1. Spirit Fanfics >
  2. No escurinho da noite >
  3. Jogos

História No escurinho da noite - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Leiam com calma :3

Capítulo 1 - Jogos


Os passos rápidos de Jimin ecoavam pelo corredor vazio da escola. Suas mãos tremiam ao tentar segurar a maçaneta da saída, mas estava trancada. Soltou um suspiro tenso olhando para os lados e tentando, ao máximo, não deixar com que às lágrimas atrapalhassem sua visão. 

Ainda não conseguia acreditar no que ele havia feito. Aquilo simplesmente não tinha perdão. 

Girou os calcanhares e continuou a andar focando somente em como iria sair dali sem que ele o achasse ao meio de vários corredores escuros e sombrios à noite.

— Jimin? — A voz grossa e ao mesmo tempo doce adentrou os seus ouvidos. — Jimin, onde está?

Era como um filme de terror.

A vítima tentava sair da armadilha enquanto o assassino procurava por sua presa, sem se cansar e persistentemente. 

— Meu bem, sei que está aí. 

O coração do Park passou a acelerar cada vez mais. Podia-se escutar o calçado de Jungkook bater contra o piso, a sua risadinha vagando e a respiração ficando cada vez mais perto. Jimin já não sabia o que fazer. 

Se fosse para o lado direito, Jeon escutaria seus passos, o esquerdo é o lugar em que ele está vindo, atrás de si é a saída, porém não tem como e a sua frente, há uma parede repleta de armários. 

— Bebê, já estamos grandinhos para ficar brincando de esconde-esconde, não acha? — Riu. — Quer que eu te pegue, é isso?

Jungkook adorava jogos. Não é atoa de que é um grande professor de Educação Física. Sempre ganhava os jogos e raramente perdia. Todavia, esse jogo que seu garotinho estava jogando ou tentando, não estava conseguindo compreender direito. 

Mas, se Jimin ainda não havia aparecido, quer dizer que a brincadeira ainda não havia terminado, afinal, para se vencer um jogo, algum dos participantes tem que ganhar. Não é mesmo?

O frio começou a se alastrar. Jimin estava em apuros e o pior de tudo é que não poderia gritar. 

Talvez fosse um pouco de drama tudo o que estava fazendo. Porém, machucava. Machucava demais só em pensar na possibilidade de encarar Jeon Jungkook novamente. Doía e Jimin não estava preparado para chorar em sua frente, mostrar-se fraco, frágil, inútil...

Enconstando-se na parede gélida, perto do banheiro, recordações da conversa que ouvira na quadra vieram a sua mente. Tudo o que Park Jimin queria fazer agora, era esmurrar o rosto perfeito de Jungkook. Bater tanto nele e perguntar o porquê. 

Jimin não merecia isso.

Um soluço escapara de sua garganta. Não podia evitar. Sua cabeça estava uma bagunça e o aperto em seu peito cada vez mais forte. Sua respiração estava falha e de seus olhos, lágrimas grossas escorriam até cair no chão. 

Ele não soube dizer ao certo quando Jungkook chegou e o abraçou por trás. Não irá mentir, sentir o calor de seus braços deixou-o aliviado, seguro. Jeon transmitia confiança a ele. Tanto que não hesitou quando suas mãos grossas vagaram por seu rosto molhado. Mesmo com a visão embaçada, conseguiu visualizar perfeitamente a face confusa e preocupada do professor. 

Um tremendo idiota.

— Eu disse que iria pegar você, meu bem. — Sorriu, mas ao ver que Jimin não havia retribuído, franziu o cenho limpando suas lágrimas. — O que fizeram com você, meu neném?

— Você é um idiota! — Empurrou-o para longe. — Não se aproxima.

— O que eu te fiz? — Tentou tocá-lo. — Está me assustando...

— Você ainda pergunta? — Arrumou a mochila em sua costa e soltou uma risadinha. — Não se faça de sonso, por favor.

— Se eu estou perguntando é porque eu realmente não sei a resposta. 

— Você sabe. — Suspirou. — O que fez hoje?

Jeon estava, ainda, tentando entender onde Jimin queria chegar. Não lembra-se de ter feito nada fora do normal, a não ser que expulsou um aluno seu da aula pois ele estava insuportável. Fora isso, nada demais.

— Eu vim pra escola, ensinei os alunos algumas técnicas para jogar futebol, tomei banho antes de almoçar e fiquei o dia todo pensando em você, satisfeito? — Jimin negou e cruzou os braços fazendo um biquinho adorável. Jungkook se aproximou novamente. — O que você tem hoje, meu bem?

— Tudo o que temos, tudo o que construímos e tudo o que planejamos. — Encarou-o. — Acaba aqui.

— O-O que? Jimin! Você... Amor, o que aconteceu hoje com você? — Segurou seus pulsos para cima e o colocou contra um armário. — Não me ama mais? 

— Não me faça perguntas estúpidas até se dar conta da merda que você fez.

Jungkook soltou um suspiro e soltou o Park tentando agir naturalmente. Olhou disfarçadamente para a câmera em seu lado direito e resmungou um palavrão. Havia se esquecido de que a escola era cheia de câmeras que facilitavam o acesso caso alguem invadisse-a.

Ao olhar o banheiro, abriu a porta e entrou ignorando o mal cheiro vindo de dentro.

— Venha. — Chamou-o, mas Jimin nem se mexeu. — Entre aqui dentro. Não quero que se de mal ao me verem com você. 

— Não temos mais nada. Posso fazer o que eu quiser. — Voltou a caminhar pelo corredor. — Me esquece! 

Saber que tudo estava acabado doeu mais do que quando ralou o seu joelho depois de andar pela primeira vez de bicicleta. Entretanto, não seria tão fácil como Jimin esperava. Jungkook queria respostas e faria o que fosse preciso para descobri-las.

— Você não vai embora assim. 

— Já estou indo.

Os braços do moreno agarraram a cintura do loiro levantando-o para cima. Mesmo que ele revidasse, Jeon conseguiu levá-lo para dentro do banheiro, colocou-o em cima da pia, trancou a porta e passou a mão pelos cabelos pretos, agoniado. 

— Você vai me contar o que aconteceu. — Segurou suas pernas. — Sabe muito bem que não tolero mentiras. 

— Eu também não tolero. — Abaixou a cabeça. — Diz logo de uma vez. Isso machuca demais.

— Meu bem, o que eu lhe fiz? — Levantou o pequeno rostinho sentindo o coração doer. — Conte-me no que errei. Posso consertar ou tentar. 

— Eu escutei, tá bom? Escutei a sua conversa com o Taehyung na quadra. — Sorriu. — Você também o ama, é? Então por que diabos vem atrás de mim ainda? Caramba! 

Não seria uma hora exata para Jungkook rir. Mas ele riu. Riu por aquilo ser um enorme mal entendido, riu por não ter sido nada mais grave e riu de nervoso.

Segurou o rosto de seu Jimin e juntou seus narizes fazendo um breve carinho com seu polegar no rosto angelical. 

— Eu sei que está confuso. Mas eu posso explicar, certo? 

— Não sei se irei acreditar.

— Neném, Taehyung apenas queria uma ajuda para decorar as falas de uma peça que irá apresentar. — Limpou às lágrimas que caiam devagar molhando a camisa de ambos. — "Kim Taehyung, eu amo você desde primeira vez que te vi entrar por aquela porta. Seus cabelos castanhos me chamaram atenção assim como todo o seu corpo." Essa foi a frase que você ouviu? — Jimin concordou. — Eu estava atuando, meu bem. Atuando.

— Você jura? — Tocou o rosto de Jungkook. — Jura juradinho?

Jeon soltou uma risadinha e assentiu beijando o seu nariz.

— Juro juradinho. 

— Eu pensei que você estivesse brincando comigo... — Levou seus pequenos dedinhos até o rosto do professor. — Achei que não gostasse mais de mim. 

— Meu amor, você é o responsável pela minha Euforia. O único capaz de mexer com meu coração e acha mesmo que eu iria brincar com o seu coração? — Fechou os olhos apreciando o carinho do namorado. — Eu te amo mais que tudo em minha vida. 

— Me desculpa por isso tudo. — Sorriu. — Eu também te amo mais que tudo no mundo.

— Agora eu quero o meu beijo. Hoje eu não ganhei um.

— Você merece um beijo? — Entrelaçou seus braços no pescoço de Jeon. — Acha que merece? 

— Talvez eu mereça outra coisa também, não?

— Acho incrível a sua bipolaridade. Uma hora romântico e outra safado. 

— Hum, e você gosta dos dois. — Beijou seu pescoço. — Cadê meu beijo? 

Jimin soltou uma risada e selou os lábios ao de Jungkook. 

Naquele banheiro, de noite, sozinhos na enorme escola, duas almas apaixonadas encontraram-se. Eles não estavam ligando se alguém os olhassem naquele momento. Queriam somente sentir a boca um do outro, o gosto um do outro.

Às mãos ágeis de Jeon adentraram às costas de Jimin fazendo-o gemer baixinho por estarem geladas demais. Em um rápido reflexo, Jimin estava no colo de Jungkook rebolando devagar enquanto suas mãozinhas apertavam os ombros largos embusca de apoio. 

— Podemos transar agora, no escurinho da noite. — Sorriu. — O que acha, meu bem?

— Será ótimo. — Tirou a camisa e Jungkook sorriu. — Porém, eu quero tentar algo novo.

— Algo novo? 

Jimin esticou sua camisa e à amarrou nos olhos de Jeon não o deixando ver absolutamente nada, além do escuro. 

— O que pensa em fazer comigo, neném? — Sorriu. — Você sabe que eu adoro jogos, não sabe?

— Sim, eu sei. — Apertou o pênis de Jungkook que gemeu tentando pará-lo. — Iremos jogar um pouco. Só que dessa vez... Somente um de nós vence, coelinho.


Notas Finais


Uma amiga minha pediu para que eu escrevesse uma fanfic onde o Jeon prende o Jimin no banheiro. Bom, ficou assim kkk
Espero que tenham gostado. Eu gostei demais ❤

Até a próxima, se cuidem 💐


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...