História No dia do seu Casamento - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Kizashi Haruno, Kushina Uzumaki, Mebuki Haruno, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Tsunade Senju
Tags Álcool, Casamento, Haruno, Inokarin, Narusaku, Naruto, Narutoesakura, Romance, Sakura, Traição, Uzumaki
Visualizações 162
Palavras 5.188
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi oi gente, voltei com mais uma oneshot, por favor comentem o que achou pois assim saberei que consegui transmitir o que eu queria para vocês ♥️
Desculpe qualquer erro.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Conheci Naruto na época da escola foi uma paixão que nunca pude lidar, ele sempre foi lindo e depois de adulto mais lindo ainda. Sua barba por fazer me deixava extasiada, seus cabelos bagunçados me deixava boba, seus olhos cor do mar me deixava louca quando me olhava fixamente, sua boca... Aquela maldita boca que percorria todo meu pescoço enquanto eu estava sentada na mesa de seu escritório.

- N-Naruto alguém pode chegar - Tentei falar mas minha voz saia quase como um sussurro.

- Tem medo de que? - Ele disse ao meu ouvido - Já fizemos coisas piores - Mordeu o lóbulo da minha orelha me fazendo arrepiar.

Realmente, já fizemos coisas que nunca imaginei, transamos na biblioteca da faculdade, transamos na sala de professores, no banheiro do ginásio, no estacionamento da faculdade e até na minúscula sala de materiais de limpeza isso fora as vezes que os professores apagavam as luzes para passar slides na sala e a mão boba dele alisava todo meu corpo me levando a loucura.

- Droga Naruto - Agarrei seus cabelos - Me come logo - Sorri boba.

Eu não precisei pedir de novo, seu pau duro e grande pulou para fora da social cinza minha calcinha fora posta de lado e ele me penetrou de forma tão gostosa que eu tinha certeza que se ele não tapasse minha boca o prédio inteiro me ouviria gemer seu nome.

Seus movimentos precisos me levaram a beira da loucura, Naruto tinha o dom de me fazer enlouquecer em segundos e ali na sua mesa bagunçada gozei implorando por mais.

- Você é muito safada Saky - Ele sorriu deixando um chupão em meu pescoço - Adoro isso.

Ele apertou minhas coxas aumentando a velocidade e algumas estocadas depois preencheu minha intimidade com seu líquido quente.

- Você tem que parar de vim com essas saias minúsculas - Ele disse arrumando sua roupa.

- Minha saia está um dedo acima do joelho, não tenho culpa se você é um tarado - Ri indo até o banheiro de seu escritório particular.

- Tio Jiraya ensinou bem - Disse ajeitando a gravata.

- Falando nele, quando ele volta? - Me olhei no espelho e quase me assustei com a imagem de meu pescoço marcado - Naruto! - Ele me olhou com desentendimento - Tem que parar com isso - Apontei para as marcas - Como vou explicar que a solteirona mais cobiçada do prédio anda se vagabundando por aí? - Cruzei os braços abaixo dos seios o encarando.

- Mais cobiçada é? - Ele se aproximou mantendo o olhar fixo ao meu - Então e melhor eu deixar mais - Seus lábios foram de encontro ao meu pescoço depositando beijos estalados.

- Não seja ridículo - Ri o empurrando - É sério, já conversamos sobre isso huh? - Dei a volta pelo corpo másculo até minha bolsa pegando a base que usava de costume - Maquiagens são caras e devem ser usadas para nos deixar bonitas não esconder marcas de chupões de amantes - Arqueei a sobrancelha voltando para o banheiro.

- Sou mais que seu amante não? - Ele se sentou em sua cadeira atrás da grande mesa após destrancar a porta.

- Em todos esses anos nunca tive um pedido de namoro então - Dei uma pausa analisando a situação - Bom não temos nada concreto eu acho - Ri - Não que eu não queira ter estou aberta a pedidos - Sorri sacana.

- Sabe o que penso sobre relacionamento Saky são ....

- Desgastantes, complicados e você tem que focar na empresa - Revirei os olhos - Blá blá blá eu estou com você aqui, formamos juntos e trabalhamos juntos quem melhor que eu para estar ao seu lado? - Voltei até a cadeira onde minha bolsa estava guardando a base - Até por que quem faz a droga da sua contabilidade sou eu então deveria estar agradecido pelos meus serviços - Coloquei as mãos no quadril fazendo pose de mandona.

- Se continuar falando vou ser obrigado a te levar pra casa te prender na cama e te comer até você não saber nem o seu nome - Me olhou de soslaio.

- Que nem no carnaval? - Apoiei as mãos na mesa abaixando meu tronco deixando visível meus seios pelo decote da blusa.

- Para com isso - Ele disse tentando manter a concentração em meus olhos e não nos meus seios - Preciso trabalhar.

- Tudo bem - Me levantei pegando minha bolsa - Te vejo no jantar mais tarde - Sorri acenando já na porta.

- Até - Ele devolveu um sorriso tão lindo e sincero que quase senti meu coração sair pela boca.

Nunca tivemos algo certo, a única coisa certa que eu sentia era meu amor por ele mas é algo que nunca foi correspondido, Naruto veio de uma família rica com grandes empresas e popularidade já eu vim do interior do Japão, lutei para ter uma bolsa na faculdade e agora sou sua amante ou confidente ou melhor amiga, é difícil pensar em algo concreto para nós.

Eu tinha tudo que sempre quis ou pensava que tinha. Consegui ajudar minha família e tirá-los do interior, consegui me formar e ser a primeira da turma e além de tudo consegui um bom emprego com bom salário e de quebra o pau do meu chefe. Queria poder dizer que ele é meu namorado mas Naruto tinha medo do que as pessoas pensariam se ele estivesse com uma jovem que não veio da alta classe como namorada, mesmo que seus pais me adorasse e até dissesse que formamos um casal bonito ele ainda pensava sempre em si primeiro, mas no fundo eu sabia que ele gostava de mim, do meu cheiro, do meu cabelo e do que tenho no meio das pernas, mas ainda sim eu podia ver suas pupilas dilatar sempre que eu me aproximava, podia ver a forma como suava frio quando eu estava próxima de mais e ele não podia me tocar, como me olhava quando eu conversava com outro homem e até mesmo a forma como lidava com datas comemorativas que ele sempre dizia que não significava nada mas sempre lembrava do nosso primeiro beijo.

Por mais que eu tivesse tentado me relacionar com outros era a ele que meu coração pertencia, me sentia ridícula em pensar que poderia viver sem ele quando tentava me relacionar com outro homem eu pertencia a ele de uma forma que nem eu mesma conseguia imaginar.

Já era noite, naquele dia teria um jantar na mansão Uzumaki ao qual Naruto faria uma surpresa para todos o bendito nem para mim quis dizer o segredo o que me deixava mais ansiosa para a ocasião. Tomei um banho demorado lavando meus longos cabelos róseos e os secando com o secador, devo ter ficado no mínimo 2h na frente do guarda roupas escolhendo o vestido perfeito para a ocasião e acabei por usar um pretinho básico justo com decote em V que deixava meu corpo marcado e minhas pernas a mostra, com toda certeza naquela noite e com aquela roupa eu acabaria na cama do Uzumaki o que de todo não era nada ruim. Passei uma maquiagem básica nada estravagante a intenção era não chamar atenção é uma das coisas que aprendi com Naruto discrição sempre é algo elegante, calcei minhas sandálias salto fino e soltei os cabelos com as pontas cacheadas, me olhei no espelho mais uma vez e se eu não terminasse aquela noite sendo cortejada pelo menos umas 5 vezes com toda certeza que os homens estavam cegos por que eu estava realmente gata.

Chamei o Uber e me encaminhei até a mansão Uzumaki. Não demorou para já chegar o jantar que antes achei que fosse mais familiar parecia uma festa de arromba, carros espelhados pela calçada e até manobrista.

- Uaaaau - Ino se aproximou - Se eu não fosse comprometida eu certamente te dava uns pegas - Riu.

Ino era minha irmã de ensino médio que entrou na minha vida que nem um furacão e hoje se tornou uma das pessoas mais importantes pra mim.

- Se sua namorada não fosse a barraqueira da Karin até eu te dava uns pegas - Ri com o bico que ela fez.

No último ano do ensino médio Ino se declarou lésbica, os meninos ficaram frustrados por saber que Ino era apaixonada na prima do Naruto e não neles. Karin era da família secundária dos Uzumaki, também classe média alta porém não levava muitos créditos em negócios, após ser pega beijando Konan no ginásio deu chance para Ino e estão a 4 anos juntas.

- É sério Saky - Caminhamos juntas até a entrada - Tem que parar de chamar ela de barraqueira, só por que ela quase matou aquela menina que deu em cima de mim não quer dizer que ela faz isso sempre.

- Ainda sim, ela é desequilibrada tem ciúmes até de mim - Revirei os olhos - Não vamos falar disso huh?

Ino acenou com a cabeça e sorriu agradecida. Entramos na mansão e os olhares caíram sobre nós, ao contrário de Naruto, Karin não ligava para o que falavam e assumiu publicamente seu namoro com Ino.

- Amor - A ruiva se aproximou abraçando a loira - Está linda de mais - Ela sorria.

- E você ainda mais meu bem - Sorria apaixonada para a mulher.

- Eca - Falei rindo.

- Não liga - Ino sussurou para Karin quando revirou os olhos.

Caminhei pela grande sala a procura de quem realmente me interessava mas antes de o achar ele me achou.

- Não tinha um vestido menos curto? - Disse atrás de mim.

- A loja de freiras estava fechada tive de me virar com o que tinha - Sorri encarando com o sorriso bobo.

- Se não fosse minha festa e eu tivesse que ficar aqui eu já teria te levado para o andar de cima e feito você tirar esse vestido - Sorria com ar que malícia.

- E eu não ia nem praguejar - Pisquei.

Seu olhar se desviou do meu por segundos.

- Conversamos depois ok? - Depositou um beijo em minha testa e se retirou dali em questão de segundos.

O procurei entre os outros convidados mas não o achei, sua atitude fora um tanto quanto confusa para mim já que ele nunca me deixava de lado daquela forma, Suspirei pesado pegando uma taça de champagne.

Não demorou para os solteirões (e casados) começaram e me secar e tentavam cantadas ridículas mas meu truque de usar o anel que Naruto me dera no último aniversário como aliança de noivado sempre funcionava bem quando precisava dispensar alguém.

- Senhores - A voz era familiar - Peço um minuto de sua atenção.

Os olhares foram de encontro ao loiro no alto da escada.

- Bom, como sabem a anos viemos evoluindo, crescendo a cada canto do mundo, nossa empresa se tornou uma marca mundial e essa foi uma das minhas maiores conquistas - Suspirou recuperando o fôlego - Agora dei um passo adiante, senti que precisava de alguém para completar minha felicidade alguém a quem eu pudesse depositar meus sentimentos de felicidade e tristeza ao qual poderia me apoiar e sempre me dar a mão nos momentos fáceis e difíceis.

Senti meu coração falhar uma batida, Naruto enfim me assumiria e eu seria a nova Uzumaki da família era quase um sonho que estava se realizando.

- Hoje reuni vocês aqui para anunciar meu noivado com a primogênita da família Hyuuga - Sorriu estendendo a mão a frente de seu corpo - Hinata.

Senti minhas pernas fraquejar, senti meu mundo desabar. Como Naruto faria isso comigo? Como ele poderia viver todo esse tempo me enganando dessa forma? Eu nunca soube da existência desse mulher.

- E não só isso - Ele disse de mãos dadas com a mulher ao seu lado que sorria radiante - Anúncio também a parceria com as empresas Hyuuga que se dispôs a pagar nosso jantar dessa noite - Sorria levantando a taça de champagne.

Meu estômago formigava, ardia, queimava. Eu estava me sentindo sufocada uma nó em minha garganta me sufocou me fazendo procurar o ar, maldita asma. Tentei correr desesperadamente até o cômodo ao lado sentindo minhas pernas fraquejar, busquei a bombinha na minha bolsa ainda procurando pelo ar que não vinha, senti a mão delicada em minhas costas.

- Você está bem? - A voz doce me fez virar e encara-la.

Seus olhos perolados em um tom diferente do normal a deixava mais linda possível e os cabelos lisos e sedosos deixava um cheiro de flores por onde passava. Vendo meu estado de desespero ela pegou minha bolsa com rapidez e não sei como no meio da bagunça ela achou a maldita bombinha que eu precisava.

- Obrigada - Disse recuperando o fôlego me sentando no chão sem pudor algum - Achei que morreria.

- Está melhor ? - Sorria gentilmente se abaixando.

- Sim - Forcei um sorriso - Obrigada.

- Você está aí - A voz de Naruto me fez estremecer - Sakura? - Seus olhos se encontraram aí meu.

- Ah... Oi - Forcei ainda mais o sorriso.

Ele se abaixou a minha altura vendo a bombinha em minha mão - Está bem?

- Agora sim - Virei meu rosto encarando os olhos perolados - A...

- Hinata - Sorria.

- Hinata - Voltei a encara-lo - Me ajudou.

- Bom... - Disse se levantando e me dando a mão para levantar - Não era assim que queria que se conhecessem mas...

- Mas nos conhecemos não? - Me levantei ignorando sua mão - Bom preciso ir.

- Ainda está cedo Saky - Ele disse coçando a nuca - Ainda nem servimos o jantar.

- Marquei com - Suspirei pensativa - Kakashi de sairmos.

Sério Sakura? O Uber?

Sorri amarelo.

- Quem é Kakashi? - Ele arqueou a sobrancelha e pude ver sua expressão de ciúmes.

- Hmmm... É um cara que conheci uns dias atrás - Forcei a voz a sair.

- Deixe-a ir querido - A mulher o abraçou pela cintura - Sei que está preocupado com sua amiga mas tem que deixá-la curtir a vida.

- Então - Suspirei - Bem, foi bom te conhecer Hinata - Sorri - Passar bem.

Me retirei sem esperar a resposta, ainda não sei por que diabos lembrei do nome do Uber naquele momento. Minhas mãos estavam trêmulas e eu mal conseguia pedir o Uber para casa.

- Inferno - Gritei sozinha ou achava que estava sozinha.

- Não devia sair assim - A voz masculina me chamou atenção - Não foi minha intenção magoar você.

Me virei encarando o mar azul que me iludia - Não queria? Me chama para seu jantar de noivado ao qual eu nem sabia que ela existia, me pegou totalmente de surpresa se essa era a intenção.

- Saky não é uma coisa que planejei - Coçou a nuca nervoso.

- Ah claro Naruto, você acordou um dia e disse "ah que belo dia vou me casar" - Franzi o cenho - Vá a merda com suas desculpas idiotas.

- Foi pela empresa - Suspirou.

- Está se casando por interesse? - Arregalei os olhos - É pior ainda!

- Sakura CALMA! - Segurou meus ombros me puxando para mais perto.

- Chega ok? É melhor que continuemos separados - Suspirei sentindo meus olhos me trair derramando uma lágrima solitária - Me deixe ir.

- Quero que seja minha madrinha - Ele disse me soltando.

- É O QUE? - Eu disse irritada - Vá a merda mil vezes.

Me virei pisando alto indo em direção a rua. Maldito seja quem inventou os sapatos de saltos e gramas sintéticas.

Após sair dali pedi um dos manobristas para chamar meu Uber pois eu estava sem condições daquilo, Naruto acabará com meu psicológico mil vezes.

Deveria ir para casa? Deveria sim mas ao contrário disso fui para o bar. Era horrível ver os olhares de pena para mim, uma pobre coitada chorando enquanto bebia ouvindo músicas românticas e lembrando do amor não correspondido.

- Senhorita precisamos fechar - O garçom disse - Quer que chame um táxi?

- Tuuudo bem - Sorri embriagada - Eu tô ótima! - Me levantei cambaleando e segurei no homem - Tudo certo - Ri - Que horas são? - Forcei os olhos para olhar o celular.

- Três e meia da manhã - Ele disse me segurando - Está sem condições de ir para casa sozinha deveria ligar para alguém.

- Shiii - Abaixei pegando minhas sandálias entre os dedos - Tá tudo bem estou em completa condições de qualquer coisa ok? - Peguei a bolsa deixando uma grande quantia de dinheiro na mesa.

- Espera - Ele pegou o dinheiro tirando apenas a quantia certa - É melhor tomar cuidado na rua senhorita.

- Você e um cara bom - Me aproximei pegando o dinheiro - Ah poucos de você nesse mundo de merda sabia? - Beijei seu rosto com delicadeza.

- Obrigado, tenha cuidado - Disse me olhando com pena.

Peguei a garrafa de whisky que ainda estava pelos restos colocando debaixo do braço, sai dali sem rumo, cantava pelas ruas como se fosse a única pessoa a viver ali, acho que meu anjo da guarda me guiou muito pois eu acordei em frente a uma padaria em uma situação que nem eu mesma sei.

- Moça - A mulher me chamou - Você está bem?

Abri os olhos com dificuldade sentindo o álcool queimar em minha garganta.

- Que horas são? - Grunhi sentindo meu corpo doer.

- seis e meia, você quer entrar? Os padeiros já devem ter feito os pães - Ela sorriu com delicadeza.

Abri mais os olhos sentindo a dor de cabeça me consumir, olhei a mulher a minha frente e agradeci mentalmente por pessoas boas estarem comigo naquele dia.

- Vamos querida vou te ajudar - A mulher disse sorrindo gentilmente.

Me levantei com sua ajuda e adentro pela portinha minúscula de funcionários.

- Aqui - Ela disse colocando o café sobre a mesa e um pão recém saído do forno - Fique avontade.

- Não sei o seu nome - Falei ainda embriagada.

- Chiyo meu bem - Sorriu gentilmente.

- Obrigada Chiyo você é muito gentil - Sorri em agradecimento.

A mulher tocou meu ombro ainda sorrindo e logo se retirou. Tomei um gole do café forte sentindo meu estômago revirar, não seria um dia fácil não depois de tudo aquilo que presenciei. Parei para pensar em minha situação naquele momento perambulando pelos bares esperando abrir o primeiro refúgio e pedir um café. Só queria que o gosto amargo daquele café me tirasse daquele pesadelo onde eu me sentia presa.

As portas já se abriam e eu ainda cheirava a whisky e tinha a maquiagem borrada, alguns clientes me olhavam com pena e eu sabia que minha aparência não ajudava. Me levantei deixando a quantia de dinheiro na mesa, quantia essa que já era tão pouca que nem sei onde gastei.

- Não precisa meu bem - Chyio pegou o dinheiro me devolvendo.

- Claro que precisa você me ajudou não sei o que aconteceria se fosse outra pessoa a me encontrar naquele estado.

- Você é uma boa pessoa criança, pessoas boas retribuem a outras com coisas boas - Ela colocou as mãos em minhas maçãs - Vá tente descansar.

Meus olhos se encheram de lágrimas, sorri em agradecimento depositando um beijo em sua testa.

Entrei no táxi que estava ali próximo e me dirigi para meu apartamento tudo que precisava agora era de uma noite de sono.

Acordei após horas me perdendo no fuso horário, olhei o relógio e marcava 20h da noite me fazendo lembrar que eu devia ter ido trabalhar. Junto as várias notificações tinha ligações do Uzumaki e não satisfeito foi bater em minha porta.

- Mas que merda eu já vou - Gritei vestindo um moleton - O que é? - Gritei abrindo a porta - N-Naruto?

- Graças a Deus - Ele me abraçou forte - Estava preocupado.

- Era melhor não estar - Me afastei caminhando até a cozinha.

- Onde passou a noite? - Ele veio atrás tentando fixar seu olhar ao meu.

- Isso realmente interessa? - Perguntei bebendo a água que havia colocado no copo.

- Claro que sim me importo com você - Vendo que o ignorava, Naruto segurou meus braços com firmeza me virando para ele e com a mão direita segurou meu queixo me forçando a olha-lo - Onde estava?

- Não sei - O encarei - De bar em bar, na calçada, em uma padaria - Ri debochada - Foram muitas emoções Naruto.

- Olha - Ele colocou as mãos em meu rosto acariciando de leve - Me importo com você huh? Não faça isso de novo.

- Já chega ok? - Me afastei - É melhor ir sua noiva deve estar o esperando - Suspirei.

- Quero que me ajude amanhã - Deu de ombros.

- Com? - Cruzei os braços esperando sua resposta.

- Não surta tá legal? - Ele coçou a nuca nervoso procurando as palavras - Bom é que o casamento é daqui algumas semanas e eu não faço ideia de como escolher um terno.

- Semanas? - Arregalei os olhos - Tá de brincadeira? Vocês noivaram ontem.

- Nossos pais querem que a união ocorra o mais rápido possível - Suspirou - Eu te disse são negócios.

- E onde eu entro nessa história? - Eu disse amarga colocando o indicador e o polegar no canto dos olhos.

- Quero que me ajude no terno do casamento - Sorriu de lado.

- Não vou nem discutir já estou cheia disso - Caminhei até a porta a abrindo - Te encontro amanhã na Kages ternos - Suspirei - Estou cansada preciso dormir.

Naruto sorriu agradecido e caminhou até a porta.

- Obrigado - Tentou me beijar mas virei o rosto - Te vejo amanhã.

Não respondi, mal esperei cruzar minha porta e a bati com força. Aquele idiota tinha um parafuso a menos só pode e eu também por aceitar aquela merda toda. Abri o armário de vinhos e peguei o mais forte que tinha, nessa história ou meu fígado entrava em falência permanente ou eu apenas me tornaria uma alcoólatra mal compreendida.

O dia amanheceu e parecia que eu mal tinha dormido minha cabeça doía devido ao álcool e ao sono, me forcei a levantar, uma das vantagens de ter Naruto como amigo é que as vezes eu podia simplesmente faltar o trabalho e alegar que estava com dores de estômago. Vesti uma roupa qualquer sem me importar com a combinação perfeita, borrei os olhos com maquiagem disfarçando toda minha ressaca e noite mal dormida meu estômago roncou me forçando a comer uma torrada com ovos mexidos.

‘’Te encontro em 20 minutos’’  - N.U

Revirei os olhos, maldita hora que fui conhecer Naruto. Pedi um uber e fui ao seu encontro, mas na verdade queria apenas dormir e talvez beber. Ao chegar avistei o individuo impaciente a frente da loja.

- Achei que não chegaria mais – Ele disse gesticulando.

- Menos Naruto – Revirei os olhos – Bem menos, nem aqui era para eu estar huh?

Entramos na loja e sobre minha supervisão avaliando vários ternos.

- Gostei desse – Ele analisava a roupa.

- Pra mim é tudo igual – Revirei os olhos.

Em outra circunstância eu adoraria escolher um terno para ele, mas ali eu estava ajudando o homem que eu amava ficar bonito para outra.

Naruto entrou na cabine de provação e logo saiu com a camisa branca aberta mostrando seu peito definido.

- Pode me ajudar? – Disse sacana.

Respirei fundo com a tentação, me aproximei com a mão tremula abotoando os botões sentindo seu cheiro invadir minhas narinas. Percebi sua leve movimentação olhando para os lados e em um movimento brusco me puxou para dentro da cabine.

- Está lou...

Ele me interrompeu me beijando ferozmente. Tentei negar mas aquela boca me chamava mais que tudo e acabei por ceder, suas mãos acariciaram minhas costas me puxando mais para si, seus lábios percorreram meu pescoço me fazendo arrepiar.

- Você vai se casar – Sussurei.

- Mas quero você – Disse mordendo meu pescoço – É você quem me da o melhor sexo de todos, e o melhor beijo – Apertou minha cintura – Fica comigo Saky – Sussurou ao meu ouvido.

Eu estava prestes a cair em sua tentação. Naruto sabia como me seduzir e me iludir. Respirei fundo tomando a atitude mais dolorosa naquele momento, segurei seus ombros e o afastei o encarando.

- Não! Você escolheu ela não eu – Senti meu coração falhar.

- Não faz isso, é você quem eu quero chamar quando estou com ela, você é maravilhosa Saky – Tentou se aproximar.

- Não – Coloquei a mão em seu peito – Não vou fazer parte desse teatro.

Me retirei da cabine assustando uma das vendedoras que passava ali. Não era nem meio dia e eu já pensava em qual bar passaria aquela noite.

 _____

As últimas semanas foram difíceis, meu fígado com toda certeza está quase chegando ao seu limite, analisei minha imagem no espelho e sorri tentando me confortar mas era impossível. Infelizmente cai na tentação e acabei cedendo deixando Naruto me tomar para si, foi como se fosse a primeira vez que transamos, ele chamava meu nome como se me amasse de verdade. Era por volta das 22h de sexta, me belisquei o dia inteiro tentando acreditar que no dia seguinte Naruto a essa hora estava curtindo sua festa de casamento enquanto eu bebia em alguma mesa já que ele me obrigou a ser sua madrinha.

- Quer saber? Foda-se.

Bati as mãos na cama decidida a não ir para aquele casamento. Tomei um bom banho e me arrumei como se fosse a minha despedida de solteira, parei no bar que fiz amizade com o garçom e já logo pedi minhas doses.

- Vai virar alcoolatra – Ele disse colocando a garrafa de Wiskey na mesa.

- Só coloca na conta como combinado! – Pisquei sorridente.

Ele sorriu de volta com pena, em uma breve conversa enquanto eu estava embriagada contei minha triste história de amor e ele entendeu os meus motivos de me afogar na bebida mesmo não concordando. Enchi o copo e bebi sentindo o líquido descer forte pela garganta, no terceiro eu já o sentia doce.

No fim da noite eu já estava no quarto bar com gente que eu nem conhecia e aparentemente estava comemorando uma despedida de solteira que eu nem tinha.

A vida é cruel e as pessoas lida com ela como pode, eu lidava com isso enchendo a cara. Acordei mais uma vez pela voz familiar da mulher que me ajudou da última vez, sorri agradecida por ela me acolher de novo.

- Tem que ser cuidadosa filha - Ela colocou o café a minha frente.

- É só uma fase ruim Chyio - Sorri - Não se preocupe.

- Você precisa comer vou trazer pães - Disse se retirando.

Permaneci ali olhando o nada por horas sem notar o movimento começar, suspirei pesado sobre a mesa ainda com minha roupa da noite passada. Estava no terceiro café tentando acreditar em tudo que estava a acontecer, era hoje Naruto seria nada mais que uma boa lembrança e agora apenas meu chefe ou talvez eu pedisse demissão para ficar o mais longe possível de um possível caso. Me belisquei várias vezes tentando acordar daquele sonho(?). Perto do meio dia decidi que precisava ir para casa que minhas olheiras já estavam fundas o suficiente e que meu cheiro espantava os clientes da padaria.

Ao chegar tomei um bom banho deixando meu corpo relaxar sobre a água morna, meu celular tocou mas apenas ignorei certamente era ele querendo saber onde sua madrinha estava. Me vesti com algo confortável e fiz uma xícara de chá, já estava quase na hora eu o perderia para sempre.

- Não! Você é meu e sempre será!

Me levantei com raiva decidida a acabar com essa palhaçada, entrei no primeiro táxi que vi e me dirigi até a igreja onde ele diria o sim.

Ao chegar entrei sem arrependimento era tarde de mais para isso, ele estava lá no altar prestes a dizer o seu sim.

- Pare - Minha voz saiu como um Sussurou - PARE! - Gritei sentindo o nó na garganta.

Todos me olharam assustados, Naruto arregalou os olhos não sei se pelo meu estado ou pela forma que eu me encontrava já que deveria estar vestida apropriadamente.

- Pare... Não faz isso - Senti as lágrimas brotar nos cantos de meus olhos.

- O que está fazendo? - Ele disse quase em um Sussurou mas pude ler seus lábios.

- Te impedindo de fazer a maior merda da sua vida - Dei um passo a dentro.

- Sakura não faz isso - Ele disse dando um passo até mim - Olha em volta está todo mundo olhando...

- Que se dane - Peguei um arranjo de flores que estava ao lado jogando-o no chão quebrando o vaso em milhares de pedacinhos - Que se dane os convidados essas flores esses vasos essa sua mentira dane-se esse teatro - Dei mais alguns passos em sua direção - Olha para o seu dedo agora e joga essa aliança fora é a mim quem você ama na saúde na tristeza na alegria e na cama - Gritei.

Todos ficaram entre cochichos mas eu não ligava não deixaria Naruto fazer aquela merda. Ele olhou para dois de seus amigos Sasuke e Shikamaru, ambos vieram em minha direção segurando meus braços me puxando para fora, gritei e esperniei várias vezes mas sentia que minha voz não saia, senti meu peito sufocar minha garganta arder.

Acordei suada e ofegante como se tudo tivesse sido real de mais para acreditar que foi só um sonho, como se eu tivesse que me beliscar para ter certeza que estava apenas dormindo. Olhei em volta o relógio marcava 9:47 dormi além da conta, levantei às pressas abrindo o closet e lá estava ele o vestido branco mais lindo que já vi dentro da capa preta.

- Huh, acordou? - A voz masculina me fez virar e o encarar.

- Naruto - Sorri agradecida.

O abracei forte como se minha vida dependesse disso - Promete que nunca vai me deixar? Promete que me ama pra sempre? - Eu disse manhosa sentindo a quentura de sua pele sobre meu rosto.

- Claro que prometo, já prometi várias vezes e prometo quantas quiser - Ele acariciou meus cabelos - Você é para sempre minha Sakura Uzumaki - Sorriu.

O olhei de baixo apoiando o queixo em seu peito.

- Eu te amo.

- Eu também, mais que tudo na vida.

A verdade é que amamos tanto alguém que muitas vezes sentimos que podemos o perder a qualquer momento, passamos por momentos difíceis aos quais achamos que nunca superaremos mas o amor é mais forte que qualquer medo e eu estava prestes a me casar com o homem mais perfeito do mundo.



Notas Finais


Já tiveram aquele sonho que foi tão real que você acorda até atordoada? Hahaha falem que não foi só comigo.

Essa história tem como inspiração essa música -> https://youtu.be/h4U85lBUEvk

Queria agradecer a @Margozinho_ por ter se disponibilizado a tirar um tempinho para ler minha fic e dar sua opinião ♥️♥️

Estou gostando de usar músicas como inspiração me faz ter novas idéias e já tenho uma para próxima quem curtir KakaSaku fica de olho ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...