1. Spirit Fanfics >
  2. Nineteen - Hyunin. >
  3. Capítulo 2 - Eu devo estar ficando louco.

História Nineteen - Hyunin. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que estejam gostando ♡

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Eu devo estar ficando louco.


Fanfic / Fanfiction Nineteen - Hyunin. - Capítulo 2 - Capítulo 2 - Eu devo estar ficando louco.

Hwang Hyunjin 


Cheguei em casa meia hora depois e só aí me lembrei: o número dele. Sempre me esqueço de pegar o número dele. Amanhã irá se iniciar o final de semana e eu não vou ter chance de vê-lo. Hyunjin, você é bastante burro hein, meu filho...


Assim que adentrei meu quarto vi Kami deitada em cima da minha cama, junto com Yeontan. Sinal que meu pai ainda não chegou porque senão, estaria com os dois fazendo alguma graça. Senhor Taehyung é um homem muito carinhoso com seus animais, até mais do quê com seus filhos. 


Deixei minha mochila sobre a minha cama com cuidado para não acordar os doguinhos, colocando ali também meu celular e carteira depois segui meus passos até o banheiro. Estava cansado e exausto, então ia passar um bom tempo na banheira.


Adentrei o banheiro e liguei a torneira para ir enchendo enquanto eu tirava minhas roupas, já colocando as mesmas dentro do cesto de roupas sujas. Voltei novamente até meu quarto quando escutei um barulho de notificação vindo do meu celular, retornei ao banheiro e vi que a banheira estava com uma quantidade suficiente de água, desliguei a torneira e adentrei com cuidado para não molhar o celular.


Era uma mensagem de Yeonjun no grupo feito para um trabalho da faculdade. Eu, ele, Ten e Changbin estamos fazendo um trabalho em que temos que ter como base um único objeto para que combine com o resto do local.


Yeon-ye ♡

Ei, famosinho 

Vamos aproveitar esse final 

de semana e resolver logo 

o trabalho?


Jinnie ♡

Beleza

Vai ser aqui em casa ou aí?



Thai Prince ♡

Ih, gente 

Quero andar demais não 

Vamos pra casa do Jun que é 

mais perto de onde moro 


Jinnie ♡

Nossa, Ten! 

Obrigado pela consideração aí, pô


Thai Prince ♡

De nada, mô 



Trevosinho ♡

Aí gente, que viadagem 

Só marquem logo o local 


Jinnie ♡ 

Se fosse o Felix-Hyung tu ia adorar, né?

Grosso 


Yeon-ye ♡

Ok, venham aqui amanhã 

Às 13:00hrs



Thai Prince ♡ 

Bons meninos

Vejo vocês amanhã, mores 



Bloqueei o celular e estiquei um pouco meu corpo para colocar sobre o vaso sanitário que estava tampado – tendo colocado This Love da Camila Cabello para tocar, antes.

Sou bastante fã das músicas dela.


Enquanto tocava eu me lembrei de Beomgyu. 

Ele estabeleceu algo sério comigo mas ainda não me assumiu para ninguém; sempre larga minha mão ou talvez nem pegue nela enquanto andamos; já o vi dando em cima de algumas garotas e um amigo meu também me falou sobre ele estar "conversando" com outros caras que talvez eu conheça. Mas, Beomgyu me ama, certo? Deve ser só porque não nos assumimos ainda e tem toda a questão de ele ainda "estar dentro do armário"... mas... poxa, já tem quatro anos! Quatro fucking anos! 


Eu quero ter um verdadeiro relacionamento com ele; poder andar de mãos dadas; poder chamá-lo do quê eu quiser; apresentar ele para minha família inteira, não só pra Yeji ‐ que ainda foi apenas mostrando por foto e um pequeno aviso - e conhecer a dele também; eu quero a consideração que eu mereço. Não quero um relacionamento aberto; na verdade, nunca combinamos nada sobre ser algo liberal e isso me dói muito. Será que eu sou suficiente? Será que é porque eu não o agrado? Será que é porque é o primeiro relacionamento dele com um homem? Eu sinceramente não sei mais, porém, eu preciso de uma conversa bastante séria com ele. Preciso por os pingos nos "is" que faltam.


Terminei de me lavar e me retirei da banheira, retirando a pequena rolha do buraco para toda água se esvair da banheira, peguei a minha toalha e enrolei na minha cintura, me encaminhando para fora do banheiro depois de pegar meu celular.


Quando entrei no quarto vi Yeji brincando com os doguinhos na minha cama.


– Vaza, pirralha! Vou me trocar. – disse, deixando meu celular sobre a cama e indo para frente do meu guarda-roupa, pegando qualquer blusa, um samba-canção e uma cueca box branca.


– Oppa, queria saber se você vai poder me levar até a casa da Yuna. – disse enquanto se virava de costas para mim.


Me sequei o mais rápido que pude e vesti minhas roupas.


– Caralho, isso tudo é pressa? Podia esperar lá fora. – falei, dando algumas risadas no final. – que horas são? – questionei e fui até o banheiro, colocar a toalha novamente pendurada no suporte perto da banheira.


– Umas 22:50, por aí. Vamos logo, eu vou dormir lá. – falou toda empolgada. 


– Hum... – semi-cerrei os olhos – vai ser só você e ela? Olhe, se for fazer mais alguma coisa se proteja. – disse de forma brincalhona e vi ela ficar mais vermelha que um pimentão.


– Vai ser só nós duas, seu idiota! – disse jogando um dos meus travesseiros em minha direção, depois pegando sua mochila preta, provavelmente com seus pertences. Eu decidi pegar um dos meus casacos já que devia estar fazendo muito frio.


– Calma, esquentadinha.. – consegui pegar o travesseiro e o coloquei de volta na cama, pegando meu celular e carteira, caminhando com ela até a porta de entrada da casa. Como Yuna mora relativamente perto da gente, iríamos caminhando mesmo.




Estávamos caminhando, em um silêncio confortável, ainda na metade do caminho.


– Oppa, você ainda está namorando? – parou de olhar seus pés para direciona-los à mim. – Tem mais de um ano já, né? – coçou a nuca.


– Quatro. – suspiro pesado e coloco as minhas mãos nos bolsos do blusão de frio. – ele ainda não quer assumir nada. Diz que tem medo e que prefere assim mesmo, já que segundo ele, o que ninguém sabe, ninguém estraga. – à olho de soslaio.


– Jinnie, você não acha que isso é só conversa fiada, não? – perguntou e eu logo neguei.


– Não, ele me ama. Lembro que quando fui contar para nossos pais eu também tive bastante medo... – falo em tom nostálgico. 


– Entendi... – suspirou – Só toma cuidado, ok? Mesmo que eu seja dois anos mais nova que você, caso precise, estarei aqui. – direcionei meu olhar em sua direção e recebi aquele sorriso quadrado maravilhoso, retribuí da mesma forma.


– Tá, tá, pirralha. Agora vamos apressar os passos, já está tarde. – coloquei meu braço em volta do seu pescoço e seguimos nosso caminho; um caminhado meio desajeitado mas mesmo assim, só fomos.


◇ 


Já estava em casa novamente. Subi logo para meu quarto e me joguei na minha cama, retirei a carteira e celular do bolso, pondo a carteira sobre minha pequena cômoda ao lado da minha cama e desbloqueado meu celular.


Abri no meu chat com Beomgyu. 


Hyunjin 

Preciso conversar contigo.

Pode ser depois de amanhã? 



Agora vamos ver que horas ele irá me responder, né... 


Me levantei para por o celular para carregar em cima da minha escrivaninha e logo retornei para cama. Vamos dormir que amanhã o dia será cheio. 



– Eaiii, Hyunjiiin. – disse Yeonjun, ao abrir a porta para mim. – Entra aí, só falta o Changbin. – me deu espaço para passar – Ah, esqueci de te avisar, eu moro com um amigo meu que só irá chegar lá para o horário da noite.– concluiu assim que adentrei seu apartamento e ele fechou a porta atrás de mim.


– Tudo bem. Vamos logo com isso. – disse, deixando a mochila em minhas costas escorrer pelos meus braços e a seguras com minhas duas mãos em frente ao meu corpo.


O apartamento era aconchegante, iluminado, alterava entre: branco, marrom, cinza e outras cores mais neutras e um pouco fortes também. Tnha algumas plantas espalhadas; algumas nos cantos das paredes, outras nas janelas, varandas... era aconchegante e elegante ao mesmo tempo. 


Nós ficamos até as oito horas apenas desenhando, pintando, discutindo pontos e idéias, fazendo brincadeiras idiotas hora ou outra e dividindo alguns lanches. 


– Caralho, I.N já devia ter chegado! – podia notar um pouco de preocupação na voz do Jun enquanto ele olhava o relógio preso na parede, acima da televisão. 


– Algum parente seu? – perguntei enquanto guardava meu material dentro da minha bolsa novamente.


– Meu melhor amigo. Ele teve uns problemas com o ex embuste dele e agora mora comigo. – respondeu, sua face se tornou um pouco mais dura ao comentar sobre o ex.


– Entendi... – joguei minha bolsa em cima do sofá, ao meu lado, respirando fundo por já ter finalizado meus exercícios.


Ouvimos o barulho da porta se abrir e os quatro olhamos para a porta que ficava na sala, onde estávamos.


Eu devia estar ficando louco.


– Raposinha? – perguntei surpreso, com uma das minha sobrancelhas arqueadas.


– Prince? – respondeu com um levantar de cabeça rápido e a mesma cara de confusão que a minha.


Notas Finais


Até o próximo capítulo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...