História No Peace [EM REVISÃO] - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 2
Palavras 1.416
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Festa, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura e espero que estejam aproveitando ❤️

Capítulo 35 - Charlie: End?


Fanfic / Fanfiction No Peace [EM REVISÃO] - Capítulo 35 - Charlie: End?

CHARLIE

Zack sempre reclamou de que eu era uma pessoa extremamente teimosa, mas ele provavelmente nunca tinha se olhado no espelho pois era bem mais do que eu.

Só depois de muita discussão eu consegui convencê-lo a me deixar correr. Era a minha primeira vez em um lugar tão cheio e eu estava ficando um pouco tensa com isso.

Ryan me acalmava e me fazia aproveitar a festa enquanto não fosse a hora. Já Zack, tinha ficado estranho a partir de um certo ponto da festa mas ele não falava nem com reza o motivo e nem para o melhor amigo ele tinha revelado.

Tudo começou a fazer sentindo quando ao estar parada pronta para a corrida, eu olhei para o lado e avistei Jason no próximo carro. Nesse mesmo instante ele me olhou e nos encaramos por alguns segundos. Percebi então que provavelmente Zack já tinha o visto e não queria que eu me preocupasse com isso.

Bem, era o que eu pensava até que a Bruna apareceu na janela do Jason para lhe dar um beijo. Meu queixo quase caiu e eu precisei me concentrar para não esboçar nenhuma reação sobre isso.

Liguei uma coisa na outra e entendi que além do Zack odiar o Jason, odiava ainda mais o Jason com  Bruna. O que também era um ódio meu. Jason podia ficar com qualquer garota da face da terra, mas ficar com a Bruna era a pior coisa que ele poderia ter feito.

Descontei toda frustração e raiva no acelerador enquanto corria pela pista. Sem muito esforço meu, consegui vencer a corrida. O carro de Zack era muito bom e não exigia muito mais do que controle.

As pessoas me cercaram assim que eu saí do carro, era meio raro uma garota correr por ali e era ainda mais raro uma garota vencer.

Todos me davam parabéns, diziam que a corrida tinha sido espetacular e blá blá. Eu estava feliz mas não tão animada. Era óbvio que Jason ainda mexia comigo, nem que fosse 1%.

Deixei todos ali e fui guardar o carro de Zack no estacionamento que estava antes. Pior do que convencê-lo a me "deixar" correr foi convencê-lo a me deixar usar o seu carro. Ele odiava  que dirigissem seus queridinhos e raramente alguém o fazia.

Coloquei o carro na mesma vaga de antes e fiquei por um tempo pensando em algumas coisas que acabaram rondando a minha mente. Assim que o meu momento passou, sai do carro e o tranquei.

-Parabéns pela vitória, foi uma boa corrida. -alguém disse me assustando.-

-Obrig... -sorri mas logo meus lábios se desfizeram ao ver o Jason parado me olhando.-

Ele estava com os braços cruzados na frente do corpo e um sorriso pequeno nos lábios. Estava cheirando a bebida e a cigarro, seus olhos demonstravam cansaço provavelmente por estar alterado.

-Não vai falar nada? -abriu mais ainda o sorriso e chegou mais perto de mim.-

-Não tenho nada para falar com você. -disse chegando para trás mas infelizmente dando de costas com o carro.-

-A fama subiu rápido assim até a cabeça? -perguntou irônico.- 

-Me erra, Jason. -Revirei os olhos e me movimentei para sair.-

-Eu só quero conversar. -me segurou pelos braços me forçando a ficar lá.-

-Sobre o que? Sobre como é maravilhoso ficar com a Bruna? Me poupe. -falei sarcástica tentando me soltar.- Eu não quero ouvir sobre isso.

-Beijar ela não chega nem perto de como é beijar você. -disse chegando cada vez mais perto.-

-E-eu não quero saber. -falei olhando para o lado.- Eu já superei... Você Deveria fazer o mesmo.

-Diz que me superou olhando nos meus olhos. -disse em um tom de ordem mas eu não obedeci.- Anda, Charlie! Diz isso olhando nos meus olhos! -me chacoalhou e segurou meu rosto com suas mãos fazendo com que eu o olhasse.-

-Eu.. -me forcei a olhar em seus olhos vermelhos.- Eu... -eu queria formar as palavras mas as mesmas não saiam da minha boca.-

-Foi o que eu pensei. -sorriu convencido.- É uma pena não estarmos juntos, não acha? -acariciou minhas bochechas e aproximou a sua boca da minha.-

Só Deus sabe o esforço que eu estava fazendo para me controlar nessa situação. Eu estava decepcionada com ele e nem tínhamos mais nada. Mas a respiração dele tão perto da minha me fazia lembrar dos velhos tempos. Aqueles que não voltariam mas que eu poderia ter a chance de recordar essa noite.

-Não posso fazer isso. -fechei meus olhos.- A gente terminou...

-Não estou te forçando a nada. -ele disse baixinho e tocou meus lábios com os dele.-

De fato, ele não me forçou a nada. Eu continuei os movimentos dele e assim nosso beijou começou a se formar. Eu conhecia cada pedaço daquela boca, e nada era diferente a não ser pelo gosto um pouco estranho de cigarro. Ele tinha começado a fumar e apesar de não ser da minha conta ou me incomodar com isso, era um pouco decepcionante pois Jason nunca foi de se interessar por cigarros ou qualquer algo do tipo.

A boca de Jason se descolou da minha trilhando pelo meu pescoço exatamente do jeito que ele sabia que mexia comigo. Exatamente do jeito que ele me ganhava toda vez que fazia isso. Jason sabia exatamente como me fazer sua e era isso que ele estava tentando fazer.

Meu cérebro parecia não conseguir pensar direito quando estávamos juntos depois de tudo o que aconteceu.

-Você não sabe a saudade que eu sinto de nós. -ele disse baixinho no meu ouvido.- Eu quero você, Charlie. Eu preciso de você. -disse olhando nos meus olhos fixamente.-

Eu tinha quase me esquecido o quão profundo era aqueles olhos verdes. O como eles tiravam o meu fôlego e todo o meu sossego. Eu quase me esqueci porque era o que eu precisava fazer e estava indo bem.

-Você não pode fazer isso comigo. -falei o encarando.- Me deixa viver. Me deixa ser livre sem sentir nada por você. Eu estou cansada de me recuperar de você para depois você reaparecer fodendo com a porra dos meus sentimentos. -elevei um pouco meu tom de voz.-

-Você quer mesmo discutir sobre foder a porra dos sentimentos de alguém? É sério? -ele riu irônico.- Eu quero você mais do que eu quero qualquer coisa nesse mundo. Minha vida tá um inferno por sua causa. Por mais que eu tente, eu não consigo seguir em frente. -disse irritado.- Você acha que eu quero isso? Você acha que eu quero sentir algo por você? Eu não quero, Charlie. -ele negou com a cabeça e passou as mãos no cabelo mostrando estar frustado- Eu não quero! -gritou me assustando.-

-Então me deixa viver. -pedi com o coração quebrado mais uma vez.- Me deixa seguir sem o seu fantasma me assombrando por todo lado que eu for.

-Se você olhar nos meus olhos e dizer que realmente quer que eu te deixe ir... Eu nunca mais irei te procurar. -falou.- 

Meu coração batia tão forte que parecia querer saltar do meu peito. Eu sentia meu corpo todo doer como se uma máquina estivesse me esmagando contra o chão. Minha respiração estava descompensada por estar nervosa com tudo isso.

Eu olhei para seus olhos que esperavam uma reação minha. Eu mexia levemente a boca mas as palavras não saiam de jeito nenhum. 

-Anda, Charlie. Diz. -pediu impaciente e com semblante decepcionado.-

-Eu...

-Sai de perto dela. -uma voz conhecida ecoou no ambiente me impedindo de continuar a frase que eu nem conseguia dizer e quando olhamos, a figura do Zack estava parada bem ao nosso lado.- Eu não vou dizer de novo.

-Ou o que? -Jason disse o afrontando.-

-Ou eu meto a porra de um tiro nessa sua cara de filho da puta. -meu amigo que tinha pavio curto rapidamente sacou uma arma e apontou para o Jason que sequer se mexeu.- Eu não tô para brincadeiras hoje, Jason.

-Vá em frente. -meu ex namorado disse enquanto abria os braços não demostrando nem um pouco de medo.-

-Zack. Não. -falei o olhando tentando chamar sua atenção que estava toda em Jason.- Não faz isso.

-Por que não Charlie? Não era isso que você queria? Então. O deixe atirar. -Jason disse em um tom de deboche e sorriu para o Zack.- Atire. -pediu.-

Zack não pensou duas vezes em apertar aquele gatilho. Era como se tudo se passasse em câmera lenta assim como nos filmes. Fechei os olhos e cobri os ouvidos por causa do barulho torcendo para aquilo não ser real.

[...]


Notas Finais


E aí pessoal? Será que foi dessa vez?
Esse pavio curto do Zack as vezes deixa a gente com o coração na mão né?
Até a próxima ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...