História No forgiveness - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor
Tags Karadanvers, Lenaluthor, Supercorp, Supergirl
Visualizações 31
Palavras 1.525
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Relevem qualquer erro ortográfico, tentei corrigir ao máximo, mais é muito difícil conferir isso dentro do ônibus em movimento.
Leiam e se gostarem da história eu vou continuar caso contrário a gente finge que nunca existiu.

Capítulo 1 - A verdade dói


Fanfic / Fanfiction No forgiveness - Capítulo 1 - A verdade dói

Pov' Lena Luthor 

 

Todos que eu conheci me traíram, mentiram e me magoaram de alguma forma. Criei essa tecnologia para que todas as pessoas soubessem que não se deve confiar em ninguém, além de si mesmo. As mortes que aconteceram e que estão acontecendo me tornam uma pessoa má? Talvez. Acredito que finalmente assumi o meu lugar de Luthor no mundo e isso que fazemos. Cansei de ser boa o tempo todo e receber em troca apenas dor. 

 

Kara Danvers partiu meu coração, como todos que estiveram na minha vida. E eu dei a ela dor como agradecimento. Só que não foi o suficiente para mim, nunca achei que diria isso mais fazê-la sofrer foi só o começo. É hora de terminar com tudo, destruir a SuperGirl, acabar com toda a sua esperança e por fim mata-lá. 

Pov' Narrador 

 

O caos estava instalado em National City e Kara ainda tentava descobrir quem estava causando isso, com as poucas pessoas que restaram no D.O.E. Sem notícia de Alex à dias. E depois de prender o seu principal suspeito que na verdade não passava de um bode expiatório do plano todo. A heroína já estava perdendo suas esperanças. 

_Ele está pronto para o interrogatório -Um agente avisou. 

_Só um minuto -Supergirl respondeu e pegou seu celular -Vou até lá em dois minutos. 

Quando o homem se afastou, ela discou o número de Alex, que não atendeu. Então resolveu deixar mais um recado. 

_Alex sou eu, pela décima quarta vez. Me desculpa por tudo o que aconteceu, eu perdi a cabeça. O D.O.E precisa de você, eu preciso de você. Por favor me liga de volta. -Kara deu uma pequena pausa, respirou fundo com pesar e disse. - Eu amo você, me diz que não se esqueceu disso? 

Kara desligou e seguiu até a sala de interrogatório. 

_Você vai morrer - ela disse assim que sentou em frente ao homem, que não era mais seu principal suspeito, porém sem dúvida era cúmplice. - Não conseguimos encontrar um antídoto para conter o veneno que corre em suas veias. 

_Acha que eu me importo? - o homem de cabelo pretos e olhos escuros, pergunta em um tom irônico, rindo. -Olhe em volta tudo o que eu fiz, isso tudo foi grandioso. Morro feliz sabendo que acabei com essa cidade e que principalmente destruí você. 

_Sabe o que eu não entendo. Você chegou na cidade a apenas 6 meses. De onde vem esse ódio todo ? Me diz que existe algum vínculo entre nós que estamos deixando passar? Pois vasculhamos sua vida toda e não existe nada, nenhuma ligação, nenhum motivo para tanto ódio. -Kara falou em um tom sério, se segurando o tempo todo para não acabar com ele de uma vez por todas com a sua visão de calor. 

_Não odeio você, querida - ele respondeu olhando fixamente para os olhos da heroína. - Mas a cabeça por trás disso tudo, odeia. Até demais eu diria. O que desde sempre me fez questionar quais são os seus motivos. O que a grande heroína de National City, Supergirl, fez para ser tão odiada? 

_Quem é o cabeça disso? - ela questionou. 

_Vai ter que descobrir sozinha -O homem respondeu. 

_Se você quer a resposta, se quer saber o que foi que eu fiz. Vai ter que me dizer quem está por trás disso tudo. 

_Que hora são? -O homem perguntou, deixando Kara ainda mais irritada. 

_Responda a minha pergunta. - ela gritou, se levantando e amassando um pouco da mesa com a força de seu punho. -Quem é o cabeça? 

_Depois que responder a minha, talvez eu dê a resposta que procura -O homem falou num tom calmo e sombrio. 

_Três horas -Kara falou e ele sorriu. 

_Tudo bem, ela está pronta para você. - ele disse. 

_Ela? -Kara questionou. -O cabeça é uma mulher? 

_Sim, talvez a mais inteligente que eu tive o prazer de conhecer. - Ele respondeu. 

_Eu quero o nome. E quero que me diga como encontrá-la. 

_O nome dela é Lena Luthor, e a essa hora deve estar na L. Corp esperando por você. -Kara ficou ainda mais nervosa, jamais acreditaria que sua amiga seria capaz de tais atos. 

_Mentira - ela gritou. 

_Então a mesmo uma história entre vocês duas- Ele falou sinico. -Se não acredita em mim, veja com os seus próprios olhos. Vá até a L. Corp. 

_Quando eu descobrir que está mentindo, eu vou voltar aqui e fazer com que se arrependa por ter me feito perder tempo -Kara falou e empurrou a mesa que se chocou contra a parede fazendo um barulho ensurdecedor e saiu. 

A caminho da L. Corp, ela só pensava que aquilo não poderia ser verdade. Pois ela não sabia o que faria se realmente fosse. Ao chegar encontrou Lena em seu escritório. A televisão estava ligada no noticiário, que falava sobre o que estava acontecendo na cidade. 

_Lena -Kara falou ao entrar pela enorme janela da sacada. Ainda com os trajes da Supergirl. 

_Supergirl, a que devo a honra de sua visita? -Lena respondeu, dando um falso sorriso de lado. 

_Me fala que não é você que está causando tudo isso -Kara pediu. 

_Eu? Quando foi que me tornei uma suspeita? Ontem a noite mesmo, estava ao seu lado tentando descobrir um meio de parar o que está acontecendo - ela se fez de ofendida. 

_Meu único suspeito envolveu seu nome nisso tudo. E eu sei que existe uma ligação entre vocês dois. -Kara afirmou. 

_E quem te contou isso foi a Kara Danvers? -Lena questionou, arqueando a sombrancelha como sempre faz. 

_A Kara confia em você. 

_E a Supergirl não? -Lena se levantou, andou até o meio de sua sala, pegou o controle da TV e iniciou a exibição de um vídeo. -Isso me surpreende, tendo em vista que vocês duas são a mesma pessoa. 

_Lena eu posso explicar -Kara falou enquanto seus olhos se enchiam d'água. 

_Comece respondendo, por que me traiu? -Lena falou ríspida. 

_Eu não te traí Lena, eu só estava tentando proteger a minha identidade. 

_Você mentiu pra mim, me enganou durante anos. Me usou. Quantas vezes eu precisei provar que não era uma pessoa ruim? Salvei a sua vida Supergirl -Lena falou em um tom de desprezo. - Eu confiei em você, contei meus segredos. Falei sobre a minha família. E foi isso que me deu em troca. Mentiras, encenações. 

_Me perdoa Lena -Kara pediu. 

_Já é muito tarde para isso Kara. E bom, eu confesso. Tudo o que está acontecendo na cidade é minha responsabilidade. Não sabe como foi divertido, fazer com que provasse do próprio veneno, fingir ser a amiga boa enquanto armava tudo. -ela falou e voltou a sentar em sua mesa. 

_Você não seria capaz -Kara falou enquanto as lágrimas desciam pelo seu rosto. 

_Graças a você Kara, eu finalmente assumi o meu lugar de Luthor nesse mundo. A diferença é que eu sou bem mais esperta que o Lex e que a Lilian. 

_As pessoas estão se matando na rua Lena. Por culpa da sua tecnologia. Famílias estão sendo destruídas. 

_Inclusive a sua, não é mesmo? Soube da Alex -Lena disse sorrindo. - Eu adoraria ter visto a cena. 

_Já chega -Kara gritou e foi pra cima da amiga segurando forte seu braço -Você vai parar isso agora ou...

_Ou o que? -Lena questionou. -Vai me matar? Ou me mandar para uma prisão de segurança máxima, como faz com os bandidos mais perigosos? 

Kara soltou a amiga e se afastou. 

_Se me matar não vai ter o que deseja. E se me prender também não. -Lena falou. 

_Então me fala o que você quer? O que quer que faça para que pare com isso? -Kara perguntou olhando profundamente em seus olhos, na tentativa de enxergar a pessoa boa e generosa que Lena sempre foi. -Quer que eu ajoelhe e te peça perdão? 

_Isso seria divertido, mais não me faria esquecer tudo o que fez. -Lena falou abrindo a gaveta da sua mesa, tirando uma arma, aparentemente normal de dentro dela. 

_Então é isso? Quer a minha morte? Acha mesmo que balas podem me machucar ? 

_Balas comuns jamais matariam você. Porém, essas aqui são uma criação minha. Balas de Kriptonita, com uma concentração tão alta que apenas uma já acabaria com você. -Lena explicou. Pegando uma das balas na mão. Fazendo as veias de Kara arderem. 

_Se a minha morte vai saciar a sua vingança. E fazer com que pare o que está fazendo antes que mais pessoas morram. Faça -Kara enxugou as lágrimas e abriu seus braços. Lena pegou a arma e se levantou. - Eu estou pronta para isso. 

_Adeus Kara -Lena disse e levantou a arma até a altura do S no peito de Kara. Sua mão tremia um pouco. Ela finamente estava prestes a conseguir o que queria, porém dentro de si, uma voz gritava "não faça isso". Mesmo tentando controlar suas emoções, não conseguiu. Uma lágrima escorreu pelo seu rosto. 

_Perdão Lena -Kara falou novamente. 

_É tarde demais Kara. -Lena respondeu em um tom baixo, pois o dedo no gatilho e simplesmente puxou. 

 

 

 

Alguns meses antes.... 

 

 

 

 


Notas Finais


Será que Lena teve mesmo coragem de atirar em Kara? Quem é o seu cúmplice? O que fez que causou tanta destruição?

Perguntas que serão respondidas ao longo da história.

Devo continuar????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...