1. Spirit Fanfics >
  2. No Limite- Valgrace >
  3. Capítulo 11

História No Limite- Valgrace - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal, como estão?
A história termina aqui :(
Amei muito escrever esse capítulo, espero que gostem!!

Capítulo 11 - Capítulo 11


Capítulo 11

Poucas coisas são tão boas quanto chegar em casa. Tudo bem que Jason não estava necessariamente na sua casa e sim no quarto de Leo no dormitório da faculdade. Mas ele estava aos beijos com seu namorado então ele estava sim em casa. Leo abriu a porta do quarto com dificuldades pois Jason já começava a maltratar a pele do seu pescoço e passava as mãos por debaixo da camisa social que ele vestia.

-Quem ta animado hoje é você, loirinho. - Leo sorriu em meio a mais um beijo e finalmente conseguiu abrir a porta. Se jogaram na cama e em menos de alguns minutos Jason já havia despido o namorado que se encontrava apenas de cueca abaixo de si.

Não demorou muito para que a cueca também saísse e Jason começasse a chupar o namorado do jeito que ele amava. Na verdade, Leo ensinou muito para ele sobre boquete já que Jason costumava ser um leigo no assunto. E Jason estava tão orgulhoso da sua melhora que não perdia uma oportunidade de colocar a boca no namorado. As vezes ele pensava que tinha mais prazer fazendo oral do que recebendo.

-Cacete, Jay, sua boca é tão gostosa… - Leo dizia em meio a arfadas.

Jason sorriu um pouco antes de colocar o pênis de Leo inteiro na boca, fechando um pouco a garganta para não engasgar. Leo arqueou as costas de leve e enroscou a mão nos cabelos loiros do namorado. Jason movimentou o rosto, para frente e para trás, tirando e colocando o pau do moreno da boca. Estocava até o fundo e se deliciava ao sentir as pernas do namorado trêmulas.

Não demorou muito para que Leo tomasse conta da situação, já que ele odiava ficar passivo por muito tempo. Não se importava de ser passivo, mas até nessas situações ele gostava de ter o controle. Jason sentiu uma fisgada no seu membro ao pensar na ideia de penetrar Leo, mas percebeu que de novo esse não era o plano do namorado. Leo inverteu a posição, ficando por cima de Jason e começou a tirar suas roupas. Leo o deixou apenas de cueca e Jason riu do brilho divertido que tinha no olhar do namorado.

-O que foi? - Leo perguntou quando ouviu a risada.

-Você não vai deixar eu me vingar hoje ne?

Leo sorriu de forma totalmente maliciosa.

-Temos a noite toda para você se vingar, mas eu to muito afim de ver você quicando em mim, loirinho.

Jason deu risada novamente e retirou a própria cueca, abrindo mais as pernas e encaixando o corpo de Leo entre elas. Arfaram baixinho quando os membros se chocaram e começaram um beijo tão bom quanto todos os outros que trocavam diariamente.

-Lubrificante… - Jason sussurrou baixinho enquanto Leo chupava um dos seus mamilos. Leo entendeu o recado e esticou a mão até o criado mudo tirando de lá o tubo de lubrificante. - Senta.

Leo se afastou do corpo do namorado e sentou na cama, apoiando as costas na parede. Logo Jason estava espalhando o lubrificante no pênis de Leo, que olhava para ele com uma cara de safado que deixava Jason com ainda mais tesão. O loiro se aproximou e mordeu o lábio inferior de Leo, puxando de leve.

-Você é tão gostoso. - Jason disse e Leo sorriu mais ainda. O loiro encaixou o pênis de Leo na sua entrada, ansioso em sentir toda aquela extensão dentro de si.

-Não quer que eu te prepare? - Leo perguntou. Ele sempre perguntava, mas fazia um tempo que Jason dispensava preparação.

Jason não respondeu, apenas foi sentando devagar no pênis do namorado. Quando colocou tudo, os dois soltaram a respiração. Leo fechou os olhos e jogou a cabeça um pouco para trás.

-Você é tão gostoso e apertado. - Leo disse enquanto buscava pelo pênis de Jason a fim de masturbá-lo.

Jason deu risada.

-Acho que depois de ontem eu não sou mais tão apertado assim.

-Você continua uma delícia. - Leo assegurou, deu um beijo na bochecha do namorado e seguiu beijando seu pescoço.- Rebola pra mim.

Jason se segurou nos ombros do namorado e começou a subir e descer, sentindo toda a extensão de Leo em seu interior. Era bom, muito, muito bom. Leo já arfava baixinho e segurava com força a cintura do namorado. O loiro amava aquela situação, amava a forma como seu corpo respondia à qualquer estímulo de Leo, desde beijos castos em seu pescoço até um aperto mais ousado em sua bunda.

O moreno seguiu com a mão até as nádegas de Jason, abrindo-as para facilitar a entrada do membro. Jason estremeceu de leve ao sentir o pênis do namorado indo cada vez mais fundo dentro de si e continuou a sentar com ritmo. Subia e descia, subia e descia… aquilo era tão bom. Vez ou outra Leo abaixava o olhar, vendo seu próprio pênis fudendo a bunda branca do namorado. Jason sabia que o garoto gostava da visão e sorriu ao perceber que Leo mordia os lábios tentando segurar seus gemidos.

-Sabe o que eu acho? - Jason sussurrou perto da boca do namorado, soltando os lábios do namorado de seus próprios dentes e permitindo que gemidos mais altos saíssem (infelizmente as paredes dos dormitórios eram finas, mas Jason não estava ligando para isso). Leo meneou com a cabeça, sem forças para responder em voz alta, enquanto Jason quicava mais rápido em seu membro. Jason teve que segurar um gemido particularmente alto e respondeu em meio a arfadas. - Que você é um preguiçoso.

Leo deu risada e apertou com mais força a cintura do namorado. Ele jogou o corpo de Jason para trás e, segurando pela cintura, fez o loiro deitar de barriga para baixo na cama. Jason sorriu, sabendo o que Leo ia fazer.

-Vamos ver quem é o preguiçoso. Você não vai conseguir andar amanhã, Jay Jay. - Leo sussurrou perto do ouvido do namorado. Abriu a bunda de Jason com as mãos e penetrou fundo de novo. Jason apertou mais a fronha do travesseiro.

Leo começou a meter com mais força e agilidade e a cama fazia uma pressão gostosa no pênis de Jason. Leo soltou uma das nádegas do loiro e Jason sabia que ele estava colocando na própria boca, a fim de abafar os gemidos. Jason fez questão de deixar que alguns gemidos manhosos escapassem da própria boca pois sabia que Leo gostava. Na verdade eles sabiam tanta coisa um do outro e do corpo do outro que poderiam fazer o outro gozar em poucos minutos. Mas ai não teria tanta graça. Não quando Jason podia sentir a extensão dura de Leo entrando e saindo dele por mais tempo. Ah, como ele amava essa sensação.

Leo estocava com ritmo e força, a cama estava rangendo e vez ou outra a cabeceira batia na parede. Jason sabia que o quarto ao lado devia estar ouvindo tudo, mas não estava se importando. Não quando tinha coisas mais importantes para se importar, como a mão de Leo em sua bunda e seu membro quente fudendo firme seu ânus.

No começo do relacionamento Jason tinha ficado com medo de ser o passivo, sabia que devia doer e muito. E ainda carregava um pouco de preconceitos sobre o tema. Até sentir Leo penetrando ele de forma carinhosa e delicada. Foi o suficiente para que o loiro soubesse que poderia fazer aquilo pelo resto de suas vidas. Vez ou outra eles trocavam as posições, mas estava claro qual era a preferência dos dois. Principalmente depois que Jason perdeu qualquer vergonha que tinha com o namorado e pedia baixinho no meio de um amasso para ser fodido de quatro. Adorava quando via os pelos de Leo se arrepiarem com a frase e adorava mais ainda quando o namorado acatava seu pedido como se sua vida dependesse disso.

Como naquele momento. Jason não tinha mais controle sobre seu corpo, estava totalmente entregue a Leo. As pernas do loiro tremiam e seu membro parecia que ia explodir de tanto tesão sem nem estar sendo tocado.

-Leo, eu preciso gozar. - Jason disse em meio a arfadas e gemidos.

-Mas já, Jay? - Leo disse enquanto estocava com ritmo e precisão no ponto doce de Jason. - Achei que você fosse durar mais depois de ontem.

Jason apertou com força os lençóis da cama, se concentrando para não gozar. Leo percebeu, é claro. Ele puxou a bunda de Jason mais para trás, fazendo com que ele levantasse um pouco do colchão e ficasse mais empinado e aberto para Leo. O moreno enroscou a mão no cabelo de Jason e o puxou de leve. Jason gemeu mais alto. Leo continuou estocando cada vez mais firme e mais rápido e Jason não conseguia mais impedir que os gemidos saíssem da sua boca. O moreno levou a mão que estava na cintura do loiro para seu pênis esquecido e começou a masturbá-lo.

-Leo, eu vou gozar... - Jason sussurrou, quase sem forças para se segurar mais. Tentou pensar em coisas que o faziam perder o tesão, como uma aula tediosa de metodologia científica.

Leo começou a masturbá-lo com mais rapidez e ritmo enquanto não perdia a força das estocadas. Jason não aguentou. O duplo prazer estava fazendo ele ver estrelas e mesmo que o professor de 80 anos estivesse ao lado da cama dando uma aula sobre regras de formatação de textos acadêmicos ele não conseguiria impedir Leo de continuar comendo-o como se sua vida dependesse disso. Gemeu alto quando gozou na mão do namorado. Suas pernas estavam bambas então Leo segurou em sua cintura para que ele não caísse e continuou metendo.

Jason sabia que o namorado estava fazendo de propósito. Sabia que o pós-orgasmo deixava Jason ainda mais sensível e estava brincando com ele. Jason decidiu brincar também, apertando o pênis do namorado dentro de si a cada estocada, flexionando sua entrada como se fosse expulsar o membro só para trazê-lo mais para o fundo depois.

-Ah Jason… - Leo dizia em meio aos gemidos, e Jason sorriu sabendo que o namorado não aguentaria muito tempo. E poucos segundos depois sentiu o membro de Leo sair por completo de si e um líquido quente escorrer sobre suas nádegas- ele tinha o estranho fetiche de gozar nas nádegas do namorado. Jason deu risada e Leo soltou seu corpo no colchão, caindo por cima dele.

-Cacete. Isso foi muito bom. - Leo disse ainda sem fôlego. Jason se mexeu e ficou de frente para Leo, encaixando ele em suas pernas. Jason amava ficar nessa posição com o namorado, ainda mais quando estavam nus.

-Foi. Não esqueça que temos a noite toda. - Jason disse, ansioso por mais.

-Acho que estamos ficando viciados em sexo. - Leo disse apoiando o queixo no peito do namorado.

-Acho que eu estou viciado em você. - Jason respondeu e Leo sorriu.

-Você está tão romântico hoje.

-Eu sou romântico sempre.

-Você é. - Leo se adiantou para dar um selinho casto no namorado e Jason colocou a mão na bunda de Leo, apertando um pouco.

-Então você se apaixonou por mim com 12 anos? - Jason perguntou lembrando do que Leo dissera naquela noite no anfiteatro.

-Você já era tão lindo naquela época.

-Por que nunca falou comigo?

-E o que eu diria? Não tínhamos nada em comum, Jay. E logo você começou a namorar a Piper, lembra?

Jason assentiu lembrando da época. Por incrível que pareça, não se arrependia de ter namorado Piper. Ela fez parte da sua vida e foi incrível a sua maneira. Nunca sentiu por ela o que sentia por Leo, mas foi um tempo bom. No fim, tudo aconteceu no tempo certo já que Leo também pôde se relacionar com outras pessoas naquela época.

-Sabe o que é irônico? - Jason perguntou sorrindo um pouco.

-O que?

-Tecnicamente, foi meu pai que juntou a gente.

-Eu não tinha pensado nisso. Isso é mesmo irônico. - Leo disse rindo um pouco.

-É, é sim.

Leo e Jason ficaram apenas olhando um para o outro. Jason não podia acreditar na sorte que tinha em ter o moreno daquele jeito com ele. Ele tinha mesmo que agradecer ao pai por ter obrigado ele a se aproximar do garoto encrenqueiro da turma. Sorriu ao lembrar da primeira vez que notara Leo, da primeira vez que ficara com o rosto corado sob os olhares intensos do garoto. Leo sorriu de volta, mesmo sem saber o que o outro estava pensando. Mas não importava, havia tantos motivos para sorrir um para o outro que corriam o risco de parecerem bobos o tempo inteiro.

Jason não se importava em parecer um bobo ao lado de Leo. E a julgar pelo sorriso do namorado, ele também não.

-Então. - Leo disse depois de um tempo. Ele levou uma mão de Jason até o meio de sua bunda. - Vingança?

-Vingança. - Repetiu Jason sorrindo mais ainda. O loiro se levantou, colocando Leo em seu colo. Amou o sorriso malicioso que estampava no rosto de Leo.

Seu coração falhou uma batida. Ele acabava de se apaixonar novamente pelo namorado. E tinha certeza que não seria a última vez. Nem seria a última vez que estaria naquela situação com Leo, provavelmente fariam isso pelo resto da vida.

Jason Grace, finalmente, estava em casa.

E não havia limites que ele não ultrapassasse para ficar com Leo Valdez. 


Notas Finais


FIIIIIIIIMM
Ok, eu to triste. Oficialmente deprimida pós-fim-de-fanfic hahahah
Espero que tenham gostado!

Obrigada a todos que leram e comentaram, aos que leram e favoritaram e também aos que apenas leram e guardaram em algum cantinho no coração (ou na aba de favoritos hahaha). Obrigada, de verdade <3

Se vocês já estiverem bem entediados com essa quarentena podem aproveitar o tempo pra ler minhas outras fics ein? Não tenho outra Valgrace, mas tenho algumas Solangelo. Aqui estão as que eu mais gosto:
Born This Way- https://www.spiritfanfiction.com/historia/born-this-way-solangelo-18442217
Story of My Life- https://www.spiritfanfiction.com/historia/story-of-my-life-solangelo-18726592
Inseguranças- https://www.spiritfanfiction.com/historia/insegurancas-solangelo-18662717
O punk e o hippie- https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-punk-e-o-hippie-solangelo-18640658

Beijos e até a próxima!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...