1. Spirit Fanfics >
  2. No Bater Das Asas - VMin >
  3. 010

História No Bater Das Asas - VMin - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo, hoje saberemos um pouco mais do mundo das fadas. Espero que possam gostar e se preparem pois só falta mais 2 capítulos para o final. Acaba no 12 :3

Boa leitura. Desculpe qualquer erro.

Capítulo 10 - 010


Fanfic / Fanfiction No Bater Das Asas - VMin - Capítulo 10 - 010

Ele bufou com os braços cruzados, impaciente. Já fazia um dia que seu melhor amigo tinha entrado naquele portal e ainda não voltara. Esperava ali em sua casa para finalmente saber se deu tudo certo ou não. Amaldiçoava Taehyung também por ele estar demorando tanto a voltar e o deixar naquela situação de preocupação.

Entretanto ele tinha esperança de que a demora dele era por motivos bons e não ruins. Esperava que ele estivesse curtindo a viagem ao lado do Park vivo e felizes. Pedia aos céus que fosse isso, na verdade. Levantou-se e foi até o quarto, deitando-se na cama e ligando a televisão que tinha ali. Procurava qualquer coisa interessante nos canais para distrair sua cabeça que sempre voltava para o mesmo assunto.

Havia retornado para casa após seu trabalho e agora estava ali, sem saber o que fazer, pensando nos amigos em outro mundo. Bufou audivelmente e segurou o celular em mãos vendo as horas. Se ao menos pudesse ligar para ele, mas era lógico que era impossível se comunicar com o Kim pelo celular. Se levantou bufando e foi em direção da cozinha, estava ansioso e não gostava disso.

— AH, MAS QUE SACO!! – Exclamou irritado. – Eles acham que estão de férias por acaso? Beleza que se passou só um dia, mas ele poderia voltar ao menos para me dizer se estão todos bem! Agora que ele possui os poderes de volta ele pode muito bem ir e voltar quando quiser, droga! – Reclamou ele fazendo um chá para acalmar seu corpo tenso. Antes que pudesse levar a xícara aos lábios ouviu a campainha tocando e olhando na direção da porta, ele deixou a xícara sobre o balcão e correu até a porta a abrindo. – Até enfim, droga! – Ralhou, porém não encontrou quem esperava encontrar, franziu o cenho. – Oh! É você Hoseok...o que quer aqui? – Perguntou ao Jung que sorriu sem jeito.

— Como vai JK? Vim saber se tem falado com o Tae. Eu estou tentando falar com ele nesses últimos dias, mas ele não me responde. Só queria saber se ele está bem. – Perguntou o ruivo para o Jeon que suspirou dando espaço para que o mesmo entrasse.

— Ele está bem, quero dizer, espero que esteja bem. Ontem ele viajou para resolver algumas coisas... – Murmurou ele observando o mais velho lhe acompanhar até a cozinha. – Mas até onde sei ele está bem. – Concluiu em seguida voltando a beber seu chá.

— Menos mal. Eu fiquei preocupado por ele ter sumido do nada. Achei que ele havia ficado bravo comigo ou algo assim. – Comentou Hoseok se sentando no banco e suspirando. – Na verdade eu gostaria de conversar com ele sobre...o que tivemos. – Resmungou ele enquanto corava levemente por estar falando sobre isso com o Jeon, a quem não era tão próximo.

— E o que quer conversar com ele? Achei que fosse só um caso. – Comentou ele bebericando o chá quente. Hoseok sorriu.

— Sim, é isso mesmo. Mas eu queria acabar com esse “caso” que tivemos. Eu voltei com meu namorado e queria deixar tudo em panos claros com o Tae. – Explicou ao mais novo que confirmou.

— Sabia que voltaria com ele. O relacionamento de vocês acabou sem motivos, sabia que era questão de tempo até a cabeça de vocês voltarem a funcionar corretamente. – Afiou-se para o ruivo que riu divertindo-se com a forma sem filtro do outro falar.

— Acho que você tem razão. Por isso mesmo que estou procurando Taehyung, mas agora que ele foi viajar, não sei se vai valer a pena conversar com ele sobre isso, ou não. – Murmurou dando de ombros. JungKook o encarou brevemente e suspirou.

— Não acho que vai precisar, da mesma forma que você, eu acredito que ele tenha voltado com seu ex noivo. – Comentou escondendo um sorriso com a xícara.

— Ex noivo?! Desde quando Taehyung tinha um ex, ainda mais noivo? Ele nunca me disse sobre isso. – Comentou o outro surpreso e curioso.

— Pois é, fui saber disso a pouco tempo também. Me encontrei com o ex noivo dele e... Kah! – JungKook exclamou não contendo a animação. – Eles são perfeitos um pro outro! – Exclamou e Hoseok ficou ainda mais curioso.

— Ué, mas por que eles terminaram? – Perguntou e Jeon deixou a xícara sobre o balcão.

— Muitas tretas, que envolvia o pai do Taehyung, e enfim...o noivo dele meio que vive em outra...cidade, e por causa da distância e tal, e todo o resto, as coisas não deram muito certo. Aí eles terminaram, mas se você olhar para eles agora, sabe que eles ainda se amam, na verdade...eu diria que eles foram feitos um pro outro. – JungKook comentou e riu com a própria piada interna. Hoseok, entretanto parecia pensativo.

— Entendo, então ele não era arromântico coisa nenhuma. Só não tinha superado o amor pelo seu ex noivo... – Comentou confirmando seus próprios pensamentos. – Espera, então essa viagem... – Perguntou e JungKook confirmou.

— Ele foi atrás do noivo dele. Depois que ele veio e os dois conversaram, Taehyung decidiu fazer a coisa certa e ir atrás dele. – Confirmou à Hoseok que maneou a cabeça em concordância.

— Bem, isso me alivia bastante. Acho então que podemos dar esse “caso” por encerrado então. – Comentou e ambos riram em seguida.

— Mas acho que vocês podem ser amigos ainda. Taehyung sempre foi alguém que não guarda rancor...ou ao menos parecia, né. – Murmurou ele baixo a última frase.

— Tenho certeza que sim. De qualquer forma, obrigado por ter me explicado tudo. Isso me ajudou a deixar preocupações bobas de lado. – Hoseok agradeceu sorrindo grande e fazendo JungKook retribuir.

— Às ordens, mas aqui entre nós, se Taehyung comentar algo sobre esse assunto, eu não te falei nada. – Advertiu e Jung riu alto confirmando.

— Pode deixar, sua fofoca vai ficar entre nós dois. – Brincou Hoseok e se levantou. – Mas agora vou indo, preciso passar na universidade antes de ir para casa. Até mais JK, qualquer dia desses eu volto para conversar mais com você. – Disse enquanto ambos caminhavam de volta para a sala.

— Estarei esperando. – Respondeu ao convite velado e sorriu enquanto acenava para o mais velho que já caminhava até seu carro. – Ele até que é legal. Pena que ainda grita muito no portão dos outros. – Resmungou ainda acenando e sorrindo para o outro distante. Assim que viu o carro se afastando ao longe, suspirou e fechou a porta, virando-se para retornar para seu chá, quando um novo portal abriu no centro de sua sala, o fazendo soltar um grito pelo susto. – AH! Mas de novo?! Minha sala virou ponto de portais agora é?! – Reclamou olhando para dentro do vórtice, segundos depois uma silhueta saltou para fora do portal e logo em seguida mais uma.

— Oh, poxa vida, deu certo! Ainda bem, estava com medo de acabar saindo no centro da cidade. – A voz inconfundível chegou aos ouvidos do dono da casa que sorriu aliviado, reconhecendo em seguida os cabelos cinzas e azuis.

— Até que enfim... – Resmungou e em seguida os dois ergueram os olhos para o terceiro na sala e sorriram.

— Estamos de volta cabeção. – Taehyung foi o primeiro a falar e Jeon riu.

— Vou deixar essa passar, só porque estou feliz de verem vocês. Inclusive você, senhor Park Jimin! Você deu um baita susto em nós dois, sabia?! – Exclamou JungKook se aproximando da fada e o abraçando firme. – Ainda bem que está bem. – Disse no abraço. Jimin sorriu docemente e retribuiu o abraço.

— Desculpe por ter te preocupado, JungKookie... – Murmurou ele mais baixo. Jeon se afastou enquanto secava discretamente uma lagrima e respirou fundo.

— Muito bem, vocês podem começar a me explicar o que aconteceu lá. E por que você demorou tanto para voltar? – Perguntou ao melhor amigo enquanto dava um soco em seu braço, que dessa vez não causou nenhuma dor ao mais velho, visto que estava com seus poderes de volta.

— Nós vamos, mas primeiro deixa a gente se acomodar primeiro. Aliás tem alguma coisa para comer? Estou morrendo de fome. – Taehyung comentou enquanto fechava o portal atrás de si e caminhando para a cozinha.

— Deve ter bolo gelado na geladeira! – Exclamou Jeon após um suspiro, ele não podia impedir seu melhor amigo de roubar sua comida de qualquer forma, não conseguia antes quando não tinha poderes, agora com poderes seria impossível. – Me diga Jiminie, como você está? Se recuperou completamente? – Perguntou por fim a Jimin, enquanto se acomodava no sofá ao lado do Park.

— Mais ou menos, ainda estou meio fraco, mas vou me recuperar rápido. – Disse ele sorrindo.

— Você parece bastante feliz. Por acaso tem a ver com o seu príncipe ter ido te salvar? – Perguntou brincando. Jimin riu com as bochechas coradas.

— Não vou mentir que fiquei muito feliz quando ele atravessou o portal e foi até mim, mas... – Ele levou as mãos as bochechas sorrindo bobamente. – O real motivo é outro. – Comentou e puxando a manga de sua blusa felpuda revelou uma marca, um selo real.

— Caramba, maneiro..., mas o que é isso? – Perguntou ao Park que ainda mantinha um bobo sorriso no rosto.

— Fui condecorado. Agora sou oficialmente o líder das fadas medicinais e das chuvas. – Disse ele rindo fofamente enquanto olhava a marca dourada em seu pulso.

— Caramba! Isso é mesmo incrível! Você virou o líder de dois tipos de fadas! – Jeon exclamou tão animado quanto o Park, que confirmou batendo palmas animado. – Meus parabéns Minie! Você certamente merece. – Parabenizou e ele agradeceu.

— Estou mesmo muito feliz. Minha mãe, antes de tudo acontecer, era líder das fadas medicinais, e eu poder herdar esse lugar dela, é realmente muito gratificante. Me sinto realmente feliz com isso. Significa que meu trabalho árduo foi reconhecido. – Comentou olhando para a marca e tocando com carinho nela. – Mas não foi só eu que recebi reconhecimento! – Jimin tratou logo de voltar seus olhos para Jeon tão animado quanto antes. – Graças as consequências das ações do Tae, sobre ter renegado o reino e seu sangue. As leis daquele mundo serão mudadas, agora, com um príncipe sendo um hibrido, as outras fadas terão de respeitar o desejo dos outros. As leis que Namjoon estará incluindo no reino fará com que os dois pares possuirão o direito de escolha. Mesmo que somente um deles tenha o poder para rejeitar, se o outro par ainda assim querer ele não poderá dizer não. Graças a forma de liderar do Nam, as coisas irão mudar e para melhores. – Disse Jimin contente.

— Oh! Isso é muito bom. Sem mais injustiças. – Disse Jeon olhando para Taehyung que voltava com um prato, tendo não só o bolo, mas algumas frutas e bolachas. – Guloso... – Resmungou o mais novo observando-o se sentar na poltrona de sua casa. – Mas então, como foi estar naquele mundo novamente, Tae? – Perguntou ao amigo que levantou os olhos do prato.

— Um inferno. – Reclamou com uma careta. – Todo mundo ficou me perguntando por onde eu estive. O que tinha acontecido. Por que fui dado como morto. Tive que fazer um discurso para todo mundo entender o que tinha acontecido e deixar claro que não iria me tornar rei de ninguém e que continuaria vivendo nesse mundo. Resumindo, foi um saco. – Concluiu enfiando o pedaço de bolo inteiro na boca.

— Imaginei. – Suspirou JungKook e voltando seus olhos para o Park. – Bem, pelo menos agora vocês estão bem. Estão juntos, certo? – Perguntou à fada que sorriu tímido e confirmou.

— Sim. Depois que todo o medo passou, Tae e eu conversamos e decidimos fazer o que você disse. Nos manteremos em mundos separados, mas continuaremos indo ver o outro sempre. Afinal nós temos nossas próprias vidas, não podemos abrir mão delas apenas porque nos amamos ou somos o par um do outro. – Disse olhando para o Kim que sorriu confirmando, tendo a boca cheia de comida.

— E ixo nunca vai mudar. – Murmurou com dificuldade.

— Pelo amor de deus, come antes de falar! – Exclamou JungKook com uma careta, arrancando risadas de Jimin e Taehyung.

Depois de horas conversando sobre tudo o que havia acontecido, Park Jimin retornou para seu mundo ao abrir um portal nos fundos da casa de Jeon, prometendo voltar assim que pudesse. Afinal, agora com uma responsabilidade a mais, Jimin precisava se adaptar ao seu novo cargo de líder. Taehyung conversou por mais um tempo com o melhor amigo, contando como se sentiu no momento em que atravessou o portal e chegou até Jimin, admitindo ter ficado apavorado com a ideia de perder o fada. Também riu bastante quando o Jeon não conseguiu vencê-lo no quebra-de-braço, notando que o Kim era extremamente forte com seus poderes de volta. Assim que deu horário ele voltou para seu apartamento, deixando o amigo descansar para mais um dia de trabalho no dia seguinte.

Quando chegou em seu apartamento, levou a mão até os brincos em sua orelha e sorriu levemente. Sentou-se em seu sofá e recostou sua cabeça para trás enquanto olhava para o teto e voltava a se lembrar de tudo o que havia acontecido desde o momento em que colocou aqueles brincos e pulou para dentro do portal. Naquele momento ele não pensou em mais nada, ao menos pensou se realmente pudesse atravessar o portal sem consequências, afinal ao ter renegado seu sangue e reino, esperava que nunca mais pudesse pisar naquele mundo, mas não. A verdade é que JungKook esteve certo o tempo todo. O que ele demorou anos para descobrir, seu amigo descobriu em apenas alguns dias tendo conversado um pouco com seu par.

Jimin...como se sentiu apavorado, parecia que seu coração pararia de bater junto ao dele se realmente tivesse o perdido. Se perguntava agora, se esse foi o sentimento que seu pai sentiu quando sua mãe morrera. Levou a mão ao peito e respirou fundo. Foi uma dor e um medo que ele jamais imaginou doer tanto, nem quando acreditou que havia mesmo renegado Jimin doeu da forma que doeu. Se seu pai tivesse sentido isso naquele momento, ele devia ser o homem mais forte do mundo, por ter aguentado sem ao menos ter demonstrado sentir dor.

Respirou fundo e fechou os olhos, lembrando-se de ter sido uma sensação horrível ter ido visitá-lo após tudo acontecer. Estar de frente para aquele rio, lembrar-se de ter estado ali junto dele no dia em que se despediram de sua mãe, e naquele momento ter voltado para se despedir dele, doeu. Doeu muito. Doeu como se tivesse acontecido naquele exato momento. Mas já não era mais uma criança solitária, não era uma criança que não entendia as regras daquele mundo, as leis da vida e da morte. Entretanto ainda assim desejou que ele pudesse voltar a ser apenas uma criança que ansiava viver muitas aventuras, que não conhecia a dor que seus semelhantes passavam, que nunca sentiu a dor que Jimin sentiu.

Abriu os olhos e tocou novamente os brincos, lembrando-se do exato momento em que os criou e o deu para o Park. Em pensar que aqueles mesmos brincos que significavam todo seu amor pelo outro, fosse ser justamente aquele que o levaria até seu par, até aquele mundo novamente. Sorriu. Eles realmente eram destinados a estarem juntos, nos maiores e mínimos detalhes o destino os colocava no mesmo lugar. E agradecia por isso. Pois se dependesse apenas dele, tudo ficaria ainda mais complicado.

~X~

Um mês depois que toda a confusão aconteceu, que Taehyung venceu seu medo de atravessar o portal e que ambos decidiram manter um relacionamento entre mundos, as coisas estavam bem melhores. Ainda possuía certa indignação por parte das fadas por tudo o que aconteceu com o príncipe Kim, e também o que aconteceu para ele ter tomado uma decisão tão drástica daquela forma. Entretanto mantinham-se em silêncio sobre o assunto e acatavam as novas leis no mundo que o Rei, Kim Namjoon, criara. A maioria das fadas, porém estavam aceitando muito bem tudo e admitindo terem errado durante muito tempo com Jimin, por apenas ser um hibrido, e que as leis precisavam sim ser mudadas.

Namjoon estava contente com o avanço dos dias, tudo estava voltando a ser mais pacifico do que foi nos primeiros dias com a “volta” do príncipe mais novo, e também estava se adaptando melhor do que achou que iria com a posse da coroa. Acreditava que poderia ser um bom rei, assim como seu pai foi para todas as fadas.

Jimin contudo estava bastante atarefado, depois de sua condecoração a líder das fadas medicinais e das chuvas, seu trabalho triplicou, entretanto não conseguia deixar de sorrir mesmo voando para cima e para baixo o dia todo. A época das chuvas estava próxima e seu corpo já sentia a mudança climática. Por isso fazia todas as fadas de sua espécie se prepararem mais cedo, assim como as fadas medicinais pois naquela época do ano o aumento de fadas doentes por conta da mudança climática também aumentava. Todos estavam contentes com o trabalho do hibrido e admitiam que ele estava se esforçando bastante para fazer tudo dar certo. Começavam a ter mais confiança nele com isso.

No mundo dos humanos acontecia a mesma coisa. Taehyung conseguia ainda mais destaque e credibilidade na academia de advocacia da Coréia. Ele e sua invicta sequência de casos ganhos estava dando o que falar. Ele ainda mantinha os brincos por perto, entretanto não os usava em seu dia a dia, precisava manter a aparência polida, não podia ser um advogado de cabelos azuis e olhos verdes fluorescentes, sua credibilidade despencaria certamente. Então carregava os brincos em seu paletó apenas por ter pegado o costume.

JungKook ainda mantinha sua rotina de tatuador e fotógrafo nas horas vagas, ganhando muitos seguidores em suas redes sociais graças as suas habilidades nos desenhos e também com suas fotografias a nível profissional. Estavam todos bem com suas respectivas profissões, menos quando acontecia algum erro de entrega, como estava acontecendo novamente naquele momento com o Jeon.

— Só pode ser brincadeira. Não existe mais profissionais competentes nesse mercado?! Mas que droga! – Exclamou dentro de seu estúdio olhando para a caixa onde havia suas encomendas, ou as que ele esperava que estivessem se não tivessem erradas. Ele levantou os olhos de forma arisca para o entregador que engoliu em seco. – Você sabe quantas vezes isso já me aconteceu só esse ano?! Vocês me disseram que seriam responsáveis, que não me dariam a mesma dor de cabeça que aquele maldito anterior e fazem isso? Me diz...qual o preconceito dos deuses contra mim!?! – Perguntou ao outro e empurrou a caixa no peito do entregador. – Volte com essa caixa para o quinto dos infernos...E TRAGA O QUE EU PEDI!!! – Gritou fazendo o homem se desculpar curvando-se e saindo apressado dali. JungKook bufou bagunçando os cabelos irritado e se sentando na cadeira atrás de si. – Droga. Vou ter que cancelar os clientes de hoje. Sem condições de fazer alguma tatuagem sem materiais suficiente. Argh! Que prejuízo desnecessário! – Reclamou massageando sua testa e retirando o celular do bolço para começar a redigir uma mensagem que enviaria para todos os seus clientes daquele dia. Enquanto o fazia ouviu o sino de sua porta da recepção se abrir.

— Com licença! – Chamou a pessoa e ele suspirou se levantando e indo até a entrada para receber quem entrava. Assim que ergueu seus olhos para a pessoa a frente logo olhou surpreso para ela, ao notar o quão era bela.

— Olá. Em que posso ajudar? – Perguntou ele guardando o celular e sorrindo gentil. A garota que olhava para alguns quadros com tatuagens voltou sua atenção a Jeon e sorriu de volta.

— Olá. Eu sou uma amiga do Taehyung da academia, e ele me indicou esse estúdio... – Começou ela um tanto tímida. JungKook sorriu mais e estendeu sua mão para cumprimenta-la.

— Ele é meu melhor amigo. Jeon JungKook. – Se apresentou e ela gentilmente apertou sua mão em seguida.

— Lee Ji Eun. É bom saber que conhece bem Taehyung-ssi, sei que posso confiar em você então. – Comentou ela fazendo o outro rir.

— Muito bem. Aqui, esse é nosso folder com os preços por tamanho e cores. Você pode ficar à vontade para ver tudo com cuidado. – Disse ele apontando para um sofá de couro no canto da recepção assim que entregou o caderninho com os preços e desenhos mais famosos que ele fez.

— Muito obrigada. – Agradeceu se sentando e focando sua atenção nos preços. JungKook aproveitou isso para observar brevemente a garota e logo em seguida voltando a segurar seu celular para fazer o que deveria ter feito antes.

~X~

— Então ela foi mesmo? – O Kim perguntou sorrindo suavemente enquanto mantinha seus olhos verdes na televisão do amigo.

— Sim e agendou três sessões de uma vez. Além do mais, não parecia que ela iria ter coragem de fazer uma tatuagem tão grande como a que ela escolheu. – Comentou puxando a bacia com pipoca que estava sobre a mesa de centro para pegar um punhado.

— IU é bem fora da casinha, não se iluda com a aparência fofa dela. Ela já fez parte de uma gang de motoqueiros quando mais nova. – Disse ele olhando para o mais novo em seguida. Jeon engasgou-se com a pipoca e olhou surpreso para o Kim.

— Mesmo?! – Perguntou e o outro riu confirmando.

— Ela não costuma falar muito, mas quando saímos para beber com o grupo certa vez, ela acabou revelando isso. – Disse levando a latinha de cerveja aos lábios. – Foi bem engraçado. – Resmungou após o gole.

— É difícil acreditar nisso, principalmente por ela ter uma presença tão calma e fofa. – Comentou ele bebendo de seu refrigerante em seguida.

— Hm? Parece que alguém se interessou nela aqui? – Taehyung comentou fazendo logo JungKook franzir o cenho.

— Não tem nada a ver. Foi apenas um comentário sobre como ela me pareceu de começo. Pode ir parando aí que você é fada e não um advinha. – Reclamou se recostando na poltrona e levando mais pipoca aos lábios. – Me fala agora, quando é que Jiminie vem nos visitar de novo? – Perguntou ao outro que suspirou bebendo sua cerveja.

— Não sei. A época das chuvas está chegando e como ele é o líder agora das fadas vai precisar focar bastante no seu trabalho. Mas não reclamo muito não, visto que eu também estou quase sem tempo agora com a chuva de casos que vem caindo em minhas costas. – Resmungou o Kim deixando a latinha vazia sobre a mesinha e apoiando o braço sobre o encosto do sofá.

— Oh, então é nessa época do ano que as chuvas vêm. Eu gostaria de ver como é a época das chuvas lá. E como as fadas trabalham para manter o equilíbrio. – Comentou Jeon pensativo e curioso.

— Não é muito diferente de uma colmeia de abelhas se quer saber. – Começou o Kim chamando a atenção do outro. – Cada grupo de fada possui suas próprias funções. E cada uma delas possuem uma época do ano em que precisam trabalhar com mais atenção e força. Na época das chuvas, as fadas desse grupo dividem-se em dois ou três subgrupos que viajam para os três picos montanhosos que rodeiam nosso reino. Lá elas passam a se revezar na hora de canalizar o poder delas e com isso trazer as nuvens de chuva para o vilarejo. Isso pode durar dias, semanas ou meses, dependendo do cronograma de chuvas que é necessário para a flora e fauna, e para as demais atividades no campo das fadas da agricultura. – Explicou entediado mantendo seus olhos no filme.

— Isso é interessante. Então cada fada lá possui uma especialidade e com isso formam grupos para se ajudarem. É mesmo um sistema de trabalho grupal. – Comentou o mais novo, fazendo o Kim confirmar. – E as fadas reais? O que elas fazem? – Perguntou sabendo que a especialidade do Kim era a justiça.

— Nós reais, ou descendentes da primeira fada, somos treinados para defender o reino. Somos nós que fazemos o poder militar. Mas não tenho um grupo especifico, como por exemplo, eu sou a fada da justiça, meu Hyung é da sabedoria e nosso pai era a fada da liderança. As demais fadas que compunham o poder militar do reino era basicamente assim, cada um possui uma particularidade própria, sem grupos ou subgrupos. – Explicou e o tatuador confirmou entendendo.

— Saquei. Parece mesmo uma colmeia. Vocês sendo os protetores da “rainha”, e as demais fadas sendo as operarias. Legal. – Murmurou focando sua atenção na pipoca.

— É, mas isso só significa que se não fosse por fazermos parte do poder militar iriamos ser mais inúteis do que nunca. Afinal, “uma só fada não move montanha” como meu irmão costuma dizer. Então mesmo que fossemos da realeza não teríamos um grupo como as fadas da chuva, por exemplo, não teríamos função alguma no reino em relação aos outros. Por isso criaram grupos de expedições e poder militar. – Comentou em seguida sorrindo de lado enquanto olhava para a TV.

— Os grupos de expedições faziam parte do grupo da realeza? – Perguntou JungKook surpreso. Taehyung confirmou sorrindo.

— Por que você acha que meu pai cotava Jimin para ser o próximo rei se meu irmão não aceitasse ter a coroa? Não é por que ele é um hibrido que ele não possa fazer parte do grupo real. Inclusive ele só não foi integrado na força militar por que ele não passou nos testes de resistência. Seus sentimentos humanos interferiam muito em sua capacidade psicológica, por isso ele não passou. Mas em questão de força, Jimin é uma das fadas mais poderosas do reino. – Revelou e Jeon ficou bastante impressionado pela descoberta.

— Eu sabia que ele era incrível desde o dia que descobri sobre a existência das fadas. – Murmurou JungKook sorrindo e vendo o sorriso bobo do outro.

— Sim ele é. – Comentou se lembrando das poucas vezes que teve a oportunidade de ver seu par usando seu poder.

— Mas me diga. Quem é mais forte entre vocês? – Perguntou ao amigo que o encarou em silêncio. Jeon ergueu os olhos para ele depois dos segundos de silêncio do outro. – Que foi? Falei algo errado? – Perguntou ao outro que mantinha seu semblante na direção de Jeon.

— Não..., eu só estava lembrando de algumas...coisas. – Comentou e estremeceu levemente, fazendo JungKook arquear uma sobrancelha ao notar aquilo.

— Tae...Jiminie é tão forte assim? – Perguntou ao outro que desviou os olhos para a televisão e engoliu em seco.

— Você não faz ideia... – Resmungou baixo, decidido a deixar aquele assunto de lado.


Notas Finais


Abraço Da Uzuu Neko-chan :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...