História No futuro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, BLANC7, EXO, HyunA, TWICE
Personagens Baekhyun, Chaeyoung, Chanyeol, Chen, D.L, D.O, Dahyun, HyunA, Jean Paul, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jihyo, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Jungyeon, Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), K-Kid, Kris Wu, Lay, Lisa, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Mina, Momo, Nayeon, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Sana, Sehun, Shinwoo, Spax, Suho, Taichi, Tao, Teno, Tzuyu, Xiumin
Tags Namjin Yoonseok, Outros, Vkookmin
Visualizações 71
Palavras 1.289
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey pandinhas, como vao?

Espero que gostem da historia.

Quis fazer algo diferente e espero q gostem mesmo!

Capítulo 1 - Um bolo de chocolate


Capítulo 1

Jimin acordou animado naquela manhã, era véspera de Natal e quem é que fica triste na véspera de Natal? Se arrumou e correu para casa do amigo onde se encontraria com todos os outros amigos; quando chegou, subiu correndo as escadas e ouviu algumas risadas com seu nome no meio delas, parou então atrás de uma pilastra e passou a ouvir a conversa.

“Ele é muito metido e arrogante, com aquele ar de quem tem tudo”

“Eu tenho nojo dele!”

“Só fico com ele pra ter cola”

“Lembra quando ele gostava do Jungkook?”

“Sim! Nós o pegamos chorando feito um neném pelo Jungkook”

Chegou um pouco mais perto da porta, para tentar ouvir melhor o que as vozes diziam; ouvia risadas altas entre a conversa.

“A Jihyo de tão ‘amiga’ fez uma carta e assinou em nome de Jimin, depois colocou na mochila do Jeon!”

“Aquilo foi hilário, até hoje ele nem sabe que fui eu!”

“O Jeon acabou com ele, dizendo ‘eu nunca vou olhar pra você, garoto’ ”

“Eu adorei aquilo! Ver o ‘viadinho’ correr chorando foi uma cena hilária”

“Ele é um otário, que nojo desse cara”

“Se lembra quando eu coloquei o celular do Jin na mochila dele?”

“Foi engraçado ver o "Jin hyung" dele, todo bravo e desmanchando a amizade”

“Park Jimin é um otário mesmo!”

Mais risos ecoaram pelo quarto e, Jimin sentiu lágrimas molharem seu rosto. Logo a raiva tomou conta de seu corpo e, ele abriu a porta ferozmente, entrando no quarto e imediatamente sendo encarado por todos os presentes.

— Jimin... — Jihyo tentou dizer algo, mas Jimin a interrompeu.

— Cala a boca, vadia! —Ele olhou para Jackson — Quer dizer que sou um arrogante, metido com ar de quem tem tudo?

— Chimchim... — Jisoo o chamou, mas o mesmo a encarou irritado, fazendo ela se calar.

— Você, Jackson, sabe que nunca fui assim. Além de falso você é mentiroso — Jimin encarou Jisoo — Você sabia que o Jin hyung era o meu melhor amigo e me afastou dele, eu tenho nojo de você!

— Jimin, a gente não falou por mal, a gente.... — Jihyo é interrompida.

— Você é a pior de todos! Você sabia que eu gostava do Jungkook e fez aquilo comigo. Tem ideia do quanto aquilo doeu? — Jihyo abriu a boca, mas Jimin não deixou que dissesse nada.

— Cale-se! — Olhou para Bambam — Eu esperava mais de você, Bambam...

— Jiminie...— Jisoo tentou abraça-lo, mas o mesmo a empurrou.

— Tire meu nome da sua boca! Da boca de todos vocês! Eu odeio vocês! Seus merdas desgraçados!

Jimin saiu do quarto, caminhando a passos duros, ainda podendo ouvir as risadas debochadas. Então era assim que começaria a sua véspera? Com os amigos, nos quais tanto confiou, lhe apunhalando pelas costas. Nunca imaginaria, que por causa de Jihyo iria escutar aquelas palavras de Jungkook e, que por causa de Jisoo tinha perdido o melhor amigo, que Jackson espalhava mentiras sobre si e que Bambam, em quem mais confiava, havia o abandonado. Apenas pegou sua moto e foi para casa; ao chegar lá, cabisbaixo e triste, deparou-se com sua mãe conversando com seu pai, estranhou ver a mulher ali, depois de tanto tempo sem ela.

— Mãe? — Encarou-a, dando um pequeno sorriso, mas a mãe nem o olhou.

— Jimin, sua mãe veio te buscar — O pai disse, friamente.

— Vamos sair? — Sorriu animado, pensando que pelo menos algo de bom iria lhe distrair.

— Não, ela vai te levar para a Rússia, você vai morar com ela. — Respondeu o pai.

Ou não, pensou Jimin.

— O que? Eu não quero morar na Rússia! — Gritou.

— Jimin, eu não posso viver com você aqui, meus sócios não aprovam um filho "gay" e eu também não — Ela disse.

— O que? Quem te contou isso? Foi a Jihyo, não foi? — Sentiu as lágrimas molharem seu rosto.

— Ela me mandou fotos suas beijando garotos. Me diga que são fotos falsas... – O pai foi quem respondeu.

Jimin até pensou em mentir, mas tomou coragem para dizer a verdade.

— Não pai, eu sou gay! Eu beijei aqueles garotos —Disse firme.

— Você não me deixa escolha — Um suspiro escapou dos lábios do mais velho — Você viaja amanhã, Jimin.

— O que? Eu não quero ir pra Rússia!

— Você não tem que querer nada — Foi a vez da mãe falar — Lá temos um projeto que vai te ajudar a se curar dessa "coisa".

Jimin não pôde acreditar no que estava ouvindo. Em apenas um momento, descobriu que as pessoas não o amavam, todas fingiam, inclusive sua família tinha lhe magoado, estava odiando a véspera de Natal.

— Vocês não querem o filho de vocês por ele ser gay? Ótimo. Eu não quero vocês por serem meus pais!

Saiu de casa ainda escutando os gritos de sua mãe, pedindo para que voltasse. Montou em sua moto e foi para o único lugar onde teria sossego. Adentrou o café, se sentando na mesa mais afastada possível das outras pessoas.

Estava tudo destruído, pensou. Sua véspera era para ser maravilhosa, mas não contava que seria tão desastrosa, que descobriria a falsidade de seus amigos e que seus pais seriam tão frios quando descobrissem sua sexualidade. De certa forma foi bom, descobrir a falsidade de seus "amigos", imagine se vivesse mais tempo com eles? Mas por outro lado, agora estava sozinho, sem ninguém para dividir sua tristeza.

Já eram umas 23h45, Jimin já tinha tomado umas 23 xícaras de café, a cafeteria estava cheia, toda enfeitada e as pessoas cantavam e dançavam felizes. Avistou a pessoa que enchia seu coração de alegria só com um sorriso, Jungkook, que entrava pela porta. Porém, revirou os olhos quando avistou Taehyung logo atrás, como o odiava! O namorado de Jungkook, que o deixava sempre triste e enciumado. Sentiu uma lágrima escorrendo pelos olhos, enquanto concluía, que tinha mesmo uma vida inútil.

— Com licença meu jovem — Uma senhora, faxineira da cafeteria, sentou à frente de Jimin.

— Toda — Disse sem olha-la.

— Meu jovem, você não tem nenhuma companhia para essa noite? — Indagou a senhora.

— Não, todos os que eu amava me deixaram — Disse, fitando a caneca de café como se fosse a coisa mais incrível que já vira.

— Te deixaram? Por quê? — Perguntou.

— Não me amam, eu suponho — Riu sem humor — Olha, eu nem sei porque estou te contando isso

— Porque deve querer alguém para conversar — Ela sorriu — E se eu te disser, que sua vida pode ser melhor?

Jimin levantou a cabeça para encara-la e soltou uma risadinha.

— Não tem como, minha vida está destruída — Olhou de relance para o relógio que marcava 23h58.

— Se está destruída, basta concertar — Sorriu.

— Eu não tenho nada para concertar, eu não fiz nada de errado — Disse.

— Não querido, você não fez — Ela sorriu de novo — Olhe, falta apenas um minuto para o Natal!

— É — Ele abaixou a cabeça novamente.

— Eu tenho que voltar ao trabalho, tome querido, cortesia da casa — Ela lhe entregou uma fatia de bolo, de chocolate com pedaços de coco.

— Obrigado — Jimin agradeceu e a mulher sorriu, logo voltando para seus afazeres.

Olhou para o bolo à sua frente e pegou uma colher para comer, afinal, que mal um bolo poderia fazer? O Park comeu um pedaço e sorriu pelo gosto muito bom. Logo sentiu um cansaço e seus olhos foram se fechando, enquanto escutava um ‘Feliz Natal’, das pessoas presentes ali e então, tudo escureceu.


Notas Finais


O capítulo foi betado por @noveluas

Dêem uma olhada no perfil dela, ela é uma escritora incrível!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...