1. Spirit Fanfics >
  2. No Excuses And I Know >
  3. Bleed The Freak

História No Excuses And I Know - Capítulo 4


Escrita por: MyLoveJerry1990

Notas do Autor


Mais um capítulo dessa linda história KKKK espero que gostem🖤

Capítulo 4 - Bleed The Freak


Fanfic / Fanfiction No Excuses And I Know - Capítulo 4 - Bleed The Freak

Ele sai depois disso e me deixa com um quê de indignação e espanto. Que cara metido, se ele está pensando que eu sou qualquer uma, está bem enganado, Zé Mané. Voltei pra mesa de Anne, sentei e voltei meus olhos para ela.

(Anne)
- Po, você demorou, porque demorou desse jeito?

(Eu)
- Conheci um cara, um tal de Jerry Cantrell, disse que é guitarrista de uma banda aí, é um gato, mas é bem galanteador.

(Anne)
- Você falou com Jerry Cantrell??? Meu Deus, eu sou muito fã dele e do Alice in Chains, o que ele te disse? Ele quer ficar com você??

(Eu)
- Não acredito que você é fã, ele deve ser importante então? De qualquer forma, não ligo, ele me pareceu muito raso, prefiro Stone, tem mais personalidade. E sim, ele quer ficar comigo, perguntou o que eu ia fazer depois.

(Anne)
- Eu sei muito bem o que você vai fazer depois, você vai sair com esse homem, nem que seja a última coisa que faça. Ele tem uma grande fama aqui..

(Eu)
- Ah, não vou não, primeiro ele vai ter que me mostrar o porque eu devo ficar com ele. Que fama é essa?

(Anne)
- Ele tem fama de ter um pauzão e ser bom de cama.

(Eu)
- Que??

Mas naquele segundo fomos interrompidas por uma banda que começou a tocar no palco em que eu estivera minutos antes. Eram uns caras engraçados, gatos, todos eles. Fui passando os olhos por cada um, o baterista era moreno, cabelos cacheados e compridos, tinha um piercing no nariz enorme, tinha uma batida muito forte e sexy, o baixista também era moreno dos cabelos cacheados, gato, o mais forte de todos, o vocal era um fofo, loirinho e o guitarrista, merda, ERA O TAL JERRY,  então aquele era o Alice In Chains e aquele era o senhor Cantrell tocando, meu deus, eles eram incríveis e o guitarrista tocava muito, depois do que Anne me contou, comecei a imaginar o que aquelas mãos rápidas poderiam fazer, mas me acalmei e curti o show pelo resto da noite.
Quando eles acabaram, desceram do palco e eu percebi que Anne estava muito ansiosa para falar com eles, estavam no bar, minha amiga se levantou e andou até eles, eu resolvi ficar bem quieta no meu canto, tentando evitar qualquer falação sobre mim. Anne vem voltando, mas com os caras bem atrás dela. Pensei, aí que droga, vou ter que falar com eles.

(Anne)
- Essa é minha amiga Jo. Jo desses são Mike, Layne, Sean e Jerry, que você já conhece.

Me levanto na mesma hora e aperto a mão de todos.

(Eu)
- Muito prazer, vocês são ótimos. Adorei o show.

(Jerry)
- O prazer é todo nosso senhorita Jo.

(Layne)
- É nova aqui né? Jerry nos contou. Vocês tem uma banda então?

Porque ele estava falando de mim para os amigos???

(Eu)
- Sim, sou sim. Temos nossa banda agora, vamos tocar no The Crocodile no próximo fim de semana, se estiverem livres, poderiam ir...

(Jerry)
- Não perderíamos por nada.

Ele me encarava profundamente, encarei também, ficamos nessa por longos segundos. Aí perceber, Layne disse:

(Layne)
- É, acho que estamos interrompendo algo aqui. Já está tarde, eu vou indo, quem vêm?

Rapidamente todos se despedem de mim e de Jerry e saem, nem tive tempo de abraçar ninguém. Ficamos só nós ali. Ele se apoia na mesa e pergunta:

(Jerry)
- Você tem certeza de que quer ficar aqui?

Eu me sentia meio embriagada, mas não de álcool, talvez, um pouco, mas eu queria ir com ele, pra onde quer que fosse e não estaria sendo menos eu se concordasse. Nem falei nada, agarrei uma de suas  mãos e o arrastei pra fora.

(Eu)
- Para onde vamos?

Ele não disse nada, apenas caminhou até seu carro e eu fui atrás dele. Entramos w eu tive um ataque de riso. Não estava acreditando que ia fazer isso, eu mal conheço esse cara. E Stone? Será que ele ficaria mal se soubesse? Quer saber, a vida é minha e eu faço o que eu quiser. Jerry começou a rir também ele não devia estar entendendo nada, meu deus, como ele era lindo, principalmente sorrindo. Olhei pra ele enquanto ele dirigia, ele me olhou de volta e colocou sua mão livre na minha coxa e começou a acariciar, pequei em sua mão e logo chegamos.
 


Notas Finais


hmmm o que será que vai acontecer depois?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...