1. Spirit Fanfics >
  2. No Excuses And I Know >
  3. Stone

História No Excuses And I Know - Capítulo 9


Escrita por: MyLoveJerry1990

Notas do Autor


...

Capítulo 9 - Stone


Fanfic / Fanfiction No Excuses And I Know - Capítulo 9 - Stone

Ele pega na minha mão e vai na frente, subimos para o banheiro, tiramos as únicas roubas íntimas que usávamos e entramos debaixo da água, por um momento, todos os meus problemas haviam sumido, eu não sentia mas meu corpo pesado, não sentia corpo nenhum, era uma sensação maravilhosa. Stone passa suas mãos em meus cabelos, seus dedos se entrelaçam nos fios ondulados e densos, ele arrasta sua mão até meu rosto e acaricia-o, me puxa para mais perto dele pela cintura, da mesma forma como havia feito da primeira vez em que nos beijamos e novamente me beija, quente, molhado e apaixonado, minhas mãos estavam em seu pescoço, o clima entre nós estava fervendo de novo.

- Você quer ir mais uma? Porque eu quero, e muito, estou cheio de tesão, você me deixa louco.

- Não precisa perguntar, já é óbvio.

No segundo seguinte estávamos com nossos corpos em chamas de prazer e não demorou muito já havíamos saído do banho.

- Vamos deitar, você deve estar cansada, eu estou morto, depois dessas duas então..

- Eu estou falecida e enterrada e a terra já levou meu corpo, quero dormir. E coço meus olhos que já estavam vermelhos.

- Você fica linda com sono, aliás você fica linda de todas as maneiras.

Ele segue até o quarto e se deita na cama e eu me deito ao lado dele. Não sei porque, mas eu sentia que eu estava no lugar errado aquela noite.
Acordei cedo na manhã seguinte, era umas 6:00, Stone ainda dormia, peguei minha roupa e vesti, coloquei a guitarra nas costas, virei a chave que já estava na fechadura e sai para a rua, chamei um táxi. Vinte minutos depois, eu já estava dentro do apê, Anne estava dormindo também, eu resolvo tomar um banho quente, aqueles dias estavam frios, e eu parei pra pensar na tamanha besteira que fiz. Definitivamente Stone era um cara legal, mas eu não iria mais iludir ele, eu não queria nada sério, não com ele. Aquele domingo foi horrível, não fiz nada de bom além de tocar e estudar mixagem, fui dormir cedo e estava muito cansada, Anne estava de ressaca e nem falou comigo direito. A manhã de segunda já foi mais movimentada, comecei a trabalhar de verdade nós aparelhos, tudo era novidade pra mim, eu estava me sentindo uma criança. Quando voltei pra casa aproveitei para criar com Anne, inventamos riffs e batidas para nossas canções. Na terça, Layne Staley apareceu num bar onde eu e Anne estávamos almoçando e ele vinha com uma garota lindíssima.

- Olá Jo, Anne, como vão? Essa é a Demri, minha namorada.

- Olá, é um prazer conhecer vocês. Eu ouvi muito sobre vocês, Layne e Jerry só falam de vocês.

- Oi Demri, oi Layne, é um prazer te conhecer também. E aperto a mão dela cordialmente. Espero que falem coisas boas sobre nós. E sorrio.

- Prazer Demri. Diz Anne.

- Ah, falam só coisas boas sim, eles adoram vocês.

- A princípio Jo, eu preciso falar com você sobre o Jerry.

- Comigo?? Pergunto indignada. Claro, depois você me fala, pode ser?

- Ótimo, agora nós vamos deixar vocês em paz, boa tarde meninas.

- Boa tarde. Repetimos juntas.

Fiquei o resto do dia pensando no que Layne tinha para me falar sobre o Jerry, será que ele estava bem? Eu não devia ter abandonado ele daquele jeito, me sentia um lixo, eu precisava falar com ele, precisava arrumar alguma oportunidade, já que não sabia ao menos seu número de telefone. A semana passou rápido, apenas trabalhei, toquei e conheci umas pessoas novas, como a namorada de Vedder e o resto dos membros do Soundgarden, a princípio, todos eram incríveis.
Na sexta encontrei uma oportunidade para ver Jerry, ele e o Alice In Chains iriam tocar num bar conhecido ali, então eu me arrumei maravilhosamente, com tudo o que eu gostava, meus anéis, meu perfume, minhas botas e jaqueta é claro e sai, sozinha por que Anne não quis ir, disse que ia resolver umas coisas em casa mesmo, eu concordei e sai. Cheguei no local meio atrasada, eles já estavam tocando, fiquei admirando de longe e pedi uma bebida. Alguém chega e senta do meu lado.

- Oi meu amor, você não falou comigo desde sábado, está tudo bem?

E me rouba um beijo, quando me volto para olhar o palco, Jerry estava com seus olhos azuis pregados em mim, seu olhar era um misto de indignação, desgosto e tristeza e eu não pude acreditar que aquilo estava acontecendo. Eu ia ter que tomar uma decisão, ali, naquele exato momento. Me viro para Stone.

- Olha Stone, eu sei que foi legal, foi muito bom, você é incrível, eu nunca conheci ninguém como você, mas eu não posso continuar com isso, estou divida entre duas pessoas e preciso fazer uma escolha, eu te adoro, mas talvez seja apenas como um amigo, eu sinto muito, e isso não é um fora tá? É só que, me desculpa.

E saio correndo dali, deixando Stone sem reação, mais uma merda, eu não devia ter ido aquele lugar, tamanha besteira. Voltei para casa o mais rápido que pude, quando chego Anne indaga.

- Ué, mas você já voltou? Como foi lá? Se reconciliou com Jerry?

- Não, eu estraguei tudo.

Deitei na minha espécie de cama e passei a noite toda em claro. Acordei no sábado com o telefone tocando, havia uma voz atrapalhada do outro lado da linha.

- Alô?

- Alô, quem está falando? Respondo.

- Aqui sou eu, Jerry, eu queria saber o porquê você beijou aquele cara lá, o Stone Gossard, você tá saindo com ele né? Eu espero não ter atrapalhado a linda relação de vocês, não vou fazer mais.

Ele estava totalmente bêbado, tropeçava nas palavras e arrastava as frases, eu não sabia o que responder, eu tinha tanta coisa pra dizer, mas aquilo me deixou sem reação. Ele bate o telefone no gancho e a chamada cai, mas eu continuo com o fone na orelha, paralisada, sem saber o que fazer.
A tarde, decidi ir falar com Susan, ela era mais velha e muito mais experiente que eu, precisava de conselhos. Quando chego em sua casa, Susan me olha com uma cara de quem já me esperava ali e sabia exatamente o que eu tinha ido fazer.

- Que bom que veio, eu preciso falar contigo. Jerry não está bem, definitivamente não está, ninguém nunca viu ele assim antes, ontem ele bebeu e ficou louco, bebeu a madrugada inteira e de manhã também. Ele me ligou a pouco e disse que ligou pra você, eu imagino que não deve ter sido nada legal, nem pra você e nem pra ele. Eu sinceramente não sei o que vocês estão querendo um do outro, mas a julgar pelo acontecido, pelo tanto que ele tem falado sem parar de você e pelo estado mental do meu amigo, ele deve estar apaixonado por você, mas acredito que ele nunca vai te dizer isso. Mas você precisa me contar, o que você sente por ele?

- Sinceramente Susan, eu não sei.

Mas eu sabia exatamente o que sentia, eu havia levado ele ao mais íntimo de mim mesma, me sentia conectada a ele de alguma forma, mas também não sabia explicar isso.

- Pós você precisa se decidir, por que se você sentir o que ele sente, acho que já está na hora de vocês trocarem isso, de verdade.

Susan tinha razão, eu estava sendo muito infantil em não compartilhar aquilo com ele. Eu iria contar e ia ser hoje. Susan liga para ele e diz que queria se encontrar com ele no The Crocodile as 20:00, mas na realidade, quem estaria lá, era eu, estava cansada desse vai e vem, dessa bagunça que havia se tornado e eu queria resolver, apenas eu e Susan sabíamos disso e queríamos que continuasse assim.


Notas Finais


Ai ai, mas eu sinto cheiro de Confusion..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...