História NO Control - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Visualizações 86
Palavras 1.074
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hiiii, voltei seu unicórnios lindos, esperou ue gostem em, boa leitura!

Capítulo 32 - Capítulo 31


AUTORA POV

A semana até que tinha passado tranquila tirando o clima meio tenso que estava na casa do Grace, o pé não sabia como agir depois daquele beijo, ele devia fazer algo a respeito? Tentar algo sério? Percy iria aceitar? Muitas perguntas sem respostas passava na cabeça de Jason, e não só isso que ele tinha que se preocupar, e sim com as provas e trabalhos do semestre, muito coisa para uma pessoa só. Ele estava na aula de matemática prestando ou tentando prestar a atenção na aula, mas a imagem do seu beijo com Percy não saia da cabeça , em como os lábios do moreno são macios e gostosos de beijar, em como o garoto e incrivelmente cheiroso, e que por algum motivo seus lábios tinham gosto de morango.

Ele suspiro enquanto o professor explica sobre as equações de matriz, ele particularmente odiava essa matéria, mas tinha que aprender pois sua média em matemática tava pior do que o placar de derrotas do time da elite School,ele rio mentalmente com sua ruim porém "engraçada" comparação. Ele virá para trás para falar com Léo que era uma dos integrantes do time mas vê como o amigo estava nervoso ou ansioso para algo, ele pensou em perguntar se o garoto estava bem ou o que estava acontecendo, mas preferiu ficar na sua e não ser intrometido, virou para frente e voltou a olhar a explicação do professor no quadro.

LEO POV

Se eu estava nervoso? Imagina, eu apenas estava quase tendo um ataque cardíaco em meio a sala de aula, em meio a maldita aula de matemática, mas porque eu estava desse jeito? Porque eu iria me assumir para minha mãe e meu pai hoje, iria falar que sou gay e estou namorando o vizinho, mas não sei se é só para mim mas isso parece apavorante, e como se algo estivesse prestes a me engolir inteiro, estava com medo de eles não me aceitarem do jeito que Sou, ou falarem que minha orientação sexual é só uma fase, ou pior me proibir de ver o Frank ou o denunciar. Eram muitas coisas em minha cabeça, muitos medos, várias variáveis dizendo que iria dar errado, que ia dar merda, eu só queria poder ser livre, poder namorar quem eu realmente quero é não ficar pegando líderes de torcida para mostrar que sou "macho" o que eu posso dizer que não sou, na verdade eu nem sei qual é a definição para macho.

Isso é algo importante de se perguntar, o que significa ser macho pra vc,? Para mim e ser alguém sem neurônios que funcionam 100% , ser alguém "pegador" e zoar as pessoas que não te fizeram nada, em outras palavras ser um idiota, e eu não sou idiota. Suspiro quando o sinal bate para o último tempo de aula e me levanto para ir até a sala de economia, hoje eu estou tão aéreo das coisas que quase esqueci meu celular 2 vezes na mesa.

Fico ali um bom tempo sem prestar a atenção em absolutamente em nada do que o professor disse, não sei nem se respondi a chamada de tão nervoso que estou , bate para irmos embora e pego minhas coisas e saio da escola indo para a minha casa, eu ainda não sabia como ia contar, eu estou treinando a mais ou menos 3 dias em como contar. Chego e olho minha casa, mordo o lábio nervoso e respiro fundo e entro em casa indo para o meu quarto antes de qualquer coisa, largo as coisas no chão do quarto e fico andando de um lado para o outro pensando e me preparando para qualquer coisa que não seja aceitação deles,quando vejo já são 17:30, meu pai já deve ter chegado, que Deus me ajude.

Saio do meus quarto e desço as escadas devagar vendo que meu pai e minha mãe conversavam entre si sobre algo de se mudarem ou reformar a casa, chego no andar de baixo e vou para a sala ficando na frente deles e mordo o lábio, abro a boca várias vezes mas nada sai, vc consegue Leo, você consegue .

— Tá tudo bem Leo? - diz meu pai com uma feição preocupada em seu rosto, até imagino o porquê, de moreno devo estar branco

— Filho, você está pálido, o que aconteceu ? - foi a vez da minha mãe se pronuncia agora é respiro fundo

— Eu tenho que contar algo a vocês? - olho eles

— E algo grave? - diz minha mãe

— O que vc aprontou? Não engravidou nenhuma garota neh? - diz meu pai e a insegurança de contar bate denovo em mim

— Não pai, não é nada disso é não mãe não é nada grave - olho eles

— Então o que é?

— É algo importante para mim, e algo que quero falar faz muito tempo para vocês, e algo que vem me sufocando a muito tempo, que eu não consigo mais guardar, porque se eu guardar mais eu vou explodir... - falo os olhando vendo que os mesmos estavam confusos mas também preocupados comigo, mordo o lábio e fecho só olhos, isso é mais difícil do que eu pensei que era.

— Leo... Eu tô ficando preocupada filho -diz minha mãe e a olho

— Não precisa ficar mãe, e que na verdade eu estou preparando vocês para qualquer coisa, para vocês entenderem o porquê disso tudo ...

— Não tô entendendo Leo - fala meu pai me olhando

— Lembra que vocês me disseram que a gente não escolhe quem ama? Que a gente não manda no coração? Que não escolhemos quem namoramos ?

— Isso tudo porque vc está namorando alguém? - meu pai diz e passo a lingua nos lábios — Quem é ela? - ele pergunta e sinto meu coração apertar, era agora ou nunca

— Não é ela pai ...

— Como assim não é ela Leo? - ele me olha confuso e mordo o lábio

— É ele... Eu sou gay pai... - olho ele e me afasto um pouco com medo de ele fazer algo como me bater ou vir para cima de mim e começar a gritar coisas horríveis para mim,olho para a minha mãe que estava ainda raciocinando a informação, mas logo me olha.

— Q-Quem é o garoto? - ela me pergunta

— Frank Zhang... - falo baixo como um sussurro e vejo ela ficar pálido e desmaiar, bom, isso não estava nos planos.


Notas Finais


E então, gostaram? Eu espero que sim, falem o que acharam, mas sabe que eu percebi aqui? Que eu não tô mais fazendo as perguntas para vcs kkkkkkk .

Bom, boa leitura e até a próxima att , beijos unicórnios. 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...