História Nobody Knows - Capítulo 6


Escrita por:

Visualizações 14
Palavras 695
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


não esqueçam de ler as notas finais
boa leitura!!

Capítulo 6 - Physical and psychological pains.


Thiago P.O.V. 

Entrei na sala de aula e logo fui sentar-me em meu lugar. Passei pela classe de Pk, que estava vazia, senti um enorme arrepio quando vi. 

- Ué, cadê o Pk? - Guaxinim, que senta ao meu lado, perguntou. 

- Não sei, tem algo estranho acontecendo com ele - sussurrei - Passei pela casa dele hoje, chamei-o e ninguém atendeu. E, claro, você sabe como ele é, Pk não se atrasa com horários. 

- Mandou mensagens? 

- Mandei várias! E até agora, nenhuma foi respondida. - Vi Guaxinim fazendo um sinal de negação com a cabeça 

- Droga! 

- O que foi? - quase gritei. - Você sabe de algo? 

- Não..-ele parecia nervoso - Eu só...

- Fala, Rafael! 

- Pessoal, vou chamar a lista pra ver quem está presente no dia de hoje. - a professora avisou, interrompendo o assunto. E assim, ela foi chamando, um por um, nome por nome...

- Matheus? 

- Não está presente, professora. 

- Alguém sabe o que aconteceu? - ela perguntou - Matheus nunca falta nas minhas aulas. 

- Na verdade, não sei. 

- De certo ele se atrasou, vou anotar sua falta. 

Pk P.O.V. 

Por um segundo, eu realmente achei que ia morrer. Eu estava sem comer fazia horas. Na verdade, eu ainda não tinha comido nada. Me perguntei dos meus amigos, onde eles estavam uma hora dessas, e eu nem sabia que horário era. Droga! Eu perdi a prova de física. Mas a avaliação era o menos importante agora, já que eu estava aqui, fraco, pensando em qual super-herói viria me salvar. Não veio nenhum até agora. Até veio! Mas ele não tem super-poderes! 

Thiago P.O.V. 

Eram exatamente 14:54 da tarde, e eu ainda não tinha notícias de Matheus. Ele não poderia estar dormindo até essa hora. O porteiro não sabia o que tinha acontecido com ele, isso era uma droga! Qual porteiro não sabe quem entra e quem sai naquela porra de apartamento? Eu estava tão preocupado, que até agora não tinha comido nada. E tem mais, sei que Rafael sabe de alguma coisa, mas ele não quis me falar. Já estou a ponto de entrar chutando as portas de todos os apartamentos de lá, e perguntar aonde está Matheus, o que aconteceu com ele, e cuidar dele se estiver machucado. 

- Calma, meu filho, provavelmente ele viajou com a mãe dele, sei lá...

- MÃE! - já tinha me enchido o saco - Ele não viaja com a mãe dele, ele odeia sair de casa! - suspirei de raiva - Tô indo pro meu quarto. 

Pk P.O.V. 

Eu estou ouvindo passos

Seria do meu amor? 

Ou então do meu assassino? 

Minha morte está próxima, 

eu só desejo ver ele mais uma vez!...

Thiago P.O.V. 

O tempo passou, já era madrugada, eu não sabia onde ele estava ainda, precisava fazer algo. Peguei o telefone e liguei pro Alan, ele me levaria até a casa de Pk, mais que isso, me ajudaria a entrar lá e descobrir o que aconteceu. Não falaria nada para Guaxinim, ele não quis me contar nada do que sabe, isso me ajudaria muito. Mas, não é hora de ficar pensando nessas coisas, eu preciso encontrar Matheus! 

(...)

- Vamos, pirralhinho. - Alan tinha chegado em frente à minha casa. 

- Cala a boca, demônio, ninguém pode me ver! Esqueceu que é madrugada? 

- Ai, desculpa - sussurrou, debochando. - Vamos logo! 

Pk P.O.V. 

Ele já tinha ido embora fazia algumas horas. Mas eu continuava preso em cordas, sem forças e sem vontade de lutar pra me desfazer delas. Provavelmente eu iria morrer ali, ninguém ainda tinha sentido minha falta? Droga! Sou invisível. 

Ouvi um barulho de carro e umas portas se fechando. Ele deve ter voltado. Eu não vou aguentar mais, eu estou sem forças. É minha deixa! 

- MATHEUS? - Eu ouvi aquela voz de novo. Ou eu estava delirando de cansaço, fome, sono e tudo junto. Aquela doce voz. - O QUE FIZERAM COM VOCÊ? 

- Thiago...- tossi de fraqueza. 

- Eu vou te tirar daqui! 

"As luzes da cidade vão te levar pra casa

Elas aquecerão seus ossos

E então, eu tentarei

Tentarei consertar você..."

 

 

 


Notas Finais


favoritem se gostarem!!
MEU TWITTER >>>> @lockecoffe

MÚSICA DA POESIA >>>> Coldplay - Fix You


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...