História No more dream - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Jungkook, Kooktae, Kookv, Proibido, Romance, Separação, Taegguk, Taehyung, Taekook, Vida Escolar, Vkook
Visualizações 116
Palavras 4.443
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, LGBT, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sim , sim venho desde ja avisar que esse capítulo é único e que sim, foi baseado em partes não totalmente na musica "No more dream" , pra quem ja ouviu e sabe a tradução tem noção do que eles abordam na musica.
BTS é e smp foi fonte de inspiração então se eu consigo produzir algo em cima das letras deles é smp graças a ELES e essa hist não foi diferente estava divangando quando imaginei esse mundo alternativo onde tenho ctz q muitos meninos e meninas vivem, enfim.. espero que gostem <3.

Capítulo 1 - Capitulo Único


Fanfic / Fanfiction No more dream - Capítulo 1 - Capitulo Único


Sabe-se lá quando as pessoas deixaram de viver em uma bolha de ideias, as quais devem ser únicas , muito bem respeitadas e seguidas. O mundo na visão dos mais velhos se tornou algo ruim,  segundo eles os jovens não temem mais a soberania cujo chamam de governo ou e até mesmo os próprios pais e responsáveis. Desviaram do caminho que eles seguiam, plantaram ideologias que não eram aceitas e mudaram a nova geração.


Mas por que mudou? , o fato era que ninguém mais conseguia ter a mente fechada que antemão oitenta ou vinte anos atrás tinha, a juventude é a fase onde você questiona o que vai seguir é justamente essa fase que quase todos os adultos odeiam ver em seus filhos, pois eles  tentam moldar alguém que escolheu sozinho quem queria ser.



Em pleno século vinte e um, a vida de Taehyung não era as mil maravilhas graças a seu pai um homem já de idade , trabalhador e com o enorme defeito de ter a mente presa a uma ideologia certa apenas para ele, veio do século passado dono um mercado bem sucedido e muito religioso.


Para o Kim mais velho, a família tem de ser importante , mulheres cuidam da casa e criam os filhos, devem se  vestir elegantemente e agradar o marido sendo esses seus unico deveres enquanto o homem põe dinheiro na conta e comida na mesa. O assunto sobre relações homoafetivas não entrava pela porta da casa do homem de quarenta e três anos, suas opiniões eram únicas e válidas dentro daquele lugar , para Taehyung ele e sua mãe apenas tinham de usar máscaras e fingirem ser quem o homem mais velho queria que eles fossem.


Aquela família formada apenas pelo trio haviam se mudado para busan a menos de três anos, O único filho do casal de início odiou ter que guardar todos seus pertences em caixas de papelão para a mudança de sua casa em Daegu, na época Taehyung tinha quinze anos e uma mente totalmente diferente de seu pai, a qual nunca a demostrou mas ele sabia que existia. Mesmo contra sua vontade, teve de se mudar e acomodar-se em uma casa nova , em um bairro novo de uma cidade que mal conhecia , ele quis fingir que não se importava com aquilo mas no final do primeiro dia na escola nova, ele se prendeu no novo quarto e lá jurou que nunca mais sairia.


As coisas mudaram a partir da segunda semana, Taehyung havia feito uma amizade em particular e o nome do garoto que veio o comprimentar quando estava no portão de casa era Jeon Jungkook, seu vizinho e colega de sala. O garoto de cabelos pretos parecia um pouco acanhado quando perguntou o motivo do olhar triste de Taehyung,  naquele dia o Kim jurou ter visto as estrelas nos olhos do garoto , sua tristeza e falta de uma antiga vida sumiu junto ao sorriso do garoto.


Ambos garotos acabaram que se tornando grandes amigos, Taehyung através de Jungkook conheceu outros cincos bons amigos,  desses Park Jimin um menino de bom coração e o mais carinhoso entre os sete. O trio dos mais novos conviveram diariamente na mesma sala durante o primeiro ano do ensino médio, quanto aos outros, Seokjin e Yoongi estavam no último e Namjoon e Hoseok no segundo, resultando em uma separação breve que não impedia a falta de carinho e uma boa  amizade.


Como vizinhos, Jungkook pode conhecer a família Kim, de início se perguntou quem era o garoto que conhecia bem durante os intervalos na escola e o por que dele ser tão diferente frente a família. Com o tempo descobriu o oposto da situação, por mais que passasse a odiar o pai de Taehyung, ele aguentava — Leia-se ignorava — o mesmo falando durante os almoços que a Mãe do Kim filho o convidava para ficar.


O moreno nunca entendeu o motivo de uma mente tão fechada de alguém que tinha um anjo como filho, Taehyung já havia o ajudado de todas as formas possíveis e ver que o mesmo se afundava nas palavras do kim mais velho , quase que matava Jungkook por dentro. Ouvir do outro que o próprio pai o privava de várias coisas era o cúmulo, queria tirar Kim daquilo tudo, principalmente quando descobriu que o castanho teria de se casar com alguma mulher que o pai escolhesse e quando o mesmo quisesse.


Durante os três anos que se passaram ali, a amizade dos dois nunca foi quebrada, Jungkook permaneceu ao lado do castanho por dias e noite, e prometeu que nunca sairia. O moreno não saberia dizer quando começou, mas ele ja tinha certeza que era completamente apaixonado pelo Kim, em um dia estavam apenas jogando como bons amigos e no outro Jeon tinha uma forte e enorme vontade de despir Taehyung e o fazer conhecer os céus.


A personalidade de ambos mudaram com clareza, a timidez antes de Jungkook agora fazia parte de Taehyung,  e a ousadia que nenhum tinha era totalmente do Jeon. Ambos já estavam no último ano da escola, e o rosto do trio inseparável era o mais comentado pelos corredores daquele maldito lugar, garotas dos dois primeiros anos só faltavam beijar os pés dos mesmos enquanto as do último ano já tinham sido vítimas ou de Jungkook ou de Jimin. 


Graças a um pai conservador e uma mãe que tinha em mente contos de fada, Taehyung nunca achou necessário sair por aí beijando os outros, seu foco era os amigos e o estudo apenas e sempre que alguma garota se declarava para o mesmo ele inventava a desculpa de que seu coração já pertencia a outra. Via seus dois amigos perderem a conta de quantas pessoas já tinham sido um passatempo para eles, contudo sempre aceitarem a sua decisão peculiar de que em um envolvimento havia de ter um sentimento, que de preferência fosse amor.


Brega mas não fora do que ele devia seguir, durante os três anos seu pai havia o arranjando diversas pretendentes que frequentavam a igreja e tinha a mesma ideia oculta do mais velho. Nenhuma havia o agradado e ele sabia que seu pai já estava cansado de ouvir a desculpa de que ele não queria ninguém no momento. E após palavras que caíam sobre sua cabeça de como teria que ser tudo, ele encontrava Jungkook jogado na sua cama com um sorriso gentil e calmo de alguém que invadiu sua casa pela janela de seu quarto.


O moreno lhe trazia paz, sem perceber quando acabava desmoronando em lágrimas se envolvia nos braços do Jeon e adormecia com seus fios sendo massageados. Isso também se repetia quando Jungkook precisava de um refúgio e os braços com o som do coração de Taehyung era o seu lugar favorito, notaram cedo que eram a força um do outro, mas não perceberam que seus corações vacilavam e se conectavam um com o outro.



Para a surpresa de Taehyung, ver Jungkook beijando um homem foi deveras estranho, talvez pela sensação de incômodo nunca ousou perguntar o que o moreno fazia com o garoto desconhecido por si  atrás da escola em um dia qualquer. Para Kim o Jeon gostava apenas de mulheres, e não sabia a reação de seu próprio pai caso soubesse que seu melhor amigo também ficava com pessoas do próprio sexo,  teve medo do mesmo o afastar de Jungkook e até cogitou na ideia do mais velho machucar o moreno. E graças a esse pânico, teve de fingir que também não sabia das opções de envolvimento do amigo.


A cena que sempre acabava atormentando sua cabeça se repetia e fazia Taehyung se perguntar se Jungkook em algum momento cogitou em beijá-lo ou algo do tipo. O kim aprendeu que aquilo era errado mas sua mente aberta sempre o questionava de novas possibilidades e experiências , as quais iam ralo abaixo quando se lembrava da expressão de desgosto de seu pai. Ele nunca poderia ser quem ele queria ser de verdade.


[ N.O ]


Após dois meses repletos de provas e trabalhos o final do ano finalmente havia chegado e os veteranos da escola estavam prestes a se formar, entre eles Taehyung. O garoto havia prestado provas para universidades fora de Busan assim como Jungkook e Jimin, também como os outros quatros hyungs que já estavam longe da escola a um ano, no caso dos mais velhos, dois. Mesmo sabendo que se ganhasse alguma bolsa seu pai não o deixaria partir, pelo simples motivo de que ele teria de cuidar do negócio da família, casar com uma mulher e ter filhos para que eles tenham que seguir o trágico caminho que ele seguiu.


Mesmo com tantos concelhos de desistência, ele tinha medo do que seu pai acharia e do o mais velho faria caso fosse contrariado. A dor e o medo nos olhos do castanho era a causa da tristeza em Jungkook, se manteve forte por tanto tempo esperando que algum momento o Kim fosse logo jogar tudo para o ar e deixar de ser uma marionete do próprio pai, para que agora ele tivesse que fingir estar feliz com seu diploma em mãos e ignorando o fato que em menos de dois meses estaria em Seul junto com Jimin e seus outros quatros hyungs, sem o seu amigo favorito, o qual ele amava.


Era semana de preparação para o baile dos veteranos após a formatura, Jungkook estava tão exausto de tudo que cedeu aos primeiros pedidos que teve de convite para o baile, ele só queria acabar com tudo aquilo rapidamente, queria não se sentir triste, não queria chorar ou se sentir incapaz de não fazer a pessoa que amava entender que ele estaria ali consigo independente de qualquer situação. Jeon Jungkook havia se cansado de sofrer.



— Taehyung? — Jungkook falou batendo na porta do quarto.


— Entra! 


Sorriu mínimo ao ver seu amigo sentando sobre a cama enquanto mexia no notebook que havia ganhado no último aniversário sendo dado pelo Park.


— Jungkook, você não me respondeu nas mensagens, está tudo bem? , havia te perguntado se você irá comigo na viagem com meus pais-


— Não Tae, você sabe que não vai dar — O moreno se sentou no outro lado da cama.


— Por que? .


O suspiro do Jeon foi a única coisa a ser ouvida no quarto. A viagem da família kim era um tipo de tradição que seguiam quase todo ano perto do fim de novembro,  quando iam para longe da civilização urbana e ficavam uma semana sem uma tecnologia sequer apenas desfrutando da natureza agradecendo por tudo que tinham. Jungkook já havia ido uma vez e é claro que ao lado de Taehyung as coisas ficaram mais divertidas mesmo que inocentemente.


— O baile é no mesmo dia que vocês iram e-


— Você falou que não ia a baile nenhum esse ano, disse que iria comigo,  você vai sim não é? — Taehyung falou parecendo um pouco chateado, queria aproveitar o pouco tempo que tinha com o amigo antes do mesmo ir para seul.


— … Tae, eu acabei aceitando um convite ..— Jungkook coçou a cabeça.


— Quem? — o kim falou, vendo o moreno o olhar confuso — Quem te convidou?


— Yerim — falou simples.


O silêncio novamente se fez presente no quarto, Taehyung queria dizer para que Jungkook deixasse aquilo de lado e o acompanhasse até a casa no meio da floresta mas ao mesmo tempo sentia que não podia impedir o Jeon de seguir os próprios desejos.


— Kook, você em breve irá viajar para seul , tanto eu quanto Jimin sabemos que vocês dois sem dúvidas ganharam a bolsa e… eu queria passar esse tempo com você antes de…


— De eu seguir meus sonhos e verdadeiros desejos — Olhou para o castanho — Taehyung… não duvido que você também tenha conseguido essa bolsa , por favor vamos juntos-


— Jungkook já falamos sobre isso, eu não posso — respondeu o Kim.


— Você não pode??, ou você quer e tem medo daquele- — apontou para a porta,  gesticulando sobre o soberano da casa — Eu nunca vou perdoar esse homem por te impedir de seguir seus sonhos Taehyung!


— Jungkook…


Porra! , eu não acredito que em menos de duas semana eu nunca mais irei te ver! — Jungkook se levantou da cama.


— É claro que nos veremos de novo Jungkook — Taehyung viu a alteração do amigo.


— Quando? , quando você for casar com a mulher que seu pai quiser ?? , Ou quando você estiver anunciando que terá uma família com alguém que você nunca vai amar? — o moreno soltava as palavras como nós sendo desfeitos.


— Jungkook cala boca! — Taehyung se levantou,  um pouco ofendido.


— Cala boca Taehyung? , eu te conheço a três anos e sei tudo sobre você até mais do que você próprio em seus dezoito anos de vida! , está sendo um idiota! — como os nós soltos, a dor veio e as lágrimas se formaram, Jungkook estava a beira de explodir — Eu não acredito...— Fungou — Não  acredito que vou te perder!.


— Jungkook.. você nunca vai me perder, sempre seremos amigos-


— Amigos? — riu enquanto secava a lágrima que escorria de seus olhos — Porra de amigos Kim Taehyung, eu sou a pessoa que mais ama você nesse planeta inteiro, a única pessoa que importa com o que você realmente quer….Porque ele não te ama viu? — Apontou para a porta novamente — Apenas eu, eu te amo e não como um simples amigo.



O coração disparado e o corpo imóvel  so Kim denunciou total desespero e surpresa pelas palavras, nunca havia imaginado que seu amigo um dia diria aquilo a si e que muito menos o amasse com outros olhos. Taehyung não sabia se era um sonho ou um pesadelo, sua única reação por minutos foi o silêncio.


— Jungkook...eu…


— Não precisa dizer nada Taehyung, é melhor assim — sorriu sem humor nenhum — temos visões diferentes um do outro e eu sei muito bem qual é a sua, sei que nenhuma palavra que eu disser vai mudar sua mente — seus olhos já estavam vermelhos por conta das lágrimas — Eu só espero que…..


Taehyung não suportava ver aquilo, não suportava ver Jungkook chorando em sua frente e seu corpo se aquecer em adrenalina junto com sua mente que o pedia para fazer diversas coisas naquele momento, pedia uma reação, uma ação,  queria fazer algo que ele tinha desejo mas não podia.


— espero que mesmo com sua incapacidade de ser quem você quer ser, você possa ser muito feliz Tae — Sorriu mesmo que chorando — que você encontre o amor e felicidade mesmo eu achando que isso seja impossível. Espero estar errado.


O moreno terminou as palavras ali, virou nos calcanhares com o desejo enorme de se trancar no próprio quarto e repensar sobre os três últimos anos da sua vida,  onde havia errado para que o universo o recompensasse daquela maneira. Mais seu desejo foi impedido pela mão de Taehyung em seu braço , pode ver as lágrimas escorrer pelo rosto do castanho e ambos começarem a dividirem a mesma dor, no mesmo tempo.


Pela primeira vez Taehyung não pensou em seu pai, ele queria aquilo no momento e precisava seguir o desejo. Então sem palavras puxou o braço do moreno e em simples movimentos selou os lábios macios de Jungkook, mesmo que desajeitado e sem saber o que fazer.


A resposta veio rápido, Jungkook mesmo surpreso segurou levemente o rosto do castanho e fechou os olhos junto ao outro para dar vida a aquele beijo. A linha elétrica no corpo de ambos pareciam ter sido ligadas apenas com aquele toque, quando Taehyung sentiu algo bater contra seus lábios ele apenas agiu por natural e deixou Jeon provar mais de si, seus dedos se prenderam a jaqueta de couro que o moreno usava quando sentiu o mesmo prender seu corpo contra o dele e as mãos o segurarem na cintura com possessividade.


Minutos de mágica e sensações que acabou quando veio a falta de ar ambos. O coração do kim ainda inquieto passou a discutir com sua mente sobre o que havia acabado de acontecer e porque sentia tanto desejo de continuar tudo aquilo. Taehyung havia acabado de beijar um homem e esse homem era seu amigo, se seu pai descobrisse eles estariam mortos, o castanho pensou.


Diferente da confusão do Kim, Jungkook gritava por dentro, ele queria mais, ele precisava de mais. Nunca imaginou ser beijado pelo Taehyung sem ser nos seus pensamentos e aquele beijo acendeu por completo a chama que Jeon teve de apagar no passado pois achava que o Kim nunca corresponderia um homem. Diversas vezes ja havia cogitado de como seria se ele fosse uma mulher apenas para poder provar um pouquinho do garoto que amava. Ele achou que estava sonhando naquele momento.


— Jungkook.. eu- — Taehyung começou mas recebeu um sorriso pequeno do moreno.


— Você não pode — Jungkook falou simples, passando um dos dedos sob os  lábios tão próximos do Kim.


A quebra de contato fez ambos voltarem do mundo em que estavam, em descompasso o coração dos dois implorava para mais um toque e os brilhos em seus olhos denunciava toda a luxúria e desejo incerto. Brilhos que sumiram graças a uma forte voz chamando Taehyung no andar debaixo da casa.


— Espero ver você antes de viajar para seul — sorriu fraco, sentindo suas mãos tremerem ao mesmo tempo que suavam — Aproveite o baile , Kook.


O quarto vazio era o que sobrou para o Jeon, mesmo antes com o olhar de súplica onde fez a breve pergunta de quem o Kim escolheria , agora estava perdido pelo quarto. Sem palavras a mais voltou para sua casa, sem se despedir quando passou pelos kim's na sala , não era hora de culpar alguém pelo azar que tinha.  E da mesma forma que Jungkook se trancou em seu quarto para refletir, Taehyung se jogou na própria cama e enquanto abraçava seus travesseiros pode liberar toda a dor que estava sentindo.


Uma amizade boa sempre será forte, um amor não pode ser quebrado sem deixar cicatrizes e a distância podia sempre acabar com tudo.


A viagem da família Kim aconteceu, foi o tempo em que Taehyung tirou para refletir,  onde não tinha nada que o fizesse lembrar de Jungkook a não ser suas memórias carregadas com sorrisos e carícias do moreno. Se sentiu cansado, exausto de tudo aquilo, ele queria poder gritar ao mundo o que seu pai prendia com correntes em si, Taehyung só queria liberdade, se sentir como se sentia quando estava com Jeon.


O baile havia ocorrido, sendo lá onde Jungkook percebeu que as coisas sem o Kim não tinham graças,  pensou em correr ao centro do salão e ir para a floresta onde o Castanho estava mas sua leve consciência impediu de completar tais missões. Ninguém poderia dizer quem é que estava sofrendo mais.


[ Dream ]


De volta a civilização, Taehyung  foi recebido com surpresas em uma carta que tinha seu nome como destinatário, não conteve o sorriso ao abri-la e ter o resultado que todos previam para ele na maior universidade do país. Ele sorriu e chorou, tinha a chance de seguir seu próprio caminho em suas mãos uma chance de estar ao lado daqueles que amava de verdade.


Por horas se manteve inerte em seu quarto , olhando para o teto com os pensamentos perdidos julgando sua decisão, relembrando as palavras do seu melhor amigo e o gosto da liberdade que tinha os lábios do mesmo. Ele precisava sair dali, e era isso o que queria.



Desceu as escadas encontrando sua mãe pela cozinha, sem dizer nada a entregou o papel que contia sua aprovação na Universidade de artes em Seul. A mais velha o olhou após ler com clareza e seus olhos cheios de lágrimas denunciaram a felicidade que talvez fosse tristeza pelo fato do filho não poder seguir o que ele havia conseguido, um abraço entre os dois foi a resposta para tudo. Taehyung havia suportado tanto tempo ali graças a única pessoa que esteve ao seu lado desde pequeno, sua mãe sempre o daria suporte mesmo com um monstro gritando que ela estava errada.


— Eu quero ir mãe  — falou , segurando as lágrimas.


— Vá meu filho, eu sempre estarei aqui — a mais velha não se aguentava entre as lágrimas.


— O que está acontecendo aqui? — ouviram a voz do antagonista.


O Kim mais novo se soltou dos braços da progenitora e olhou para o pai, que os encarava com curiosidade sem um pingo de emoção aparente.


— Estou indo para a Universidade — esticou o papel para o mais velho.


— O que? — Mesmo não pegando a folha ele pode ver o selo da Universidade e a aprovação de seu único filho — Do que você está falando Kim Taehyung ? , sua única obrigação é continuar com o que eu planejei a vida toda para você!


— Eu não quero, não quero ser o que você quer e eu seja senhor Kim — Falou sem medo — Quero seguir meu sonho, casar e amar quem eu quiser!


— Repita isso de novo garoto- — Antes de levantar a mão foi impedido pela própria esposa, que ainda chorava pelo medo, por seu filho.


— Você está velho senhor Kim, sua mente está velha ninguém é como você, e não serei obrigado a ser! — Taehyung disse.


— Você cala essa boca garoto se não irei te trancar naquele quarto até te pôr no lugar!, quem pôs isso em sua mente?, Foi aquele amiguinho não foi? , sempre soube que a família Jeon era problema e educava o filho muito mal! .


— Não fala dos Jeon's dessa forma, você nunca será um terço do que aquela família é , você é um monstro! , controlador e porra de um velho ridículo! — gritou.


Mesmo que quisesse continuar, passou pelo mais velho sendo segurado pela mãe  e subiu as escadas em direção ao seu quarto, pegou seus únicos documentos e seu celular enquanto ouvia o Kim mais velho berrar palavras com ameaças e xingamentos pesados, poucos itens selecionados antes de descer e sair pela porta da sala ouvindo um "Esqueça que você tem um pai" em um tom alto e claro, e com certeza ele seguiria tais palavras.



O primeiro número que discou quando se afastou da casa o suficiente foi da pessoa que ele precisava mais ver naquele momento, sabia que Jungkook não estaria em casa graças a viagem que faria em menos de vinte e quatro horas, Sabia que o moreno estava com Jimin. Seu coração apertou quando não foi atendido de primeira mas pode sorrir quando recebeu a ligação de volta em seguida.


— Tae? — ouviu do outro lado da linha.


— Jungkook.. aonde você está? — Falou lento.


— Estou na cidade com Jimin , o que houve? Aconteceu algo? — Jungkook respondia preocupado, era raro o mais velho o ligar.


— Kook…. — suspirou — Eu te amo — falou audível para o outro, contando os sentimentos que havia percebido ter.


Ele não podia se ver sem Jeon Jungkook , nem agora e nem daqui a anos ele precisava do moreno estava a tanto tempo negando seus sentimentos que quando pode dizer aquelas três palavras se sentiu mais leve e feliz.


— Eu também te amo tae, você sabe disso — Jungkook disse simples.


— Não,  não como amigo Jungkook...— respondeu — Eu te amo de verdade Jeon.


O silêncio foi assustador, o Kim pode ouvir jimin dizer algo mas não voltar a repetir graças a Jungkook que resolveu falar.


— Por que está fazendo isso Tae, por favor eu não...


— Preciso te ver Kook, precisamos conversar, agora — sorriu mesmo não tendo ninguém para ver.


— Estou indo para sua casa — Jungkook disse.


— Não! , me diga aonde exatamente esta, eu irei atrás de você — Taehyung o impediu.


Recebeu as informações de destinos e sem tempo de esperar foi em direção ao local com o coração em descompasso e a mente perdida com a loucura de ter o moreno em seus braços logo. Quando finalmente pode ver Jeon, sem espera se afundou nos braços do mesmo e se permitiu chorar mesmo que ambos estivessem em público, Jungkook parecia não entender nada mas mesmo assim acariciava os fios do mais velho em seus braços enquanto Jimin inventou alguma desculpa para sair dali.


— Eu passei Kook — foi a primeira coisa que Taehyung disse — Eu passei na Universidade.


— Eu disse que você passaria Tae, você é a pessoa mais inteligente que eu conheço — Jungkook sorriu simples olhando nos olhos do castanho.


— Ele não queria deixar, eu-.... deixei tudo apenas para ir..com vocês — falou enquanto secava as próprias lágrimas .


Os olhos assustados de Jungkook se tornou algo nítido,  o moreno não sabia se sorria ou consolava o amigo pela atitude ousada.


— Você…


— Tinha razão Jungkook, eu preciso seguir o que eu quero seguir, graças a você eu pude perceber isso e também que eu não posso sobreviver em um inferno onde você não está comigo — o kim soltou, simples e sentindo a leveza invadir seu corpo — Não me deixe sozinho.



— Você nunca vai estar sozinho Tae, eu irei te ajudar sempre e para sempre. Tenho certeza que você poderá contar com qualquer um dos meninos para tudo , ninguém vai te deixar sozinho nessa — segurou o rosto do Kim com delicadeza e um sorriso lindo no rosto.


— Obrigado Kook — sorriu enquanto se afundava no olhar do moreno — … Eu te amo.


Aquele momento foi selado com um beijo, Jungkook sem medo provou pela segunda vez os lábios do seu amor antes platônico. Assim como Kim o havia libertado, estava feliz por libertar o outro também. 



Existem diversas barreiras que impedem a felicidade, mas um sonho e desejo deviam se tornar algo prático, algo que qualquer pessoa possa buscar. Horas mais tarde naquele dia, com o apoio da mãe  do kim, pode pegar suas roupas e se despedir da mais velha a segredando de que ele a tiraria daquele lugar.


A viagem para seul havia sido rápida, dividiria  um apartamento grande com as únicas seis pessoas que sempre pegaram em seu pé para que acordasse logo daquela vida. Taehyung podia ser feliz agora, junto com os amigos e o homem que ele amava.


— Meus olhos sempre estão em você. Eu te amo.







Notas Finais


Hmmm, espero que tenham gostado :)
Até um próximo dia.

Twitter: @Singularkthjjk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...