1. Spirit Fanfics >
  2. No Tears Left To Cry - Bruce Wayne >
  3. Capítulo 16

História No Tears Left To Cry - Bruce Wayne - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - Capítulo 16


   Long Island



 Observei com atenção a barreira de proteção ao redor do acampamento, o local possuí fronteiras mágicas impostas pelo velocino de ouro que foi tomado da ilha de Polifemo e colocado no pinheiro de Thalia, garantindo que nenhum monstro possa ter acesso ao local. Continuei andando e passei pela abertura formada por colunas brancas no estilo grego clássico.

 No mesmo instante pude ouvir o som de vozes alteradas e o tinir dos metais se chocando de maneira brutal e selvagem, aposto que é um dos muitos treinamentos propostos por Quíron. Desviei de algumas árvores ao longo do caminho e sorri ao enxergar adolescentes bastante jovens aprendendo sobre o manuseio de armas e técnicas de combate.

 Minha chegada atraiu olhares cheios de curiosidade e interesse, a ausência da armadura e roupas comumente usados no Olímpo contribuiu para isso. A jovialidade predominante em minha aparência permite que eu me misture em meio a multidões, além da possuir a beleza acentuada e característica dos meus irmãos, isso tende a chamar atenção de mortais.


- Olá, Dionísio - Comprimentei ao encontrá-lo caminhando distraidamente pelo local.


- Agápi, minha querida - Ele sorriu e veio com encontro, envolvendo meu corpo em um abraço apertado e cheio de saudade - O que está fazendo aqui? - Perguntou assim que se afastou.


- Preciso de respostas, eu sou da maldita profecia - Respondi e isso pareceu ser o suficiente, seus olhos brilharam em reconhecimento - Imaginei que aqui seria um bom lugar para começar - Dei os ombros.


- Aqui? Você tem certeza de um acampamento cheio de adolescentes é o lugar indicado para obter respostas? - Questionou e não escondeu a expressão de  puro desgosto, ele realmente odeia esse lugar.


- Não seja tão malvado, muitos vivendo dentro desse lugar foram verdadeiros heróis e salvaram centenas de vidas - Defendi, lembrando dos guerreiros e seus atos de coragem e força - Você sabe onde está meu irmão? Eu adoraria conhecê-lo, Poseidon tem falado muito sobre Percy - Sorri.


- O cabeça de alga? Sim, ele está na área de treinos com a namorada - Informou apontando para a direção indicada.


- Namorada? - Repeti incrédula, esse menino não chegou aqui a muito tempo e tem agido rápido, assim como o pai.


- Annabeth Chase, filha de Atena - Respondeu e ergui as sobrancelhas, surpresa com essa revelação.


- Uau, quer dizer... Uau - Murmurei tentando processar as informações recém adquiridas.


- Foi ótimo revê-la, mas eu preciso ir, irmã - Comentou Dionísio e notei sua urgência em desaparecer, o deus é sempre tão amargo e zangado.


- Tenha um bom dia e divirta-se, irmão - Provoquei e olhei ao redor, decidindo ir na direção indicada pelo deus dos vinhos e da vegetação.


 Segui em frente e fiquei surpresa com o fato de Quíron ainda não ter sentido minha presença, ele costuma ser o primeiro a saber quando um deus ou criatura mágica pisa nessas terras. Sorri ao ver três filhas de Afrodite sentadas em frente a escadaria de seu chalé, a beleza exuberante e delicadeza são as suas marcas registradas, características herdadas de sua mãe, além do talento para seduzir.


- Olá, meninas - Me aproximei e o trio olhou para mim com interesse.


- Quem é você? - Perguntou uma delas, parecia ser a conselheira entre os filhos da deusa do amor e da beleza.


- Agápi, ao seu dispor - Respondi as reverenciando, costume adquirido ao longo dos muitos séculos de existência.


 A simples menção do meu nome trouxa um toque de consciência nas pobres garotas, mordi os lábios contendo a risada quando seus rosto ficaram brancos como mármore. Pude sentir suas emoções oscilando de maneira rápida e com certa constância, havia admiração, medo, receio, empolgação e curiosidade, muita curiosidade. Elas se levantaram abruptamente e retribuíram a reverência, elas possuíam a graciosidade natural da mãe.


- Você é a deusa... - Sussurrou a adolescente de cabelos ruivos.


- É o que dizem - Respondi antes de sentar no primeiro degrau.


- Como... - Murmurou ainda impressionada, suas ações eram prova disso.


- É uma história bem longa e cansativa, vocês já devem conhecer - Brinquei rindo - Equilíbrio cósmico e coisa e tal - Resumi de forma simples e prática.


 Um silêncio constrangedor pairou sobre nossas cabeças, as meninas pareciam ter entrado em estado de choque, essa deve ser a primeira vez que tem contato direto com um ser imortal. Respeitei o momento de autoavaliação e olhei o cenário que nos cercava, felizmente identifiquei a figura imponente e excêntrica do principal responsável por esse acampamento e principalmente pela segurança dos semideuses.


- Eu preciso ir, foi um prazer - Levantei retirando a poeira impregnada em minha calça.


- O prazer foi meu, senhora - Responderam ao retomar ao controle de suas emoções e também da postura.


 A atmosfera daqui é agitada e cheia de alegria, embora possa identificar pontos elevados de competição, principalmente entre os filhos dos três grandes. Porém, no momento meu maior objetivo e conversar com Quíron e obter respostas para os meus problemas, a sobrevivência de Bruce depende disso, eu não me perdoaria se algo devastador acontecer com o homem por trás da capa preta e do símbolo de morcego.

 Gotham City depende dele.


- Quíron, exatamente o centauro que eu estava procurando - Afirmei ao me aproximar dele.


- Minha senhora - Ele sorriu abertamente, exibindo os dentes perfeitamente alinhados e brancos.


- Meu amigo, eu preciso de ajuda - Pedi, deixando o divertimento de lado e assumindo as rédeas da situação.


- Farei o que estiver ao meu alcance - Prometeu colocando a mão fechada sobre o peito, um indicativo de honra e respeito.


- Eu preciso saber de tudo a respeito da profecia envolvendo o humano e eu - Respondi e ele compreendeu do que se trata - Não me esconda nada, nem mesmo os mínimos detalhes - Pressionei. 


- Acompanhe-me, senhora, isso é conversa para um local mais reservado - Indicou em direção ao seu escritório particular - Já conversou com Percy? Ele ficaria feliz em conhecer a irmã - Comentou enquanto andávamos pelo lugar.


- Ainda não tive oportunidade, tentarei depois dessa conversa - Assegurei, não escondendo o quanto estava nervosa em vê-lo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...