1. Spirit Fanfics >
  2. No Limite do Amor >
  3. Capítulo 08: Tarde, parte 02.

História No Limite do Amor - Capítulo 8


Escrita por: Kaneki482412

Notas do Autor


Ficou meio confuso porque faz meio rápido, desculpa, mas espero que aproveitem, qualquer dúvida me perguntem.

Capítulo 8 - Capítulo 08: Tarde, parte 02.


Fanfic / Fanfiction No Limite do Amor - Capítulo 8 - Capítulo 08: Tarde, parte 02.

                  Ian

     Me sentia boiando em uma piscina, sem peso, sem sentidos, estava tão tranquilo, não precisava pensar em nada, apenas relaxar. 

     - Vai relaxar até quando? - Uma voz distante pergunta meio abafada. 

    Abri os olhos tentando uma visão turva do céu azul com nuvens de branco puro.

     Levantei a mão para céu inconsciente. 

     "Tão lindo", pensei e tentei falar mas antes do som sair algo entrou.

    Água desceu por minha garganta e eu me desesperei na hora, comecei a me debater, estava sufocando! Tenho que nadar tenho que sair daqui! 

     - Está fazendo o que idiota? - Voz ressou novamente e em seguida fui puxado bruscamente para cima. 

    A mudança repentina me deixou tonto, mal consegui ficar de pé, mas acho que talvez isso tenha a ver com o chão que estava entre sólido e líquido, era como se eu fosse afundar a qualquer momento.

       Olhei desesperado para os lados. 

       Água e mais água para todos os lados, azul cristalina, nos limites do que eu conseguia ver avia uma linha esverdeada distante, muito longe para ver direito, mas pude presumir que eram árvores. 

     - Vai ficar com cara de paisagem até quando? 

     Pulei de susto com a voz que vinha de trás de mim. 

    Olhei para trás e vi uma figura do meu tamanho usando algo semelhante a uma túnica longa de cor azul que vai ficando mais clara e branca conforme chega a suas bordas, o tecido se arrasta pela superfície d'água de forma natural, se não prestar muito atenção facilmente pensaria que a roupa na verdade se dissolvia em água. 

    A vestimenta cobre a maior parte do corpo da pessoa, parecia leve e confortável, e me lembrava uma espuma do mar. 

    Qualquer mísero movimento se refletia na roupa esvoasaante, suas dobras flutavam livres do ar dando a impressão que não obdeciam a gravidade. 

    A única parte visível do ser era sua cabeça.

    Seus cabelos pareciam os meus mas estavam mais longos, ondulados e um diadema branco disputava espaço com eles em sua testa. 

    Seu rosto era como me olhar no espelho, exceto abaixo dos olhos onde avia uma sombra azul com pontos brilhantes. 

    Tinha três brincos em cada orelha, um deles se repitia dos dois lados, eram linhas delicadas de prata que tinham a forma de uma onda e envolviam no alto das orelhas, mas os outros dois brincos eram diferentes, na direita eram duas jóias, uma safira em forma de um prisma com 4 pontas e outra translúcida, com forma de uma gota de chuva, na outra orelha eram duas estrelas gêmeas de cristal negro que se conectavam por duas correntes prata de tamanhos diferentes, uma curta e outra tão longa que chegava a quase o ombro. 

     Ele sorriu sínico ao me ver, notei um leve batom em seus lábios que assentuava a cor vermelha dos lábios. 

      - Você podia ser assim se não fosse tão careta. - Ele comenta risonho dando uma volta lenta e teatral ao meu redor, a calda de sua roupa se arrastava na água, enquanto ele me julgava com um olhar sério, seus olhos brilhavam muito mais intensamente que os meus, pareciam luz da lua filtrada por um lago límpido.

    Me encolhi, seu julgamento parecia pinicar em minha pele, minhas roupas ficaram repentinamente desconfortáveis, talvez devesse mesmo ter trocado de roupa.

     Olhei para baixo com vergonha mas logo o sentimento foi esquecido quando eu vi o "chão" ok mãe eu pisava. 

     Pulei assustado quase caindo vendo a água transparente sobre meus pés, meus passos faziam o líquido anular mas ainda não dava sinais de afundar. 

    - Tome cuidado. - A entidade misteriosa alertou enquanto terminava de me analisar. - Se fuçar com medo pode acabar afundando nesse lago.

     Engoli seco com a afirmação me imaginando sendo puxado para as profundezas de escuro azulado do corpo d'água.

    - Não temos muito tempo aqui. -. Figura chamou minha atenção.

     Sua mão direita pareceu se materializar de dentro da túnica, sem pressa aponto o dedo indicador para mim, avia três anéis de prata em sua mão, um no dedo do meio, um no polegar e outro no mindinho, conectados entre eles por correntes finas, duas pulseiras soltas de cor cinza chacoalharam e bateram uma contra a outra em seu pulso. 

     - Vamos logo, não perca tempo. 

    Não me deu tempo de falar antes de estralar os dedos, em resposta o lago se agitou.

    As ondulações começaram lentas e calmas para logo virar uma montanha russa, o movimento d'água fez nós movermos sobre o lago, por algum motivo não perdi o equilíbrio em momento algum, fiquei tonto mas nada além disso. 

    Em certo momento perdi o outro ser de vista, depois uma névoa tornou minha visão esbranquiçada. 

     Então o clima calmo do lago sumiu. 

     A nevoa ficou vermelha e o ar ácido e seco, quando respirava doía e minha boca ficava com o gosto metálico. 

    Mesmo assim comecei a andar, não sabia porque eu caminhava ou para onde estava ainda mas era como uma linha guia estivesse me puxando. 

       Isso foi até a nevoa se dispersar. 

     Só avia terra árida, grama amarela e morta, tão seca e quebradiça que o vento podia esfarelar. 

    Em contra parte o céu estava carmesim como o crepúsculo, mas eu mal o via por entre as nuvens negras e densas, corpos esqueléticos de árvores retorcidas de jeitos estranhos estavam ao redor do local, seus galhos espinhosos ao mesmo tempo que pareciam doentes e fortes como pedra.

    Era difícil saber onde uma árvore começa e outra termina, pois seus ganhos se entrelaçaram com os outros formando uma cerca circular aí redor do local, não precisei chegar perto ou sequer tocar na madeira cinza morta para saber que era inquebrável e intransponível, aquele lugar era uma prisão.

    Bem no meio da paisagem estéril avia algo fora do padrão, uma mancha de vermelho escuro como sangue seco, era bem grande e parecia lama, mas não me importei com isso, eu corri para lá no instante que vi uma pessoa no meio da lama. 

     Corri sem me importar com a terra gosmenta e úmida grudando em minhas pernas, não me deixei desacelerar até alcançar a pessoa, não avia visto o rosto da pessoa que estava deitado semi enterrada na lama, mas acho que no fundo já sabia quem era. 

     - Eric! Ei! Eric acorda! - Disse desesperado o virando e tentando tirar da lama. 

    Ele estava com a pele acinzentada e fria, não sabia se sequer respirava. 

   - Não Fassa tanto escândalo. - A voz da entidade igual e mim ressou no ambiente olhei em sua direção querendo pedir ajuda mas paralisei.

    No lugar de uma pessoa tinha um lobo cinza e branco com olhos azuis, avia algumas tranças em seu pelo com jóias entre elas, os mesmos 6 brincos que a pessoa tinha se repetiam nas orelhas do lobo, em casa pata dianteira tinha duas pulseiras e nas de trás uma para cada.

    - Me ajuda por favor. - Implorei desesperado e vi a fera só negar com a cabeça em seguida se desfez em vapor e se refez na pessoa misteriosa de antes, não, agora já estava óbvio quem era, meu ômega interior.

     - Ele está... O mais próximo de bem possível para a situação. - O ser comentou mas não olhava bem Lara mim ou para o Eric ele encarava algo atrás de nós. 

     Uma lufada de vento veio de trás de mim balançando meus cabelos. 

     Olhei hesitante para trás e vi outra besta alí..

     Um lobo gigante estava deitado atrás de mim, como eu não vi antes? 

   Ele dormia mas parecia estar prestes acordar a qualquer momento. 

    O pelo dele era vermelha escuro e preto, boa parte do pelo estava sujo, manchado e grudado com sangue que saía dos ferimentos que estavam distribuídos por seu corpo. 

    O animal estava preso por grilhões de ferro pesado negro, tinha uma em cada pata e uma na garganta, as correntes grossas que saiam dos mesmos estavam quebradas, mas as restrições ainda apertavam seu pescoço e patas. 

     Notei tardiamente que a "lama" que eu estava parecia ser terra misturada ao sangue do lobo. 

    - Esse é...

    - O lobo do Eric, ou como vocês chamam, seu alfa interior. - Meu ômega falou se aproximando do lobo, parecia querer o tocar mas hesitava.

    - Então essa pessoa. - Falei olhando para o "Eric" em meus braços.

    - Assim como você ele é uma imagem mental

    - Então estamos na mente do Eric?

     - Isso seria impossível. - Minha outra metade disse revirando os olhos. - Mas tentar explicar o que é esse lugar é inútil, então vamos dizer que esse é o mundo dos sonhos por falta de palavra melhor. 

    - Como chegamos aqui? 

    - Pulamos. - Ele comentou dando de ombros como se o assustado não fosse importante. 

   - Não pode ser tão simples assim. - Comentei descrente.

    - E não é, mas também não vai durar muito tempo, então resumindo. - Ele levantou a outra mão que não tinha mostrado até agora e eu vi envolta do dedo mindinho uma fumaça vermelha, o circulando e firmando um fio, a ponta se desfazia no ar. 

      - O que...? - Comecei a falar mas vi a fumaça criar um pequena trilha, instintivamente olhei na direção que ia, era o lobo.

    - Isso representa a conexão de um ômega e alfa quando se marcam. - Meu ômega fala olhando o fio com um sorriso pequeno, como se olhasse para uma jóia preciosa. 

    Fiquei confuso tentando juntar as peças e derrepente me senti envergonhado. 

     - Mas nós não... Eu e o Eric... nunca fizemos algo desse tipo. - Falei rubro, oscilava o olhar entre o rosto do Eric e o meu ômega interior. 

     - Obviamente não é uma versão completa, é algo mais temporário. - Ele explicou revirando os olhos, ele é mesmo parte de mim? Não tem nada a ver comigo. - E nem me pergunte de onde veio, eu só sei um pouco mais que você, e sinceramente lógica e explicações são coisas muito cansativas para minha beleza. - Ele falou passando a mão no cabelo e eu só o encarei descrente, definitivamente meu ômega veio com defeito, será que ainda tá no prazo validade pra trocar?

     - Tá não vou perguntar, mas pode me explicar pelo menos o que eu tô fazendo aqui? 

    - Quero que você veja algo. - Ele falou indo até mim, caminhando suavemente sobre a lama. 

    Pegou o me braço sem muito paciência me levantou depois me guiou até o lobo 

    - Não, calma aí, espera! - Falei desesperado tentando me soltar mas o aperto do meu ômega parecia inevitável, quando tentei usar a outra mão para soltar a dele simplesmente atravessou como se ele fosse feito de água.

    - Não seja um neném chorão. - Ele falou pegando minha outra mão e levando a força até a cabeça do lobo.

    Assim que toquei os pelos um choque passa por todo o meu corpo. 

     Derrepente me senti afundando e sendo puxado por uma corrente. 

    Já não era mais eu, via pelos olhos de outra pessoa, me sentia na pele de outro pessoa. 

    Senti uma espiral de ódio, raiva e desejo de sangue interminável. 

    - Me solta! - Gritei me debatendo contra o meu ômega, imagens começaram a aparecer em minha mente, pessoas sendo sufocadas, cortadas, dilaceradas, arremessadas e destruídas de todas as maneiras possíveis. - Não quero isso, não quero ver isso. 

     - Só um pouco mais, aguente só mais um pouco. - Meu ômega falou forçando maus minha mão contra o pelo da besta. 

    Novas imagens apareceram em minha mente.

    Pessoas me cortando, me segurando, dor e desespero. 

    - Isso dói demais chega! - Gritei novamente implorando para meu omega, fechei bem os meus olhos segurando as lágrimas prestes a cair. 

    Então tudo sumiu, e só restou uma solidão, a escuridão e um choro, um vazio completo. 

    Abri novamente os olhos e vi que o lobo sumiu e no lugar ficou apenas uma outra versão do Eric. 

     Seu cabelo era bem mais longo e desarrumado, usava apenas roupas do hospital totalmente esfarrapadas, os grilhões ainda estavam presentes nele, assim como a sua pele estava repleta de cicatrizes e ferimentos, de todos os tipos, tamanhos, profundidades e diferentes estágios de cicatrização.

    - O que foi... isso? 

    - Isso é o que o alfa do Eric tomou dele. 

     Olhei supreso para minha personalidade interna. 

     - É tudo aquilo que ele pegou da personalidade externa, ou melhor, do seu Eric, ou você pensa que o Eric seria tão alegre e feliz como ele é tendo todos aqueles traumas? Você acha que ele não sente um desejo constante de vingança? A vontade de quebrar tudo, de descontar a raiva?  - Ele falou se aproximando do alfa do Eric e olhando com dó.

   - Ele pegou tudo isso do Eric. - Falei com a fixa finalmente caindo. - Pegou para ele não ter que sentir aquilo. 

    - Infelizmente não tudo, mas toda vez que o Eric começava a se perder ele assumiu seu lugar, em algum momento, ele perdeu o controle imerso em tantas camadas de ressentimento. 

    Olhei para o Eric depois para o seu alfa, olhando atentamente o sangue das feridas não estava descendo, ele estava subindo, sendo puxado da lama. 

     Não era sangue do lobo, era sangue do Eric é por isso que ele estava preso na lama, ele estava afundando nos seus próprios sentimentos, e o seu lobo tentava o ajudar sugando tudo de ruim que o prendia. 

    Algo segurou meu braço, assustado olhei na direção e vi o alfa adormecido abrir os olhos vermelhos. 

    Depois disso o mundo derreteu e eu caí na escuridão. 


     Recuperei a visão lentamente, no começo estava tudo embaçado mas depois clareou e eu dei de cara com Eric. 

    Oi melhor ele deu de cara comigo que estava encima dele. 

    - Ômega levado, quer tirar proveito de mim? - Ele falou sorrindo travesso, seus olhos vermelhos e a voz um tom mais rouco denunciava que na verdade era seu alfa. 

    Tentei responder, tentei me mexer mas não consegui. 

    - Sim, quero muito. - Falei, mas não era eu, percebi tardiamente que era meu ômega no comando. 

   Ei! O que tu tá fazendo? Falei para o meu ômega em minha mente e o mesmo riu, "Deixa eu me divertir um pouquinho, te fiz o favor de mostrar algo útil" respondeu e ignorou minhas outras reclamações.

    - Você é um ratinho safado sabia? - O alfa comentou e eu vi um pouco de ódio em seu olhar. - Viu o que não devia. - Ele comenta raivoso mas o meu ômega apenas sorriu e deu um beijo em sua testa franzida. 

    Notei que ele também liberava aroma mais livremente. 

    - Desculpa, mas você realmente quer falar disso? - Disso sorrindo e colocando a mão no peito do alfa. 

    - Não ache que vai se safar dessa sem nenhuma punição. - O alfa falou, mas sem nenhum tom de raiva, na verdade parece que seu ódio se dissipou. 

    - Então o quer para me perdoar? 

    - Tenho algo em mente . - O alfa falou se aproximando do meu pescoço e eu, ou melhor, meu ômega sorriu dando espaço para ele. 

    Mas foi só quando vi de relance as presas do alfa que a fixa caiu. 

    Não, não, isso definitivamente não! "Qualé? Não é nada demais, sem falar que você também não fica exitado com a ideia de ser marcado pelo gostosão alí? E não minta, eu vi seus sonhos" meu lobo responde com as presas do alfa já encostando de leve em meu pescoço, mesmo com o tecido fino da camisa pude sentir as pontas.

     Então quando estava prestes a ter a pele perfurada a porta se abriu em um estrondo " Merda, é sempre na melhor parte!" Meu ômega reclamou insatisfeito. 

     Enquanto Eric em um movimento rápido me abraçou e se colocou em posição defensiva comigo em seu peito e encarando as figuras que entravam no quarto. 

    - Ian! - A voz do meu tio gritou chamando meu nome. - Pode me explicar isso!? - Questionou enfurecido, "Desculpa aí cara mas agora é contigo", claro, bem quando tudo da merda esse desgraçado me dá o controle de volta! 

     Encarei meu tio envergonhado, um alfa furioso me abraçava e rosnava para ele e os seguranças, e meu tio olhava para mim tão furioso quanto o alfa. 

     - Eu posso explicar. - Falei envergonhado e desesperado, sabia que ia dar merda. 

                 ~Fim do Capítulo~

                     ~Continua~


Notas Finais


Espero que tenham gostado, e desculpem os erros.

Também quero informar que tenho uma conta do wattpad, mas lá eu vou postar histórias diferentes das daqui, pelo menos por enquanto https://www.wattpad.com/story/316362505?utm_source=android&utm_medium=link&utm_content=story_info&wp_page=story_details_button&wp_uname=Kaneki_L&wp_originator=AhtSNP9DDsj7vveEj7m7MFL%2BX%2BD04c51Ll4BKK%2Bn%2FxKjuZ7mwFXKudQNJuKu1Nj7y59GbYofVKukg6PiAtrL5AatnN3x6FfAG%2F9jbfIqrHU3LKhorqEB4Hs%2FaW1eLGh0 esse é o link da única história que tem por lá por enquanto, caso quiserem dar uma olhada.

Já aviso, é uma história experimental, totalmente diferente das que eu escrevo aqui, e as daqui são prioridade, lá só escrevo nas horas vagas, resumindo, aqui são histórias de atualização semanal, lá de atualização mensal.

De qualquer forma, obrigado por ler, até mais, bjs 😘💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...