História Nobody Knows (Jung Hoseok - BTS) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga)
Tags Hentai, J-hope, Jung Hoseok, Proibido, Romance, Segredo, Sexo, Suga, Traição, Yoongi
Visualizações 214
Palavras 1.509
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse capítulo vai conter algumas palavras erradas por parte de uma personagem, ela é um bebê, por esse fato as falas dela são erradas.

Boa leitura.💕

Capítulo 3 - Parque.


3

O conforto acariciando seus fios ralos e passando uma mão em suas costas calmamente. Eu não entendo a sua afobação, mas tudo indicava que ele está com medo de que as coisas mudem entre nós por ontem. Mas a realidade é que, eu estou com mais medo que ele. Eu não quero o perder jamais e não quero que as coisas mudem entre nós. Trato de colocar um sorriso doce em meu rosto, para por fim, me afastar dele para encarar os seus olhinhos.

— Ei. — Chamo sua atenção, baixinho. — Nada irá mudar, sim?

— Me prometa. — Ele pede, com os olhos fechados. Passo meus dedos por seu rosto, indicando para que ele abrisse, em resposta ele agarra mais minha cintura, me puxando para perto de si. Hesito por um momento e os seus olhos castanhos torna a me encarar, em silêncio, ele pega minha mão de seu cabelo trilhando a mesma por seu peito. Fecho meus olhos por breves segundos, logo depois retomando a consciência afasto minha mão.

— Hope… — Digo com um fio de voz, abaixando o olhar.

Ele da dá de ombros pegando minha mão novamente, ele torna a caminhá-la por seu peito, por fim, parando em seu coração. Este, batia rapidamente, torci o nariz em confusão vendo-o segurar o meu rosto carinhosamente com sua destra.

— Está sentindo? — Ele indaga, fitando os meus olhos com intensidade. Assinto em um aceno. — Cada batida que ele da… é por sua causa, por sua existência.

Sinto um rubor tomar conta de minha bochechas fazendo com que eu desvie o olhar, essa fora a coisa mais fofa que já haviam me dito até hoje. Nem Yoongi havia me dito algo tão sincero e profundo. Sinto meu olho marejar, e Hope leva sua mão novamente ao meu rosto.

— Eu estou aqui por você, sim? — Ele sorri, com seu sorriso esplêndido. — Desde o começo fora você, não deixe que nada mude entre nós, ok? — Assinto chorosa e ele me puxa para um abraço caloroso.

— Me desculpe. — Sussurro baixo contra seu peito.

— Por qual motivo? — Ele questiona, dando um beijo em minha testa antes de quebrar o contato físico. — O quê a mocinha aprontou, hum? — Ele cerra os olhos, fingindo estar bravo. Solto um risinho dando-lhe um tapinha.

— Por tudo. Por não perceber quando você está triste. — Meu olhar vai de encontro ao dele, vendo o quão intenso era. — Por não poder te dar nada além de minha amizade. — Torno a abaixar o olhar, sentindo um desconforto.

— Tudo bem, pequena. Você ainda vai me amar. — Ele solta um risinho, se distanciando.

— Eu já o amo. — Grito sem maldade, ele para no lugar parecendo desconcertado. Por um momento o meu coração falhou uma batida, e eu só pensava em como eu estava encrencada. Ele vira-se lentamente, girando todo o seu corpo. Ele estava com sorriso em seus lábios, e com as suas mãos em posição. Naquele momento eu sabia o que vinha pela frente, tudo que eu poderia fazer era correr antes de ele me alcançar e me matar de tanto fazer cócegas.

E esse era o bom de Hope, ele não deixava nada abalar nosso amizade. Ou pelo menos ele tentava.

[…]

— Quero te levar em um lugar. — Hope fiz baixinho. Tomando um gole de seu café.

— Onde? — Pergunto, torcendo o nariz.

— Segredo. — Ele sorri, mostrando seus dentes incrivelmente brancos.

— Me conta, vai. — Choramingo, bufando. Cruzo os braços fazendo bico para Hope, ele por sua vez, vai até a minha pessoa apertando o meu nariz. — Aí. — Gemo baixinho pelo seu aperto.

— Você fica tão bonita quando está brava. — Ele gargalha, cativando-me.

— Para, seu bobo. — Acompanho sua risada. — Vou trocar de roupa para nós irmos.

O silêncio se faz presente, então saio rapidamente subindo as escadas. Enquanto tentava pensar nas opções de lugares que Hope poderia me levar, mentalizo um conjunto de roupa diferente. Não sabia bem o que usar, não sabia para onde ele me levaria. Avisto o guarda-roupa já com a roupa em mente, tento procurar pelo meu vestido florido em tons pastéis. Assim que eu o encontro, o visto rapidamente e coloco o um casaquinho fino de tom rosa pastel.

Calço uma sapatilha e por fim passo um protetor labial rosado. A casa estava em silêncio, Yoongi demoraria a chegar de seu emprego, então eu teria um longo tempo pela frente. Desço as escadas indo ao encontro de Hope. O mesmo olha-me dos pés à cabeça vislumbrado, o brilho em seus olhos era nítido.

— Você está graciosa. — Ele sorri ladino.  

— Obrigada, oppa. — Sorrio de volta, sentindo minhas bochechas queimarem.

Hope se aproxima pegando em minha mão. As nossas mãos enroscam-se de forma bonita, sorrio com o gesto sentindo o meu peito saltitar. Ele nos direciona para fora da casa, e eu só conseguia pensar no quanto eu estava feliz por sair. Mas logo isso muda quando penso em Yoongi. Balanço a cabeça com o pensamento de que eu não estava fazendo na de errado, apenas estávamos saindo como bons amigos.

• • •

O lugar onde Hope me trouxe era um parquinho. As árvores espalhadas pelo local pequenos, as folhas caindo me traziam lembranças boas. As crianças pequenas corriam de um lado para o outro, meu coração se encheu de amores quando uma delas esbarrou em mim. As bochechas gordinha dela era tão fofinha, não pude deixar de me abaixar para falar com ela. A criança parecia estar assustada.

— Qual o seu nome? — Indago, com brilho nos olhos. Hope estava atrás de mim, ele parecia sorrir com a cena.

Isadola. — A menininha diz, enrolando suas mãozinhas. A sua pronúncia não estava certa, mas por seu um bebê ela estava pronunciando bem.

Isadola... — Repito sua pronúncia, soltando um risinho. Hope se abaixou ao meu lado para entrar na conversar. — Onde está a sua mamãe?

A menininha na minha frente olha em volta, procurando por sua mãe. No entanto, ela deixa sua frustração transparecer em seu rostinho. Isadora havia ficado triste, tudo indicava que ela estava perdida de sua mãe. Me aproximo mais dela a pegando no colo, caminho para um dos bancos e me sento deixando-a sobre meu colo. Olho para Hope com um olhar de preocupação, ele por sua vez, vem de encontro.

Eu num chei. — Isadora pronuncia chorosa, a abraço a confortando-a.

— Ei, nos iremos encontrá-la. — Hope afirma, segurando a mão da doce menininha em meu colo. — Como sua mamãe é, meu doce?

Isadora sai de meu colo ficando em minha frente.

Pela. — Ela coloca o dedinho na boca, pensativa. Mordo o meu lábio tentando conter um risinho, ela realmente estava fofa. — Ela é glande. — Isadora levantou sua mão dando um pulinho, para nos mostrar o quão alta era sua mãe. Hope estava ao meu lado, assim como eu, ele segurava o riso. Levo minha mão até a sua, aperto fortemente contendo um riso. Ela estava fofa demasiado. — Mamãe tem o cabelo pleto. — A criança revira os olhos. — Mas ela mudou pla loilo.

Eu não fui capaz de conter a risada. Ela estava realmente uma gracinha, se eu tivesse uma filha, queria que fosse do jeitinho dela. Sou tirada de meu devaneio com Isadora alarmada, ela estava apontando para uma jovem loira que era idêntica à menina. Deveria ser a sua mãe.

— Mamãe!

A jovem direciona o olhar para onde estávamos. Rapidamente ela vem com seu rosto visivelmente preocupado. A jovem abraça Isadora e a revista com preocupação.

— Você está bem? Não se machucou? — A jovem loira pergunta, com afobação. — Eu te disse para não sair de perto de mim, meu anjinho.

Diculpa, mamãe.

— Não meu amor, me desculpe você. Eu deveria ter sido mais vigilante.

Meu peito se enche de felicidade. Essa sensação de ser mãe deveria ser boa, eu queria um dia sentir a sensação de ser amada genuinamente e amar na mesma intensidade. Deve ser algo gostoso, mas ter filhos não está nos planos de Yoongi.

— Vocês quem a ajudou? Muito obrigada mesmo, eu não sei o que faria se a perdesse. — A mulher pareceu chorosa, achar que perdeu uma pessoa é um sensação horrível.

— Está tudo bem. — Hope a conforta. — Ela foi um doce, você tem uma bela filha. — Hope sorri, indo até a pequena. Ele passa a mão em sua cabeça em seguida se levanta, puxando-me.

— Obrigada, mais uma vez. — Ela se curva diante de nós, antes de sair com sua filha.

— Tchau, Isadola. — Aceno para menininha que eu havia me apegado em pouco tempo. Não vou mentir, queria ter ficado um pouco mais com ela.

— Tchau tia. — Ela grita, com sorriso em seu doce lábio.

Hope Hoje se aproxima de mim, analisando-me por inteiro. Ele leva a sua mão até os meus fios fazendo um afago ali, sem demora, fecho os meus braços em volta de sua cintura.

— Quem sabe não temos um. — Hope sussurra, meu peito parece bater mais rápido. A sua proposta havia me tentado, não nego. 


Notas Finais


Morrendo de amores com a "Isadola".😍
Nova estória com Yoongi vampiro: https://www.spiritfanfiction.com/historia/love-of-a-vampire-min-yoongi--bts-13611439

Nova estória Jikook em parceria com a @Stitchedxz : https://www.spiritfanfiction.com/historia/alibi-13601255

One-Shot com Jin: https://www.spiritfanfiction.com/historia/meu-eterno-amado-jin--bts-13608202

Meu perfil: @hesitei 🌹

Até breve.💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...