1. Spirit Fanfics >
  2. No Excuses And I Know >
  3. Them Bones

História No Excuses And I Know - Capítulo 8


Escrita por: MyLoveJerry1990

Notas do Autor


Aí esse abalou meu coração, espero que goste🖤

Capítulo 8 - Them Bones


Fanfic / Fanfiction No Excuses And I Know - Capítulo 8 - Them Bones

Aquela noite reservava muitas surpresas e eu sabia disso, não queria acabar com ela ali, não queria estragar com a bebida, me segurei e neguei todas as garrafas que me ofereciam, Jerry estava olhando pra mim a todo momento, toda vez que eu olhava pra ele, ele estava vidrado em mim e tinha um clima tenso no ar. Eu ria e conversava com as meninas, Chris, Susan e Eddie Vedder se juntaram a nós, em um momento em que me virei novamente para o canto em que Cantrell estava, vi todos os quatro membros da banda olhando para a gente, não sei se era pra todas nós ou se era só para mim, mas eles cutucaram Jerry quando me virei e ficaram dando risadinhas, fiquei com vergonha e não olhei mais para eles. Chris, Susan e Eddie contaram várias histórias engraçadas dos garotos do Pearl Jam, inclusive de Stone e Vedder disse que Mike andava estranho, parecia estar escondendo algo deles, uns minutos depois os dois homens se levantam para ir embora e Susan, vendo o estado das minhas colegas de banda, pede pra que eles as levem embora, mas eu não queria ir ainda e Silver disse que também iria ficar, então os cinco vão embora e ficamos apenas eu e Susan, já éramos boas amigas àquela altura do campeonato, estávamos rindo alto quando Layne e Sean se aproximam de nós.

- Olá meninos, como vocês estão? Achei que não viriam falar comigo. Ela se levanta imediatamente e abraça os dois bem forte

- Estamos bem Susan e você? Estávamos esperando uma oportunidade pra virmos te dar um oi. Diz Sean.

- E o Mike e Jerry? Por que não vieram me ver?

- Mike já passou do ponto, foi embora e Jerry está se sentindo intimidado. Fala Layne e volta seu olhar para mim. Como vai Jo? A apresentação foi maravilhosa, depois precisamos conversar sobre o que você está escrevendo, são meus temas preferidos, quem sabe não possamos fazer algo em conjunto..

- Eu estou ótima Layne e você? Muito obrigada, vamos ver isso sim, só marcar.

- Em falar em marcar, acho que você marcou o coração de alguém que está sentado bem ali, com aquela garrafa na mão. Sean diz. Susan eu nunca vi ele assim.., Jo ele está acostumado a ter todas as mulheres facilmente, acho que você se tornou um desafio pra ele.

Apenas encaro Jerry do outro lado do bar, ele me encara de volta e simplesmente se levanta e sai, com a garrafa na mão. Susan anuncia que está indo e os dois decidem ir também, eu saio junto, mas não queria voltar pra casa, vai saber onde Jerry estaria naquele momento. Começo a andar pela cidade, com a minha guitarra nas costas, já era bem tarde, perto da 1:00 da manhã, passei por vários bares e lanchonetes que ainda estavam abertas e fui me sentar no banco de uma praça na parte movimentada, encosto minha guitarra ao lado, começo a olhar o céu e a observar jovens que andavam por ali, mendigos que dormiam sob o frio congelante de Seattle, estava frio, eu estava tremendo ali. Alguém se aproxima e senta ao meu lado, era Stone, o que ele estava fazendo ali?

- Oi, o que está fazendo aqui nesse frio? E me cobre com uma blusa sua, a blusa tinha seu cheiro, de perfume, era muito bom, ele envolve seu braço sobre mim e me puxa para seu peito.

- Oi Stone, te faço a mesma pergunta, eu acabei de sair só meu primeiro show no The Crocodile, não queria voltar pra casa, então resolvi andar por aí.

- Ah, a minha história é parecida, eu saí de um show também, mas estava indo pra casa, é logo ali. E aponta para a casa na esquina. Mike me deixou lá na frente porque o preguiçoso não queria ter que andar mais 200 metros. Mas você está bem?

Eu ri e me senti aliviada nos braços daquele homem, não estava mais tão frio, o calor de Stone era aconchegante, mas eu precisava ir e acredito que ele também, me levantei e coloquei a guitarra nas costas novamente.

- Você quer que eu te leve pra casa? Pode ficar na minha se quiser, afinal, é mais perto daqui e eu meio que tô sem carro..

Eu recusei, é claro, não ia ficar na casa do coitado, tentei chamar um táxi, mas não havia mais táxis disponíveis naquela hora.

- É acho que vou ter que ir andando mesmo..

- O que?? A essa hora? Eu não vou deixar, vem, vamos, eu te faço um chocolate quente e você pode colocar alguma roupa minha.

- Aí eu não acredito Stone Gossard.

Meio que a contragosto, me deixo ser levada por Stone, que me leva pra sua casa, eu não tinha nada a perder mesmo, sentia meu peito um pouco pesado, "E se Jerry sente realmente algo por mim? Ele jamais poderia saber disso, ele ficaria mal". Chegando lá, Stone destranca a porta e me empurra para dentro, eu estava de cara com uma sala enorme, que se ligava a cozinha e tinha uma escada que dava para o andar de cima, o local estava coberto por guitarras de todos os tipos, marcas, tamanhos, funcionalidades e cores.

- São todas suas? Pergunto deslumbrada.

- São, algumas eu ganhei de amigos, outras de pessoas importantes, outras eu comprei mesmo.

- Duvido que você toque todas, Digo isso e sorrio.

- Definitivamente não toco, talvez você possa me ajudar com isso. Quer tomar um banho? Você acabou de sair de um show, deve estar cansada, vai tomar um banho, vou pegar algo pra você vestir.

Ele sobe as escadas correndo e volta com uma camiseta e um short de dormir dele. Caio na gargalhada.

- Stone, esse se shortinho não cabe nem em uma perna minha.

E realmente não cabia, ele ri também

- É acho que não mesmo, talvez seja melhor sem. Rimos disso.

Ele sobe de novo e volta com outro um pouco maior e me entrega, junto com uma toalha

- Espero que não se importe, é do Eddie ele esqueceu aqui quando fizemos uma festa, nunca mais lembrei de devolver. Mas novamente, acho que te prefiro sem.

Achei engraçado aquela situação, subi para o banheiro após ele ter me indicado onde era, tomei um banho, me vesti e percebi que nunca havia visto um shortinho tão curto como aquele, desci, Stone me entrega um chocolate quente

- Fiz pra você

Nós dois sentamos na sala e ficamos ali, eu não disse nada, apenas fiquei quieta a observar discretamente o entorno. Stone não se aguenta e se volta para mim.

- Eu não consigo esquecer aquele beijo

E fica olhando para mim. Depósito minha xícara na mesa no centro da sala e olho para ele. Ele me olhava apaixonado, ele realmente estava e não conseguia esconder isso

- É, eu, você não falou mais comigo, achei que estava brava

- Não Stone, eu jamais ficaria brava com você

- Então você não gostou do nosso beijo??

- Não é isso Stone, o beijo foi ótimo, eu gostei, eu adorei, mas eu não sei, tive que resolver algumas coisas, não tive tempo de pensar muito nisso.

- Olha eu queria muito você aqui, estava quase a sonhar com isso e agora que você está aqui, eu não sei o que fazer

Percebi o estado de confusão total daquele homem, ele era muito fofo daquele jeito, todo bobinho. Já que eu estava no inferno, porque não abraçar o capeta? Me aproximo de Stone e acaricio seu rosto, ele fecha os olhos e se deixa levar pelo meu toque, estavamos cada vez mais perto até que nossos lábios se tocam e começamos a nós beijar. Como aquele beijo me enlouquecia, era romântico, mas tinha um fogo inexplicável, estávamos querendo aquilo, nós dois. Eu tiro minha blusa e meus seios ficam a mostra, Stone colocar suas mãos sobre eles e começa a acaricia-los, aquilo era muito bom e suas mãos eram quentes, ele encosta seus lábios em meu peito e começa a suga-los devagar e eu solto um gemido baixinho de prazer, ele tira o short que eu usava e passa suas enormes mãos em meus glúteos e nas coxas e me coloca em seu colo, sinto seu membro enrijecido ali e tiro sua camiseta eu retomo nosso beijo, mas ele para e me deita no sofá, ele começa a me beijar de novo e vai descendo o beijo até minha intimidade, ele fica  bom tempo ali, a ponto de quase me fazer chegar ao meu ápice, então ele para e não me deixa retribuir o oral, simplesmente coloca seu membro extremamente rijo em mim e começa a estocar devagar, eu sentia ele dentro de mim, eu gemia alto naquele momento e quanto mais ele aumenta o ritmo mais vontade eu tinha, eu apertei seu braço com força, sentia minha região arder de prazer

- Stone eu vou

E nem completei a frase, nós dois chegamos ao limite juntos e depois todos os músculos se relaxaram, ele beija meus lábios e se levanta de cima de mim. Ele veste sua cueca e se senta no chão, ficamos uns 20 minutos a admirar paredes, então ele diz

- Eu vou tomar um banho, acho que você vai precisar de outro. Se levanta e estende sua mão para mim, eu pego ela e ele me puxa para cima e me abraça

- Vem







 


Notas Finais


Aí ela tá confusa meninassss, calma kakakakaka se aguente


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...