava fazendo ali de qualquer maneira. Com um aceno de cabeça, Nena concordou em deixar Shane se sentar com ela e antes mesmo que o moreno pudesse responder, a ruiva levantou seu livro e voltou a lê-lo, ou pelo menos tentar lê-lo.

A ruiva viu por de cima do livro quando o moreno se sentou no banco em frente ao dela de maneira um tanto quanto desconfortável antes de olhar para a paisagem que passava pela janela. Balançando a cabeça, Nena voltou a ler seu livro quando sentiu o moreno a sua frente a encarando. Levantando o olhar, Nena deixou seu olhar cruzar com o do garoto e nesse momento ela viu ele desviar o olhar rapidamente antes de se ajeitar na cadeira.

Fechando o livro com força e colocando-o ao seu lado, Nena começou a encarar Shane que logo tirou seus olhos da janela para encará-la surpreso.

– O que aconteceu? – perguntou a ruiva fazendo com que Shane franzisse a testa em confusão. Revirando os olhos, Nena soltou um suspiro pesado antes de continuar. – Você claramente está incomodado com alguma coisa e com conta disso está desconfortável e seu desconfortamento está me deixando incomodada ao ponto de eu não conseguir ler, então... Vai, fala, o que está te incomodando, Shane?

– Não é nada com que você deva se preocupar, Nena, realmente. – disse Shane abaixando a cabeça para encarar as mãos. – Se você quiser eu posso sair. Digo, meus amigos provavelmente já devem estar longe desse vagão de qualquer maneira.

– Shane, olha, eu poço não ser sua amiga ou mesmo conversar muito com você – começou a ruiva com a voz mais calma e gentil, fazendo com que Shane levantasse seu olhar para encontra um sorriso simpático e atencioso no rosto da garota. –, mas se você quer conversar sobre seja lá o que aconteceu e ouvir a opinião de alguém de fora de seu grupo eu estou aqui agora. Aproveite enqaunto te dou a chance, pois a partir do momento em que eu voltar a elr meu livro aqui e vou, literalmente, esquecer da sua existência. Sem ofensas. – concluiu a garota fazendo com que Shane risse do que ela disse.

– Tem certeza que quer perder os últimos minutos de sua viagem ouvindo os problemas de um cara aleatório que entrou na sua cabine do nada? – perguntou o garoto com humor, mas Nena podia perceber a ponta de verdade e amargura na frase.

– É melhor do que ouvir sobre a indecisão da Phoebe quanto a que menina pegar, tenho certeza. – Nena respondeu dando de ombros com um sorriso, fazendo com que o moreno risse novamente. – Me diga, o que ocupa os pensamentos do grande Shane Weasley nesse momento?

Sem que a ruiva precisasse dizer mais nada, o garoto começou a contar tudo o que tinha acontecido. Ele começou falando sobre antes de suas férias quando um incidente aconteceu – do qual ele não entrou em detalhes – e de por conta desse incidente ele ter se afastado de sua irmã, de como os dois começaram a brigar bem mais do que antes, contou de uma recente discussão que teve com Sarah e até mesmo sobre uma briga que teve com a garota por defender sua amiga, Mary.

Apesar de Nena não se importar nem um pouco com esse desentendimento que teve entre a garota Johansson e a Weasley, ela ouviu atentamente tudo o que Shane dizia até que ele chegou na parte em que Killian aparecia. A surpresa no rosto da garota passou despercebida para Shane, não é como se Nena estivesse surpresa por Killian ter arrumado um desentendimento, o loiro sempre se metia em brigas em sua época na escola. O que realmente surpreendeu Nena é o fato de Shane Weasley, o príncipe encantado – como Phoebe o apelidou devido ao seu jeito gentil e perfeitinho –, ter perdido a paciência ao ponto de partir para cima de alguém.

Claro, Nena conhecia Killian muito bem e por conta disso ela sabe o quanto o loiro pode ser um desgraçado ao não medir suas palavras. Ela mesma já tinha brigado feio com o loiro devido a comentários cruéis que ele fez sobre sua família sem pensar. Por mais que Nena não fosse fã de brigas e coisas do gênero, ela queria ter visto a cena. Por Merlin, ela deve ser a única pessoa na escola que não viu Shane bater em Killian e ela sabe que vai se amaldiçoar por isso quando seus colegas vierem questioná-la sobre a briga na sala comunal da Sonserina.

Quando o moreno terminou de contar a história, Nena tinha a testa franzida e o olhar um tanto quanto distante, como se estivesse pensando no que poderia dizer ao garoto para fazê-lo se sentir melhor. Nena sempre foi boa em dar conselhos, não importa a situação, ela só precisa de alguns minutos para pensar em quais palavras dizer de maneira que a pessoa a compreenda e não se sinta mal.

– E o que você vai fazer? – perguntou a ruiva depois de longos minutos em silencio. Ela viu o olhar confuso que Shane enviou para ela, como se não tivesse entendido a pergunta que a garota fez. – O que você vai fazer para arrumar essa bagunça? Digo, se ajeitar com sua irmã sem que afete sua amizade com a Johansson.

– E-Eu não sei... Pra falar a verdade eu... Eu não sei. – respondeu o garoto antes de soltar um suspiro pesado e enterrar a cabeça em suas mãos. – Eu sou um idiota, não sou? Primeiro eu sou um babaca com minha irmã então quanto eu tento fazer a coisa certa, ela já não precisa mais de mim. Depois eu consigo ser um completo idiota com minha melhor amiga quando ela só estava querendo me ajudar. Sério, qual meu problema?!

– Você mesmo disse qual é seu problema. Na verdade, você acabou de listar seus problemas e eles se resumem a uma única coisa: você está agindo como um idiota. – começou a ruiva com a voz calma enquanto observava a paisagem pela janela e acariciava sua gata que dormia tranquilamente ao seu lado. – Você não está sendo você mesmo, Weasley. As pessoas não estão mudando, você mudou e não quer aceita isso. Você quer arrumar as coisas? Quer voltar a ser como antes? Bom, não tem como mudar o passado, mas você pode mudar o futuro. Basta você mudar suas atitudes, pensar no que você quer, pensar naquilo que você quer mudar e lutar consigo mesmo para conseguir. – Shane levantou a cabeça de suas mãos para olhar para a garota ruiva a sua frente. Nena continuava olhando pela janela e parte de Shane podia jurar que ela falava isso mais para si mesma do que para ele. – Seu maior inimigo sempre vai ser você mesmo, acredite nisso, eu sei.

Os dois ficaram em silencio depois disso.  A ruiva continuou a olhar pela janela, a paisagem se tornando cada vez mais familiar, o que indicava que eles estavam chegando em Hogwarts. Shane se via encarando a menina a sua frente de maneira distraída, pensando em tudo que ela o havia dito e em como ele poderia encaixar tal conselho em sua própria vida.

O resto da viagem foi passada em silencio. Nena não sabe quanto tempo eles ficaram lá sentados na companhia um do outro, mas sem falar nada. Ela só sabe que eles deviam estar perto de seu destino final já que ouviu as inconfundíveis vozes de Margo e Phoebe vindas do corredor, chamando pelo seu nome. Com um suspiro pesado, Nena pegou sua bolsa que estava jogada no chão e colocou seu livro dentro da mesma antes de colocar a pequena bolsa junto as outras malas.

– Posso te fazer uma pergunta? – a voz de Shane disse, quebrando o silencio e fazendo com que Nena o encarasse antes de assentir com a cabeça. – Por que você anda com elas? Quero dizer, a Margo e a Phoebe são pessoas horríveis e você... Você não é tão ruim quanto as pessoas dizem que você é.

– Obrigada, eu acho. – Nena disse antes de soltar uma risada e encarar o moreno com um pequeno sorriso. – Por que você anda com a Johansson? Ou com o Sam? Ou mesmo com minha irmã? – perguntou a garota fazendo com que Shane a olhasse confuso e abrisse a boca varias vezes sem saber ao certo o que responder. – Viu? Não é preciso um motivo para ser amigo de alguém, pois a partir do momento em que se há um motivo não é uma amizade sincera e sim uma amizade de interesses. – a garota deu de ombros antes de se levantar e pegar sua gata no colo. – Você pode pensar o que quiser sobre a Margo e a Phoebe, mas você não as conhece como eu assim como eu não conheço a Johansson e o Sam como você. Acredite se quiser, mas quando você dá uma chance a elas, as duas se mostram amigas melhores do que você poderia sonhar em ter. – Nena caminhou até a porta da cabine, abrindo a mesma, mas antes de sair, ela se virou uma última vez para Shane. – Quer uma dica de uma garota que tem quatro irmãos e amigos problemáticos? Não importa o que aconteceu entre vocês no passado, se vocês realmente se importam um com o outro mais cedo ou mais tarde as coisas vão se resolver entre vocês. Só não espere que isso aconteça magicamente. Há coisa que dependem apenas de nós mesmos e não da magia. – terminou a garota lançando um último sorriso para Shane. – Te vejo por ai, Weasley.

Com isso a garota ruiva deixou a cabine, fechando a porta atrás de si e deixando um confuso e pensante Shane Weasley para trás.

#

O trem acabara de parar na estação de Hogsmeade quando os alunos foram aos poucos saindo do mesmo. Os alunos de primeiro ano passavam em meio aos alunos mais velhos, correndo em direção a onde Hagrid estava chamando por eles com um grande lampião na mão. O moreno se divertia vendo os rosto surpresos dos alunos mais novos em meio a estação e ficava imaginando qual seria a reação deles ao verem o castelo pela primeira vez.

Gus Linwood se lembra muito bem da primeira vez que esteve em Hogwarts. Ele se lembra muito bem de ter ouvido uma longa e cansativa palestra sobre o mundo mágico e sobre Hogwarst em si por conta de sua tia, Karina, dizer que não queria ser chamada na sala da diretora pro reclamações de seu sobrinho. Gus se lembra de ir até a plataforma pela primeira vez com seu pai e de fazer seus primeiros amigos ainda no trem.

Nesse momento o garoto estava encostado em um dos pilares da estação ao lado de seus amigos, Mike, Lexie e Ella enquanto esperavam pacientemente Sarah terminar de arrumar o uniforme de seu irmão mais novo que começaria seu primeiro ano. Todos sabiam o quanto a ruiva se preocupava com os irmãos, ela havia feito a mesma coisa com Rose alguns anos antes e parte de Gus pensava que Sarah tratava os dois mais como filhos do que como irmãos.

– Pare de se mexer, Hugo, estou arrumando sua gravata! – reclamou a ruiva fazendo com que seus amigos dessem risada da careta que seu irmão fez.

– Sarah meus amigos já estão lá na frente! Eu vou ficar pra trás! – o garotinho ruivo reclamou enquanto cruzava os braços e ficava emburrado. – Você ta parecendo a mamãe...

– Okay, okay! Pode ir, só não venha reclamar pra mim se tirarem saro da sua cara por sua roupa estar torta! – disse a garota antes de se levantar e observar enquanto seu irmão mais novo se afastava correndo dela para se juntar a seus amigos. – Tome cuidado para não cair do barco! – gritou a garota uma última vez enquanto via os alunos de primeiro ano se afastando com Hagrid.

– Por Merlin, Sarah, seu irmão não está indo pra guerra. Relaxa um pouco. – brincou Gus quando viu a amiga se aproximando. – Agora nos podemos ir? Vamos ficar sem carruagens desse jeito e eu não quero chegar atrasado no banquete de boas vindas.

Sem responder mais nada, os cinco amigos foram caminhando e conversando o caminho todo até a parte onde as carruagens esperavam para levá-los para Hogwarts. Gus ria de alguma piada que Mike havia contado enquanto observava atentamente as pessoas que também aguardavam por uma carruagem. O moreno viu Margo e suas amigas subindo na carruagem com Erik Trelawney e Jason Norgard que riam de algum comentário que Phoebe fez.

Gus e seus amigos eram os únicos que estavam ali esperando por uma carruagem visto de os outros alunos, provavelmente do terceiro ano, acabaram de subir na última carruagem. Parte de Gus queria amaldiçoar Sarah por tê-los feito esperá-la, mas parte dele estava muito feliz por tê-la esperado no momento em que viu certos rostos familiares caminhando em direção ao local onde eles estavam.

O moreno endireitou a postura e logo parou de rir, fazendo com que seu amigo o olhasse estranho antes de seguir o olhar de Gus e encontrar cinco pessoas conhecidas se aproximando. Mike trocou um olhar rápido com Gus sem saber ao certo o que ambos deviam fazer agora. Distrair Sarah até os mesmos passassem? Torcer para que uma carruagem nova chegasse logo? O moreno não sabia ao certo o que fazer além de olhar de forma mortal para o garoto loiro. Gus não era do tipo de garoto que briga com os outros, mas a partir do momento em que uma pessoa prejudicou um de seus amigos, essa pessoa ganhou um grande inimigo.

Gus acompanhou com o olhar cada movimento que o loiro e seus colegas faziam. Killian andava ao lado de sua irmã que tinha o braço envolta da cintura dele para ajudá-lo a manter o equilíbrio enquanto Teddy Lupin caminhava atrás dos dois e mantinha o olhar distante. A frente de todos eles estavam Kyra e Caspian que conversaram em um tom baixo e sério, o que o moreno achou de certa forma suspeito. Ele gostava de Caspian, Gus gostava de considerar que os dois eram amigos e por isso no momento em que seu olhar se encontrou com o do garoto mais velho ele sorriu levemente em cumprimento, gesto que foi retribuído pelo mais velho.

O moreno viu e hesitou um pouco quando Sarah se virou e viu pela primeira vez os ex alunos se aproximando de onde eles estavam. A tensão logo voltou e Gus podia jurar que ela era visível de tão forte e pesada que ela era. Antes que o moreno pudesse dizer algo, uma carruagem chegou.

F – Vocês podem ir nessa, se quiserem. – ofereceu Lexie com um tom gentil e um tanto quanto hesitante enquanto se mexia para ficar ao lado de Sarah e Ella.

D – Agradeço a oferta, querida, mas vocês podem ficar com essa. – respondeu Caspian com seu sorriso de costume que fez Lexie sorrir sem graça e agradecer em voz baixa.

Gus ajudou suas amigas a subirem na carruagem antes de tomar seu lugar ao lado de Mike e continuar olhando atentamente para os cinco ex alunos parados lago atrás. Sua carruagem não tinha se afastado muito quando uma segunda carruagem chegou e nela, Killian, Morgaine e Teddy subiram. O moreno franziu a testa em confusão ao ver Caspian e Kyra caminharem até a entrada do bosque que levava a Floresta Proibida.

O garoto estava tão concentrado em tentar ver o que os dois estavam fazendo que nem percebeu que seus amigos falavam com ele até sentir Mike lhe dar um tapa no braço para chamar sua atenção.

– Hei, cara! Tá pensando no que? – perguntou o ruivo com um olhar confuso igual ao que as três garotas lançavam para Gus.

– Nada, é só que... – começou o menino antes de desviar o olhar de onde Caspian e Kyra estavam antes e olhar para seus colegas. – Eu vi o Caspian e Kyra entrando no bosque e isso me deixou um pouco intrigado, eu acho.

– Você acha que eles estão escondendo alguma coisa? – perguntou Ella com sua voz suave e calma enquanto encarava o amigo. – Não que eu não confie neles, mas... É estranho eles estarem de volta assim do nada depois do que aconteceu e agora isso... Não sei, isso me deixa um pouco aflita.

– Eu ouvi o Chase falando com a Margo sobre isso e ele disse que não faz a menor idéia do porquê o irmão dele estar aqui. – comentou Mike dando de ombros. – Às vezes eles só vieram matar a saudade da escola agora que eles devem estar procurando um emprego.

– Eles já tem empregos, Mike. – Lexie respondeu com um sorriso.

– Eles devem estar aqui a pedido do Ministério. – começou Sarah, chamando a atenção de seus amigos para si. – Quero dizer, Sirius, Teddy e Kyra são Auror. Eles provavelmente foram enviados para investigar o que aconteceu antes das férias ou quem sabe para proteção.

– Eu não sei o porquê deles estarem aqui ou o que está acontecendo, mas algo não me cheira bem nessa situação. – resmungou Gusantes de olhar para longe de seus amigos.

– Ah, desculpa. Acho que isso é minha culpa na verdade. – disse Mike antes de se ajeitar no banco e colocar as mãos sobre a barriga. – Sabe como é, burrito não me faz muito bem.

– Você é ridículo, Smith. – respondeu Lexie com um pouco de desgosto claro em sua voz enquanto seus outros amigos riam do comentário de Mike.


Notas Finais


Então, gostaram? Espero que sim!
É isso minha gente, nosso último capítulo de apresentações! Agora vamos aos avisos, porque se eu não falar logo vou esquecer!

1º Próximo Capítulo: como eu já disse esse foi o último capítulo de apresentações, o que faz com que os próximos capítulos adquiram um estilo mais "diferente", podemos dizer! Como não tem mais a necessidade de focar especificamente em um personagem em cada cena, os capítulos seguintes mudaram de ponto de vista várias vezes durante uma mesma cena! Como assim, Darky? Sabem o último capítulo, o capítulo 5? Os próximos seguiram mais ou menos aquele estilo! Tipo, uma mesma cena vai ser mostrada pelo ponto de vista de mais de um personagem! Ainda sobre o próximo capítulo, mas agora no que diz respeito a quando ele será postado; como eu disse minhas aulas voltaram e minhas provas vão começar essa semana então eu vou me enrolar um pouco pra postar o próximo capítulo. A verdade é que eu ainda não comecei a escreve-lo, só tenho as cenas escritas no meu caderno junto com o roteiro de como o capítulo vai ser. Espero começar a escreve-lo ainda hoje e quem sabe, se algum milagre acontecer, eu consigo postar ele no próximo domingo!

2º Pontos: alguns já devem ter visto e outros não, mas eu postei no Tumblr - na página do Salão Principal - um post falando sobre um novo meio de ganhar pontos para a Taça das Casas atráves das Ask! Sim, gente agora a interação no Tumblr também vale pontos! Eu poderia explicar aqui, mas preferiro deixar o link do post ai vocês vão lá dar uma olhadinha, okay? Okay.
PS: Hoje sai o resultado dos pontos vindos dos comentários feitos até o capítulo passado! Quem quiser dar uma olhada lá, vai ver quem é a casa que está na frente!

LINK DO POST: https://salao-principal-nightmares.tumblr.com/post/176041814821/pontos-ask

3º Avisos & Posts importantes: não entrando muito em detalhes, mas há dois post MUITO IMPORTANTES na página do Salão Principal que eu postei hoje! Um fala sobre algumas mudanças que houve na fanfic e o outro fala sobre aqueles projetos que eu tinha comentado com vocês ^^ Então, LEIAM! Sério gente, é importante!
LINK DO SALÃO PRINCIPAL: https://salao-principal-nightmares.tumblr.com/

4º Capítulo Bônus: como eu sei que muitos de vocês não entram no Tumblr - não tentem me enganar, etou de olho hehehe -, muitos não devem saber que eu postei o primeiro capítulo bônus! Sim meus queridos desatualizados! O primeiro capítulo bônus saiu! Ele fala sobre o aniversário do Harry e mostra bem como as coisas eram quando o James ainda era vivo, desde o tipo de pessoa que ele era até como ele se relacionava com seus irmãos! Ninguém é obrigado a ler, mas quem quiser, be my guest! Ah! Aqueles que leram ou lerem, me contem o que vocês acharam ^^ Fico curiosa kkkkkk

LINK DO CAP: https://nightmares-fanfic.tumblr.com/31_julho

5º Post: okay, esse é um tópico importante! Vocês querem que eu faça um post mostrandotodos - ou pelo menos a maioria - dos personagens criados por mim que aparecem na página dos alunos? Tipo montar uma árvore genealogica deles para mostrar de onde eles surgiram, quem são eles e coisas do tipo?

Acho que é isso gente! Até o próximo capítulo ou até o Tumblr 0/
Boa semana pra vocês<3

XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...