História No one is safe - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Drama, Sobrenatural
Visualizações 2
Palavras 1.806
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Mistério, Misticismo, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Oque fazer nesse tipo de situação?


Fanfic / Fanfiction No one is safe - Capítulo 11 - Oque fazer nesse tipo de situação?

Dias depois...

Morte:- Sua mãe esta viva.;- disse simplesmente já cansado de tantas perguntas que sua filha fazia.

Safira:- E-Ela? Ela está viva?;- perguntou, ainda que já soubesse, chocada com aquela constatação.;- Ela está viva? Como? Não... Onde ela está?;- metralhou perguntas enquanto tinha seu pai a sua frente suspirando sôfrego.

Morte:- Ela é uma Deusa minha filha, ela nunca vai morrer realmente....;- disse se sentando na poltrona que havia ali bagunçando seu cabelo.;- Ela esta no vazio... Ela vem até mim de vez em quando. Mas ela não volta desde uns dias atrás.;- disse se explicando.

Safira:- Por que escondeu isso?

Morte:- Em parte por que sua mãe não queria que você soubesse. E também por que eu queria experimentar um pouco de paz...

Safira:- "experimentar"?;- perguntou então se lembrando.;- AI MEU DEUS!!! ERA ELA??;- perguntou se lembrando de quando entrou no quarto do pai e tinha uma mulher abaixo do lençol.;- Ai que nojo.;- disse sentindo asco e uma vontade de vomitar grande.

Morte:- Tenho que te avisar que foi assim que você foi concebida ok? Por que tanto nojo?.;- perguntou sentindo certa graça da reação de sua filha.

Safira:- Eu estou assim por que primeiramente e tecnicamente ela está morta. Outra, meu Deus homem, não podia se segurar? Quase peguei vocês no ato. Cruzes credo. Só de pensar quero vomitar.;- disse se estremecendo.

Morte:- Você parece uma adolescente frustrada.;- disse rindo de sua filha que aumentou a raiva.

Safira:- E você um tarado.

Morte:- Um tarado... Bem já me chamaram de coisa pior.;- disse rindo.

Safira:- Vocês conversaram muito?;-perguntou agora séria.

Morte:- Bem... acho que sim. Mas acabou que brigamos por causa de Alice. E ela sumiu. Típico dela.;- disse suspirando.

Safira:- Brigaram por causa de Alice?

Morte:- Longa história...

Safira:- Ok, mas por que ela não quer falar comigo?

Morte:- Ela acha que você odeia ela.;- disse simples.

Safira:- Por que odiaria ela?

Morte:- Eu tenho uma lista de porquês;- disse rindo.

Safira:- Não faz sentido ela simplesmente concluir algo e não dar as caras.

Ghaya:- Verdade filha. Mas não consigo lhe encarar lembrando do que disse quando me matou.;- disse aparecendo no canto do quarto com sua áurea branca, vestido simples e cabelis soltos.

Morte:- Oque faz aqui?;- perguntou de imediato.

Safira:- Então é realmente verdade...

Muito... muito longe dali...

* :- Monstros existem e eles não vivem embaixo de sua cama. Mas sim na escuridão de suas memórias e no confins de seus medos querida criança.;- disse uma voz longínqua.

Eun Tak:- Não acredito em monstros.;- disse olhando para os lados procurando a voz.

:-  Você é apenas uma criança que cresceu rápido demais, não é?;- perguntou curioso.;- Tem apenas 4 anos, mas já sabe muito mais que muitos adultos. E tem consigo um poder maior do que qualquer coisa explicada pelas leis matemáticas.

Eun Tak:- Eu não estou entendendo voz...

:- Como poderia? Você é apenas uma criança triste que busca segurança em um monstro.

Eun Tak:- Bob não é um monstro!!;- disse rápido.

:- E como sabe disso? Ele te contou?;- perguntou rindo.

Eun Tak:- Ele não é do mal!!

:- Confia nele tanto assim para simplesmente confiar mais nele do que em sua familia?

Eun Tak:- Minha familia me abandonou!!;- falou com raiva.

:- Foi você que os abandonou criança.;- disse então estalando os dedos fazendo a sala onde estavam se clariar e Eun Tak ficar confusa com a claridade repentina.

Eun Tak:- Quem é você?;- perguntou tentando enxergar bem.

:- Por que quer saber quem eu sou?

Eun Tak:- Quem... é ...você?;- perguntou agora pausadamente acendendo seus olhos na cor violeta.

:- Onde foi parar a educação das crianças hoje em dia?;- se perguntou rindo arrumando seu cabelo o colocando para trás.

Eun Tak:- Vou perguntar só mais uma vez.;- disse séria olhando para o homem 3 vezes mais alto que ela.

:- Sou Ezequiel.;- disse simples.;- Você não me conhece, e eu não conheço você. Mas conheço sua familia.

Eun Tak:- Eu não tenho mais uma familia.

Zack:- Deixe de falar besteira criança.;- disse irritado.

Eun Tak:- Já que conhece minha familia, oque você é? É como Sebastian?;- perguntou apagando seus olhos os fazendo ficar normais.

Zack:- Eu como Sebastian? Não me rebaixe tanto.;- disse rindo estalando os dedos novamente fazendo aparecer uma poltrona onde se sentou calmo.;- Sou neto de Ghaya criança. E pai de Ário e Austin.;- disse sorrindo.

Eun Tak:- Sebastian que é pai de Ário...;- disse negando achando aquilo um absurdo.

Zack:- Bem, fui eu que transei com Alice.;- disse dando de ombros falando aquilo normalmente para uma criança que olhava enojada ou mesmo confusa para o mesmo.;- O ponto que quero estabelecer nessa maldita conversar é: Pare de confiar na Coisa.

Eun Tak:- Por que?

Zack:- Por que ele vai te matar de dentro para fora como tentou uma vez com Caroline.

EunTak:- Eu não seu do que você está falando;- disse confusa.

Zack:- De tantas pessoas fui logo parar no sonho de uma criança retardada.;- disse para si mesmo se amaldiçoando.;- Olha, eu deveria estar morto e esquecido como muitos querem. Mas infelizmente não posso voltar a ter um corpo ou mesmo conseguir minha graça devolta. E pelo visto minha missão aqui é te salvar e impedir que você mate sua familia.;- disse rápido e Eun Tak continuou a olhar para ele como se não tivesse ouvido nada.;- Ai meu Deus...;- disse suspirando vencido.

Eun Tak:- Você é do mal?;- perguntou depois de uns segundos o encarando.

Zack:- Por que tal pergunta?

Eun Tak:- Você tem cara de ser do mal...

Zack:- Nem imagina criança. Mas infelizmente não posso morrer sem completar essa missão.

Eun Tak:- Que missão?

Zack:- Você não ouviu nada do que eu disse?

EunTak:- Eu não falo inglês muito bem...;- disse sorrindo.

Zack:- É inútil assim como a mãe. ;- disse suspirando massageando sua tempora muito irritado.

EunTak:- Isso é um sonho?;- perguntou girando no mesmo lugar vendo uma sala branca.

Zack:- Sim é... é a única forma que temos de nos comunicar sem o seu amiguinho interferir. Sua imaginação só lhe pertence.;- disse andado.

EunTak:- Você é amigo dos meus pais?

Zack:- Ha.. Não querida. Eles me odeiam e eu os odeio também. ;- disse sorrindo.

Eun Tak:- Então por que quer os salvar?

Zack:- Oque você precisa saber é que fiz um trato. Só isso. Em certas crises, até mesmo a Deusa quer o Demônio ao seu lado. ;- disse se levantando da poltrona.;- Lembre-se Lee Eun Tak, pare de confiar na Coisa.;- disse simples sumindo.*

E então ela acorda no meio da madrugada. Parecia que havia tido um pesadelo. Estava suada e respirava com dificuldades.

Mallory:- Bob?;- chamou alto e no mesmo segundo as luzes se acendem e ele surge ao lado de sua cama.

Coisa:- Oque aconteceu querida?;- perguntou doce.

Mallory:- Pesadelo...;- disse somente e então a Coisa concorda e sorri.

Coisa:- Oque posso fazer para ajudar?;- perguntou então se virando para os brinquedos de Mallory.

A coisa então fazendo sua mágica fez a fumaça cruzar o quarto e adentrar os corpos dos brinquedos. E um de cada vez se levantaram começando a cantar e a fazer um pequeno show. Os brinquedos dançavam pelo quarto inteiro. Mallory gargalhava tendo um ursinho seu fazendo-lhe cosquinha.

E então tudo para e tudo volta ao normal.

Mallory:- Obrigada Bob!! Me sinto muito melhor!!!;- disse realmente feliz.

Coisa:- Agora volte a dormir princesa. Amanhã vamos treinar só mais uma vez. ;- disse sorrindo.

Mallory:- Só mais uma?;- perguntou curiosa.

Coisa:- Sim. Ja esta poderosa o suficiente para poder se defender.;- disse sorrindo abertamente. Um sorriso que para Mallory era felicidade e orgulho, para a própria coisa simplesmente o deleite de poder controlar Mallory e ter seu plano concluído.

Mallory:- Boa noite Bob!!;- disse feliz já se colocando abaixo das cobertas se forçando a dormir.

Coisa:- Tenha uma boa noite princesa.;- disse em um tom mais sério sumindo daquele quarto.

No mundo Inferior.

Castelo da Morte.

2h após Ghaya aparecer.

Safira:- Há mais um segredo nessa familia?;-perguntou tristonha sentada na poltrona.

Morte:- Austin.;- disse se lembrando olhando para Gahya que concordou ja sabendo.

Safira:- Oque tem meu filho?;- perguntou curiosa.

Ghaya:- Seu filho quer destruir o mundo para governar no lugar de Ário.

Safira:- QUE? Vocês estão embriagados? Fumaram alguma coisa? Meu menino nunca faria isso.;- negou imediatamente.

Morte:- Alice veio até aqui pedir ajuda.

Safira:- Aquela filhinha favorita não sabe de nada sobre meu filho.

Morte:- Nem você sabe querida.

Safira:- SABERIA MUITO MAIS SE VOCÊ NÃO O TIVESSE TIRADO DE MIM!!;-gritou alto fazendo uma lâmpada explodir.

Morte:- Foi mal;- disse automático levantando suas mãos em forma de rendição.

Ghaya:- E isso foi um pedido de desculpas aonde?;- perguntou chocosa olhando para ele seria.

Morte:- Meio que falei qualquer coisa com medo de ser morto.

Ghaya:- Você com medo?

Morte:- Não sabe nem da metade que nossa filha pode fazer.;- disse se lembrando.

Ghaya:- Na verdade... sei sim.;- disse sorrindo nervosa.

Safira:- A filha de vocês esta bem aqui!!! Parem de falar como se não estivesse!!!;- falou com raiva.

Morte:- E então querida? Oque vai fazer quanto a isso?

Safira:- E eu devia fazer algo?

Morte:- Você e seu noivo deviam cuidar do filho de vocês cassete!!! Acho que impedir o apocalipse é um bom feito.

Safira:- Se oque diz for verdade, vou parecer desleal e ele nunca vai confiar em mim novamente. Talvez me mate e mate Alexssander no processo.

Ghaya:- Mais facil ele matar Alexssander. Você é imortal como a gente.

Safira olha óbvia para Ghaya.

Safira:- Jura?? Nem percebi.

Morte:- Qual o plano então? Deixar com que domine tudo? Não recebo ordens de pirralho!!

Safira:- Eu não sei pai...;- disse confusa.;- Talvez ficar de olho e ver se é verdade? Depois veremos...

Ghaya:- Ok... se é oque quer.

Safira:- Você não vai encostar um dedo no meu filho está me ouvindo?;- perguntou seria olhando para Ghaya já sabendo como sua mãe era.;- Isso vale para vocês dois.;- disse olhando para seu pai.;- Eu resolvo isso...

Morte:- Se é oque deseja.

Ghaya:- Ok minha filha.;- disse cedendo não querendo mais briga naquela família.

Safira:- Bem, de qualquer forma. Em primeiro lugar, vim aqui hoje pai, não por causa dos meus questionamentos sobre minha mãe.;- disse mudando de assunto depois de muitos minutos em silêncio.

Morte:- E qual era o objetivo?

Safira:- Convida-lo para meu casamento.;- disse simples.;- E como você esta viva, quero que esteja lá também.;- disse simples fazendo Ghaya corar.

Ghaya:- Você me quer em seu casamento?

Morte:- Só você para fazer isso no meio de uma crise.;- disse rindo negando com a cabeça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...