1. Spirit Fanfics >
  2. Noites em Verona >
  3. Capítulo dois

História Noites em Verona - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo dois


Com um sorriso respondo seu agradável bom dia.

- Bom dia harold - ele simplismente odeia que eu o chame assim - como foi o seu final de semana? muitas festas ou coisas que jovens da nossa idade fazem?

- a sua visão sobre mim me encanta minha jovem - ele diz com um ar debochado e sutilmente irônico - mas não que isso seja da sua conta eu passei o final de semana vendo séries, e você voltou a velha e agitada verona?

- talvez eu ainda esteja lá e essa conversa seja um fruto da sua imaginação pois está tão apaixonado por mim que mau pode me tirar de sua mente - ela diz para irrita-lo e sigue em direção a área dos funcionários.

- não seja tão presunsosa cristal, o dia não está nem tão bonito pra soltar uma dessas - ele diz na porta pegando seu avental - bom vamos para de brigar igual cão e gato.

- certo meu bom senhor da orbes esverdeadas

- eu até gosto de quando você fala tão formalmente mas tem vezes que isso irrita - ele lança um pano de prato em direção de cristal - você as vezes consegue ser bem irritante.

dou um sorriso para ele e vai até a porta principal e a abre colocando os Guarda- sois do lado de fora e deixando tudo pronto para que os clientes chegassem e se acomodassem da melhor forma.

e com isso horas tinham se passado, e como não havia clientes e ainda não estava na hora de fechar cristal foi ver a seção de romances da parte " livraria" da cafeteria, suas mãos escorregavam pelas prateleiras com curiosidade em encontrar coisas novas para ler.

porém ela encontrou o mesmo romance trágico que era apaixonada, o pegou em suas mãos e viu que suas páginas estavam amareladas, com certeza que esse deve ser algumas das relíquias da senhora Rose.

Para que de serve o coração se não amar que nós esta destinado, era a frase que estava marcada no livro.

então ela resolveu se sentar ali mesmo, quem sabe ela poderia ler até 10 paginas antes que harry venha te tirar a paz momentânea.

ela abriu o livro e na capa, igual ao seu exemplar de anos, tinha uma dedicatoria e a sua curiosidade falou mais alto e resolveu ler.

Preciso que cuide dela e que ela não descubra a verdade, minha borboletinha merece o mais feliz possível.

todos os pelos de seu corpo se arrepiaram, não era possivel, não fazia sentido, a mesma letra e o mesmo apelido que há em seu livro.

Mais o que diabos esta fazendo sentada no chão - harry diz dando um susto na mesma - o que está lendo?

Nada não - se levantou com presa e correu junto com o livro mas harry foi mais rapido em tirar ele de suas mãos - então é esse o seu plano? roubar todos os livros de romeu e julieta que puder?

me devolva por favor - diz tentando pegar o livro de suas mãos - por favor harry me devolva.

toma então - ele diz a entregando o exemplar - você parece perturbada, o que tinha nesse livro? você ja sabe as páginas de cor.

não é nada - ela sai rápido e coloca o exemplar em sua bolsa e tentar sair da cafeteria mais harry bloqueia a saida - tenho que ir para casa.

- cristal o que aconteceu - ele diz tentando entender o jeito da menina - me deixa ajudar você.

- você vai me ajudar saindo da minha frente - o mesmo fica assustado com o jeito da menina e sai sem falar nada - até amanhã harold

- até, eu acho?

ela parecia um raio pelas ruas estreitas daquele bairro, o percurso que levar em torno de 20 minutos levou a metade.

chegando em casa percebeu que a sua mãe ainda não tinha voltado e resolveu averiguar a situação.

pegou o seu velho e amado exemplar de sua estante, e colocou ao lado do que tinha pegado na cafeteria.

eram iguais, a unica diferença é que o da cafeteria tinha inúmeras marcações, textos, e algumas páginas tinham palavras soltas marcadas

isso não fazia sentindo para cristal sua cabecinha imaginou um milhão de probabilidades.

- olá minha joia, por que a porta está fechada acredito que nem tenha me ouvido chegar - ela para e olha para sua escrivaninha - mais um livro de romeu e julieta? só você mesma.

mamãe eu preciso que seja franca comigo - ela levanta intimidando sua mãe que fica estática - quem foi que me deu esse livro e por que o livro que encontrei hoje na cafeteria tem a mesma letra da gravura do meu livro?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...