História NO AR (repost) - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias 30 Seconds to Mars, Jared Leto
Personagens Jared Leto, Personagens Originais, Shannon Leto, Tomo Milicevic
Tags Jared Leto, Lis, No Ar
Visualizações 94
Palavras 4.402
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse é o extra que falei, eu nunca indiquei música por aqui, mas em certo momento do capítulo será bom vcs colocaram: Dance for You da Beyonce... É um hot longo! kkk o link esta nas notas finais.



Um até breve! LINK DA NOVA FIC NAS NOTAS FINAIS <3

Capítulo 48 - Capítulo 48 - EXTRA


Fanfic / Fanfiction NO AR (repost) - Capítulo 48 - Capítulo 48 - EXTRA

O suor escorria em todo meu corpo, havia exatamente 3 horas que me encontrava correndo sobre a esteira antes de ir trabalhar, com 16 anos de ONG ganhei um merecido descanso para dedicar-me totalmente à carreira na produção de arte, a qual me levou à 7 indicações e mais uma estatueta, ainda ficando atrás do Jared, com três. Tiro os fones ao ver Skye e Drum com a banda na turnê da Rússia, o jeito de menino dos três com seus 60 e poucos anos permitem que ainda sejam confundidos com um bonitão de 40, não me impressiona, Jared quando o conheci nesta idade parecia 10 anos mais jovem. O tempo parece passar lentamente quando se trata dele.

-Então você pensa em seguir os passos do seu pai? - o apresentador pergunta.

-Sim, ele e tio Shann me trouxeram justamente para aprender, não só eu como Drum, meu primo! - seus olhos azuis brilhavam de orgulho sobre a filha.

-MÃE! - escuto Maya gritar entrando na academia de casa.

-Que foi filha?!

-O Theo rasgou minhas roupas! - gritava histérica. - Porque ele faz isso mãe?! Que porra!

-Olha a boca, menina! - a repreendi. - Como assim rasgou suas roupas?!

Passei por ela como um furacão ainda escutando seus xingos contra o irmão, indo em direção ao seu quarto. Theo já estava na escola uma hora dessas, esperto demais para aprontar quando estivesse em casa, sempre assim, ele sabia que até chegar em casa eu já teria me acalmado e não brigaria tanto. Filhos… filhos, céus!

-Mas… - não soube o que dizer ao ver todos os seus uniformes de líder de torcida rasgados sobre a cama.

-Está vendo?! Está vendo, mãe?! Eu vou contar tudo ao papai! Ele espera meu pai dar as costas pra fazer esse tipo de coisa, eu quero matar o Theo, matar!

-Calma, compro outros… - bufei juntando os pedaços. - Seu pai chega hoje à tarde, não tem necessidade de importunar ele logo agora por isso, sabe que ele fica torturando-se por não estar com todos nós!

-Mãe, você não vai fazer nada?!

-Vou colocá-lo de castigo… Mas você precisa ter paciência com seu irmão, ele tem ciúmes de você, sempre será a menininha dele…

-Eu sou a mais velha e não quebro aquele carro dele todinho cada vez que ele coloca uma louca dentro!- respondeu irritada.

-Dois minutos mais velha…

-Ainda assim, sou!

-Tudo bem filha, eu vou falar com ele, ok?! Agora se arrume para sua aula de música, a tia Amy virá para te levar e vocês irão ficar com ela!

-Mas eu quero ir buscar o papai no LAX com você!

-Não vou buscá-lo, ele vai deixar Skye com você e Amy , Théo irá dormir lá também e papai vem para casa, preciso de um tempo com ele… Estou com saudades!

-Hmmmmm safadinhos!

-MAYA! - a repreendi enquanto riamos.

-Será que ele vai à minha apresentação? - perguntou tristonha.

-Ele não perderia, sabe disso!

-Sei lá, às vezes penso que ele prefere a Skye porque ela gosta das mesmas coisas que ele!

-Não diga um absurdo desses Maya, seu pai admira tanto você, como dúvida disso?!

-Eu sei… é que tenho medo... de decepcioná-lo. - sua voz era falha.

-Ah meu Deus, filha! - a envolvi em meus braços. - Não ceda à pressão que todos colocam em você por ser filha dele, nós nunca iremos te cobrar nada… Seja quem você é, meu amor, não tem que viver presa à carreira de seu pai… Você pode ser qualquer coisa que desejar, está bem?

-Obrigada mamãe, eu sou uma boba né? - enxugou as lágrimas.

-Não é não! Seu pai não vai te amar menos ou mais simplesmente por preferir um violino ao invés de uma guitarra! - ela riu.

Maya e Skye sempre foram muito unidas desde quando pequenas, mas a paixão pela música da minha loirinha nasceu vendo o pai no palco, já da morena, quem é que sabe?! Ela sempre fora apaixonada por ballet, ao contrário da Irmã, o que provavelmente a levou à se apaixonar pelo violino e desde então, estuda e pratica, o ballet a levou a se tornar líder de torcida da escola, mas, ao contrário do que pensávamos ela não se envolveu com a popularidade… Fazendo o orgulho do pai por sua maturidade com a fama.

Cada um deles trata a fama do pai de uma forma, Theo aproveita, obviamente, apesar de ser o único que escolheu o caminho do esporte ao invés da música, sendo quarter/capitão do time de futebol, um exímio jogador que já tem vaga garantida para a faculdade. Maya é doce e carinhosa, muito flexível, puxou Amélia… Calma, amável, o único ser neste mundo que consegue tirá-la do sério é o irmão, e ainda assim, ela briga briga e depois está amando como se nada tivesse acontecendo… Por ser tão amorosa necessita sempre de nossa aprovação, para tudo! Só aceitou ser líder de torcida depois de obter a certeza minha e do pai de que isso não afetaria nada, completamente diferente de Skye, que como Jared, não gosta de ouvir um “não” tão pouco que as coisas não saiam conforme ela deseja, a loirinha cresceu debaixo da asa do pai e é uma cópia fiel de seu temperamento, parecem pensar, sentir e fazer sempre o mesmo!

Amélia  já havia levado Maya quando estava preparando as boas vindas ao meu marido em casa, quando o telefone toca.

-Alô?

-Sra. Leto? Aqui é da Venice High School, estamos ligando para comunicar a advertência do aluno Theo Hentskiest Leto, necessitamos da presença de um responsável para tratarmos o problema.

-O que houve?! Estarei ai em 20 minutos!

-Ele se agrediu um dos colegas, estamos aguardando sua presença.

-Ok! - desliguei a ligação bufando de raiva.

Theo é colérico, não pensa os atos quando com raiva e já é a segunda advertência em um semestre, sempre pelo mesmo motivo: Jason. O running back do time que insiste em paquerar Maya, provocando a ira do irmão, fica claro o motivo de ter rasgado as roupas da mais velha antes de ir pra escola arrumar confusão.

Cheguei ao corredor lotado de jovens até por fim, encontrar Theo com a cara de poucos amigos sentado na recepção da Reitoria.

-O que você fez? - perguntei séria.

-Mãe, ele estava falando do corpo da minha irmã! Aquele filho da p..

-THEO! - o repreendi. - Se acalme!

-Mas… - bufou ao olhar a diretora me chamar.

Entrei na sala enfeitada de quadros com alunos honrados, num deles Skye sorridente, sentei-me à frente da mesa de madeira escura que traz um ar sério para o ambiente.

-Sra. Leto, é um prazer revê-la!

-Não posso dizer o mesmo nessas circunstâncias… - sorri educadamente.

-Não diga isso, seus filhos estão entre os melhores alunos desta escola, principalmente nossa violinista solo, Maya!

-Obrigada, eu dou meu melhor para que sejam!

-Então Sra.Leto, Theo tem se comportado de forma agressiva com seu colega Jason, entendo que ele tenha motivos, mas não posso deixar que tenha a violência como solução para tudo!

-Quais motivos?

-Jason levou a terceira advertência ontem, após expor Maya na frente de todos como um objeto sexual, por conta de suas roupas da equipe de líderes… O que ele não contava era com a minha presença no corredor, isso impediu Theo de agredi-lo no momento, mas vemos que não durou muito, não é?! - ela sorriu. - O que quero dizer é para que a senhora o leve a entender que os problemas não se resolvem dessa forma!

-Pode deixar, irei conversar com ele! Agora me desculpe, mas preciso ir… Jared está voltando de turnê após meses longe, preciso estar em casa o quanto antes. Tem mais alguma coisa?

-Apenas assine aqui! - me estendeu a advertência.

-Obrigada, Sra. Jhudi!

-Eu que agradeço!

Levantei a passos firmes pensando no que dizer à um garoto de 17 anos que aquela não era a melhor forma de proteger a irmã se eu mesma socava a cara do infeliz ao vê-lo expor minha filha como um pedaço de carne qualquer. Assim que me viu sair apenas acompanhou-me até o estacionamento em silêncio.

-Theo, filho, eu sei que fez isso para proteger sua irmã… Mas não é o correto! - fui o mais firme que pude.

-Mãe, aquele desgraçado estava tratando-a como uma vadia por causa daquelas merda de roupa!

-E por isso você rasgou todas?

-Sim!

-Theo, eu não te criei para isso! Sua irmã não se torna uma vadia por conta de uma roupa de ginástica! - bufei me alterando. - Alguma vez ela deu trela pra esse cara? Alguma vez à viu agindo de forma inadequada?!

-Não!

-Então pronto Theo! Ela nem corresponde esse idiota, pra que cortar as roupas da menina?!

-Porque eles estavam falando das r…

-Não importa! Ok? Você tem de respeitar as mulheres e à todos independente das roupas que vestem ou do que escolhem para si! Não se julga as pessoas, Theo!

-E eu tenho que o ouvir falando daquele jeito sobre minha irmã, calado?!

-Não, grave e denuncie… Você não pode agir com violência, mas isso não significa ficar inerte à situação!

-Tá bom, mãe… Eu só… fico nervoso… desculpe!

-Você vai agora para a casa da tia Amy, irá pedir perdão à sua irmã e você mesmo irá comprar as roupas que rasgou! Estamos entendidos?

-Sim, mãe… - falou baixo.

-Ok, te amo!

-Te amo mamãe, boa festinha com o pai! - riu.

-Menino, menino! - o repreendi enquanto entro no carro.

Esperei que ele saísse primeiro, indo para a casa da tia com seu próprio carro… Crescem tão rápido! Aproveitei para passar da Adega e comprar um vinho para a festinha de hoje, cheguei em casa tirando a roupa, raro luxo que se têm com três filhos adolescentes. Parei em frente ao espelho, os cabelos agora em um corte chanel me davam uma aparência jovial apesar da idade, a única marca visível de uma mulher madura de 44 anos se encontrava em meu ventre, o delicado risco do corte que a cesárea dos gêmeos me presenteou, uma marca de amor. Os seios não eram mais os mesmos, tem um leve caimento, com os bicos maiores e não tão durinhos como antes, graças à minha pesada rotina de exercícios o resto se manteve basicamente intacto.

De lingerie e ao som do bom e velho rock distribui os castiçais de cristal com velas pelo quarto e velas trabalhadas na pequena mesa trazida à varanda do quarto e preparada para nossa janta particular. Forrei a cama com lençóis negros e posicionei a cadeira a frente, onde a maior parte da luz quente iluminava, coloquei um roupão quando a campainha tocou trazendo seu prato vegano do restaurante favorito, guardei ao forno com todo cuidado. Confirmei as horas no relógio.

Peguei os bilhetinhos guardados na cômoda do nosso closet e distribui estrategicamente pela casa, enchi a banheira e despi-me utilizando os sais de banho favorito dele.

Nessas três últimas turnês e viagens a trabalho aprendi com muito custo a lhe dar total confiança, especulações e mentiras para destruir ou difamar uma família inteira me parece ser um objetivo para a mídia. Não foram meses fáceis, mas nos amadureceram muito mais! Vez ou outra discutimos, mas sempre trabalhamos com a verdade e transparência, ele nesse quesito, teve muita paciência para lidar comigo. Jay ao longo desses anos não me dera um motivo sequer para que a confiança se quebrasse, mesmo quando se fazia necessário me acalmar pelos ciúmes que a distância muitas vezes me causava.

Mas não tem coisa melhor, saber que sou eu! Não é convencimento, mas os anos me faz ter certeza, ele me faz ter certeza de que nenhuma outra mulher tem aquela gargalhada que o faz esquecer-se de todos os problemas do mundo, nem o abraço que o faz sentir-se protegido nem a minha voz baixinha garantindo que tudo vai ficar bem quando ele sente medo de que nada irá… Nenhuma outra terá o olhar hipnotizante que o prende comigo, nem o toque de suas mãos por todo corpo, tão pouco a intimidade que esses anos construíram. Nenhuma mulher será eu, mãe de seus filhos e sua legítima e amada esposa, não tem coisa mais gratificante do que poder ver, sentir e dizer: ele é só meu!

Sai de meus devaneios e sorrisos bobos com sua ligação.

-Oi amor! - atendi rapidamente.

-Oi vida! Acabei de desembarcar, já já estou em casa!

-Deixe Skye na Amélia antes e quando chegar em casa precisa seguir cada pista que deixei, ok?

-Hm, surpresa?! - perguntou num tom malicioso.

-Sim meu amor! - respondi da mesma forma.

-Chego em cinco minutos então!

-Ok - ri de sua pressa e desliguei.

Preparei o iPod na caixa de som, vesti uma meia taça preta ligada à lingerie rendada preta com detalhes vermelhos, coloquei um salto preto e repassei todo plano em minha mente enquanto colocava um pouco do meu perfume, seu preferido, estrategicamente atrás das orelhas e entre os seios. Peguei o balde de gelo e coloquei o vinho próximo à cama onde preparei que sentasse.

Tudo pronto!

 

 

 

POV JARED

 

 

 

Cheguei em casa tão depressa que mal estacionei o carro, deparei-me com a casa pouco iluminada, logo no vaso próximo a porta de entrada havia um envelope com a “pista 1”.

 

“Tire os sapatos, deixe as malas, respire fundo. Em nosso quadro favorito estará a regra.”

 

Fiz o que pediu e andei um pouco mais, até o quadro que enfeita a parede no caminho de nosso quarto.

 

“Para que tudo fique mais quente, tire os tecidos que cobrem sua pele, em nossa escultura favorita estará a próxima pista.”

 

Ah Lis! Meu pau mexesse na calça só de imaginar o que me deixará mais quente. Tirei toda a minha roupa e caminhei até a estátua da deusa Afrodite onde mais um envelope se encontrava. 

 

“Nossa deusa do amor para te indicar o lugar aonde irá me encontrar!”

 

Escutei as batidas de música vindas do quarto, na porta o bilhete “sente-se e aproveite”.

 

 

POV LIS

 

 

Escutei o barulho de seus passos e corri sentando-me na cadeira, peguei meu chicote apertando play e torcendo para que ele não seja tão teimoso a ponto de ignorar as pistas ao entrar em casa.

 

●COLOCAR DANCE FOR YOU/BEYONCÉ

 

A porta se abriu enquanto eu dançava na cadeira como havia treinado à meses, ritmicamente ao som de Beyoncé, sentou-se à minha frente na cama como lhe pedi, boquiaberto.

 

I just wanna show you how much I appreciate you

Wanna show you how much I'm dedicated to you
Wanna show you how much I will forever be true

(Eu só quero te mostrar o quanto eu te admiro
Quero te mostrar o quanto me dedico a você
Quero te mostrar o quanto vou ser sempre verdadeira)

 

Wanna show you how much you got you girl feeling good
Wanna show you how much, how much you understood
Wanna show you how much I value what you say
Not only are you loyal, you're patient with me babe

(Quero te mostrar o quanto você faz sua garota se sentir bem
Quero te mostrar o quanto você é compreensivo
Quero te mostrar o quanto eu valorizo o que você diz
Você não é só fiel, é também paciente comigo, querido)

 

Wanna show you how much I really care about your heart
Wanna show you how much I hate being apart
Show you, show you, show you till you're through with me
I wanna keep it how it is
So you can never say how it used to be

 (Quero te mostrar o quanto eu me preocupo com seu coração
Quero te mostrar o quanto eu odeio quando estamos separados
Quero te mostrar até que você esteja inteiramente comigo
Quero manter isso pra sempre do jeito que está
Pra que você nunca possa dizer como costumava ser)

 

Enquanto fazia os passos sensualmente pude notar sua ereção e olhar feroz sobre cada movimento meu, caminhei felina até ele, pegando em suas mãos e levando-as ao seu membro rijo.

-Quero vê-lo satisfazer-se somente me olhando! - sorri maliciosa voltando para a cadeira e dando um show particular enquanto ele fazia exatamente o que mandei.

 

Loving you is really all that's on my mind
And I can't help but to think about it day and night
I wanna make that body rock
Sit back and watch

(Amar você é o que realmente está sempre na minha cabeça
E eu não consigo evitar de pensar nisso dia e noite
Eu quero fazer esse corpo dançar
Sente-se e assista)

 

Tonight I'm gonna dance for you
Tonight I'm gonna dance for you
Tonight I'm gonna put my body on your body
Boy I like it when you watch me, ah
Tonight it's going down

 (Hoje à noite eu vou dançar pra você
Hoje à noite eu vou dançar pra você
Hoje à noite eu vou colocar meu corpo no seu corpo
Garoto, eu adoro quando você me assiste
Hoje à noite vai ser demais).

 

Aproximei-me assistindo-o masturbar-se enquanto mantém os olhos vidrados em mim, o tirei do trabalho com as mãos quando me posicionei minhas pernas ao seu lado de forma a sentar em seu colo, ainda rebolando no ritmo da música sem desviar meu olhar do seu, com as minhas mãos dançando junto ao meu corpo.

 


I'll be rocking on my baby, rocking, rocking on my baby
Swirling on my baby, swirling, swirling on my baby
Baby, let me put my body on your body
Promise not to tell nobody
Cause it's about to go down

(Eu vou dançar no meu amor, dançar, dançar no meu amor
Remexer no meu amor, remexer, remexer no meu amor
Baby, me deixa colocar meu corpo no seu corpo
Prometa que vai não contar a ninguém
Porque vai ser demais).

 

Aproximei ainda mais nossos corpos dançando sobre seu membro numa fricção que quase me fez desistir de tudo e colocá-lo em mim. Seu gemido me provocou ainda mais ao meu escutar cantar junto a estrofe da música:

 

You'll never need two cause I'll be your number one
Them other chicks are superficial
But I know you know I'm the one
That's why I'm all into you
'Cause I can recognize that you know that

 (Você nunca vai precisar de duas, porque vou ser sua número 1
As outras garotas são superficiais
Mas eu sei que você sabe que eu sou única
É por isso que eu sou apaixonada por você
Porque posso reconhecer que você sabe disso)

 

That's why I'm backing this thing back
Pop-popping this thing back
Drop-drop-drop-dropping this thing back

(É por isso que estou fazendo isso de novo
Mostrando isso de novo
Dizendo isso de novo)

 

Sai de seu colo, ficando de costas enquanto abaixava-me rebolando e olhando quando ele soltou um jato quente que atingiu parte da minha coxa. Sorri divertida virando-me para observá-lo com a expressão de êxtase… A boca num perfeito O e cabeça jogada para trás, continuei dançando em sua frente.

 

 

This is for the time you gave me flowers
For the world that is ours
For the moonlight, for the power of love

(Essa é pela época em que você me dava flores
Pelo mundo que é nosso
Pela luz da lua, pelo poder do amor)

 

And you know I'll never, ever, eh-ever give you up
And I wanna say thank you in case I don't thank you enough
A woman in the street and a freak in the you know what
Sit back, sit back
It's the pre game show
Daddy, you know what's up

 (E você sabe que eu nunca vou desistir de você
E quero dizer obrigada caso eu não tenha agradecido o suficiente
Uma mulher na rua e uma louca no você sabe o quê
Sente-se, sente-se
Isso é uma prévia do show
Papai, você sabe o que vai acontecer).

 

Seus olhos voltaram-se para mim, caminhei até a mesa e lhe servi uma taça de vinho, qual entreguei em suas mãos, ajoelhei em sua frente tomando o membro em minha boca, fazendo-o arfar.

 

 

Imma take this time
To show you how much you mean to me
Cause you are all I need
No money can emphasize or describe
The love that's in between the lines
Boy look into my eyes

(Eu vou aproveitar este momento
Pra mostrar o quanto você é importante pra mim
Porque você é tudo que eu preciso
Dinheiro nenhum pode enfatizar ou descrever
O amor que está nas entrelinhas
Garoto, olhe nos meus olhos)

 


When I'm grinding on you
This is beyond sex
I'm high on you
If it's real then you know how I feel

(Quando eu te toco
Isto está além do sexo
Estou viciada em você
Se isso for verdadeiro, então você sabe como me sinto)

 

Levantei após vê-lo pronto outra vez, despindo-me lentamente a sua frente. Céus, como senti falta desse olhar sobre meu corpo.  Os azuis luxuriosos que atravessam a pele queimando minha alma de prazer.

 

Rocking on you baby, rocking, rocking on you baby
Swirling on you baby
In my mind all I can think about
Is a frame for our future
And the pictures of the past
And the chance to make this love last

(Dançando em você amor, dançando, dançando em você amor
Remexendo em você, amor
Na minha cabeça tudo o que eu consigo pensar
São nos nossos planos para o futuro
E nas lembranças do passado
E na oportunidade de fazer esse amor durar)

 

 

Sentei sentindo seu membro preencher-me completamente.

Tão duro, tão largo. Me aperta.

 

Tonight I'm gonna dance for you
Tonight I'm gonna dance for you
Tonight I'm gonna put my body on your body
Boy I like it when you watch me, ah
Tonight it's going down

 (Hoje à noite eu vou dançar pra você
Hoje à noite eu vou dançar pra você
Hoje à noite eu vou colocar meu corpo no seu corpo
Garoto, eu adoro quando você me assiste
Hoje à noite vai ser demais).

 

 

Ditei nossos movimentos junto a batida, quando decidi o torturar mais um pouco, parei assim que percebi seu corpo anunciar um orgasmo.

-Porque parou? - me olhou incrédulo.

-Não quero que goze agora! - sorri maldosa.

Retomei os movimentos lentamente sentindo-o abafar a frustração com a boca em meus seios. Movimentei meus quadris rebolando com mais força e velocidade quando me apertou prestes a se libertar novamente. Parei.

-Ainda não! - adverti.

-Porra, por favor! - mordeu o bico do meu seio.

-Pede com jeitinho! - provoquei risonha.

Mas é óbvio que ele não deixaria por menos, quando me dei conta estava deitado abaixo de seu corpo levemente definido como sempre fora e os anos o conservaram.

Obrigada padroeiro dos Veganos! 

Suspirei vendo me olhar com maldade. Ainda forte me ajeitou na cama num impulso só colocando meus braços esticados acima da cabeça enquanto explora cada parte de meu tronco com sua boca. Excitando. Gemi.

-Quieta, não dê um piu! - afastou-se enquanto me mantive na mesma posição que me colocara.

Os olhos dele buscaram o chicote que a minutos atrás estava em minha mão e não pude usá-lo.

Porra.

Voltou com um riso vitorioso nos lábios, brincando com o objeto.

-Gosta de brincar, não é?! Hoje vai me implorar para foder você!

-Veremos! - ri provocando.

Uma chicotada e ardência em minha coxa esquerda, gritei surpresa, mas denunciando a excitação que tudo aquilo causa em mim.

-Eu mandei ficar quieta! - falou firme.

Outra chicotada em meu seio, molhando minha região inteira. O observei pegando um pedaço de gelo no balde e vindo até mim.

Oh, não!

Fechei os olhos me deliciando com a sensação de sua língua juntamente com o gelar molhado do cubo deslizar desde o vale dos meus seios até a marca da cesárea, onde depositou um beijo.

-Linda! - olhou para a cicatriz, beijando outra vez.

Voltou seu olhar malicioso para mim quando desceu até meu ponto fraco.

Arqueei as costas tortuosamente, segurada em meus quadris por suas mãos fortes enquanto sua língua dançava livremente na minha intimidade.

Isso é apelação.

Controlei minha voz e corpo tentando manter-me quieta para não lhe dar o gostinho de me ouvir implorar, como o bom marido que me conhece, percebeu.

 

-De quatro! - deu um forte tapa em minha bunda.

 

Obedeci quando pude ver pela minha visão periférica ele servir-se com mais uma taça de vinho tinto. Aproximou-se de mim que rebolava involuntariamente empinada.

 

-Seu corpo já está implorando por mim… - disse sorrindo passando a mão pela minha intimidade quente. - quando sua boquinha irá dizer isso?

 

Não respondi, recebendo um forte tapa, esquentando mais ainda meu corpo já febril.

 

-Esse é um vinho muito bom… Mas eu prefiro você, o minha safra 87! – disse em referencia ao ano de meu nascimento e despejou a taça em minha bunda, fazendo o vinho escorrer por todo corpo.

 

Sua boca foi rápida em beber do líquido em mim, não cabe em palavras o vulcão que se tornou minha pele, ele sabe disso.

Não dá mais. Gemi involuntariamente quando sua língua atingiu meu ponto outra vez, ainda de quatro, quase caindo.

 

-Anda baby… Posso fazer isso a noite toda! - sussurrou beijando a linha de minha coluna arqueada.

-Eu quero você… - sussurrei a ponto de ter um orgasmo sem sequer penetração.

-Pede com jeitinho! - provocou.

-Me fode! - respondi irritada.

-Não… pede como a boa gatinha manhosa que você é na cama!

-Me fode amor, forte, por favor! - implorei.

-Ah sim… eu vou!

 

Penetrou de uma vez em mim, duas estocadas e atingi meu limite, estendendo o meu prazer até que ele se libertou de sua vontade também.

Satisfeitos.

 

 

 

[...]

 

 

 

Seus olhos iluminados pelas velas e a luz da lua deveria ser uma das sete maravilhas do mundo. Sentado apenas de cueca box branca deliciando-me da satisfação de vê-lo plenamente feliz, o jeito que me olha, como se eu fosse a última coisa do mundo, faz arder no peito o mesmo sentimento de anos atrás, quando vi o brilho da lua em seus olhos pela primeira vez.

Tão divino.

-No que está pensando? - perguntou sorrindo.

-Em como é possível te amar mais a cada ano que passa… - sussurrei observando seu rosto.

-Eu não sei se realmente existe um Deus, mas se sim, você foi a melhor coisa que ele já criou!

 

Sorrimos apaixonado, como os longos anos jamais impediu


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...