História No futuro... - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Beatles
Visualizações 16
Palavras 1.227
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leituraaaaaa

Capítulo 13 - Lar doce Lar


Alguns minutos antes de entrarmos no avião, alguns paparazzis estavam lá. Obviamente eles tiraram fotos nossas.

Paul: Me copie!

Ele começou a fazer palhaçada e caretas para a câmera. Comecei a rir muito. 

Paul: Vai logo! Não quero passar vergonha sozinha.

Eu: Tudo bem.

Me juntei a ele e logo os paparazzis se aproximaram.

Paparazzi: Para  onde vocês vão?

Paul pensou no que responder. Se contasse, muitas pessoas iam ficar em cima de nós no Brasil.

Paul: Melhor não responder.

Paparazzi: Vocês estão realmente noivos?

Paul: Sim

Paparazzi: Pode nos dizer o nome dela?

Eu: Alice.

Logo um segurança veio nos chamar. Entraríamos no avião, afinal é o Paul McCartney. Entramos na primeira classe. Que chique! Nunca pensei que um dia estaria voando de primeira classe.

Eu: Sempre sinto medi quando viajo de avião. 

Paul: Calma. Vai dar tudo certo! Eu estou aqui com você. Confia em mim?

Beijei ele com vontade. Com estava com saudade desses lábios. Encostei no Paul de ombro e dormi.

Paul: Acorda.  

Eu: Já chegamos?

Paul: Não. Quer algo para comer? Aproveita que a aeromoça tá aqui.

Eu: Quero sim. Eu quero um refrigerante, um salgadinho, um pedaço de bolo e uma água. Ah! E umas balas.

Estava morrendo de fome.

Paul: Tudo bem, Harrison.

Ri um pouco e Paul comprou as coisas. Eu como sempre, não consegui comer tudo. Maldito olho gordo. Paul comeu para mim. Pois não iríamos desperdiçar comida.

Paul: Agora, eu vou dormir.

Encostou-se em mim e dormiu. Peguei um livro que havia na cadeira. Quando percebi, já estávamos pousando.

Eu: Paul, acorde! Querido.

Paul: Chegamos?

Eu: Sim. 

Paul: Que bom. Falei que ia dar tudo certo!

Eu: Sim.

Estava eufórica. Faz tempo que não venho ao Brasil. Não é o mesmo Brasil mas é meu país. 

Paul: Você gosta daqui né? Está toda animada. 

Eu: Sinto tanta saudade. É tão bom estar aqui.

Saímos do avião e eu dava pulinhos de tão animada que eu estava. Pousamos no Rio de Janeiro. Sou do interior de São Paulo. Mas conheço Rio tão bem quanto.

Paul: Agora precisamos encontrar um hotel 

Fui a recepção e perguntei se havia algum hotel por perto. Ela disse que havia o Plaza. Paul não entendia nada. Apenas ria da cara dele.

Eu: Tem um hotel aqui perto. Vamos ter que trocar o dinheiro antes. Fomos ao câmbio. Graças a Deus, o atendente sabe falar inglês e assim não tive que traduzir. 

Pegamos o táxi. A cidade mudou muito. 

Paul: Calor!

Eu: Eu tive que me acostumar com o frio da Inglaterra. Agora você vai ter que se acostumar com o calor daqui. 

Paul: É até bom! Vou pegar um bronze.

Chegamos no hotel e algumas pessoas reconheceram o Paul. Pegamos uma suíte. Subimos para o quarto.

Paul: Tô cansadão. Vou deitar um pouco. 

Eu: Eu vou dar uma volta no hotel.

Paul: Ok.

Sai do quarto e comecei a andar pelo hotel. Passei pela recepção e vi duas pessoas que conhecia muito bem. Anna e John.

Eu: Gente! O que fazem aqui?

John: A gente quis vir com vocês!

Eu: Que legal. Agora você e o Paul são loucos.

Eles escolheram uma suíte no mesmo andar que a minha e a do Paul. 

Eu: Vamos passar lá no quarto para ver o Paul. 

Entramos no quarto. Paul estava dormino. 

John: Vou acorda-lo 

Ele subiu em cima da cama e pulou em cima do Paul. 

Paul: Que aconteceu, Ali? John? Anna?

Eu: Eles nos seguiram. 

Paul: Ata!

Anna: Vamos para praia?

Eu: As pessoas vão reconhece-los. Não vamos ficar em paz.

Anna: Eu conheço uma praia deserta. É uma das praias mais bonias que eu já vi.

Anna era do Rio. Por isso conhecia muito mais do que eu. Todos concordaram. Pegamos o táxi e fomos. Paul sempre me perguntava como falar uma palavra ou outra. 

Chegamos na praia mais bonita que eu já vi na vida. E o melhor de tudo é que estava vazia. Havia um barzinho e sentamos numas cadeiras que havia na parte de fora. 

Eu: O que vocês vão querer?

Paul: Uma cerveja bem gelada.

Johnp: O mesmo.

Fiz um sinal para o cara vir anotar os pedidos.

* Falando em português 

Cara: O que vão querer?

Anna: Três cervejas e um refri bem gelados. Que tal pegarmos uma porção de batata frita com queijo?

Eu: Claro!

Cara: Vou levar o pedido para a cozinha. 

* Falando em inglês 

Paul: Odeio não entender o que vocês dizem.

John: Verdade. 

Eu e Anna rimos. 

Eu: Aprendam português então. 

Paul: Vou mesmo. Quanto cobram de gorjeta aqui?

Eu: Não cobram.

John: Graças a Deus! Lá na Inglaterra é um absurdo de cara. 

O cara chegou com as cervejas.

Paul: Finalmente vamos relaxar de toda essa pressão de show.

John: Com certeza. 

Anna começou a falar em português. 

Anna: É estranho estar aqui. É o Brasil mas numa época diferente.

Eu: Pois é. Mas ainda da para sentir o gostinho brasileiro.

Paul e John nos olhavam com curiosidade. 

* Inglês 

John: O que vocês tanto falam?

Anna: Nada demais.

Paul: Agora estou curioso. 

Eu: Falamos que estamos com saudade daqui.

Paul me olhou desconfiado mas aceitou a resposta. Depois de sairmos daquele bar, sentamos na areia. Anna e John foram nadar.

Paul: Vamos para água?

Eu: Paul, não temos roupas. Anna e John trouxeram mas nós não. 

Paul: Na volta a gente compra. Ou pegamos emprestadas deles.

Eu: Tudo bem. 

Paul: Aqui é uma praia deserta. Pode ficar só de roupas intimas.

Eu: Não Paul. E se alguém ver?

Paul: Só se for o John. Mas ele não vai fazer nada. 

Eu: Não sei não. 

Ele se levantou e me pegou no colo. 

Eu: Paul! Me coloca no chão AGORA.

Paul: Não senhora. 

Assim que entramos na água, ele me colocou no chão e eu me molhei toda. 

Eu: Vou te matar Paul!

Ele começou a correr e eu atrás dele. Depois de um tempo, eu cansei e sai da água. Paul veio junto. 

Eu: Graças a você. Eu estou com roupa toda grudad e ensopada.

Paul; Eu sei que você gostou. 

Apenas fiz uma careta. Peguei a minha bolsa, vasculhei dentro e peguei a única blusa que eu trouxe. 

Eu: Tem alguém olhando?

Paul: Não. Por que?

Eu: Vou trocar de blusa.

Paul: Assim você vai fazer meu amiguinho subir.

Eu: Aqui não. 

Paul: Vou cobrar.

Troquei de blusa e Paul me olhava com desejo. 

Eu: Paul, já falei que aqui não..

Paul: Sabe, eu agradeço tanto por ter você. Você me faz tão bem. Eu te amo tanto. Faria qualquer coisa para fazer você feliz.

Eu: Paul, você está gastando uma fortuna com essa viagem e o casamento. Que tal eu pagar a viagem? 

Paul: De jeito nenhm. 

Eu: Deixa de ser cabeça dura. 

Paul: Você não tem que se preocupar com isso. 

Eu: Eu vou pagar sim. Não vou ficar te extorquindo. 

Paul: Eu vou pagar.

Eu: Ou eu pago ou eu volto para Inglaterra sem você. 

Paul: Não vai não. 

Eu: Então deixe-me pagar!

Paul: Também não. 

Eu: Então vou embora. 

Paul: Não me deixe. Eu deixo você pagar o hotel.

Eu: Agora estamos nos entendendo. Já é um começo. 

Paul: Agora, deita aqui comigo. Você é muito teimosa.

Eu: Eu sei. 

Deitei ao seu lad e aproveitamos o resto da tarde até os outros dois nos chamarem.

 


Notas Finais


Sei que ficou cru. Mas vai melhorar. It's getting better all the time.
Beijos da oculta @


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...