1. Spirit Fanfics >
  2. Noah Urrea - Delicious Unforeseen >
  3. Capítulo nove.

História Noah Urrea - Delicious Unforeseen - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Gente o nome dessa menina da foto é 'Hayley' mas como já tem o fotógrafo chamado 'Hayley', eu deixei o nome dela como 'Zoe' para não ficar confuso, ok? Mas na ve verdade o nome dela é 'Hayley Chiapuzio'.

Boa leitura e desculpe os erros ortográficos!

Capítulo 9 - Capítulo nove.


Fanfic / Fanfiction Noah Urrea - Delicious Unforeseen - Capítulo 9 - Capítulo nove.

Começo a andar pelo condomínio, é bem bonito aqui, eu moraria aqui e viveria feliz. As vezes me pergunto como fui me envolver com Any Gabrielly e Noah Urrea, tem tantas pessoas que dariam tudo para ao menos conhecerem eles, eu não me considero com sorte até porque nunca fui fã deles, já tinha ouvido falar deles mas nunca me interessei em procurar, se eu dissese isso a um Uniter, ele provavelmente me chamaria de ingrata e entre outras coisas mas é a verdade, nunca me interessei em procurar mas isso não se convém ao caso agora. Eu me acho ingrata. Tem tantas pessoas que são fãs deles e que também dariam tudo para estar no meu lugar, quando eu conheci eles, eu não achei grande coisa como muitos acham, eles são pessoas normais. Eles tem talento sim, e é isso que faz as pessoas terem uma admiração grande por eles mas ainda são pessoas normais e é por isso que não achei grande coisa conhecê-los. Espera que entenda o meu ponto de vista. É melhor eu mudar o rumo de meus pensamentos agora, esse assunto não vai me levar muito longe.

As cores do céu se mesclavam em quatro cores: amarelo, laranja, roxo e azul. O amarelo e laranja estavam praticamente juntos dando uma impressão de que estavam rosa, já o roxo estava se misturando com o azul fazendo-o ficar mais escuro. As tonalidades mais quentes estavam abaixo das mais escuras devido ao sol estar se pondo. Dava para ver o sol se pondo de onde eu estava, então apenas fiquei apreciando o fim do dia e logo o laranja e o amarelo somem trazendo o agora, azul marinho à tona. Eu nem percebo o tempo passar olhando a simples mas bonita, paisagem. E logo as bolas cheias de ar quente apelidadas como 'estrelas', surgem no céu. A astronomia sempre me chamou muita atenção. Eu passo de assistir ao pôr do sol para assistir a calada da noite. Lembrando que estava com meu celular, tiro-o do bolso e o aponto para o céu tirando uma foto da linda paisagem da Califórnia e logo volto a apreciar as aparentes constelações.

Xxx - podemos ver pôr do sol juntos amanhã ou as estrelas e a lua, é claro, se quiser. - tomo um leve susto ao ver que estava sendo observada

- ah Noah, não tinha visto você aí. Está aqui quanto tempo? - ele estava com uma calça de moletom preta com suas mãos escondidas no bolso e também estava sem camisa

O estranho é que até mesmo na época em que ele estava no Brasil, nos víamos de pijama, ao acordar e de qualquer outro jeito sem ter a mínima intimidade. Era bizarramente estranho o jeito que as coisas iam rápidas demais entre nós.

Noah - não muito mas..muito. - ele diz sem graça se aproximando até ficar do meu lado e começar a apreciar a vista junto comigo. Rio de sua confissão

- a quanto tempo, mais ou menos?

Noah - bom..digamos que estou aqui desde que sol se pôs.

- meu Deus. Você está a muito tempo aqui.

Noah - nem tanto.

- sim, é tanto, sim.

Noah - ok, vamos deixar a sua insistência para depois. - ele fala me fazendo revirar os olhos - você quer tomar um sorvete ou algo assim?

- agora? - ele assente com a cabeça que sim - tudo bem, pode ser.

Noah - ótimo. Vamos. - ele fala me puxando pela mão mas eu não saio do lugar - o que foi?

- você vai sem camisa? - pergunto e ele solta um riso abafado

Noah - te encomoda? - ele diz chegando bem perto de mim, tipo, BEM, bem perto

- não, eu só não quero uma tsunami de fãs conrrendo atrás do Noah Urrea sem camisa por ai. - ele aumenta mais ainda seu sorriso me fazendo ficar confusa

Noah - então você está com ciúmes? - ele pergunta arqueando as sombrancelhas mas sem deixar seu sorriso sacana dos lábios

- não, não foi isso que eu quis..o que te faz pensar que eu... - conforme eu "falava", seu sorriso só ia aumentando até eu parar de falar e soltar um grunhido em sinal de frustação e impaciência - só..vai colocar uma camisa. - digo sem graça mas ao mesmo tempo autoritária

Noah - eu já volto. - ele diz, deixa um beijo em minha bochecha e sai correndo em direção a sua casa.

E o Noah "provocador" começa seus ataques de novo. Não demora muito e Noah volta, com uma camisa. Saímos do condomínio e fomos até uma sorveteria perto da casa de Noah. Mas antes de entrarmos ele me para.

- o que foi?

Noah - eu sei que você não trouxe dinheiro e eu só pago para você se você me der um beijo, na boca, não vou cometer o mesmo erro da vez passada. Eu quero a sua boca na minha. Acho que não dá para entender errado agora. - ele diz com um sorriso travesso

- Noah, por favor, não faça isso.

Noah - sem beijo, sem sorvete.

- então eu fico sem sorvete.

Noah - nossa, como você é chata. Vem. - ele fala me puxando para dentro da sorveteria - do que você quer?

- achei que não ia pagar para mim. - debocho dele

Noah - só escolhe logo antes que eu mude de ideia.

- baunilha.

Ele compra dois sorvetes de casquinha, um de baunilha e outro de chocolate e fomos comendo até chegar no condomínio de novo.

Noah - ei.

- o que?

Noah - tá sujo bem aqui. - ele aponta para o canto da minha boca - deixa que eu limpo. - ele diz chegando MUITO perto do meu rosto

Parece que tem milhões de borboletas voando na minha barriga, minhas pernas ficaram bambas automaticamente, engulo seco, minhas mãos começam a ficar húmidas, meu coração está batendo extremamente rápido.

EU ESTOU TENDO UM INFARTO?

E tudo isso só piora quando sinto sua língua quente e macia passando pelo canto da minha boca. Fico extremamente envergonhada o que me deixa definitivamente mais vermelha que um tomate e ele para piorar tudo, ri da minha situação mostrando aqueles dentes que agora parecem mais perfeitos que o normal.

O QUE ESSE AMERICANO SAFADO ESTÁ FAZENDO COMIGO?

Ok, essa valeu por todas as vezes que ele teve a chance de me provocar mas não provocou. Fico imóvel por alguns segundos até ele me tirar do meu quase ataque de pânico me puxando pela mão e me levando em direção a sua casa. Para disfarçar, começo a tomar meu sorvete de novo para não ficar olhando igual uma retardada para ele. Enfim chegamos na sua casa, adentramos a mesma e ele vai em direção a cozinha jogar fora o lenço de papel que estava em volta de seu sorvete, me sento no sofá terminando de dar as últimas mordidas no meu sorvete.

[ . . . ]

20:07 PM

Eu já tinha jantado, tia Wendy havia pedido comida de um restaurante que ela alegou ser seu favorito. Eu estava agora assistindo 'Bob esponja' na TV da sala de estar do Noah.

O que? Eu gosto de desenho, tá?

Meus olhos estavam se fechando sozinhos de tão pesados que estavam de sono.

Noah - é melhor você deitar na cama, se não amanhã vai acordar dolorida. - ele fala me fazendo abrir os olhos que nem percebi que estavam fechados. Olho para ele com as sombrancelhas arqueadas - o que? Eu sei os macetes para dormir bem. Vem cá. - ele diz se sentando e colocando um travesseiro na sua perna me puxando para deitar ali, esse que logo começa a fazer cafuné na minha cabeça, as vezes acariciando a minha bochecha - você está mesmo assistindo "Bob esponja"? Talvez você seje mesmo uma criança.

- talvez você seje mesmo um pedófilo. - retruco na mesma moeda

Noah - ok, entendi, não vou mais chamar você de criança, vou chamar você de "bebê". - ele diz rindo da minha cara de decepção mas na verdade eu não estava tão insastifeita assim, eu até que gostei

- você é insuportável, Noah

Noah - você me ama.

- não sei, não. Olha lá em.

Noah - você sabe que tenho razão.

~NO DIA SEGUINTE~

3 de Abril (sexta-feira), 8:00 AM

Acordo com o despertador do meu celular, tampo os ouvidos e coloco o travesseiro na cara buscando um pouco de procrastinação. Parece que não era só eu quem estava escutando o barulho porque Noah abre a porta e me encara com a pior cara possível.

Noah - dá pra desligar essa coisa? - ele fala já indo até a escrivaninha onde meu celular estava carregando e desligando o alarme

Ele fecha a porta e vem até mim se deitando na cama de bruços e passando sua mão direita pela minha cintura.

- você ficou muito atrevido, não é? Quando você estava no Brasil, não era tão ágil assim. - ele ri

Noah - só você para me fazer rir quando eu acordo de mal humor, porque alguém colocou o despertador para acordar a casa inteira. - ele fala com ênfase

- e é só você para já estar com essa perversão toda quando acabou de acordar.

Noah - eu não sou pervertido. O que você vai fazer agora?

- se você parasse de falar, eu ia tentar dormir de novo.

Noah - você é tão má comigo.

- ai meu Deus, me desculpa, bebê. Eu prometo que não vou mais ser má com você. É assim que você quer que eu aja?

Noah - um beijinho também não seria nada mal. - ele fala com um sorriso sacana nos lábios

- desisto de você.

Noah - mas é sério, por que acordar tão cedo?

- acredite, eu estou sofrendo mais do que parece. É madrugada no Brasil agora, eu só quero dormir mas eu estou tentando me acostumar com o fuso horário.

Noah - então dorme aqui comigo. Você só vai precisar sair antes do almoço, não é?

- é. Você me acorda antes da dez e meia?

Noah - se eu estiver acordado, sim.

- ai que droga!

Noah - o que foi?

- eu tenho vídeo aula agora. Como não estou indo para a escola, eu tenho que estudar on-line para não perder assusnto. Eu vou ter que levantar na força. - falo tentando me levantar mas ele me prende

Noah - não. Faz só de tarde, por favor.

- só vou ceder porque eu estou com muito sono.

Noah - então vem cá. - ele fala me puxando para deitar no seu peito me abraçando

Só que, eu não pude deixar de perceber que ele estava sem camisa o que me deixava nervosa de um jeito bizarro. Mas, eu consegui voltar a adormecer de novo depois de muita luta.

9:29 AM

Acordo como Noah me chamando.

Noah - Sn!

- o que foi? - falo colocando o travesseiro na cara assim que ele abre a cortina e a janela

Noah - você tem que acordar.

- eu tô acordada, só tô na cama.

Noah - você é pior que eu, credo. Anda, levanta logo. - ele fala puxando o lençol de mim

- chato! - falo me sentando na ponta da cama e fazendo o coque desajeitado no topo de minha cabeça

Noah - você sabe que eu posso te expulsar de casa, não é? - ele diz se sentando ao meu lado

- sua mãe não deixaria você fazer isso e fora que você não teria coragem.

Noah - tem certeza de que eu sou o chato aqui?!

- tenho. - fala me levantando

Noah - ei, era um pergunta retórica. - ele fala me puxando me fazendo sentar no seu colo

Eu não sei se é por causa que ainda não temos TANTA intimidade assim mas eu fiquei extremamente envergonhada e sem reação mas eu já estive ali antes o que me deixa confusa sobre o por que de eu estar tão envergonhada.

Noah - não era para responder. - ele fala e põe sua mão não minha coxa esquerda e começa a acaricia-la

Hormônios, por favor, agora não!

Noah - Sn, você está bem? - ele fala percebendo a minha quietação repentina

- hum? Sim, estou sim.

Noah - o que você vai fazer agora? - ele volta a acariciar minha perna me fazendo precionar meus lábios um no outro

- e-eu só vou..me arrumar e..espera dar onze e meia para ir ao restaurante com as meninas para..resolvermos o lance das fotos.

Noah - Sn, tem certeza de que está bem? - ele pergunta e eu assinto exageradamente com a cabeça - ok. - ele passa sua mão livre pela minha cintura e aperta a mesma levemente me fazendo ter um surto e me engasgar com minha própria saliva e levantar rapidamente de seu colo abafando minhas tóses que não param com meu punho

Céus, o que está acontecendo comigo?

Noah - o que aconteceu?O que foi? - ele pergunta precupado se levantando também

- não foi nada..eu só..me engasguei. - cada pausa era uma tóse

Noah - com saliva?

- é. - digo como se fosse óbvio

Noah - calma, eu vou buscar água para você. - ele diz e sai correndo do quarto - aqui está. - ele fala me entregando um copo de água assim que chega no quarto de novo

Pego rapidamente o copo de sua mão e reprimo todo o líquido que estava no copo.

Seria anormal eu falar que o Noah está mais lindo que o normal?

Noah - está melhor agora? - ele pergunta pegando o copo vazio de minha mão e eu assinto com a cabeça - olha, eu vou para o meu quarto tomar banho. Te econtro lá embaixo para a gente tomar café?

- sim, pode ser.

Noah - ok. Até lá embaixo.

- até. - falo e ele sai do quarto e fecha a porta

Dou um longo suspiro em reprovação à minha pessoa. Pego minha toalha e vou para o banheiro. Escovo meus dentes e começo a me despir logo entrando no box e ligando o chuveiro sentindo aquela água gelada esfriar meu corpo tirando todo o calor que estava grudado no meu corpo antes, substituindo-o por um frio imenso. Quando acabo meu banho, coloco uma calça jeans, uma camisa colorida com mangas curtas de botões e um tênis branco tradicional. Coloco a camisa dentro da calça e puxo um pouco para ficar em um estilo retrô.

(Se você já assistiu a 3 temporada de Stranger Things e viu a onze com aquela camisa junto com os suspensórios azuis, sabe do que eu tô falando.)

Deixo meu cabelo solto mesmo, só parto ele para a esquerda e estou pronta. Saio do quarto e desço as escadas encontrando Noah deitado no sofá e mexendo no celular, porém, esse que quando me vê desliga o mesmo e vai para a mesa. Quando eu ia colocar o pé no chão da sala, paro imediatamente ao ver um maltês branco com manchas cinzas bem embaixo do meu pé.

- isso aqui é novo. - falo desviando do pequeno cachorro

Noah - ah esse ai é o Milo. Milo! - ele o chama e o cachorro vira para ele - dê as boas vindas a Sn. - ele diz e o cachorro vem correndo na minha direção e pulando na minha perna

- que fofo! - falo pegando-o no colo

Noah - você está fofa. Está parecendo a onze de Stranger Things.

- essa é a intenção. - falo me sentando na mesa com Milo no colo

Noah - o que foi? Por que não come?

- é que eu não gosto de café. Tem achocolatado?

Noah - você é muito exigente, sabia?! - ele fala se levantando e pegando uma lata de chocolate no armário

- sabia. - falo pegando a lata da mesa assim que ele deixa-a ali

Noah - essa também era uma pergunta retórica. - ele afirma revirando os olhos e se sentando na cadeira novamente

- o que você vai fazer agora? - pergunto ignorando seu comentário

Noah - tomar café da manhã?! - ele fala como se fosse uma pergunta

- e depois eu que sou má. - falo deixando Milo no chão novamente

Noah - meu desculpa, bebê. Eu juro que não vou mais ser mal. É assim que você quer que eu aja? - ele fala igual eu hoje de manhã me fazendo soltar um sorriso vitorioso

- está melhor entendendo agora, Urrea? - pergunto e ele revira os olhos colocando leite em seu cereal

Eu com certeza nunca vou me acostumar a rotina alimentar dos americanos, eles comem qualquer refeição como se fosse um banquete.

Faço meu achocolatado e começo a bebê-lo junto com alguns biscoitos que estavam em cima da mesa.

- cadê a sua mãe, sua avó e sua irmã?

Noah - as sextas-feiras aqui são um pouco diferentes, nas sextas elas saem para fazer compras e ir ao spa. A mamãe não convidou você?

- ah claro. Convidou mas eu acabei negando por causa do almoço que iria ter e acabei esquecendo.

Noah - certo.

- mas é sério, o que você vai fazer agora?

Noah - não sei bem, a minha rotina de treino ainda não voltou ao normal, só vão começar daqui algumas semanas. - ele fala dando de ombros logo em seguida dando uma colherada no seu cereal

- ah sim.

Noah - você quer ir no Starbucks comigo depois do café?

- pode ser.

Quando terminamos de tomar café, eu e Noah subimos para pegar nossas coisas antes de sairmos. Dessa vez eu pego dinheiro para não ter que correr o risco de Noah me chantagear de novo. Saímos do quarto ao mesmo tempo e logo estávamos na garagem, entramos no carro e ele logo começa a dirigir em direção ao Starbucks. Quando chegamos lá, até que não estava tão cheio já que o Starbucks era uma cafeteria e ainda era de manhã, então foi fácil de conseguirmos uma mesa. Noah pediu um capuchinho, já eu pedi um milkshake de morango pequeno já que havia tomado um bom café da manhã na casa de Noah. Acho que a atendente achou meio estranho eu pedir um milkshake de manhã mas ok. Ah e o Noah também pediu donuts. Eu definitivamente iria comer bem pouco no almoço com as garotas já que Noah me obrigou a comer três donuts enormes.

Ainda era dez e quarenta, eu tinha bastante tempo antes das e meia. Então, Noah decidiu que seria legal me levar à um parquinho que ele ia de vez em quando.

- é bem legal aqui. - falo me sentando em um balanço

Noah - é, eu costumava vir aqui quando criança. - ele fala se sentando no balanço do outro lado

- deve ser bem nostálgico para você.

Noah - e como.

~QUEBRA DE TEMPO~

15:00 PM

Eu já havia almoçado com as meninas e os produtores delas, foi bem divertido e rendeu boas risadas. Confesso que ainda fiquei em choque com tudo isso que está acontecendo e também fiquei bem nervosa quando cheguei no restaurante. A minha rotina ficou resumida em eu ir tirar as fotos de segunda a sexta e os finais de semana livres, as vezes sairiamos de manhã, as vezes de tarde e até mesmo de noite, ia depender dos temas que eu iria pegar amanhã com os produtores, minhas aulas on-line seriam de acordo com o horário da seção de fotos. Por exemplo: se as fotos fossem feitas de manhã, eu estudaria à tarde ou à noite. Eu vou começar amanhã, só vamos ter uma pequena reunião para os empresários me explicarem como tudo vai ocorrer. As meninas me deram uma carona para o condomínio de Noah. Chegando lá, como a tia Wendy havia de dado uma chave reserva eu poderia entrar sem bater. Quando entrei, vi Noah abraçado com uma menina.

(link nas notas finais)

E era um abraço bem caloroso. Sei que isso não é legal mas, fiquei com um pouco de inveja da menina, eu queria estar no lugar dela. Eu estava totalmente sem reação assim como ontem quando Noah estava com o Samuel.

Aquele abraço já estava me dando nos nervos.

Por que nunca acabava?

Sei que o que eu vou fazer agora é muito errado mas vai ser o único jeito de chamar atenção. Como eu ainda não tinha fechado a porta, fechei ela com um pouco de força fazendo eles dois percebrem que eu estava ali.

Noah - Sn, essa aqui é a Zoe. (foto da capa) - ele fala me apresentando a menina

Zoe - oi. Muito prazer! - ela diz abrindo um sorriso

Não vou me fazer de mal educada e deixar transparente o meu.....ciúme pelo Noah.

Nossa, se foi difícil pensar isso, que dirá falar.

Então apenas retribui o seu sorriso e a cumprimento, pelo visto ela já estava de saída o que me deixou.....feliz?

Sei que é errado ficar feliz por isso mas eu não consegui evitar. Eu não achei ela grossa bem nada do tipo, muito pelo contrário, ela é extremamente simpática e educada. Eu que me sinto mal por estar feliz pela ida dela.

Noah - tchau, Zoe. Até mais tarde! - ele diz fechando a porta

Como assim "Até mais tarde!"?

Noah - vem, quero te mostrar uma coisa. - ele fala entrelaçando sua mão na minha e me levando até não sei onde

- a onde está me levando?

Noah - ao meu reino. - eu não entendi nada até ele me levar a uma mini garagem

Parecia àqueles esconderijos de filmes da Disney que todo mundo sempre quis ter. O lugar era maravilhoso.

- eu quero morar aqui. - falo assim que ele fecha a porta e ele ri - é sério, isso aqui é incrivel. - ele parecia orgulhoso ao me mostrar sua garagem

Noah - fico feliz que tenha gostado.

- eu não gostei, eu amei! - falo me sentando no sofá que tinha ali

Noah - alguns pedido? - ele pergunta tirando seu violão do pedestal

- você sabe alguma do Little Mix?

Noah - 'American Boy' ?

- por favor.

"Cantando, cantando, cantando

Ooh la, la, ele quebra meu coração

Eu sei que ele pensa nela quando toca guitarra

E ooh la, la, meu garoto americano

Eu o encontrei quando eu estava na Califórnia,

Ele estava tocando numa banda e ela estava dançando no palco

E ele diz que sou a escolhida

Mas foi ela quem ele deixou escapar

E ele nunca soube o verdadeiro nome dela

Oh, e eu não quero ficar presa

E insegura sobre as coisas que você diz

Oh, e eu não quero ficar com ciúmes

Estou apenas sendo descuidada, garoto

Eu devo te enlouquecer

Cantando, cantando, cantando

Ooh la, la, ele quebra meu coração

Eu sei que ele pensa nela quando toca guitarra

E ooh la, la, meu garoto americano

Cantando, cantando, cantando

Ooh la, la, ele quebra meu coração

Eu sei que ele pensa nela quando toca guitarra

E ooh la, la, meu garoto americano, meu garoto americano

Americano, americano, garoto americano

Você sabe, é meu garoto americano

Americano, americano, garoto americano

Você sabe, é minha garota brasileira"

Quando ele termina de cantar, bato palmas e assobio para o mesmo.

- "minha garota brsileira"?

Noah - eu não ia perder a oportunidade, brazilian girl. Sabe, esse apelido até que é legal, vai ser o nome do seu contato agora. - ele fala pegando seu celular - "Brazilian Girl"

- então eu acho que você é o meu "American Boy".

Noah - é, gostei é legal. Me dá seu celular. - ele pede e eu dou sem excitar - aqui. - ele diz quando termina de fazer sei lá o que - eu vou te mandar uma mensagem.

- "American Boy". Legal, também gostei.

[ . . . ]

19:30 PM

Eu estava me matando para tentar acompanhar o assunto da vídeo aula.

Noah - hey! Eu vou sair com a Zoe agora, quer ir? - ele pergunta se encostando no batente da porta me chamando a atenção

Então foi isso que ele quis dizer com "Até mais tarde!".

- eu adoraria mas estou bem ocupada agora, alguém me fez deixar a vídeo aula para mais tarde. - falo e ele ri

Noah - ok. Te vejo mais tarde!

- então até mais tarde.

Noah - até mais tarde. - ele diz saindo do quarto e eu volto a minha atenção para a vídeo aula no notebook

[ . . . ]

21:23 PM

A minha vídeo aula já havia acabado á um tempo, agora eu estava vendo o noticiário na sala de estar com a tia Wendy até ela falar que já iria dormir e me deixar sozinha, não sei ao certo se a Sra.Urrea já foi dormir mas acho que sim. Ouço barulhos vindo de fora e presumo que Noah já tenha chegado, então decido ver pela janela se era ele.

Mas quando olho pela janela, vejo ele abraçado com Zoe de novo. Eu entrei em uma espécie de "pânico" então rapidamente acendo a luz de fora impedindo-os de fazer qualquer coisa e logo vejo os dois se afastarem. Quando eu virei para trás, vi a Sra.Urrea me encarando.

- ah e-eu estava...

Sra.Urrea - eu vi o que você fez, querida. Não precisa ter vergonha, suba para o seu quarto que eu cuido disso. - eu assinto e vou correndo até as escadas mas fico no meio do caminho

Sei que foi errado o que eu fiz, eu não sei o que deu em mim e também sei que é errado o que vou fazer agora mas eu realmente quero saber o que a Sra.Urrea vai falar a ele. Logo ouço o barulho da porta abrindo.

Noah - vovó, foi a senhora quem ligou a luz, não foi?

Sra.Urrea - eu não quero que você fique com aquela menina, eu não gostei dela.

Suspirei aliviada. A Sra.Urrea é de mais.

Noah - vovó, não se preocupe, eu não gosto desse jeito da Zoe, somos somente amigos.

Sra.Urrea - se você diz.

Ouço passos se aproximando e subo o resto da escada chegando até meu quarto.





Continua....


Notas Finais


É isso gente até o próximo capítulo! 💙
Noah abraçando a "Zoe": https://www.instagram.com/p/CAYtLVyj5Mt/?igshid=1q8liluqllv7


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...