História No more - jikook - Capítulo 143


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Huang Zitao (Tao), Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Jong-in (Kai), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Lu Han (Luhan), Min Yoongi (Suga), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Wu Yifan (Kris Wu)
Tags Arma, Chanbaek, Comedia, Crack!fic, Drama, Ecchi, Equilibrado, Esporte, Fluffy, Homofobia, Hot, Hunhan, Jbottom, Jikook, Jk!bottom, Jk!top, Jm!bottom, Kaisoo, Lemon, Linguagem Informal, Longfic, Namjin, Rap Monster, Rm!top, Seokjin, Shounen Ai, Slash, Smut, Tiroteio, Vhope, Yugbam
Visualizações 124
Palavras 1.478
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 143 - Cento e quarenta e três


Yoongi acordou sonolento, piscando os olhos diversas vezes para se acostumar com a claridade.
Tentou mover-se, mas logo sentiu que estava amarrado. Arregalou os olhos, vendo seus pulsos amarrados nos tornozelos.
Ficou desesperado, aflito, tentando se soltar, sentindo os braços amarrados, colados ao dorso.
Olhou em volta, vendo que estava num carro, com dois homens um de cada lado e um na frente, dirigindo.

- Hum... Que porra que tá acontecendo? - O Min perguntou, tentando, de forma aflita, se soltar.

- Fica quieto na tua. - O motorista ordenou, acelerando o carro um pouco mais.

- Quem são vocês? - Perguntou, sentindo pontadas fortes na cabeça.

- Já mandei ficar quieto! - O homem ordenou, indo na velocidade total do audi, cerca de trezentos e dezessete quilometros por hora.

O motorista entrou por uma floresta densa no oeste da capital, lugar onde nenhum policial poderia pegá-los, nem mesmo Lisa.
O audi, com seu porte pequeno, passava facilmente pela mata, deixando rastros dos pneus na terra.

- Que porra, quem são vocês?! - Yoongi perguntou, estressado, mas ao mesmo tempo, amedrontado. - O que querem comigo?

- Você já vai ver! - O homem à sua direita respondeu.

- Vai gostar da surpresa. - O da esquerda murmurou, dando um sorriso.

{...}

Jimin, que havia visto o sequestro pela janela do apartamento, saiu correndo para avisar Lisa.
Bateu na porta do quarto diversas vezes, chamando o nome da amiga, enquanto os amigos ficavam curiosos para saber o porquê do Park estar tão exaltado.

- O que foi, mor? - Jungkook perguntou.

- Já já eu digo. - Jimin respondeu, batendo na porta diversas vezes, até que Lisa abrisse a porta.

- O que foi? - A tailandesa perguntou, ao lado de Rosé.

- O seu noivo... Ele foi sequestrado. - O Park respondeu, respirando ofegante, fazendo os amigos arregalarem os olhos, principalmente Lisa.

- Como assim? - Lisa perguntou, sentindo o coração bater mais rápido.

- Um cara sequestrou ele. Jogou ele dentro de um carro e foi embora. - O Park respondeu.

Lisa não escondeu a preocupação em saber que seu noivo fora sequestrado. A tailandesa amava Suga demais.
Não podia crer que seu pequeno havia sido sequestrado e levado para algum lugar por um homem que não fazia ideia de quem era.

- E agora? - Jungkook perguntou, pondo a mão no coração.

Sabia qual era a sensação de ser sequestrado e sabia ser angustiante. O Jeon sabia bem o que era ficar longe dos amigos, sem saber se retornaria a vê-los.
Estava com dó por seu hyung, pensando em como ou onde o mesmo estaria, com medo de perdê-lo.
Não eram lá melhores amigos, que se amavam, como era com Yoongi e Taehyung, mas era seu amigo.

- Qual era o carro, Jimin? - Lisa perguntou, sentindo Rosé a abraçar.

- Era um audi. - Jimin respondeu, passando a mão no cabelo.

- Merda. - Lisa sussurrou.

A tailandesa tinha noção de que um audi era um carro rápido, bem mais que seu Jeep Compass. Precisava usar sua arma secreta. Ou melhor, seu carro secreto.
Entrou de volta no quarto, pegando as chaves de seu outro carro, pondo no bolso.
Pegou também a pistola e guardou no cinto da calça social, voltando até os amigos.

- Lis, eu posso te ajudar? - Jimin perguntou, segurando o pulso da garota.

- Pode sim. - Lisa respondeu, entregando as chaves do Compass para Jimin. - Você dirige o Compass.

- Por quê?

- O Compass é pesado, não corre tanto quanto um audi. - Lisa respondeu.

- Então como 'cê vai? - Namjoon perguntou. Não era possível que Lisa iria andando ou então iria deixar de ir. Mal sabia o jeito triunfal que Lisa iria.

- Me sigam que eu vou mostrar para vocês. - Lisa respondeu, sorrindo debochada.

{...}

Ensanguentado, machucado, ajoelhado, humilhado. Era a situação de Yoongi no exato momento.
O garoto estava sem camiseta, descalço, ajoelhado no chão frio, apenas com a calça jeans, que estava rasgada e coberta de seu próprio sangue.
As lágrimas que escorriam por seus olhos se misturavam com o suor e o sangue de seu corpo e entravam em contato com as feridas abertas, duplicando sua dor.

À sua volta, sua ex, o irmão da mesma, os três que o sequestraram e mais quatro do mesmo tipo podre, riam de si.
Os sete capangas da garota tinham todo o tipo de instrumento de tortura nas mãos, estes instrumentos que utilizavam sem dó e nem piedade.

- Pode continuar? - Um dos homens perguntou.

- À vontade. - A Kim respondeu, dando uma bicuda forte no peito do ex.

- Por que estão fazendo isso comigo? - Yoongi perguntou, pondo a mão no lugar do chute.

- Você sabia que eu gostava de você, mesmo assim você terminou comigo, agora 'cê vai pagar por isso. - Hyuna respondeu, olhou para um dos homens, fazendo sinal de possitivo.

O homem concordou, acertando o pedaço de madeira que segurava nas costas do mais novo, quase quebrando a coluna do mesmo.
Suga gemeu de dor, pondo a mão no lugar onde fora acertado, sentindo mais um golpe, dessa vez no pescoço.

- Tira a mão do meio. - O irmão de sua ex ordenou, mas nem escutou. - Eu mandei tu tirar a mão, desgraçado! - Chutou com força o pênis do mais novo.

O Min gritou alto, pondo as mãos dessa vez por cima de seu membro, gemendo pela dor.
Sua dor só aumentou quando recebeu mais um golpe com um pedaço de madeira nas costas.
Caiu no chão, chorando e gemendo de dor, chutando o chão, tentando aliviar a dor.

- Bota a mão na frente do corpo. - Hyuna ordenou, pegando uma vela e um isqueiro.

- Pra quê?

- Bota a mão na frente do corpo, filho da puta. - Ordenou a mais nova, pisando com o salto nos cortes abertos do ex.

Yoongi rangeu os dentes, fazendo o que lhe foi mandado, pondo as mãos na frente do corpo.
Hyuna riu, ligou a vela com o auxilio do isqueiro e pôs a mesma sobre as mãos do mais velho.
A médida que a cera ia derretendo, caía sobre as mãos do, que urrava e chorava de dor, implorando aos berros para que parassem.
Ninguém atendia ao pedido do Min, que estava preferindo mil vezes à morte do que a situação onde se encontrava no momento.

O irmão da garota chegou próximo à um dos homens, pedindo para que o mesmo fizesse uma coisa bem peculiar.
Pediu para que o homem colocasse sal e pimenta num copo cheio de água e jogasse nos cortes abertos nas costas do ex da irmã. O homem riu e concordou, indo buscar o que lhe foi pedido.

- Por favor, p-parem. - Yoongi pediu chorando, sentindo uma pancada forte na cabeça.

O Min gemeu alto de dor, não apagando por pouco, sentindo o sangue escorrer pela cabeça.
Yoongi ainda estava se recuperando da dor do corte da cabeça, quando seus cortes foram banhados por água, sal e pimenta.
Seu grito de dor e agonia ecoou por todo o galpão, fazendo a ex rir de forma psicopata.
Suga tossia, soluçava, gritava, babava, chorava, gemendo baixo o nome de Lisa, querendo estar de volta no abraço e no cheiro de sua noiva.

- Não estou ouvindo. - Hyuna sussurrou, pisando nas mãos queimadas do Min. - Por acaso está gemendo o nome daquela vagabunda? - Pôs mais pressão nas mãos de Yoongi.

- Por favor, para, por favor. - Suga pediu, tossindo.

- Eu te implorei para ficar comigo, você negou. Agora aguenta. - Hyuna respondeu, puxando os fios laranjas do Min para trás, cuspindo na cara do mesmo.

- Eu te odeio. - Suga afirmou, cerrando os olhos.

- Eu também te amo. - Hyuna respondeu, debochada, usando as unhas grandes para machucar mais ainda Yoongi, abrindo mais seus cortes. Já ia pedir seu chicote para chicotear cada canto do corpo do Min, mas tudo parou quando ouviram o ronco claro de um V10. - Que porra é essa?

- É um barulho de carro. - O irmão da Kim respondeu. - E é um carro potente.

Yoongi fechou os olhos, pedindo para que fosse Lisa ou pelo menos a polícia. Não importava quem fosse, só queria sair dali e parar de sofrer.
Suas lágrimas escorreram um pouco mais, liberando sua dor e agonia por ali, pedindo à Deus para que morresse ali mesmo.

- Vão ver! - Hyuna exclamou e dois homens obedeceram.

Abriram a porta grande do galpão gigantesco, fazendo Hyuna e seu irmão ferverem de raiva.
Yoongi abriu os olhos, sorrindo fraco pela visão, fazendo os olhos marejarem um tanto, dessa vez de felicidade.
Lisa estava segurando sua bazuca, encostada em sua ferrari 812 superfast, sorrindo de forma debochada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...