1. Spirit Fanfics >
  2. Noites em Verona >
  3. Capítulo cinco

História Noites em Verona - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Capítulo cinco


A doce senhora se sentou em uma das mesas e esperou que Harry e Cristal se juntassem a ela.

Pois bem crianças podem fazer as perguntas que quiserem e se eu souber a resposta prometo que direi - ela fala com um sorriso meigo no rosto e Cristal começa a falar.

bom senhora hunts eu queria muito saber se a senhora conheceu o meu pai - ela a olha com o coração acelerado.

bom minha jovem, eu conheci seus pais quando eles tinham acabado de chegar aqui em Londres, eles eram o típico casal apaixonado que nada poderia separar. todas as tardes depois de trabalhar o seu pai vinha aqui para esperar o final do seu expediente, ele se sentava naquela mesa ao lado da janela - ela aponta para a mesma - foi desse jeito por cerca de três anos, até o dia que sua mãe chegou aqui chorando, desesperada, em busca de consolo e palavras amigas e eu sem entender nada perguntei para ela o que havia acontecido, e ela disse que estava grávida de você só que o seu pai achou que você acabaria atrapalhando os planos que ele tinha.

Harry segurou as mãos de cristal embaixo da mesa as sentido frias e percebendo o quão ela estava nervosa com aquilo.

uma semana depois seu pai me entregou esse livro que você tem em suas mãos e me disse para que eu te entregasse na hora certa - a senhora fica nostálgica - e essa é a hora certa, eu coloquei ele naquela prateleira para que você encontrasse.

mas a senhora não sabe por que esse livro tem tantas gravuras - foi a vez de Harry se pronunciar pois pela primeira vez em muito tempo cristal havia ficado sem palavras - por que o livro todo é assim?

Ai meu filho eu não sei te explicar isso ele nunca me disse nada sobre o livro além de que era para eu entregar para a cristal - só no mesmo instante vem uma coisa na cabeça dela - mas ele me deixou uma carta, esperem aí eu vou ver se ela ainda está no lugar que coloquei.

a senhora saí para o escritório dela, harry acompanha a mesma com o olhar mas ao retornar seu olhar para cristal percebe que ela ainda não tem uma reação para o que acabou de ouvir.

Ei, você está bem? - ele perguntou segurando sua mão - pode falar comigo.

Eu era um fardo para o meu pai? - seus olhos ficam marejados - eu realmente não sei por que estou indo atrás disso, nem sei se vai valer a pena.

Olha cristal você não é um fardo, você é amada por muitas pessoas e se seu pai te via assim o idiota era ele - ele diz se aproximando dela - você é incrível demais!

ambos os rosto estavam milímetros de distância e seus lábios estavam quase se encostando, quando a voz da velha senhora ecoa no ambiente e os dois se voltam sua atenção para ela.

achei crianças! está aqui - a mulher chega no ambiente e percebe que os dois jovens estavam extremamente vermelhos - aqui está minha flor, eu nunca abri ela guardei só pra você ler.

o envelope estava lacrado e um pouco envelhecido mas mesmo assim cristal o abriu e leu o que estava escrito.

Parece que alguém já está crescida, se a sua mãe fez como o nosso combinado você não deve saber quase nada sobre mim. E pelo jeito deve ser extremamente curiosa porque está lendo essa carta, pois bem eu não quero que você ache que eu te abandonei não foi exatamente assim eu precisava descobrir mais sobre eu mesmo antes de te conhecer.

Eu jamais tive a intenção de magoar você nem a sua mãe se quer saber, eu estou indo embora agora mais continuo ligado a ela, o meu coração é dela e eu sei que um dia ficaremos juntos eu, ela e você minha borboletinha.

                                        06/08/2001

                 

                     Lorenzo De Angelis

Ai meu Deus essa era a única frase que se passava na mente de cristal, no mesmo instante que terminou de ler se levantou dando um leve susto na senhora e no garoto que estavam observando ela.

Muito obrigada senhora hunts mas eu e Harry temos que ir agora - ela vai até a senhora e dá um abraço apertado - obrigada mesmo!

ela puxa harry pela mão e leva até a saida, onde em menos de um minuto somem pelo fim da rua. e a senhora hunts observa tudo da calçada

Bom eu acho que acabei de comprir minha promessa - a senhora vai andando até a parte de dentro do estabelecimento - espero que ela não se decepcione com o que vá encontrar.

em poucos minutos Harry e Cristal estão de volta, os dois pulam da motocicleta o seguem para a parte de dentro.

eu preciso ver como conseguir passagens para Marselha - ela pega o celular - vai arrumar suas coisas logo.

calma ai, em Marselha não tem aeroporto, se pegarmos um vôo até paris vai ficar muito longe - ele diz e pensa um pouco - Marseille tem um aeroporto e fica a 20 km de Marselha.

como você sabe disso garota - a garota o olha como se fosse um absurdo ele saber disso tudo - vc deu uma solução em menos de 2 minutos.

é que os meus pais tem um socio e amigo que hoje em dia mora em Marseille - ele diz subindo as escadas - e por sinal as cidades tem o mesmo nome.

ela ri dele e senta no sofá esperando o cacheado descer por enquanto está olhando passagens no seu celular. Bom elas estão mais caras que o esperado porém conseguiria pagar.

Bom voltei, você acha que uma mochila de roupas é o suficiente? - diz com a bolsa dele nas costas e a dela em suas mãos - e por falar em viagem pode deixar que eu pago as passagens.

o quê? não isso ja é exigir demais de você harry - talvez seja um pouco de orgulho pensou a garota - pode deixar eu me viro com isso.

olha, eu não quero ser chato nem nada mas eu vou pagar por que eu até tenho tudo isso como você mesma disse - ele fala com um sorriso pretensioso no rosto - e além de tudo to fazendo isso por que eu realmente quero te ajudar.

não tem como te fazer mudar de ideia? - ele balança a cabeça simbolizando não - então ok Haroldo.

ok eu vou comprar as passagens no aeroporto - ele faz uma pausa dramática - mas me conta o que estava escrito na carta que você leu.

ela não diz nada só entrega a carta para que o mesmo leia e tire suas próprias conclusões, ao terminar de ler ele fica com uma ruga ente as sobrancelhas e cristal achava àquilo fofo, por que ou ele estava concentrado demais ou estava nervoso com alguma coisa.

Cristal essa carta é muito estranha - ele diz sério - porque não faz sentido que ele ame tanto vocês que tenha ido embora, a não ser que ele estava sendo ameaçado de alguma maneira.

Por isso vamos falar com a minha avó, eu tenho certeza que ela sabe o paradeiro dele e minha mãe também deve saber mas como ela não quer me contar vamos atrás da dona Antonieta - ela diz com um ar de preocupação - mas você não tem que falar com seus pais sobre essa viajem inesperada?

bom eu ja falei, e como sempre eles nem deram atenção - ele suspira - as vezes tenho muita saudade da Gemma.

para onde que ela foi? - ela pergunta com um tom de curiosidade mas que logo vira remorso - se não quiser falar tudo bem?

Não tudo bem, ela se mudou para os Estados Unidos depois de uma discussão feia com os nossos pais - até parece besteira se for parar pra pensar mas se pra ela foi importante pra mim também é!

a quanto tempo não vê ela? - ela diz pegando sua mão - eu só me lembro dela na escola.

quando ela terminou o ensino médio foi embora - ele dá um longo suspiro - acho que uns 5 anos por aí.

é bastante tempo né. - os dois ficam em silêncio até que harry o quebrou.

bom acho melhor seguirmos o nosso caminho não acha? - ele se levanta pegando sua mochila - se conseguirmos pegar um vôo cedo conseguimos chegar ainda de dia lá.

o motorista da família de Harry leva os dois até o aeroporto, e o carro nem precisou parar para Harry descer correndo e se despedir gritando do motorista.

eles pegam uma fila enorme mas enfim consegue as passagens, para meio dia e meio.

Meu Deus esse negócio de descobrir sobre o passado cansa demais - os dois riem - é quanto tempo daqui até Marselha?

duas horas - ele diz - estou com fome! quer comer algo?

ela sinaliza com a cabeça que não e o mesmo saí e vai comprar algo para comer.

o tempo se passa e o vôo deles é chamado, os dois caminhando um do lado do outro sem ao menos proferir uma palavra se quer.

eles são direcionados ao embarque, e em poucos minutos estão sentados em seus lugares e harry diz para cristal.

olha vai dar tudo certo - ele pega em sua mão - eu prometo ta bom?

ta bom! - ela encosta no ombro do mesmo e adormece só acordando com a voz de Harry avisando que o avião havia pousado.

ela não se lembra de nada do que aconteceu nesse vôo mas já Harry...

como o combinado o amigo da família de Harry estava esperando os dois na saida do aeroporto, cristal dá o endereço da casa da sua vó e eles seguem viagem que leva cerca de 40 minutos.

as conversas de Harry com o senhor eram resumidas em como estavam os pais dele e os negócios da família, cristal se contentava em admirar a paisagem do lado de fora.

Depois de um tempo eles chegaram na frente de uma casa luxuosa, talvez até mais do que a de Harry.

obrigada senhor - ela se despede e saí do carro, Harry sai junto com ela e os dois ficam estáticos na frente da grande casa.

por que você não disse que a sua vó era rica - ele questiona ela - é muito bonita.

eu também não sabia disso - ela segue até a porta e toca a campainha.

ao fundo podia se ouvir uma voz Gentil - pode deixar margarida eu atendo.

uma senhora de cabelos grisalhos abre a porta - olá no posso ajudar? - e no primeiro momento acho que ela não a reconhece. só foi só se passar alguns segundos que a senhora arregala os olhos mais azuis que o próprio oceano e diz - ó meu Deus o que faz aqui tão longe cristal?

eu vim atrás de respostas vovó, e acho que a senhora pode me ajudar - as duas se abraçam pois não se vêem desde os 6 anos de cristal.

eu ajudo sim - ela abre espaço na porta - venham vocês dois entrem.

os dois entram como nessa manhã na cafeteria mas agora com certeza que coisas grandeoza e talvez assustadoras estavam por vir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...