1. Spirit Fanfics >
  2. No te Olvidé >
  3. Por onde andou?

História No te Olvidé - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oieee, capítulo novo. Espero que gostem!
Boa leitura.
Beijinhos

Capítulo 2 - Por onde andou?


Fanfic / Fanfiction No te Olvidé - Capítulo 2 - Por onde andou?

-Esta pronta? -Aldo perguntou assim que estacionou na vaga reservada para eles na Conceitos. Leticia não tinha falado muito durante aquela 1 hora e pouquinho de viagem do litoral até a capital. Estava inquieta, nervosa e com toda a razão, afinal, aquele lugar lhe trazia as piores recordações. O carro alugado por Aldo os esperava no aeroporto e logo rumaram para aquele lugar que não havia mudado nada.
-Quer a verdade ou devo entrar no personagem desde já? -Ela perguntou mordendo a pele da lateral da boca.
-Lety, já faz muito tempo desde que tudo aconteceu. Você é outra mulher agora, não é mais aquela menina fragilizada que a Carol me apresentou naquele dia no restaurante. -Virou-se para ela.-Você precisa se enxergar como as outras pessoas a enxergam. Uma mulher forte, linda e extremamente inteligente. Só você não percebeu isso ainda.
-Eu sei, eu sei. -Ela suspirou. -É que retornar a esse lugar me dá calafrios.
-Talvez o que você precise é fechar esse ciclo da sua vida. Superar o passado e viver o presente com plenitude. Aproveite essa oportunidade pra mostrar a todos quem Leticia Padilha Solis é de verdade. -Bateu com o polegar sobre a ponta do nariz dela. -Você esta maravilhosa hoje, esqueci de dizer.
-Ain Aldo, não sei o que seria de mim sem você e Carolina. -Leticia nunca se cansava de agradecer tudo o que eles fizeram por ela.
-Esta pronta?
-Sim, vamos lá. -Respondeu depois de respirar fundo. Aldo desceu do carro e deu a volta, abrindo a porta para que ela descesse. Leticia segurou na mão do amigo e saiu do carro.
-Você nos guia, afinal conhece bem o local -Ele riu discretamente.
-É por aqui. -Leticia respondeu apontando em direção a entrada da recepção. Caminharam lado a lado a passos largos, Leticia usava um vestido preto, ajustado ao corpo, pouco decotado e salto alto. Os cabelos castanho escuro, estavam na cor natural, no meio das costas, caindo lisos sobre os ombros. Maquiagem leve uma pequena bolsa e um terninho bege moderno finalizavam o look dela. Aldo por sua vez, vestia um terno todo branco, como sempre. Ele vivia de branco. Os cabelos loiros estavam penteados com os dedos para trás, sem muito capricho, ele era assim, depojado, leve e chamava a atenção por onde passasse.
Leticia tremeu ao alcançar a entrada da recepção e percebendo isso, Aldo segurou a mão dela apoiando em seu braço.
-Estou aqui Leticia, não esqueça. -Sussurrou entrando junto com ela. Na recepção não havia ninguém que conhecesse. Uma garota jovem, loira e padrão Conceitos os recebeu. -Bom dia! Sou Aldo Domensaín e tenho uma reunião com o presidente da Conceitos, o sr. Fernando Mendiola.
-Bom dia, sr. Só um momento que vou anuncia-los. -Muito educada, a garota discou o ramal da presidência e o anunciou. Leticia tremeu ao ouvir o nome de Fernando, tremeu ainda mais ao conseguir ouvir a voz dele pelo telefone da recepcionista. -Ele os aguarda na sala da presidência. Querem ajuda para chegar até lá?
-Não é necessário, sabemos o caminho. Obrigada! -Leticia respondeu e então se dirigiram ao elevador. Aldo selecionou o andar enquanto Leticia se agarrava ao braço dele como se estivesse à deriva no mar e ele fosse seu colete salva vidas.
-Posso sentir seu tremor daqui. -Ele cochichou abraçando-a e beijando sua testa. -Talvez não tenha sido mesmo uma boa ideia trazê-la.
-Eu estou bem, só um pouco nervosa. -Leticia fechou os olhos e respirou fundo quando o elevador se abriu. Aquele cheiro, aquele lugar, estava tudo exatamente como antes. As mesas das secretárias, a mesa da Alice, tudo igual. Elas estariam ali, as suas amigas, seu quartel? Ou teriam sido demitida? As mesas estavam vazias, mas era horário de almoço, talvez estivessem no Comidinhas.
Seu coração batia tão forte que podia sentir ecoando. Que saudade daquelas meninas, da alegria e paz que elas transmitiam.
-Quer ir embora? Você esta pálida, branca como um papel. -Aldo se preocupou de verdade.
-Não! -Lety secou as lágrimas tentando se recuperar. -Vamos logo! -Respondeu com firmeza. Conseguia sentir ainda mais raiva de Fernando por tê-la feito perder tantos momentos ao lado das amigas.
Enquanto se dirigiam a sala da presidência, Letícia sentia ondas de arrepios percorrerem seu corpo. Como era possível um lugar onde tiveram tantos momentos felizes, trazer tantos sentimentos negativos? Sentia vontade de sair correndo dali, fugir e sumir novamente. Não queria reencontrar Fernando, reviver aquele sentimento que por tanto tempo lutou para tentar esquecer.
Eles estavam em frente a sala quando a porta se abriu como se um vento forte tivesse tomado o lugar. O perfume que sentiu naquele instante, denunciou que Fernando estava ali, pertinho dela. Estava de olhos fechados, apertados quando a voz masculina invadiu seus ouvidos como o som de um trovão. Forte, imponente, perturbadora.
-Sejam bem vindos! -Fernando os cumprimentou de forma animada e Leticia abriu os olhos para vê-lo. Seu corpo gelou completamente quando viu o sorriso dele se desfazer assim que a olhou. Ficaram por algum tempo fixos um no outro até que Fernando reagiu. -Não pode ser... -A animação dele deu lugar a incredulidade. -Meu Deus Leticia, por onde você andou? -Fernando ignorou a presença do cliente ali ao lado dela e a puxou para seus braços. Não podia acreditar no que estava acontecendo. Ela estava diferente sim, mas era a Lety. A Sua Lety!
Leticia ficou imóvel sentindo o calor do corpo dele derreter suas forças. Aquele aroma de colonia pós barba, os braços fortes a figura enorme do homem que amava ali, na sua frente, segurando seu corpo pequeno e frágil com tanta força como se pudessem se fundir.
-Leticia, por Deus, onde você estava? Fala alguma coisa. -Fernando falava, ansioso por respostas.
-Hãhan. -Aldo pigarreou chamando a atenção de ambos. Leticia estava em silêncio ainda imóvel, corada diante da reação do ex chefe.
-Eu... Eu sinto muito. Me desculpe pela reação. -Fernando tentou se recompor. Sentia uma euforia imensa por vê-la depois de tanto tempo. Seu coração batia descompassado. -Me desculpe realmente.
-Não se preocupe senhor Mendiola. -Leticia respondeu com frieza, ajeitando seu terninho.
-Por favor, entrem. -Disse dando passagem para que os dois entrassem na presidência. Aldo e Leticia se sentaram em frente a mesa dele enquanto ele se acomodava.
-Desculpe ter marcado em horário de almoço, mas foi tudo tão rápido que não tive outra escolha. -Aldo começou abrindo sua maleta.
-Não... Não tem problema. -Fernando respondeu sem conseguir desviar o olhar de Leticia. Como ela estava diferente. Linda, exuberante, elegante e fria. Leticia sequer o olhava. Tinha o olhar fixo no homem à seu lado.
-Como explicamos nos e-mails, tenho pressa em promover o lançamento do meu terceiro livro: O sabor da vida.
-Sim, claro. É sobre culinária e poesia, certo? -Respondeu balançando a cabeça e tentando se concentrar no trabalho.
-Minha assistente enviou um esboço da capa do livro por email e mais detalhes sobre o evento de lançamento. Quero que funcione como uma feira. Uma feira gastronômica de comidas características do nosso pais.
-Perfeito. A sua assistente enviou todos os detalhes por email. Ja passei para a equipe de criação e Luigi esta trabalhando em uma proposta para apresentar a vocês. -Fernando não conseguir disfarçar o quanto estava incomodado com aquele loiro queimado de sol chamando de Leticia de assistente. -Estou com os contratos prontos, se quiserem ler, podemos assinar agora mesmo. -Sugeriu e meio perdido, passou a procurar o contrato nas gavetas. -Esta por aqui...
-Aqui. -Leticia murmurou apontando para a mesa. A pequena pilha de papéis estava logo à frente de Fernando e ele não enxergou.
-Claro, aqui esta! Você sempre tão atenta não é mesmo Leticia? -Sorriu sem graça entregando os documentos para Aldo que por sua vez, entregou a Leticia para que lesse. Lety colocou seus óculos de leitura e começou a ler, devolvendo a Aldo alguns minutos depois.
-Está tudo certo, Aldo. -Respondeu guardando os óculos novamente na bolsa. Ela não olhava para Fernando. Nem por um milésimo de segundos.
Aldo pegou uma caneta e assinou os contratos, depois Leticia como testemunha e Fernando como contratado.
-Que seja uma longa e lucrativa parceria. -Fernando disse esticando a mão para cumprimentar Aldo. -Vocês vão ficar na cidade? Marquei para amanhã de manhã uma reunião com a equipe de criação e com a vice presidente da empresa. Disse que tem pressa, quis antecipar tudo.
-Sim, vamos ficar hospedados na cidade. Pretendemos voltar para o litoral no fim de semana e retornar na segunda feira. -Aldo respondeu guardando sua cópia do contrato.
-Perfeito! -No litoral, era lá que ela se escondia.
-Bem, precisamos ir. Desculpe novamente pelo horário. -O loiro se adiantou levantando e Leticia fez o mesmo, agarrada a pasta de Aldo.
-Sem problemas. -Ele deu a volta na mesa. -Se não se incomoda, sua assistente e eu nos conhecemos de longa data, algum problema se eu conversar com ela alguns minutos? -Fernando foi direto, sem rodeios.
-Percebi que já se conheciam, mas essa pergunta você deve fazer a ela. -Cínico! -Se ela quiser conversar com o senhor, não vejo problema algum. -Aldo sorriu, arqueando a sobrancelha. Leticia balançou a cabeça em negativa para Aldo. 
-Estamos atrasados, Aldo. Em outro momento podemos conversar sr Mendiola. -Leticia olhava para o amigo implorando por uma ajuda. Não queria falar com Fernando, seria ainda mais doloroso.
-Tem razão Leticia. -Aldo consultou o relógio de pulso. -Temos uma reunião importante e se não corrermos, vamos nos atrasar. Deixe essa conversa para outro dia. Tenho certeza de que Leticia não fugirá! -Dizendo isso, Aldo ofereceu o braço para que Leticia o segurasse, o que ela fez de imediato.
-Claro... Claro. Ela não vai fugir. -Fernando repetiu observando os dois se dirigirem a saida. Seus olhos incrédulos percorreram o corpo feminino de alto a baixo. Leticia estava extremamente sexy. O corpo curvilíneo, cintura fina e quadris largos em evidência naquele vestido fizeram Fernando fraquejar ali mesmo. Aquela Leticia era muito diferente da Lety que ele conheceu um dia. Não só na aparência, mas nas atitudes. O tempo a ajudou, claro! Ela estava maravilhosa, e não sabia como a tinha reconhecido pois estava realmente diferente. Tinha tantas perguntas a fazer, desculpas a pedir. Durante todo aquele tempo tinha pensado em inúmeras maneiras de se desculpar pelas coisas horríveis pelo qual a fez passar, mas não imaginou que se sentiria tão fraco quando a encontrasse. Ela estava indo embora, de braços dados com outro homem e não tinha forças para reagir.

_____________________*_____________________

-Você esta se sentindo bem? -Aldo perguntou assim que alcançaram o elevador.
-Sim! -Respondeu com frieza. -Pensei que seria mais difícil.
-Fiquei espantado quando ele a reconheceu de imediato. Você certamente não esta nada parecida com aquela garotinha feinha que conheci. -Riu. -Tive a impressão de que ele estava feliz em reencontrar você!
-Não diga bobagens Aldo. Foi só surpresa. -Disse com frieza. - Fernando, junto com o amiguinho estava planejando me mandar para longe depois da reunião do conselho, e ele sabe que eu sei. Deve estar com medo de que eu o entregue de alguma forma.
-Você o conhece melhor do que eu, mas não me pareceu apenas surpresa.
-E por conhecê-lo que sei o quanto ele deve estar furioso com meu retorno. -Entraram no elevador. -A Leticia boba e medrosa foi enterrada hoje! Vamos terminar nosso trabalho e voltar para casa.
-Assim que se fala nanica. -Aldo apertou o nariz dela de forma carinhosa como sempre fazia e a puxou para um abraço, arrancando risos dela. -Estarei do seu lado sempre que precisar. -Prometeu. E Lety sabia que podia acreditar nele. 


Notas Finais


Então, o que acharam desse reencontro?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...